sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Santo Antônio Patrulha, Rio Grande Sul

Santo Antônio Patrulha encontra-se a 78 km de Porto Alegre. E é uma das cidades mais antigas do Estado. Em 1734, a Coroa Portuguesa começou a povoar a região. E doou sesmarias junto à Lagoa dos Barros.

Santo Antônio da Patrulha, Rio Grande do Sul
Santo Antônio da Patrulha, Rio Grande do Sul


Na Cidade Alta, está a maior parte dos prédios históricos. Destaque para o Museu Antropológico Caldas Júnior (1820) e a Fonte Imperial (1847). Há ainda o Casario da Borges de Medeiros e a Igreja Matriz (1928).

Várias etnias formaram a cidade. Indígenas, poloneses, italianos, alemães e africanos. Mas predominam a cultura açoriana. Com destaque ao Terno de Reis, às Cavalhadas e ao Baile de Masquê.

Santo Antônio da Patrulha - Gado no Caminho Gaúcho de Santiago
Gado no Caminho Gaúcho de Santiago

Limites
+ Norte: Rolante e Riozinho;
+ Sul: Viamão e Capivari do Sul;
+ Leste: Osório e Caraá;
+ Oeste: Taquara e Glorinha.

Distâncias
Gramado = 79 km;
Osório = 30 km;
Taquara = 39 km;
Torres = 128 km;
Tramandaí = 50 km.

Fonte Imperial - Santo Antônio da Patrulha
Fonte Imperial


Atrativos Turísticos

Santo Antônio da Patrulha - Lagoa dos Barros
Lagoa dos Barros

12 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ História de Santo Antônio da Patrulha +++

As origens do povoado remontam à origem do Estado.
Em 1680, fundou-se da Colônia de Sacramento.
E cresceu o interesse dos portugueses em povoar a região.
O objetivo era defender o território meridional do Brasil.

Cristóvão Pereira de Abreu abriu a Estrada dos Tropeiros.
Na época, em 1736, o contrabando de gado era frequente.
Assim, surgiu um "Registro" ou "Guarda".
Mais tarde, o local veio a se chamar patrulha.
Essa fiscalizava e cobrava impostos dos rebanhos.
Eles passavam em direção a Sorocaba e Minas Gerais.
A patrulha é responsável por parte do nome do município.
Antes, o povoado chamava-se Guarda Velha de Viamão.

Inácio José de Mendonça e Silva era soldado da “Guarda”.
E em 1743, estabeleceu-se na atual sede do município.
Ali, formou-se o núcleo administrativo do povoado.
Ele atendia todo o Litoral Norte e parte da Serra.

Por volta de 1760, chegaram os primeiros açorianos.
Fugiam de Rio Grande, após a invasão dos espanhóis.
O assentamento de açorianos oficializou-se em 1771.
Por ordem do Governador da Capitania.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Amor de Ignácio e Margarida +++

Sesmeiro de terras, Ignácio apaixonou-se por Margarida.
E viveu um romance agitado na época.
O pardo-forro Ignácio José de Mendonça era paulista.
Margarida Exaltação da Cruz também era parda-forra.
Filha de mãe escrava e pai açoriano.

O pai se chamava Manoel de Barros Pereira.
Era proprietário de terras na Lagoa dos Barros.
E radicalmente contra a união de Ignácio e Margarida.
Ele tinha 42 anos e ela, apenas 13.
Por isso, os dois casaram sob a proteção do vigário de Viamão.
A história envolveu direito canônico e uma grande paixão.

O Bispo do Rio de Janeiro era devoto de Santo Antônio.
Assim, fez um pedido ao casal.
Mandou construir uma capela em homenagem a Santo Antônio.

No Parque da Guarda, o Circuito Cultural conta esta história.
Ela aparece na peça “Amor Proibido na Terra dos Canaviais”.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Importância Administrativa e O Nome +++

Em 1760, o povoado tornou-se freguesia.
Chamava-se Santo Antônio da Guarda Velha de Viamão.
Em 1809, Santo Antônio torna-se uma vila.
E participou da divisão do Estado em quatro municípios.
Junto com Porto Alegre, Rio Pardo e Rio Grande.
Em 03/04/1811, instalou-se ali a primeira Câmara.
A área de Santo Antônio abrangia o pé da Serra.
Assim como distritos serranos e litorâneos.

O nome Santo Antônio da Patrulha tem um motivo.
Ele se deve às patrulhas instaladas no território.
Funcionavam como uma espécie de pedágio.
E cobravam impostos para a Coroa Portuguesa.
As tropas que seguiam para São Paulo deviam pagar.

Leonardo Brocker disse...

+++ Municípios Que se Originaram de Santo Antônio da Patrulha +++

André da Rocha
Antônio Prado
Araricá
Arroio do Sal
Balneário Pinhal
Barracão
Bom Jesus
Cacique Doble
Cambará do Sul
Campestre da Serra
Canela
Capão Bonito do Sul
Capão da Canoa
Capivari do Sul
Caraá
Caseiros
Caxias do Sul
Cidreira
Cotiporã
Dom Pedro de Alcântara
Esmeralda
Fagundes Varela
Gramado
Guabiju
Ibiaçá
Ibiraiaras
Igrejinha
Imbé
Ipê
Itati
Jaquirana
Lagoa Vermelha
Machadinho
Mampituba
Maquiné
Marcelino Ramos
Maximiliano de Almeida
Monte Alegre dos Campos
Morrinhos do Sul
Muitos Capões
Muliterno
Nova Bassano
Nova Hartz
Nova Prata
Nova Roma do Sul
Nova Araçá
Osório
Paim Filho
Palmares do Sul
Paraí
Parobé
Pinhal da Serra
Protásio Alves
Riozinho
Rolante
Sananduva
Santa Cecília do Sul
Santo Expedito do Sul
São Francisco de Paula
São João da Urtiga
São Jorge
São José do Ouro
São José dos Ausentes
São Marcos
Sapiranga
Taquara
Terra de Areia
Torres
Tramandaí
Três Cachoeiras
Três Coroas
Três Forquilhas
Tupanci do Sul
Vacaria
Veranópolis
Vila Flores
Vista Alegre do Prata
Xangrilá

Leonardo Brocker disse...

+++ Hidrografia de Santo Antônio da Patrulha +++

Duas bacias hidrográficas dividem o município.
A área plana fica na grande planície lacustre.
E é característica do Litoral Norte do Rio Grande do Sul.
Ali se encontra a bacia do Rio Gravataí.
A nascente localiza-se no banhado do Chicolomã.
E é alimentada por dois arroios que cortam a área urbana.

A bacia do Rio dos Sinos origina-se no município de Caraá.
E corta o município de Santo Antônio da Patrulha.
As águas do rio servem para agricultura e pecuária.

Leonardo Brocker disse...

+++ Vegetação de Santo Antônio da Patrulha +++

Campos e matas, várzeas e serras compõe o município.
A Coxilha das Lombas também faz parte da paisagem.
Ela deu o nome à comunidade de Lombas.
E é a maior do município em extensão territorial.
Faz divisa com dois municípios: Capivari do Sul e Viamão.
E outras três comunidades: Barrocadas, Tapumes e Chicolomã.
Lombas vive da pecuária e a agricultura familiar.

Leonardo Brocker disse...

+++ Capital da Cachaça, do Sonho e da Rapadura +++

A industrialização da cana-de-açúcar tornou-se atrativo turístico.
E atrai milhares de pessoas para saborearem os produtos da terra.
Os três maiores destaques são a cachaça, o sonho e a rapadura.
Santo Antônio da Patrulha é grande um produtor dos três.
E a fama do município é reconhecida no Estado e no país.
Esse reconhecimento originou uma lei que deu o título à cidade:
Capital da Cachaça, do Sonho e da Rapadura.

Leonardo Brocker disse...

+++ Terno de Reis +++

A tradição cultural nasceu da fé e da religiosidade.
Os primeiros povoadores portugueses introduziram-na no RS.
Os “Tiradores de Reses” transmitem a fé.
Do período que antecede o Natal.
Até o Dia de Reis, em 06 de janeiro.

Representa a visita dos Reis Magos às residências.
Eles cantam para saudar o nascimento do Menino Jesus.
Instrumentos musicais acompanham o canto característico:
“Meu Senhor Dono da Casa...”.
Ele identifica a região, a comunidade ou mesmo uma família.

Leonardo Brocker disse...

+++ Baile de Masquê +++

No Baile de Masquê, apenas homens dançam de máscara.
Outros homens dançam fantasiados de mulher.
O número de dançarinos é sempre um múltiplo de quatro.
Pois há a dança da quadrilha.
Geralmente, apresentam-se doze casais.

Destaque para o casal “Barba de Pau”.
O parasita vegetal de mesmo nome dá origem às roupas.
O casal movimenta-se de um lado para o outro.
E deve evitar que os engraçadinhos perturbem os movimentos.
Quem acaba se engraçando é a companheira do “Barba de Pau”.

Os açorianos de Laguna trouxeram essa tradição portuguesa.
E o baile ocorre há 130 anos, em Santo Antônio da Patrulha.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Roupas do Baile de Masquê +++

Esposas, noivas, namoradas, mães e irmãs confeccionam as roupas.
E na hora da apresentação, sentem-se honradas por colaborar.

Nas roupas masculinas, destacam-se as calças com listras largas.
O fraque estilizado, o sapato com polaina e o chapéu de palha.
Nas roupas femininas, destacam-se os vestidos longos.
Os sapatos de salto alto e as perucas.
Os brincos, as pulseiras e os colares.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Cavalhadas +++

É uma celebração tradicional portuguesa.
E encena as lutas entre mouros e cristãos.
Acredita-se que a origem foram os torneios medievais.
Neles, os aristocratas exibiam destreza e valentia.
Conforme a tradição oral, a Cavalhada vem de Carlos Magno.
E dos torneios que os “Doze Pares de França” realizavam.
Estes ocorreriam nos momentos de descanso entre as lutas.

Santo Antônio da Patrulha destaca-se na encenação.
Pela riqueza e fidelidade da indumentária dos guerreiros.
Dois grupos de doze cavaleiros participam das Cavalhadas.
Dois palhaços também fazem parte da encenação.
E Floripa, a única mulher na Cavalhada.
E Sofia, a mulher do Espia.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Origem do Rio Grande do Sul +++

O Memorial do Rio Grande do Sul fala sobre a origem do RS.
Ou seja: as Missões Jesuíticas.
Historiadores comentam sobre a Guerra Guaranítica.
E o massacre dos índios.
Um dado reafirma este episódio como marco fundador.
Porto Alegre surge da espera dos açorianos pelo fim da guerra.
Afinal, os imigrantes povoariam a região missioneira.
Após a expulsão dos índios.
Enfim: a Guerra Guaranítica gerou Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design