quinta-feira, 6 de abril de 2017

As Igrejas Ecléticas da República Velha em Porto Alegre

O advento da República trouxe mudanças significativas na arquitetura de Porto Alegre. A federação concedeu mais autonomia aos estados. Na cidade, começava a se destacar a classe empresarial de imigrantes alemães.

  

Igreja de São José
Em 1871, os imigrantes radicados em Porto Alegre formaram a Comunidade de São José dos Alemães. Os cultos ocorriam numa casa alugada na Rua Marechal Floriano. O arquiteto Johann Grünewald reformou o antigo prédio.

Joseph Lutzenberger formou-se em Munique. E projetou a Igreja de São José, cujas obras iniciaram em 1920. A inauguração da Igreja dos Alemães ocorreu em 1924. No centenário da imigração alemã no RS.

Escultura Fachada da Igreja São José, Porto Alegre
Escultura Fachada da Igreja São José


Catedral Anglicana
A construção durou de 1900 a 1903. E resultou em um pequeno templo em estilo neogótico. Com pórtico no alinhamento. E aberturas em arcos ogivais. Porém, sem as torres que apareciam no projeto original.

A Catedral Anglicana possui nave central mais elevada. E cobertura em duas águas e pináculos. Os vitrais identificam a filiação neogótica. O retábulo de madeira, da década de 1920, fica atrás do altar-mor.

Vitrais da Igreja Santa Teresinha, Porto Alegre
Vitrais da Igreja Santa Teresinha


Templo Positivista
Em 1912, iniciou a construção de um templo bem peculiar em Porto Alegre. Sem ligação com as igrejas tradicionais. E sim a com a forte presença da ideologia positivista de Auguste Comte no Rio Grande do Sul.

O Templo Positivista fica na Avenida João Pessoa, próximo à Redenção. A inspiração foi o templo do Rio Janeiro, cuja construção ocorreu entre 1890 e 1897. Um prédio em forma de templo clássico, com pódio alto.

Santa Teresinha na Igreja Santa Teresinha, Porto Alegre
Santa Teresinha na Igreja


Catedral Metropolitana de Porto Alegre
A Catedral Metropolitana foi o grande empreendimento católico da República Velha, em Porto Alegre. O desejo de substituir a antiga Igreja Matriz surgiu com o início da construção do Palácio Piratini, em 1909.

Ocupa a área onde ficava a Igreja Matriz, de 1779. E ali, também ficava a Capela da Irmandade do Divino Espírito Santo. A construção desta capela ocorreu somente no final do século XIX.

Altar da Igreja Santa Teresinha, Porto Alegre
Altar da Igreja Santa Teresinha


Igreja de Santa Teresinha
A construção do templo neogótico estendeu-se de 1924 a 1931. O é a mais forte alternativa ao classicismo na arquitetura de igrejas da época. A planta da igreja tem nave principal verticalizada e naves laterais com galerias.

Destaca-se o uso preciso do estilo gótico. De arcos e de abóbodas ogivais de aresta. Estes se combinam à verticalização do espaço e à modulação das estruturas. A fachada apresenta apenas uma torre central.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, publicação da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

9 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácio Piratini +++

Substituiu o Palácio de Barro, de 1772.
Aquela foi a primeira sede do Executivo Estadual.
E atendeu às funções por mais de um século.

O francês Maurice Gras projetou o novo palácio.
A construção prolongou-se de 1909 a 1921.
Ano em que o governo Borges de Medeiros instalou-se, ali.

Em 1955, o prédio recebeu o nome de Palácio Piratini.
Uma homenagem à primeira capital Farroupilha.

A entrada principal fica junto à Praça da Matriz.
Ali, há duas esculturas do francês Paul Landowski.
Elas representam a agricultura e a indústria.

Em 1986, o Estado tombou o prédio patrimônio cultural.
O Palácio Piratini também é patrimônio federal.
E integra o sítio histórico da Praça da Matriz.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Duas Primeiras Linhas de Bonde +++

A Cia Carris de Ferro iniciou as operações em 1874.
Os bondes funcionavam por tração animal.
E as duas linhas tinham como destino o Menino Deus.

Uma delas saía da Praça da Matriz.
E passava pela Várzea, hoje Parque Farroupilha.
Outra linha saía do Mercado Público.
E passava pela Rua da Margem, atual João Alfredo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ricos e Pobres no Centro do Século XIX +++

A Rua João Manoel era uma divisora de territórios.
Dali até a Volta do Gasômetro ficava a população mais pobre.
Da Rua João Manoel até a Santa Casa, os mais ricos.

Apolinário Porto Alegre ilustra isso no conto “Mandinga” (1867).
Os bagadus representavam os desvalidos de sorte.
E os tinteiros, as crianças que sabiam ler e escrever.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Porto Alegre na Virada do Século XX +++

Um bonde puxado a burro ia do Centro para o Menino Deus.
No caminho, este bonde passava pela Ponta da Cadeia.
No local, hoje fica o Centro Cultural Usina do Gasômetro.
Dali, ele seguia pelo Caminho de Belas (Praia de Belas).
Até o Asilo da Mendicidade, que ainda hoje existe.
Ele fica quase em frente ao Estádio Beira-Rio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estilo Neogótico da Igreja de Santa Teresinha +++

A igreja destaca-se no panorama da cidade.
Por ser o exemplo mais expressivo de adoção ao estilo neogótico.
Que se revela na decoração e na articulação dos elementos.
Como abóbodas, arcos, capitéis, colunas, nervuras.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre da Igreja de Santa Teresinha +++

A fachada possui apenas uma torre central.
Assim como as outras igrejas neogóticas anteriores no Estado.
É o caso da Igreja Matriz de São Leopoldo.
E da Igreja Luterana de Porto Alegre.
Mas a torre da Igreja de Santa Teresinha tem planta hexagonal.
Enquanto as demais igrejas têm torres de base quadrada.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque da Redenção +++

É o mais antigo parque de Porto Alegre.
E também um dos maiores do Brasil.

Em 1997, o Município tombou o parque.

A Redenção, hoje, abriga inúmeros monumentos.
Um orquidário e o lago com pedalinhos.
Parque de diversões e quadras esportivas.
E o Auditório Araújo Vianna.

Leonardo Brocker disse...

+++ História do Parque Farroupilha +++

O local servia para guardar o gado que vinha do interior.
E que se venderia, posteriormente, na cidade.

O primeiro ajardinamento da área ocorreu em 1901.
Para a Grande Exposição daquele ano.
Na ocasião, construíram também os locais para touradas.
E para as corridas de cavalos e de bicicletas.

Em 1914, surgiram os novos jardins.
Em 1930, saneou-se a área, antes pantanosa.
Construiu-se, então, o grande lago.

Em 1935, recebeu a Exposição Comemorativa.
Ao Centenário da Revolução Farroupilha.
Na ocasião, recebeu a denominação atual.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Brique da Redenção +++

Em 1982, começou a funcionar o “Brique da Redenção”.
Uma feira que se tornou tradional.
E acontece aos domingos na Avenida José Bonifácio.
Junto ao Parque Farroupilha.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design