domingo, 21 de maio de 2017

Locações de Filmes em Mostardas

A cidade de colonização açoriana simboliza a tranquilidade das praias do Litoral Sul do RS. E tem como principal atrativo o Farol da Solidão. As praias de Mostardas serviram como locação a produções cinematográficas.

Rita Guedes, em 'Mar Inquieto' (2016)
Rita Guedes, em 'Mar Inquieto' (2016)

Dois Coveiros (2008) 13 minutos
Gilson Vargas escreveu o roteiro e dirigiu o filme.


Mar Inquieto (2016) 98 minutos
Também tem locações em Porto Alegre e Torres.

9 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ "Mar Inquieto" (2016) +++

Diretor: Fernando Mantelli
Roteiro: Fernando Mantelli, Tiago Rezende

Áurea Baptista - Paula
Daniel Bastreghi - Vitorino
Rita Guedes - Anita
Eri Johnson - Azevedo
Leandro Lefa - Drogado

Adaptado de IMDB

Leonardo Brocker disse...

"Mar Inquieto"

Anita (Rita Guedes) era viciada em drogas.
E teve uma juventude conturbada.
Atualmente vive em uma praia.
Leva uma vida sem propósitos.
E amedrontada pelos próprios medos.
Enclausurada nesse local repleto de lendas.
Sobre demônios e vozes que vem do mar.
Mas o que ela mais teme está dentro de sua casa.
O marido, Vitorino (Daniel Bastreghi).

Adaptado de Adoro Cinema

Leonardo Brocker disse...

+++ "Mar Inquieto" - Estreia do Diretor em Longas +++

Fernando Mantelli tem uma carreira extensa como curta-metragista.
Com trabalhos – em sua maioria – voltados para o fantástico.
Por isso, não é surpresa que seu primeiro longa passeie pelo gênero.
Embora não finque pé nele.
"Mar Inquieto" é uma mistura de sci-fi, thriller policial, suspense.
Com pitadas de comédia.
Apesar do filme não ter uma coesão neste sentido.
Isso acaba sendo um predicado.
Visto que os caminhos por quais a história se embrenha são insondáveis.
Com algumas boas surpresas e atuações acima da média.
O filme é um esforço interessante para um cineasta estreante em longas.

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Leonardo Brocker disse...

+++ "Mar Inquieto" - Sinopse +++

Fernando Mantelli e Tiago Rezende assinam a trama.
Nela, conhecemos Anita (Rita Guedes), uma ex-junkie.
Anita vive um relacionamento conturbado.
Com o explosivo Vitorino (Daniel Bastreghi).
Envolvido com negócios escusos, ele sonha ter um filho.
Mas a cada nova tentativa, uma nova decepção.
Anita toma uma atitude intempestiva e irreversível.
Depois de uma discussão acalorada.
E busca ajuda de Paula (Áurea Baptista), vizinha de confiança.
Para ajeitar a bagunça.
Se não bastasse isto, ela desconfia finalmente estar grávida.
E Hugo (Miguel Lunardi), perigoso comparsa do marido, passa a cercá-la.
Seria hora de ela dar ouvidos às vozes que tanto ouve vindas do mar?

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Leonardo Brocker disse...

+++ "Mar Inquieto" - Suroresas do Roteiro +++

É obrigatório que algumas partes da sinopse sejam vagas.
Na tentativa de não estragar surpresas do roteiro.
De qualquer forma, o desenrolar dos acontecimentos surpreende.
Principalmente pela inclusão certeira do humor negro.
Que advém da participação roubadora de cena de Áurea Baptista.
São pitadas galhofeiras na trama.
Que revelam um senso de autorreferência muito curioso.
Quase como se os personagens entendessem que estão em história fictícia.
Talvez por isso o segundo ato do filme cresça tanto em relação ao primeiro.

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Leonardo Brocker disse...

+++ Rita Guedes e Referências do Filme +++

Rita Guedes é protagonista e assina a produção do longa.
E entrega uma atuação segura.
Vive uma mulher forte e destemida.
Principalmente quando a trama se concentra no tempo presente.
Em que ela precisa se virar para escapar dos olhos de rapina.
De Hugo e seu capanga (Marcos Contreras).
Mas Rita Guedes não convence da mesma forma.
Quando a trama mostra seu passado junkie.

A dobradinha com Áurea Baptista são os melhores momentos do filme.
Por vermos duas mulheres numa relação que lembra muito Pedro Almodóvar.
É clara a referência à Volver (2006).
Um dos mais elogiados trabalhos do cineasta espanhol.
Também sobram referências ao cinema de Quentin Tarantino.
Pela mistura de referências que Mantelli e sua equipe trazem ao filme.

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Leonardo Brocker disse...

+++ Esforço da Produção de "Mar Inquieto" +++

"Mar Inquieto" é um produção esmerada.
Que utiliza muito bem o cenário do litoral gaúcho.
E apresenta uma rara e interessante cena em alto mar.
Com um pequeno barco e três personagens a bordo.
Salutar ver como um orçamento limitado.
Não restringe a criatividade ou a vontade de se fazer cinema.

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Leonardo Brocker disse...

+++ "Mar Inquieto" - Elementos que Não de Desenvolvem +++

Uma pena os elementos que poderiam ser desenvolvidos.
Mas são jogados e esquecidos pelo roteiro.
Os pontos sobrenaturais são colocados a esmo.
E descartados tão logo são introduzidos.
As lendas e crendices do local poderiam ser aproveitadas.
Mas são apenas citadas em cenas que parecem soltas.
O pretenso envolvimento de Anita com as vozes do mar é mal explorado.
Embora o desenho sonoro destes momentos tenha inegável qualidade.

A cena da carne crua serve como autorreferência.
A um curta anterior do cineasta.
Não é um catalisador plausível à grande virada da história.
Visto que nunca mais retorna à trama aquele gosto culinário curioso.

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Leonardo Brocker disse...

+++ "Mar Inquieto" - Mais Acertos que Erros +++

Mas "Mar Inquieto" acerta muito mais do que erra o alvo.
Temos um esmerado trabalho sonoro.
Com a trilha e os efeitos trabalhando nos momentos certos.
Por vezes incomodando propositalmente o espectador.
É ótimo ver um longa nacional que se preocupa em contar a história.
Não apenas com imagens, mas com a ajuda de sons de forma pouco óbvia.
Não raro nos sentimentos desconfortáveis assistindo ao longa.
Principalmente por causa da camada sonora.
Que foi criada para entregar essa atmosfera.
A narrativa não-linear também funciona bem.
E revela informações sobre os personagens.
Ou sobre a trama que em um formato convencional perderiam o impacto.
E, claro, é salutar que acompanhemos uma história.
Encabeçada por uma personagem feminina forte.
Rita Guedes interpreta uma mulher corajosa, mas incompleta.
Alguém que passou pelo diabo no passado.
E só quer começar um capítulo novo em sua vida.
Para isso, no entanto, ela terá de sacrificar pontos.
Que pareciam importantes em sua trajetória.
Algo que se revela o verdadeiro motor do filme.

Adaptado de Rodrigo de Oliveira (Papo de Cinema)

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design