sexta-feira, 30 de junho de 2017

Animais e Homem no Museo Moyano [Conheça Mendoza a Pé]

O Museo de Ciencias Naturales y Antropologicas fica no Parque San Martín. Em três andares, segmenta o acervo em três grupos: minerais, animais e homem. Na maior parte, peças originárias da província de Mendoza.

Dorado, Esteros del Iberá, Museo Moyano de Mendoza
Dorado, Esteros del Iberá

Veja também...
Quando cheguei ao museu, alunos iniciavam a visita. Crianças de oito a nove anos de idade. Curioso reparar a reação das crianças diante das peças. Em especial, os dinossauros e os animais empalhados...

Enfim, pela temática, o museu atrai desde o público acadêmico até curiosos em geral. E já na entrada, o visitante verá esqueletos de girafa, rinoceronte. Uma balsa das Lagunas de Rosário, Lavalle. E os fósseis vegetais...

Esqueleto de Rinoceronte, Museo Moyano de Mendoza
Esqueleto de Rinoceronte

Charles Darwin esteve em Mendoza, em 1835. E localizou o primeiro bosque fóssil da América do Sul. Encontrou em Paramillos, Uspallata, troncos de coníferas de até 250 milhões de anos, as Araucárias de Darwin.


O Primeiro Piso do Museu
Registra a evolução, do surgimento dos planetas aos animais. É interessante comparar outros planetas com a Terra. A rotação de Mercúrio leva 58 dias. Já Netuno leva 164 anos para concluir o movimento de translação.

Balsa das Lagunas de Rosario, Lavalle, Museo Moyano de Mendoza
Balsa das Lagunas de Rosario, Lavalle

A seguir, vêm os minerais. Repare nas peças de Uspallata e Malargüe, em Mendoza. Um painel registra os movimentos das placas tectônicas. Outro lista vulcões da província. Os cinco maiores, na divisa com o Chile.

+ Tupungato (6.570 m) – inativo;
+ San José (6.070 m) – erupções nos séculos XIX e XX;
+ Tupungatito (5.913 m) – erupções frequentes nos últimos 200 anos;
+ Maipo (5.323 m) – derrames de lava de 1826 formaram a Laguna Del Diamante;
+ Planchón Peteroa (4.135 m) – últimas erupções de lava, em 1837 e 1937;
+ Payún Matrú (3.715 m) – tribos nativas relatam erupções recentes.

Talco - Mina Luísa, Uspallata, Las Heras, Museo Moyano de Mendoza
Talco - Mina Luísa, Uspallata, Las Heras


Fósseis Animais e Dinossauros
Em Mendoza, já se encontraram fósseis de dez mil a quinhentos milhões de anos. O museu expõe peças da era paleozoica. Um período com predomínio de animais invertebrados, como os gastrópodes.

E enfim, os dinossauros. Estes inquietaram definitivamente as crianças que visitavam o museu. Uma reação que eu já esperava... Lembro bem o meu fascínio por dinossauros e múmias durante a infância...

Eoraptor lunensis, Província de San Juan, Museo Moyano de Mendoza
Eoraptor lunensis, Província de San Juan

Destaco uma réplica do Eoraptor lunensis em escala 1:1. Um dinossauro do período Triásico Superior, da província de San Juan. Ao lado, um osso de titanossauro. Este do Cretáceo Superior, da província de Mendoza.


Taxidermia: Os Animais Empalhados
Nesta sessão, o alvoroço aumentou. E as professoras já não conseguiam mais conter o barulho e a dispersão das crianças. Compreensível, diante das aves e dos felinos que pareciam atrair a todos como imãs...

As Crianças no Setor de Taxidermia, Museo Moyano de Mendoza
As Crianças no Setor de Taxidermia

Apesar do predomínio de animais da região, havia exemplares exóticos tais como a equidna e o ornitorrinco. O peixe-lua também chama a atenção. Dentre as grandes aves de Mendoza, destaque absoluto ao condor...

Na verdade, parece haver certo predomínio de aves nesta área. Águias em posição de ataque chegam a assustar. E a serenidade dos cisnes traz calma outra vez. Mas logo os felinos voltam a perturbar a paz local...

Cisne Coscoroba, Museo Moyano de Mendoza
Cisne Coscoroba


O Homem no Segundo Piso do Museu
O último andar destina-se à antropologia. E painéis registram a evolução do macaco a homem. Com a localização das principais espécies de hominídeos. Na sequência, há os primeiros sítios da América.

Os asiáticos chegaram à América entre 20 mil e 15 mil A.C. E navegadores visitaram o continente antes de Cristóvão Colombo. Destaque aos do atual Japão e da Escandinávia (vikings).

Gato Montês, Museo Moyano de Mendoza
Gato Montês

A maior parte do acervo é de peças pré-colombianas. Obras de maias, incas e astecas. Repare nas múmias de altura. Para os andinos, as montanhas eram sagradas. E havia rituais acima de 4.000 metros de altura...

Segue a lista com algumas múmias de altura:
+ Nevado de Chuscha (5.412): Departamento de Cafayate, Salta;
+ Cerro El Plomo (5.430 m): Região Metropolitana de Santiago, Chile;
+ Cerro El Toro (6.380 m): Departamento de Iglesia, San Juan;
+ Vulcão Llullaillacco (6.739 m): Departamento de Los Andes, Salta;
+ Cerro Aconcagua (6.960 m): Departamento de Las Heras, Mendoza.

Múmia do Aconcágua, Museo Moyano de Mendoza
Múmia do Aconcágua

7 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Mendoza e O Chile +++

Na época colonial, o Chile administrava a região de Cuyo.
E a relação com os chilenos se mantém amistosa na região.
Em 2002, o colapso político-econômico abateu a Argentina.
E as autoridades da província tiveram uma ótima ideia.
Encorajaram os chilenos a adorar Mendoza.
No caso, como destino no feriado de independência do Chile.
E hoje, o turismo complementa a receita que vem do vinho.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mendoza e A Independência +++

A província teve papel-chave nas guerras de independência.
Em Mendoza, o general San Martín organizou um exército.
Este cruzou a Cordilheira dos Andes durante o verão.
E lutou pela independência do Chile.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Cidade de Mendoza +++

Quase toda plana, esparrama-se por amplos vales.
Menos de 100 km a leste do trecho mais alto da Cordilheira dos Andes.
E da cidade, avistam-se os picos eternamente nevados.

O microcentro é menos compacto que o de cidades semelhantes.
Isso ocorreu na reconstrução de Mendoza, no fim do século XIX.
Na época, alargaram-se ruas, praças e avenidas.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Canais de Mendoza +++

Os canais correm junto ao meio-fio das calçadas.
Por eles, escoa a água que irriga a cidade.
Sobre os canais, há pequenas pontes.
Na verdade, uma laje para os pedestres passarem.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mendoza e O Vinho +++

Mendoza respira vinho!
É mais importante produtora da América do Sul.
A região concentra mais de 1.200 bodegas.
Estas produzem 11 milhões de hectolitros.
Quase 70% da produção vinícola argentina.
Em qualquer esquina, você depara com bares de vinhos.
Ou com lojas, adegas e vinícolas.

Fonte: Guia Primeira Viagem América do Sul, Abril, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Clima de Mendoza +++

A cidade reúne características geográficas privilegiadas.
Está no deserto.
Há trechos com índice pluviométrico similar ao do Saara!
E a temperatura pode variar 20ºC entre o dia e a noite.
Além disso, Mendoza fica no sopé da Cordilheira dos Andes.
São condições ideais à fabricação de vinhos de qualidade.
E o cenário perfeito para escalada, rafting, trekking.

Fonte: Guia Primeira Viagem América do Sul, Abril, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Juan Cornelio Moyano +++

Es uno de los más importantes de Cuyo. Ocupa el edificio del antiguo balneario "Playas Serranas" frente al Lago y allí se exhiben más de 40 mil ejemplares en sus secciones de Mineralogía, Paleontología, Antropología, Etnología, Arqueología y Zoología. Cuenta con biblioteca y hemeroteca.

Ubicación: Avenida de Circunvalación Carlos Thays y Avenida Las Tipas, Parque Gral. San Martín.

Adaptado do site Ciudad de Mendoza.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design