quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Mercado de San Telmo, Buenos Aires

Os primeiros imigrantes compravam ali seus víveres. O edifício manteve-se intacto. Tal qual à sua efervescência. E ali, vendem-se comidas, bebidas e todos os tipos de objetos antigos.

Frutas no Mercado de San Telmo, Buenos Aires
Frutas no Mercado de San Telmo

Localização: ruas Carlos Calvo e Bolívar, San Telmo, Buenos Aires.

Veja também...
O Parque Lezama e As Igrejas de San Telmo

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

17 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Pouco Valorizado +++

O Parque Lezama é um dos mais belos da cidade.
E também um dos menos valorizados.
Fica no sul da Calle Defensa.
E abriga o Museu Histórico Nacional.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama +++

Antiga propriedade do comerciante saltenho Gregorio Lezama.
O lago, as fontes e as esculturas fizeram do local um atrativo.
Aos sábados e domingos, das 10h às 20h, há uma feira.
Há venda de artesanatos e apresentações ao vivo.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Antigo Jardim Privado +++

Era o jardim privado mais luxuoso e extenso da cidade.
Ponto iconográfico do bairro San Telmo.
Que sobrevive no relato histórico e mitológico da cidade.
Com passeios e trilhas entre monumentos, esculturas e fontes.
Que conservam importantes referências literárias e artísticas.
Como na novela do célebre escritor Ernesto Sabato.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Histórico +++

A área ficava nos terrenos mais altos de Buenos Aires.
Um espaço que se destinava ao rei da Espanha.
De acordo com a divisão territorial de Juan de Garay.
Mas o destino quis que ali se instalasse um cidadão inglês.
Depois, um norte-americano.
Até que, em 1857, chegou às mãos de José Gregorio Lezama.
Que transformou a área no jardim de sua residência.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estátua de Pedro de Mendoza +++

Outrora, o rio banhava o aclive do Parque Lezama.
Onde Pedro de Mendoza montou o acampamento original.
Hoje, uma imponente estátua de bronze homenageia-o.
Fica sobre um pedestal de mármore.
Decorado com um índio querandí em baixo-relevo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Monumento “Al Adelantado” +++

Assim define o monumento a Don Pedro de Mendoza.
O primeiro fundador da cidade de Buenos Aires.
A escultura fica na esquina das avenidas Brasil e Defensa.
Obra de Juan Carlos Oliva Navarro.
Que se inaugurou em junho de 1937.

A figura de Don Pedro aparece junto a um índio.
E na parte posterior da obra distingue-se a “Magdalena”.
Com o nome dos navegantes daquela embarcação.
Na parte baixa, há uma fonte.
As vertentes representam os rios Guadalquivir e da Prata.
Ponto de partida e destino da travessia.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Anfiteatro +++

O parque era um pátio grego.
E ali, observam-se passeio com esculturas.
Com destaque à que evoca a deusa Diana.
Outra referência grega é o auditório a céu aberto.
A construção de 1914 fica na Avenida Brasil.
Aproveita o desnível do terreno.
E é capaz de abrigar seis mil pessoas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Cordialidade Internacional +++

Monumento-tributo que Montevidéu ofereceu a Buenos Aires.
Na ocasião dos 400 anos de fundação da capital argentina.
Obra dos uruguaios Antonio Pena e Julio Vilamajó.
A inauguração ocorreu em 1962.
Na calçada da Avenida Martín Garcia.

Parte do bronze vem da fundição de moedas de dez centavos.
Que escolares da capital uruguaia reuniram.
As gravações da coluna representam a disposição das constelações.
No momento da fundação de Buenos Aires.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Loba Romana +++

A inspiração da escultura é a lenda de Rômulo e Reno.
A obra de 1921 é uma das mais antigas do parque.
Um presente da cidade de Roma.
E fica na esquina da Defensa com a Brasil.

Outro ponto é a Fonte de Du Val D’Osne.
No antigo mirante da quinta.
Com as figuras de Naiade e Netuno.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Despretensioso Mercado +++

O Mercado de San Telmo ocupa um despretensioso edifício.
Sob um telhado de ferro fundido.
O mesmo, há um século.
O local, basicamente, vende frutas e verduras.
Com algumas barracas de artesanato de apelo turístico.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado de San Telmo +++

O mercado data de 1897.
E destaca-se pela estrutura de ferro.
Com teto de chapa e vidro.
É o último mercado do estilo na cidade.
Abre diariamente.
E comercializa de carne e pescados frescos.
A antiguidades e obras de arte kitsch.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado de San Telmo +++

Os imigrantes deram a Buenos Aires uma população estável.
E San Telmo necessitava de mercados para o abastecimento deles.
Hoje, vários postos conservam-se como eram.
A dinâmica do bairro somou modernidade ao mercado.
Até se chegar à surpreendente combinação atual:
Um mercado em que se encontram objetos antigos de todos os tipos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Imigrantes e Mercado de San Telmo +++

O mercado abriu as portas em novembro de 1897.
E está imerso no coração do bairro San Telmo.
Com acesso pelas ruas Defensa, Carlos Calvo, Bolívar e Estados Unidos.

O objetivo era abastecer a crescente população de Buenos Aires.
Que já contava com grande número de imigrantes.
A muitos deles, o estilo italiano do mercado era familiar.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estrutura do Mercado de San Telmo +++

A construção ficou a cargo de Juan Antonio Buschiazzo.
Italiano e o segundo arquiteto a obter o título na cidade.
Hoje, o prédio é Monumento Histórico Nacional.
E boa parte da estrutura conserva-se como era.
Os arcos, a grande cúpula e o teto com vigas de ferro.
E pranchas de chapa e peças de vidro.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Variedade do Mercado de San Telmo +++

O mercado oferece de objetos antigos a frutas tropicais.
Carnes, condimentos, pães, discos, jogos.
No corpo principal, estão os pontos de venda de carne.
De pescados, frutas e verduras.
Os antiquários ficam nos passeios das ruas Defensa e Estados Unidos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Café do Mercado de San Telmo +++

No centro do mercado, há um café.
Com sabores e aromas distintos dos cafés convencionais.
Baristas da Escuela de Café atendem no local.
E auxiliam para tirar dúvidas.
E recomendar os grãos de melhor qualidade.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pagamento e Funcionamento +++

No Mercado de San Telmo, aceita-se apenas dinheiro.
Pode-se pagar com pesos, dólares ou euros.

O mercado abre todos os dias.
Mas durante a semana, algumas lojas estão fechadas.
Domingo é o dia com maior número de visitantes.
E também com mais lojas em funcionamento.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design