sexta-feira, 16 de junho de 2017

Aconcágua, Argentina

Com 6.959 de altitude, o Aconcagua é o mais alto pico do hemisfério sul. Só é inferior ao Himalaia, na Ásia. A montanha gelada é o destaque do Parque Provincial Aconcagua. Embora haja diversas outras montanhas com mais de 5.000 metros na área do próprio parque.

Aconcágua e Glaciar Superior, Mendoza, Argentina
Aconcágua e Glaciar Superior

Camine en Fila India - Parque Provincial Aconcagua, Mendoza
Camine en Fila India - Parque Provincial Aconcagua

Os três mais importantes requisitos para escalar o Aconcágua são preparo físico, aclimatação e paciência. Há três rotas para aproximação do cume: sul, este e oeste. A última, chamada Ruta Normal, é a mais fácil. E parte da Plaza de Mulas, a 4.230 metros.

Veja também...
Altas Montanhas de Mendoza
Mendoza Além do Aconcágua e das Bodegas
Paisagens Andinas de Mendoza 



Aconcágua entre Picos de Pré-Cordilheira dos Andes, Mendoza
Aconcágua entre Picos de Pré-Cordilheira dos Andes


Localização: Parque Provincial Aconcagua, Mendoza, Argentina.

Fonte: Argentina – Rough Guide, Publifolha, 2009.

16 comentários:

Leonardo Brocker disse...

“Do You Need Some Mouth-to-Mouth Resuscitation”

Terceiro episódio da sétima temporada de “The Amazing Race”.
As locações ocorreram na região andina, no Chile e na Argentina.
Na Argentina, as filmagens ocorreram em:
+ Camping Suizo (bloqueio de estrada);
+ Estancia San Isidro (parada);
+ Parque Provincial Aconcagua (desvio).

Fonte: IMDB

Leonardo Brocker disse...

+++ Aconcágua +++

Em quíchua, o nome do pico significa “sentinela de pedra”.
E é o ponto mais alto fora da Ásia, onde fica o Himalaia.
Por isso, o Aconcágua atrai montanhistas de todo o mundo.
No entanto, o desafio só é possível para os iniciados.

O andinista Dálio Zippin Neto já esteve duas vezes no topo.
E disse: “Do cume, a vista é maravilhosa”.
“Dá para ver até o Pacífico”.
“É o teto do continente americano”.

Fonte: Guia Primeira Viagem América do Sul, Abril, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Rotas para Escalar o Aconcagua +++

A montanha atrai muito do fluxo de viajante que vai a Mendoza.
Afinal, é a maior do mundo fora do continente asiático.
A escalada até o topo ocorre por três rotas principais:
+ Rota Normal (noroeste);
+ Glaciar de Los Polacos;
+ Parede Sul (sul).

O Aconcagua não exige grandes conhecimentos de escalada.
Pode-se caminhar até o cume.
Ao menos, pela Rota Normal.
Porém, vários trechos são bastante inclinados.
Frequentemente cobertos por gelo ou pedras soltas.
E uma queda nesta área pode levar à morte.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Aconcagua: A Sentinela de Pedra +++

Os Sete Picos são as maiores elevações de cada continente.
Dentre eles, o Aconcagua é um dos mais fáceis de escalar.
Mas por isso mesmo, é também um dos mais perigosos.

O caminho tradicional é quase uma escada.
Mas a elevada altitude e o clima instável tornam-na um desafio.
Mesmo para jovens fortes e em boa forma.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Aclimatação para Escalar o Aconcagua +++

A escalada de alta montanha é um desafio aos limites humanos.
Independentemente de oferecer maiores obstáculos técnicos.
Os efeitos da altitude são nefastos ao organismo.
E uma adaptação malfeita leva a edema pulmonar ou cerebral.
Ambas são condições potencialmente fatais.
Se ocorrerem em partes isoladas da cordilheira.
Sem acesso a recursos médicos ou possibilidade de resgate.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Aconcagua: De Onde Observar? +++

A montanha fica no Parque Provincial Aconcagua.
Uma área protegida de 71 mil hectares ao norte da RN 7.
É possível contemplar o Aconcagua da própria estrada.
Ou a partir Laguna Horcones, um ponto de fácil acesso.
Ali, fica um clássico mirador para belas vistas e fotos.
Do mirante, contempla-se a Parede Sul da montanha.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Laguna Horcones e o Cerro Aconcagua +++

Mal se vê a montanha da rodovia.
Mas quase qualquer um pode fazê-lo de Laguna Horcones.
São 1,5 quilômetros ou meia hora de caminhada.
Por uma estrada de cascalho a partir do Centro de Visitantes.
Laguna Horcones fica a 2.950 metros de altitude.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Caminhada até Confluencia +++

Uma caminhada um pouco mais longa segue até Confluencia.
Fica a cerca de nove quilômetros do posto de guarda do parque.
É possível acampar no local com autorização.
Na verdade, também é necessária autorização para a caminhada.

Em Confluencia, a trilha se bifurca.
O braço nordeste sobe 13 km até a Plaza Francia, a 4.200m.
É o acampamento base para chegar ao pico pela Parede Sul.

Já o braço noroeste sobe 18 km até a Plaza de Mulas, a 4.230m.
Os aventureiros devem passar vários dias ali para aclimatação.
A partir da Plaza de Mulas, só quem tem autorização pode continuar.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Rota Normal +++

É a que os montanhistas mais costumam usar.
Por uma razão: apresenta menos dificuldades que as demais.
Ao longo do caminho, há uma série de paradas pré-definidas.
E a escalada gradual permite melhor adaptação à altitude.
Os acampamentos marcam os diferentes estágios da escalada:
+ Confluencia (3.300m);
+ Plaza de Mulas (4.000m) – campo base;
+ Plaza Canada (4.910m);
+ Nido de Cóndores (5.380m);
+ Refugio Berlín (5.810m);
+ Refugio Independencia (6.370m).

Ataque ao Cume:
+ Em geral, parte do Refugio Berlín;
+ Pode demorar de 9 a 16 horas, dependendo do escalador.

Leonardo Brocker disse...

+++ Maiores Dificuldades da Rota Normal +++

Gran Acarreo
+ Desnível de 500m, em terreno pouco firme;
+ Fica a 6.500m de altitude.

Gran Canaleta
+ Trecho de 300m na parte final da escalada;
+ Bastante inclinado e com muitas pedras soltas.

Há ainda os ventos e a possibilidade de nevascas.
Além dos problemas respiratórios que aumento perto do cume.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ruta Glaciar de Los Polacos +++

Parte de Punta de Vacas, a 16 quilômetros de Puente Del Inca.
E pouquíssimos montanhistas arriscam seguir por esta rota.
Ela percorre a face leste do Cerro Aconcagua.
Quatro poloneses foram os primeiros a ter êxito pela rota.
E em 09 de março de 1934, chegaram ao topo da montanha:
+ Konstanty Narkievicz-Jodko;
+ Stefan Daszynski;
+ Stefan Osiecki e
+ Wiktor Ostrowski.

Fontes:
+ Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.
+ Wikipedia.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Brasileiros e A Parede Sul do Aconcagua +++

As vias Sul e Polacos exigem técnicas de escalada em gelo.
Em especial, a Parede Sul, um trecho de 3.000m de extensão.
Esta é tida como uma das escaladas mais perigosas do mundo.
E é necessário superar blocos de gelo do tamanho de edifícios.
Conhecimento técnico e capacidade física são fundamentais.

Rodrigo Raineri e Vitor Negrete escreveram o nome na história.
Em 2002, os paulistas escalaram a Face Sul do Aconcágua.
E formaram a única dupla brasileira a conquistar a façanha.
Em 2004, escalaram a Rota Noroeste em pleno inverno.
Dois anos depois, Negrete morreria no Everest.

Mozart Catão foi o primeiro brasileiro a pisar no topo do Everest.
O carioca alcançou o topo com o paranaense Valdemar Niclevicz.
E morreu, em 1998, quando uma avalanche o atingiu.
Na ocasião, o montanhista escalava a Parede Sul do Aconcágua.

Fontes: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009; Wikipedia.

Leonardo Brocker disse...

+++ Aconcágua: Curiosidades Históricas +++

Em 1817, o general San Martín cruzou a Cordilheira dos Andes.
Junto com o exército de 5 mil soldados e 10 mil mulas.
Charles Darwin também percebeu a imponência da montanha.
Quando cruzou os Andes, em 1832.

Em 1883, Paul Gussfeldt liderou a primeira expedição ao cume.
O geólogo alemão precisou convencer alguns condutores de mula.
Para isso, disse haver um tesouro enterrado na montanha.
Gussfeldt chegou a 6.560 metros, uma boa altitude para a época.

Entre 1896 e 1897, ocorreu a primeira expedição de sucesso.
O inglês Edward Fitzgerald liderou o grupo.
Em seis semanas, ocorreram cinco tentativas por vias diferentes.
O guia suíço Matthias Zurbriggen atingiu o cume em 19/01/1897.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Múmia Inca no Aconcagua +++

Em 1985, descobriu-se uma múmia a quase 5.300m de altitude.
Ela é mais antiga que as do Llullaillaco, de Salta.
Isso sugere que os povos pré-colombianos subiram o Aconcagua.
E eventualmente alcançaram o cume da montanha.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio del Andinista +++

Fica em um terreno pedregoso, no lado sul da rodovia.
As expedições costumam parar ali antes de iniciar a escalada.
O Aconcágua já ceifou mais de cem vidas.
Mas nem todos que morreram na montanha estão no cemitério.
E nem todos que estão no cemitério morreram na montanha.
E alguns que venceram o pico optaram por se enterrados ali.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio del Andinista +++

Fica na RN7, 2 km antes de Puente del Inca.
O cemitério encontra-se à esquerda da rodovia.
Nele, estão os corpos de alguns montanhistas.
Eles morreram na tentativa de subir o Aconcágua.
Há covas do início do século XX.
É um cemitério pequeno e surpreendente.
Que clama pela reflexão e pelo respeito.
Uma homenagem aos bravos aventureiros.
Que morreram na busca de seus sonhos.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design