quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Cidade Alta: Local Onde Surgiu o Município de Santo Antônio Patrulha

Santo Antônio da Patrulha é uma das quatro cidades mais antigas do RS. E o nome indica a importância estratégica. O local era um ponto de coleta de impostos para a Coroa. E surgiu no atual bairro da Cidade Alta.

Casario da Borges de Medeiros - Santo Antônio da Patrulha
Casario da Borges de Medeiros
  

As Passagens e A Visita
A cidade é passagem para quem parte de Porto Alegre para o Litoral Norte. Quando criança, em especial, nas férias, este foi um caminho frequente. Em poucas vezes, porém, parei em Santo Antônio da Patrulha.

Um dos motivos que me levou a visitar esta cidade foi conhecer o Centro Histórico. Em uma pequena área, estão os principais pontos de interesse. A maioria, na Avenida Borges Medeiros, meu primeiro destino por ali...

Detalhe da Inscrição da Fonte Imperial, Santo Antônio da Patrulha
Detalhe da Inscrição da Fonte Imperial


A Avenida Borges de Medeiros
Sabia que a Prefeitura Municipal abriria às 12h30. Como eram a recém 10h, passei no prédio ao lado. Ali, fica a Biblioteca Municipal. Com um mapa em mãos, comecei o passeio pela Cidade Alta.

O maior destaque do bairro é o Casario da Borges de Medeiros. Os prédios distribuem-se ao longo desta avenida. Uma caminhada de quinhentos metros é suficiente para se contemplar dezenas de casas coloniais.

Casario da Avenida Borges de Medeiros, Santo Antônio da Patrulha
Casario da Avenida Borges de Medeiros


O Início de Santo Antônio
Santo Antônio da Patrulha é fruto da colonização luso-açoriana. O povoado formou-se em torno de uma pequena capela. Dela, não restaram vestígios. Um marco, porém, indica o local onde ficava a antiga capela.

A Pira marca este ponto histórico. Ela fica no canteiro central da Avenida Borges de Medeiros, quase em frente à Biblioteca Municipal. E do outro lado da avenida, fica o Museu Antropológico Caldas Júnior.

Igreja Matriz, Santo Antônio da Patrulha
Igreja Matriz de Santo Antônio


Outros Pontos Religiosos
Se da primeira capela não há sinal, o mesmo não se pode dizer da Igreja Matriz. O templo, na ocasião, em reformas, fica a uns trezentos metros da Pira. Não consegui visitar o interior, em novembro de 2016.

A rua em frente à Igreja Matriz de Santo Antônio da Patrulha conduz ao Oratório de Santo Antônio. No alto da escadaria da Rua Coronel José Maciel, fica a imagem do santo padroeiro da cidade.

Oratório, Santo Antônio da Patrulha
Oratório de Santo Antônio da Patrulha


Outros Pontos da Cidade Alta
Duas quadras após a escadaria, fica o Cemitério Municipal. O destaque do local é o monumento em Homenagem aos Sete Fuzilados. Já da entrada, vemos o anjo que indica o jazigo das vítimas da Revolução Federalista.

Por fim, a Fonte Imperial, cuja construção se deu por ordem de Dom Pedro I. Visitei este atrativo logo após fotografar o casario. E deixei para citar o ponto por último para agrupar os demais em assuntos afins...

O relato segue com...
Penitência no Caminho de Santiago Gaúcho

Anjo Alado no Monumento aos Fuzilados, Santo Antônio da Patrulha
Monumento aos Fuzilados

2 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Caldas Júnior – Filiação e Educação +++

Francisco Antônio Vieira Caldas Júnior nasceu em 13/22/1869.
Na localidade de Porteiras, em Vila Nova, no Sergipe.
Era filho de Francisco Antônio Vieira Caldas.
E de Maria Emília Wanderley Caldas.

O pai era bacharel em Direito.
E em 1872, ele foi nomeado Juiz Municipal e Órfãos.
Da Comarca de Santo Antônio da Patrulha.
Até 1880, ele residiu com a família, na cidade.
Na casa onde hoje fica o Museu Antropológico Caldas Júnior.

Em Santo Antônio, Caldas Júnior aprendeu as primeiras letras.
O professor foi Joaquim Pereira do Lago.
Depois, frequentou a escola de Guilhermina Bernardina de Lima.
Então, Caldas Júnior transferiu-se para Porto Alegre.
E estudou no Colégio São Pedro e no Instituto Brasileiro de Ensino.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caldas Júnior – Jornalista e Poeta +++

De 1885 a 1888, foi revisor e noticiarista do jornal “A Reforma”.
E diretor deste jornal até 1891, quando ele deixou de circular.
Também foi funcionário da Assembleia Provincial até 1889.

De 1891 a 1895, Caldas Júnior trabalhou no Jornal do Comércio.

Em 1895, fundou um dos maiores órgãos da imprensa do Brasil.
A primeira edição do Correio do Povo circulou em 01/10/1895.

Além de jornalista, Caldas Júnior foi poeta.
“Versos Escolhidos” é uma publicação póstuma de 1913.
O escritor faleceu em 09/04/1913, em Porto Alegre.

Caldas Júnior também foi um membro ativo do Clube Gaúcho.
Foi um dos primeiros cultivadores das tradições gaúchas.
Apesar de não ser gaúcho de nascimento.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design