segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Praça Chopin, Porto Alegre

O nome desta praça é uma homenagem ao músico polonês Frédéric Chopin (1810-1849). A praça destaca-se pelo espelho d’água. E, ao redor deste, as frondosas árvores. Possui, ainda, uma pracinha infantil.

Lago da Praça Chopin na Vila IAPI, Porto Alegre
Lago da Praça Chopin

Localização: Vila IAPI, Porto Alegre.
Fonte: “Viva o Centro a Pé”, publicação da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Veja também...
Atrações de Porto Alegre por Categoria
Atrações de Porto Alegre por Localização

Elis Regina e Chopin na Vila do IAPI
Relatos de Porto Alegre

13 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Praça Chopin +++

É, sem dúvida, o espaço mais bucólico da Vila do IAPI.
As casas do entorno, na maioria, são térreas.
Este conjunto respeita os modelos do projeto original.
O responsável pelo projeto da Vila foi Edmundo Gardolinski.
Acredita-se que partiu do engenheiro a sugestão de nome da praça.
Gardolinski, assim como Chopin, era de origem polonesa.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Talentoso Desde o Berço +++

O talento musical de Chopin revelou-se cedo.
Justina Krzyzanowska, a mãe, tocava cravo em casa.
E Chopin engatinhava para debaixo do instrumento.
Isso antes de completar um ano de idade.

Certa feita, o pequeno Chopin ouviu marchas militares.
E chorou desesperadamente, emitindo gritos de pavor.
Mais tarde, foi indagado por parentes a respeito do episódio.
Ele diria que desde cedo odiara músicas barulhentas e vazias.
Por isso, afirmava que sempre abominou a obra de Beethoven.
Chopin considerava-a "barulhenta" demais...

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Menino Prodígio +++

Frederic Franciszek Chopin nasceu em 22 de fevereiro 1810.
Na pequena cidade polonesa de Zelazowa Wola.
Antes de aprender a escrever, já tentara compor melodias.
E aos oito anos de idade, revelou-se um menino prodígio.
Ao compor e executar publicamente sua primeira obra musical.
Aos 15 anos, era considerado "o maior pianista de Varsóvia".

Logo se viu que sua arte não ficaria confinada à Polônia.
Em 1830, a capital seria alvo das tropas do czarismo russo.
Os russos invadiriam, saqueariam e incendiariam Varsóvia.
Chopin queixou-se, numa carta a um amigo:
"A cidade ardendo e eu sem poder matar sequer um moscovita".
Na ocasião, Chopin viajava para a capital francesa.

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ Melhor que o Professor +++

Ao chegar a Paris, Chopin procurou tomar aulas.
Escolheu o pianista Frederico Kalkbrenner, um de seus ídolos.
O compositor Felix Mendelssohn esteve na capital francesa.
E aconselhou Chopin a abandonar as lições com Kalkbrenner.
Mendelssohn julgava aquilo uma grande perda de tempo:
"Você não vai aprender nada com isso.
Pois toca muito melhor que ele".

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Fama de Chopin em Paris +++

Em Paris, ele encontrou fama e dinheiro.
E passou a ser como Frédéric François Chopin.
Ou, simplesmente, Chopin.
A fama só aumentou.
E o dinheiro ele gastava.
Com tanta ou maior facilidade quanto ganhava.

Chopin dava aulas de piano.
Aos filhos e esposas dos parisienses mais abastados.
E fez contato com futuros mestres do mundo musical da época.
Por exemplo, Liszt e Berlioz.

Passou a vestir-se impecavelmente.
Roupas de linho branco importado.
Lenços de seda no pescoço.
Capas pretas e sobrecasacas.
Encomendadas aos melhores alfaiates da França.
Andava em um cabriolé próprio.
Contratou um cocheiro e meia dúzia de criados.
"Se eu fosse mais tolo do que sou,
Acreditaria ter chegado ao topo de minha carreira".
Assim, escreveu ao pai, Nicholas Chopin.
Professor de francês e literatura no Liceu de Varsóvia.
O rapaz estava certo.
Ele iria ainda bem mais longe na promissora carreira.

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ Chopin: O Gênio Esquivo +++

"Tirem seus chapéus, senhores; ele é um gênio".
Eis uma referência a Frederic Franciszek Chopin.
No célebre artigo do compositor alemão Robert Schumman.
Na época, Chopin era um jovem polonês de apenas 20 anos.
Tuberculoso e muito tímido.
Que trocara a provinciana Varsóvia pelas luzes da sofisticada Paris.
O elogio derramado de Schumann não era à toa...

Chopin combinava o inegável talento e uma saúde frágil.
Com modos aristocráticos e comportamento reservado.
Isso consolidar a imagem de "gênio esquivo" entre seus pares.
Houve ainda um caso de amor platônico e um romance proibido.
Isso contribuiu para que Chopin mergulhasse.
Em um estado permanente de melancolia profunda.
Traço de personalidade que para sempre seria sua marca registrada.

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Amor Platônico e O Romance Proibido +++

Em 1829, Chopin conheceu Constância Gladkowska.
Uma estudante de canto do Conservatório de Varsóvia.
Foi uma paixão fulminante.
Mas Chopin jamais teve coragem de declarar-se a ela.

Mais adiante, conseguiu pedir a mão de outra moça.
Chopin conheceu Maria Wodzinska na infância.
E reencontrou-a em Paris.
O namoro não seguiu adiante.
Por determinação expressa da mãe da jovem.
Ela não queria vê-la casada com um "pianistazinho tuberculoso".

Chopin enviava cartas à amada.
E elas eram providencialmente devolvidas.
Chopin guardou-as em um único envelope.
Nele, escreveu: "Moja bieda" ("Meu sofrimento").

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ A União com Aurore Dupin +++

Em 1838, Chopin uniu-se com Aurore Dupin.
Tratava-se de uma controvertida escritora.
Ela assinava os escritos com um pseudônimo de George Sand.

Aurore e Chopin formaram um casal singular.
Ele, esquivo e doente.
Ela, oito anos mais velha.
Expansiva, divorciada e dona de uma legião de amantes.
Escandalizava a sociedade da época.
Por seus livros ousados.
Seu hábito de fumar charutos em público.
Suas ideias socialistas.
E suas roupas de homem.
O poeta Alfredo Vigny definiu-a certa feita:
"Como mulher, é um belo rapaz".

Mas eles permaneceram juntos por cerca de dez anos.
Houve inclusive quem fizesse insinuações:
Chopin, de ar quase afeminado, encontrara seu par perfeito.

No início da relação, o casal decidiu abandonar Paris.
Refugiou-se em Palma de Mallorca, no litoral da Espanha.
Ali, julgavam escapar da curiosidade pública.
E encontrar melhores condições climáticas.
Para cuidar da saúde abalada de Chopin.
Não foi, porém, uma escolha feliz.
Um ano depois, retornaram a Paris.
O compositor estava mais cansado do que quando partira.

A tumultuada união acabou em 1846.
Após uma longa sucessão de crises mútuas de ciúmes.
A experiência do casamento rendeu a ela um folhetim.
Em “Lucrezia Floriani”, há um personagem de nome Karol.
Um príncipe neurastênico e tuberculoso.
É impossível não identificá-lo com o próprio Chopin.

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ No Olho da Rua +++

Aurore e Chopin viveram em Palma de Mallorca.
Os dois eram perdulários notórios.
Levado para lá cerca de cinco mil francos.
E torraram todo o dinheiro em poucas semanas.
Assim, não conseguiram manter o aluguel em dia.
E foram, várias vezes, ameaçados de despejo.
O casal era mal-visto pelos vizinhos.
Eles temiam a propalada tuberculose do compositor.
E reprovavam as calças compridas.
E o comportamento pouco convencional de Aurore.
O senhorio não teve dúvidas.
Entre aborrecido e apavorado, colocou-os no olho da rua...

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ Crise de Abstinência +++

Aurore escrevia longas cartas em Palma de Mallorca.
Enviava-as aos amigos que deixara em Paris.
E retratava Chopin como um homem arrasado pela enfermidade.
Segundo ela própria, contribuiria para afastá-lo sexualmente dela:
"Permaneci uma virgem imaculada durante o tempo que passamos juntos nessa ilha".

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Morte de Chopin +++

Chopin morreu em 17/10/1849, com apenas 39 anos.
Solitário e endividado, em seu apartamento em Paris.
Deixara de compor no ano anterior.
E chegou a destruir várias partituras inéditas.
Insatisfeito com sua produção mais recente.
Antes do sepultamento, os amigos atenderam-lhe o último pedido.
Chopin rabiscara-o em um papel, na véspera da morte.
Seu corpo deveria ser aberto e o coração extirpado.
Isso porque Chopin sempre teve um grande temor:
Sofrer uma crise de catalepsia e ser enterrado vivo...

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ Coração Repousa na Polônia +++

Os restos mortais de Chopin estão em Paris.
A urna mortuária está no cemitério Père Lachaise.
Nela, depositou-se uma taça de prata cheia de areia polonesa.
Um presente que Chopin guardara por toda a vida.
E que lhe fora ofertado pelos amigos.
Quando, ainda jovem, deixara a terra natal.

Cerca de três mil pessoas compareceram à cerimônia fúnebre.
Nela, interpretou-se o Réquiem de Mozart.
Um desejo que Chopin manifestou pouco antes de falecer.
O coração de Chopin foi enviado à catedral de Varsóvia, na Polônia.

Adaptado de Folha Online.

Leonardo Brocker disse...

+++ Principais Obras de Chopin +++

+ 1829: Concertos para Piano e Orquestra, em Fá Menor;
+ 1830: Concertos para Piano e Orquestra, em Mi Menor;
+ 1830: Noturnos, opus 9;
+ 1830: Balada n 1, em Sol Menor 1830;
+ 1830: Scherzi n 1, em Si Menor 1830;
+ 1833: Estudo em Mi Maior, opus 10, No 3;
+ 1833: Estudo em Sol Bemol Maior, opus 10, No 5;
+ 1833: Estudo em Lá Bemol Maior, opus 10, No 10;
+ 1833: Estudo em Mi Bemol Maior, opus 10, No 11;
+ 1833: Estudo em Dó Menor No 12: Étude revolutionnaire;
+ 1836: Estudo em Fá Menor, opus 25, No 2;
+ 1836: Estudo em Dó Sustenido Menor, opus 25, No 7;
+ 1836: Estudo em Lá Menor, opus 25, No 11: Vento do Inverno;
+ 1836: Estudo em Dó Menor, opus 25, No 12;
+ 1838: Scherzi n 2, em Si Bemol Menor;
+ 1839: Sonata em Si Bemol Menor
+ 1839: Scherzi n 3, em Dó Sustenido Menor;
+ 1839: Préludes, opus 28;
+ 1842: Fantasia em Fá Menor, opus 49;
+ 1842: Balada n 3, em Lá Bemol Maior;
+ 1843: Balada n 4, em Fá Menor;
+ 1843: Scherzi n 4, em Si Maior;
+ 1846: Barcarole em Fá Sustenido Maior, opus 60.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design