quinta-feira, 10 de agosto de 2017

O Parque Lezama e As Igrejas de San Telmo

O roteiro inicia no Parque Lezama, onde Pedro de Mendoza fundou Buenos Aires em 1536. E passa por quatro igrejas de San Telmo, o menor bairro da cidade. As diferentes crenças representam diferentes culturas...

Feira da Plaza Dorrego, Buenos Aires
Feira da Plaza Dorrego

O roteiro tem 1,9 km ou 24 min de caminhada, conforme o Google Maps!

Parque Lezama e Igrejas de San Telmo (Google Maps)
Parque Lezama e Igrejas de San Telmo

  
1 – Parque Lezama
Eis um ótimo local para você começar uma caminhada por San Telmo! Para alguns historiadores, ali Pedro de Mendoza fundou a cidade. E por causa dos ataques indígenas, abandonou o assentamento, no ano seguinte...

Don Pedro de Mendoza, Parque Lezama, Buenos Aires
Don Pedro de Mendoza

Por mais de 300 anos, o local teve diferentes ocupações. Até que em 1889, faleceu José Gregorio de Lezama. A viúva vendeu o terreno à prefeitura. A mansão deu lugar ao Museo Histórico Nacional. E a área livre, ao parque.

O projeto do Parque Lezama coube ao paisagista Carlos Thays. No princípio, o local tinha até um lago, onde hoje fica o anfiteatro. Já na esquina das ruas Brasil e Defensa, vemos o Monumento a Pedro de Mendoza.

A Fonte do Parque Lezama, Buenos Aires
A Fonte do Parque Lezama


2 – Catedral Ortodoxa Rusa
O templo ortodoxo fica na Rua Brasil, 315, em frente ao Parque Lezama. A construção de 1901 tem estilo moscovita do século XVII. Com destaque para as cinco cúpulas azuis e as estrelas douradas.

Mosaicos da Igreja Ortodoxa Russa, Buenos Aires
Mosaicos da Igreja Ortodoxa Russa

Visitei a Igreja Ortodoxa Rusa durante os ofícios religiosos. Nestas ocasiões, não se pode fotografar o interior do templo. E assim, só registrei algumas imagens da fachada e de desenhos na entrada do prédio.

Placa Informativa da Igreja Ortodoxa Russa, Buenos Aires
Placa Informativa

É um templo de porte bem menor que a Catedral Ortodoxa de São Paulo. Mas na qual pude observar, por instantes, o comportamento dos fieis. Por exemplo: ao entrar no recinto, eles beijam o chão...

Virgem e Menino Igreja Ortodoxa Russa, Buenos Aires
Virgem e Menino Igreja Ortodoxa Russa


3 – Iglesia Sueca
Deixe a Catedral e siga à esquerda pela Avenida Brasil. Entre à esquerda na segunda rua, a Azopardo. A Iglesia Sueca fica no número 1422. Um prédio de tijolos, de 1945, na esquina da Avenida Juan de Garay.

Svenska Kyrkan (Igreja Luterana Sueca), Buenos Aires
Igreja Luterana Sueca

Lamentei por encontrar esta igreja fechada. No interior do templo luterano, há uma relíquia: uma bíblia de 1540. E o quadro do altar veio de Estocolmo. Nele, Jesus convoca os primeiros apóstolos, todos pescadores.


4 - Iglesia de San Pedro Telmo
A frustração durou pouco! Eu segui pela Avenida Juan de Garay. E peguei a Avenida Paseo Colon, a primeira, à direita. Após três quadras, eu segui à esquerda pela Rua Humberto I. Meu destino ficava no número 340...

Placa Igreja de San Telmo, Buenos Aires
Placa da Igreja de San Telmo

No local, os jesuítas fundaram a Iglesia Nuestra Señora de Belén, em 1734. Hoje, a Iglesia San Pedro González Telmo. Na verdade, a conclusão do templo ocorreu após a expulsão da Companhia de Jesus da América.

Antiga Construção da Igreja de San Telmo, Buenos Aires
Antiga Construção da Igreja

Você pode conferir parte da estrutura original no muro à direita, antes de entrar na igreja. No interior, atrás do altar, destaca-se a imagem de Nuestra Señora de Belén – no centro, e de San Telmo – à esquerda.

Altar da Igreja de San Telmo, Buenos Aires
Altar da Igreja de San Telmo


5 – Plaza Dorrego
Deixe a Iglesia de San Telmo e, 100 metros à esquerda, você terá a Plaza Dorrego. Uma pausa à sequência de igrejas... A praça fica no coração do bairro. E o espaço surgiu pouco depois da fundação de Buenos Aires.

Em 1586, conhecia-se o local como Alto de Las Carretas. Pois era ali que os carros de boi paravam antes de cruzar o arroio Tercero Del Sur. Hoje, a Calle Defensa e a Pasaje San Lorenzo ocupam o leito do antigo arroio...

Menina - Mercado San Telmo, Buenos Aires
Menina no Mercado de San Telmo

Com o tempo, a região passou a reunir pontos comerciais. Enfim, em 1822, passou a se chamar Plaza de Comercio. Ainda hoje, ocorrem, aos domingos, as tradicionais feiras de antiguidades de San Telmo...


6 – Galería El Solar de French
A galeria fica na Calle Defensa, 1062. À leste da Plaza Dorrego. E ocupa o pátio do solar onde nasceu o coronel Domingo M. French. O prédio colonial de 1762 conserva, porém, muito pouco de seus materiais originais.

Galeria El Solar de French, Buenos Aires
Galeria El Solar de French

Na entrada, um quadro ilustra a participação de Domingo French e Antonio Luis Beruti nos eventos que antecederam a Revolução de Maio de 1810. Ali uma placa reforça a importância de French na Independência argentina.

Quanto à galeria, cabe destacar as flores vermelhas em meio às lojas de artesanato e de antiguidades. Algumas vendem quadros. Outras, esculturas. Chamou a minha atenção uma loja com antigos cartazes de filmes.


7 – Iglesia Danesa
Ao deixar a galeria, siga à direita, até a Rua Carlos Calvo. Pegue à direita. O próximo destino, a Igreja Dinamarquesa, fica no número 257. A construção neogótica de 1931 representa a escada do sonho de Jacó.

Igreja Danesa - Dansk Kirke (Igreja Luterana Dinamarquesa), Buenos Aires
Igreja Danesa

A comunidade dinamarquesa de Buenos Aires é a terceira maior do mundo. Perde só para a dos EUA e a da Austrália. A maior parte chegou à Argentina entre 1857 e 1930. Algo em torno de 18 mil dinamarqueses.

Assim como na Igreja Sueca, encontrei as portas fechadas na Igreja Danesa. Li que ela possui paredes brancas, sem imagens. E no corredor que leva ao altar, há uma maquete do navio que aportou em Buenos Aires.


8 – Mercado San Telmo
Para encontrar o último destino de nosso roteiro, você deverá retornar pela Carlos Calvo. O Mercado San Telmo fica na esquina com a Rua Bolívar, no número 471. E tem saídas pelas ruas Defensa e Estados Unidos.

Antiguidades no Mercado de San Telmo, Buenos Aires
Antiguidades no Mercado de San Telmo

O prédio de 1897, a princípio, era um mercado comunitário de alimentos. Ainda se encontram carnes, frutas e verduras no local. Porém, predominam as lojas de antiguidades e o comércio de artesanato.

Ali, você encontrará desde discos de vinil até autógrafos do Maradona. E a quantidade de bugigangas e velharias impressiona. Não só a mim. Mas também a uma curiosa menina que procurava por brinquedos no local...

42 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Pouco Valorizado +++

O Parque Lezama é um dos mais belos da cidade.
E também um dos menos valorizados.
Fica no sul da Calle Defensa.
E abriga o Museu Histórico Nacional.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama +++

Antiga propriedade do comerciante saltenho Gregorio Lezama.
O lago, as fontes e as esculturas fizeram do local um atrativo.
Aos sábados e domingos, das 10h às 20h, há uma feira.
Há venda de artesanatos e apresentações ao vivo.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Antigo Jardim Privado +++

Era o jardim privado mais luxuoso e extenso da cidade.
Ponto iconográfico do bairro San Telmo.
Que sobrevive no relato histórico e mitológico da cidade.
Com passeios e trilhas entre monumentos, esculturas e fontes.
Que conservam importantes referências literárias e artísticas.
Como na novela do célebre escritor Ernesto Sabato.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Histórico +++

A área ficava nos terrenos mais altos de Buenos Aires.
Um espaço que se destinava ao rei da Espanha.
De acordo com a divisão territorial de Juan de Garay.
Mas o destino quis que ali se instalasse um cidadão inglês.
Depois, um norte-americano.
Até que, em 1857, chegou às mãos de José Gregorio Lezama.
Que transformou a área no jardim de sua residência.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estátua de Pedro de Mendoza +++

Outrora, o rio banhava o aclive do Parque Lezama.
Onde Pedro de Mendoza montou o acampamento original.
Hoje, uma imponente estátua de bronze homenageia-o.
Fica sobre um pedestal de mármore.
Decorado com um índio querandí em baixo-relevo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Monumento “Al Adelantado” +++

Assim define o monumento a Don Pedro de Mendoza.
O primeiro fundador da cidade de Buenos Aires.
A escultura fica na esquina das avenidas Brasil e Defensa.
Obra de Juan Carlos Oliva Navarro.
Que se inaugurou em junho de 1937.

A figura de Don Pedro aparece junto a um índio.
E na parte posterior da obra distingue-se a “Magdalena”.
Com o nome dos navegantes daquela embarcação.
Na parte baixa, há uma fonte.
As vertentes representam os rios Guadalquivir e da Prata.
Ponto de partida e destino da travessia.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Anfiteatro +++

O parque era um pátio grego.
E ali, observam-se passeio com esculturas.
Com destaque à que evoca a deusa Diana.
Outra referência grega é o auditório a céu aberto.
A construção de 1914 fica na Avenida Brasil.
Aproveita o desnível do terreno.
E é capaz de abrigar seis mil pessoas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Cordialidade Internacional +++

Monumento-tributo que Montevidéu ofereceu a Buenos Aires.
Na ocasião dos 400 anos de fundação da capital argentina.
Obra dos uruguaios Antonio Pena e Julio Vilamajó.
A inauguração ocorreu em 1962.
Na calçada da Avenida Martín Garcia.

Parte do bronze vem da fundição de moedas de dez centavos.
Que escolares da capital uruguaia reuniram.
As gravações da coluna representam a disposição das constelações.
No momento da fundação de Buenos Aires.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Lezama: Loba Romana +++

A inspiração da escultura é a lenda de Rômulo e Reno.
A obra de 1921 é uma das mais antigas do parque.
Um presente da cidade de Roma.
E fica na esquina da Defensa com a Brasil.

Outro ponto é a Fonte de Du Val D’Osne.
No antigo mirante da quinta.
Com as figuras de Naiade e Netuno.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Catedral Ortodoxa Rusa de la Santísima Trinidad +++

Ostenta janelas oitavadas arredondadas.
E cúpulas em forma de bulbo azul turqueza.
Estas vieram de São Petersburgo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Iglesia Ortodoxa Rusa +++

Um local de filme, em frente ao Parque Lezama.
Edifício em estilo Moscovita do século XVII.
Representa uma das construções mais atrativas da cidade.
Durante os serviços religiosos, pode-se ouvir o coro.
Que interpreta música litúrgica ortodoxa.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Igreja Luterana Sueca +++

A Svenska Kyrkan é um sóbrio templo em estilo nórdico.
Oferece serviços em espanhol e em sueco.
Além de aulas de tango.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Reforma do Museu Nacional +++

O Museu Histórico Nacional passou por reformas.
Na ocasião do bicentenário da Revolução de 1810.
Com isso, a instituição deu mais ênfase à história social.
E incluiu as origens indígenas e imigrantes da Argentina.
Assim como os movimentos de massa.

Antes, o grosso das exposições tratava de San Martín.
E o retrato presidencial mais recente era de Hipólito Yrigoyen.
Que os militares depuseram em 1930.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Historico Nacional +++

Reúne amplo acervo que ajuda a contar a história da Argentina.
Destaque ao sabre curvo que pertenceu ao General San Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museu Histórico Nacional +++

Fica em um magnífico edifício em estilo colonial.
Em tom vermelho escuro.
E coberto com elaborados desenhos brancos.

No interior, você verá uma exposição sobre o passado do país.
Do período pré-hispânico até 1950.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Tarja de Potosí +++

Tarja de Potosí é um escudo em ouro e prata.
Um dos pontos altos do Museu Histórico Nacional.
O General Belgrano recebeu o presente, em 1813.
Das mulheres de Potosí, na Bolívia.
Em agradecimento pela atuação nas lutas da independência.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Itens Exóticos do Museu Histórico Nacional +++

Em 1889, fundou-se o museu, com peças-chave da história argentina.
Há itens exóticos, como a cama de campanha de San Martín.
A poltrona e o violão de Juan Manuel de Rosas.
O tinteiro que usaram os representantes das províncias.
Para firmar a Constituição Nacional de 1853.
E o piano de Mariquita Sánchez de Thompson.

Há também os 32 óleos do artista Cándido López.
As pinturas são sobre a Guerra do Paraguai.
E convidam a uma visita ao museu pelo valor artístico.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Parroquia San Pedro G. Telmo +++

É uma das igrejas mais antigas de Buenos Aires.
Em 1734, três jesuítas iniciaram a construção da igreja.
Sob o título de Nuestra Señora de Belén.
A inauguração oficial ocorreu apenas em 1876.
E, hoje, o templo é Monumento Histórico Nacional.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

++++ Construção da Igreja +++

A construção iniciou, em 1734, com arquitetos jesuítas:
+ Andrés Bianchi;
+ Antonio Masella;
+ José Schmidt;
+ Juan Prímoli.

O primeiro nome foi Iglesia Nuestra Señora de Belén.
Em 1806, passou a Parroquia San Pedro González Telmo.
Uma homenagem ao patrono dos navegantes.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Obra do Púlpito da Igreja de San Telmo +++

Em 1805, o prócer Manuel Belgrano encomendou a obra do púlpito.
Ela fica no interior da Igreja, antes do cruzeiro.
É um trabalho em madeira talhada e pintada em ouro e esmalte.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Irmãos de Belém +++

Os bethlemitas permaneceram na paróquia de 1800 a 1822.
E manteve uma residência no edifício em frente.
Ali, funcionou a primeira Faculdade de Medicina.
Eles atenderam enfermos de epidemias.
E feridos das invasões inglesas.
Na sacristia, há uma mesa de mármore.
Que os Irmãos de Belém usavam para cirurgias.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo de San Telmo +++

Pertence a Parroquia de San Pedro Telmo.
Atrativos: átrio, claustro, escavações, sacristia, sibilas.
Além do templo, o órgão e os altares.
E a fundação da Capela.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Pinturas da Sacristia da Igreja de San Telmo +++

Na sacristia, há uma coleção de doze óleos do século XVIII.
Eles representam doze mulheres divinas, sibilas.
Cujas profecias referem cenas da vida de Cristo.
Um tesouro da pintura colonial hispano-americana.
Também na sacristia, há uma mesa de mármore.
Ela serviu para cirurgias durante as invasões inglesas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Coleção de Sibilas +++

São doze pinturas a óleo do século XVIII.
Que se atribuem a Escuela Cuzqueña.
São obras únicas na Argentina.
E que passaram por restauração, em 2005.
Hoje, formam parte do patrimônio histórico-cultural da igreja.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Coronel Dorrego +++

É a principal praça de San Telmo.
Com elegantes casarões ao redor.
Alguns abrigam antiquários, outros bares.
Aos domingos, a praça recebe a tradicional feira de antiguidades.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ História da Plaza Dorrego +++

Nos primeiros tempos, serviu como estacionamento.
Para as carretas que ingressavam no núcleo urbano.
Uma placa metálica resgata aquela época.
E as diferentes denominações do local ao longo do tempo.

Mas a história reservou um papel de protagonista à praça.
Ali, as autoridades aderiram a proclamação da independência.
O ato de Buenos Aires ocorreu em 13 de setembro de 1816.
Após a proclamação de Tucamán, em 9 de julho de 1816.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Bairro de San Telmo e Plaza Dorrego +++

Já no século passado, artistas passaram a morar na região.
E deram ao bairro um espírito boêmio e romântico.
Hoje, alguns cafés alimentam este espírito.
Eles oferecem serviços na Plaza Dorrego e em torno dela.

Também se apreciam antigos casarões.
Numerosos pontos de venda de antiguidades.
Eventualmente, nos fins de semana, há espetáculos musicais.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Ponto Mais Visitado de San Telmo +++

Hoje, a Plaza Dorrego é um Monumento Histórico Nacional.
Por ser uma mostra da arquitetura mais antiga da cidade.
Nos dias de semana, as mesas dos cafés tomam a praça.
É o local ideal para desfrutar o encantador ambiente.
O trânsito aumenta consideravelmente aos domingos.
Quando ocorre, no local, a Feria de San Telmo.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Dorrego: Centro do Bairro +++

A praça é o centro incontestável do bairro San Telmo.
Um local tranquilo durante a semana.
É cercada por ruas de paralelepípedos.
Onde antiquários e galerias atraem os visitantes.

Já aos domingos, a feira de antiguidades toma a praça.
No caso, a Feria de San Pedro Telmo.
Uma das maiores atrações da cidade de Buenos Aires.
Tanto para argentinos quanto para estrangeiros.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Feira de San Pedro Telmo +++

Em um cenário quase teatral, vemos objetos antigos.
Como sifões de prata com incrustações de pedras.
Relógios e velhas máquinas registradoras.
E você ainda poderá apreciar uma exibição de tango.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Feria de San Telmo +++

Ocorre aos domingos, a partir das 10h da manhã.
Bancas de antiguidades vendem relíquias a preços acessíveis.
E bailarinos de tango realizam um espetáculo digno de se ver.
Isso sem falar nos artistas e nos personagens pitorescos locais.
E os cafés ao redor da praça oferecem pratos variados.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Galeria El Solar de French +++

Nesta casa, nasceu Domingo French, tribuno de Mayo.
Que lutou contra as invasões inglesas, em 1806.
A construção do solar ocorreu em 1762.
E o pátio converteu-se em galeria.
Nela operam pequenas lojas de antiguidades.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ O Despretensioso Mercado +++

O Mercado de San Telmo ocupa um despretensioso edifício.
Sob um telhado de ferro fundido.
O mesmo, há um século.
O local, basicamente, vende frutas e verduras.
Com algumas barracas de artesanato de apelo turístico.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado de San Telmo +++

O mercado data de 1897.
E destaca-se pela estrutura de ferro.
Com teto de chapa e vidro.
É o último mercado do estilo na cidade.
Abre diariamente.
E comercializa de carne e pescados frescos.
A antiguidades e obras de arte kitsch.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado de San Telmo +++

Os imigrantes deram a Buenos Aires uma população estável.
E San Telmo necessitava de mercados para o abastecimento deles.
Hoje, vários postos conservam-se como eram.
A dinâmica do bairro somou modernidade ao mercado.
Até se chegar à surpreendente combinação atual:
Um mercado em que se encontram objetos antigos de todos os tipos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Imigrantes e Mercado de San Telmo +++

O mercado abriu as portas em novembro de 1897.
E está imerso no coração do bairro San Telmo.
Com acesso pelas ruas Defensa, Carlos Calvo, Bolívar e Estados Unidos.

O objetivo era abastecer a crescente população de Buenos Aires.
Que já contava com grande número de imigrantes.
A muitos deles, o estilo italiano do mercado era familiar.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estrutura do Mercado de San Telmo +++

A construção ficou a cargo de Juan Antonio Buschiazzo.
Italiano e o segundo arquiteto a obter o título na cidade.
Hoje, o prédio é Monumento Histórico Nacional.
E boa parte da estrutura conserva-se como era.
Os arcos, a grande cúpula e o teto com vigas de ferro.
E pranchas de chapa e peças de vidro.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Variedade do Mercado de San Telmo +++

O mercado oferece de objetos antigos a frutas tropicais.
Carnes, condimentos, pães, discos, jogos.
No corpo principal, estão os pontos de venda de carne.
De pescados, frutas e verduras.
Os antiquários ficam nos passeios das ruas Defensa e Estados Unidos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Café do Mercado de San Telmo +++

No centro do mercado, há um café.
Com sabores e aromas distintos dos cafés convencionais.
Baristas da Escuela de Café atendem no local.
E auxiliam para tirar dúvidas.
E recomendar os grãos de melhor qualidade.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pagamento e Funcionamento +++

No Mercado de San Telmo, aceita-se apenas dinheiro.
Pode-se pagar com pesos, dólares ou euros.

O mercado abre todos os dias.
Mas durante a semana, algumas lojas estão fechadas.
Domingo é o dia com maior número de visitantes.
E também com mais lojas em funcionamento.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Igreja Danesa de Buenos Aires +++

É um tempo protestante luterano, de 1931.
Em inconfundível estilo nórdico.
No interior, há candelabros dinamarqueses.

Fonte: Buenos Aires Day & Night

Leonardo Brocker disse...

+++ Dansk Kirke +++

É a Igreja Luterana Dinamarquesa.
Outro enclave escandinavo em San Telmo.
Esta não oferece aulas de tango.
Mas recebe um grupo de dança folclórica dinamarquesa.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design