domingo, 12 de março de 2017

Os Sobrados e Os Casarões da Rua Riachuelo

A Rua do Cotovelo era o trecho inicial da Rua Riachuelo. Da margem do Guaíba aos fundos do Theatro São Pedro. Era a porção mais residencial da rua. Restaram sobrados e casarões que contam um pouco desta história...

Tuyuti - Máscara em Entrada do Edifício, Porto Alegre
Tuyuti - Máscara em Entrada do Edifício


Arquivo Público e Edifício Tuyuti
Logo após o teatro, em direção ao Lago Guaíba, fica o Arquivo Público do Estado. O prédio eclético é o fruto de um projeto de Maurice Gras. O mesmo arquiteto francês que projetou o Palácio Piratini, sede do executivo estadual.

Do outro lado da Rua Riachuelo, na esquina com a Rua Caldas Jr, fica o Tuyuti. Eis outro prédio eclético, com destaque à ornamentação da fachada. Chama a atenção uma máscara sobre uma das entradas do edifício...

Tuyuti - A Extensão do Edifício, Porto Alegre
Tuyuti - A Extensão do Edifício


Sobrado de Quatro Pavimentos
Poucos metros à frente do Arquivo Público, você irá ver um belo sobrado de quatro pavimentos. No térreo, as portas têm grades metálicas. No segundo e no terceiro pisos, há diminutas sacadas em frente às portas-janelas.

Uns trezentos metros à frente, estão as ruínas de um velho sobrado. Pouco restou do prédio. E os tapumes encobrem ainda mais a vista. A construção apresentava janelas em verga abatida.

Sobrado de Quatro Pavimentos - Riachuelo, Porto Alegre
Sobrado de Quatro Pavimentos


A Casa de Porão Alto
Um pouco depois, há um exemplar distinto das demais residências da Rua Riachuelo. É uma casa com porão alto. Com escada que conduz à entrada principal. E um jardim à esquerda do prédio.

Hoje, a Cervejaria Coruja ocupa a antiga residência. Quase em frente, do outro lado da rua, ficam os fundos da Igreja das Dores. E depois, daquele lado da calçada, encontra-se a Capela São Rafael.

Sacada da Casa de Porão Alto - Riachuelo, 525, Porto Alegre
Sacada da Casa de Porão Alto

Enfim, mais à frente, na esquina com a Rua General Canabarro, fica o Solar do Conde de Porto Alegre. Hoje, o prédio abriga o Instituto dos Arquitetos do Brasil, um espaço que recebe exposições artísticas itinerantes.

17 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ As Origens da Rua Riachuelo +++

É um dos mais antigos logradouros de Porto Alegre.
Já constava no primeiro Plano da Vila, de 1772.
Que o capitão Alexandre Montanha elaborou.
Ali, destacavam-se três ruas.
Elas corriam paralelas, no sentido leste-oeste.

A Rua da Praia ficava na porção mais baixa da península.
Esta era a rua comercial por excelência.
A Rua da Igreja ficava na parte mais alta.
E abrigava as residências aristocráticas.
Entre elas, corria a Rua Riachuelo.
Na época, Rua do Cotovelo ou Rua da Ponte.

Esta rua intermediária possuía alguns trechos comerciais.
E algumas residências simples, de porta e janela.
Mas também abrigava outras bastante sofisticadas.
Que podiam rivalizar com os palacetes da Rua da Igreja.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Dois Antigos Nomes da Rua Riachuelo +++

Um trecho iniciava na Praça do Portão.
Hoje, Praça Conde de Porto Alegre.
Seguia até os fundos do Theatro São Pedro.
Os moradores chamavam o trecho de Rua da Ponte.
Pois havia uma pinguela sobre um arroio.
Na altura da atual Avenida Borges de Medeiros.

O outro trecho iniciava no Theatro São Pedro.
E seguia até a Praia do Arsenal, na ponta da península.
Este trecho chamava-se Rua do Cotovelo.
Devido à inflexão que sofre na Rua da Ladeira.
Hoje, Rua General Câmara.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Antigos Becos da Rua do Cotovelo +++

Diversos becos cruzavam a Rua do Cotovelo.
Este é o antigo nome da parte inicial da Rua Riachuelo.

Até o século XIX, estes becos eram populares.
E abrigavam as atividades menos ilustres da cidade.
Ali ficavam as tavernas e os bordéis.
As casas de jogos e os terreiros.
Por isso, eles eram alvo de atenta vigilância das autoridades.

A sequência de becos iniciava na atual Rua Caldas Jr.
Esta rua recebeu, sucessivamente, novos nomes:
Beco do Inácio, Beco do Quebra Costas ou Beco do Fanha.

Depois da Rua Caldas Jr, todas têm, hoje, nome de generais.
A Rua General João Manoel chamava-se Rua Clara.
Já a Rua General Bento Martins teve diferentes nomes:
+ Beco do Jogo de Bola;
+ Beco dos Nabos a Doze;
+ Beco dos Pecados Mortais.

Alguns chamavam a Rua General Canabarro de Rua Direita.
Porém, a maioria conhecia-a como Beco do Pedro Mandinga.

A Rua General Portinho chamava-se Beco do Bota Bica.
E a Rua General Vasco Alves, Beco dos Guaranis.

A Rua do Cotovelo acabava junto à Praia do Arsenal.
Ali, ficava a Rua da Passagem, atual General Salustiano.
A antiga rua servia de passagem para o gado.
Este vinha do interior e desembarcava no trapiche, ali perto.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ruas de Porto Alegre com Mais de Um Nome +++

+ 24 de Outubro: Caminho dos Anjos;
+ 24 de Outubro: Estrada da Aldeia;
+ 24 de Outubro: Estrada dos Moinhos de Vento;
+ Andradas: Rua da Graça ou Rua da Praia;
+ Caldas Jr: Beco do Inácio, Beco do Quebra Costas ou Beco do Fanha;
+ Duque de Caxias: Rua Formosa, Rua da Igreja ou Rua do Hospital;
+ General Bento Martins: Beco do Jogo de Bola;
+ General Bento Martins: Beco dos Nabos a Doze;
+ General Bento Martins: Beco dos Pecados Mortais;
+ General Canabarro: Beco do Pedro Mandinga ou Rua Direita;
+ Independência: Caminho dos Anjos;
+ Independência: Estrada da Aldeia;
+ Independência: Estrada dos Moinhos de Vento;
+ Riachuelo: Rua da Ponte ou Rua do Cotovelo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Arquitetura dos Prédios do Arquivo Histórico +++

Affonso Hebert projetou os prédios do Arquivo Histórico.
Na ocasião, ele era Diretor de Obras Públicas do Estado.
A construção do conjunto arquitetônico ocorreu de 1910 a 1918.
São prédios de alvenaria com escadas e pisos de ferro.
Com telas vazadas, para permitir a circulação de ar.
Tudo para evitar a formação de mofo no local.
Por fim, as prateleiras eram de concreto armado.
Na época, isso representava a máxima segurança.
Afinal, o objetivo primordial era a preservação de documentos.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Último Prédio do Arquivo Público +++

Em 1950, concluiu-se o mais novo prédio do conjunto.
Somente após 1999, ele recebeu o Arquivo Público.
Durante anos, ele abrigou o Colégio Estadual Júlio de Castilhos.
Após o incêndio que a instituição sofreu na época.
Depois, o prédio abrigou a Secretaria de Administração.
E, finalmente, a Junta Comercial.

Em 1991, o Estado tombou o prédio com bem cultural.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácio Piratini +++

Substituiu o Palácio de Barro, de 1772.
Aquela foi a primeira sede do Executivo Estadual.
E atendeu às funções por mais de um século.

O francês Maurice Gras projetou o novo palácio.
A construção prolongou-se de 1909 a 1921.
Ano em que o governo Borges de Medeiros instalou-se, ali.

Em 1955, o prédio recebeu o nome de Palácio Piratini.
Uma homenagem à primeira capital Farroupilha.

A entrada principal fica junto à Praça da Matriz.
Ali, há duas esculturas do francês Paul Landowski.
Elas representam a agricultura e a indústria.

Em 1986, o Estado tombou o prédio patrimônio cultural.
O Palácio Piratini também é patrimônio federal.
E integra o sítio histórico da Praça da Matriz.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Theatro São Pedro +++

Doze cidadãos de origem portuguesa formaram uma associação.
E em 1833, tiveram a ideia de erguer um teatro público.
Afinal, as demais casas de espetáculo eram privadas.
Porém, a obra ficou nos alicerces...

Após a Revolução Farroupilha, retomou-se a construção.
Com um projeto do arquiteto alemão Felipe de Normann.
Finalmente, em 1858, entregou-se o teatro à população.
Grandes espetáculos marcaram os primeiros 115 anos.
Mas a deterioração do prédio levou ao fechamento, em 1973.

O arquiteto Carlos Mancuso orientou as obras de restauração.
Em 24 de junho de 1984, o Theatro São Pedro reabiu as portas.
Após tombamento como patrimônio cultural do Estado.
Mantém-se, hoje, como um dos principais teatros do Brasil.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Lenda do Escravo Josino +++

A Igreja das Dores é o mais antigo templo católico de Porto Alegre.
A construção iniciou em 1807, durante a escravatura.
A conclusão da igreja ocorreu em 1901.
Ou seja, quase um século depois do início das obras.

Uma lenda busca explicar a demora na construção.
Acusaram Josino de roubar materiais da construção.
O escravo alegou que as acusações eram injustiças.
Mesmo assim, ele recebeu a condenação à forca.

Para provar sua inocência, Josino rogou uma praga.
Contra Domingos José Lopes, seu acusador.
Disse que ele jamais veria a conclusão das torres da Igreja.
Esse seria o castigo por sua crueldade e injustiça.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Igreja das Dores: Um Conjunto Notável +++

Julius Weise elaborou o projeto.
A construção durou quase um século.
Diferentes profissionais participaram do projeto.
Apesar disso, o conjunto é notável.

A fachada eclética confere monumentalidade ao templo.
Ainda hoje, a Igreja das Dores destaca-se à distância.
Seja a partir da Rua da Praia. Seja do Lago Guaíba.
As duas altas torres contrastam com a tradição colonial.

A Igreja possui um aspecto cenográfico singular.
Pela verticalidade da fachada.
E pelo posicionamento ao fim de uma grande escadaria.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mistura de Estilos na Igreja das Dores +++

A fachada de Wiese diferencia-se do corpo da igreja barroca.
Mas não introduz desarmonia.
Pois não se vê a parte mais antiga a partir da Rua da Praia.
As três portas originais inserem-se na trama de pilastras clássicas.
Esta respeita as duas subdivisões horizontais da fachada antiga.
Que correspondem às portas e às janelas do coro.
A segunda faixa tem altura pequena.
E gera uma ordem coríntia diminuta.
Acima destas duas faixas, há uma terceira.
Nela, há separação entre o corpo central e as torres.
Isso evidencia o caráter de acabamento mural, que oculta o oitão.
As torres ainda apresentam um quarto nível de pilastras.
E seguem de uma terminação aguda em pirâmide de base octogonal.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Ordens Clássicas na Igreja das Dores +++

Quanto às ordens clássicas, notamos algo curioso.
O arquiteto usou ordens diferentes.
As torres alcançam 35 metros de altura.
E nelas, evidenciam-se as características jônicas.
No corpo central, percebem-se os traços coríntios.
Essa é uma liberdade típica do ecletismo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Nave da Igreja das Dores +++

A nave tem cerca de 30 metros de comprimento.
Esta é também a dimensão da escadaria de acesso.
E mostra a intenção de ordenar os espaços interno e externo.

A ampla nave única é coberta por uma abóboda de madeira.
Com foco na capela-mor emoldurada por arco cruzeiro.
Este arco apoia-se em pilastras.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Altares Laterais da Igreja das Dores +++

Nas laterais, há seis altares.
Eles possuem talhas de pouca profundidade.
São similares no desenho.
E criam uma ideia rítmica.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Composição Interior da Igreja das Dores +++

O português João Couto e Silva projetou o espaço interno.
Tanto na organização geral como nos detalhes decorativos.
Ele combina a tipologia das igrejas coloniais portuguesas.
Com a simplificação do neoclassicismo imperial brasileiro.
Também incorpora a ordenação do neoclassicismo local.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Uso Posterior do Solar Conde de Porto Alegre +++

O governo do Estado adquiriu o solar.
E instalou, em 1933, um Quartel General.
Do Corpo Policial Ratos Brancos.

O prédio sofreu diversas intervenções.
Elas alteraram a composição arquitetônica original.
Também se alterou a estrutura do terreno lindeiro.
Ali, construiu-se o primeiro necrotério de Porto Alegre.

Hoje o solar e o necrotério abrigam o Instituto de Arquitetos.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Conde de Porto Alegre +++

Manoel Marques de Almeida recebeu o título de conde.
E atuou na Revolução Farroupilha ao lado das forças imperiais.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design