quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

O Jornalista Caldas Júnior no Museu de Santo Antônio da Patrulha

Caldas Júnior mudou-se para Santo Antônio da Patrulha, aos quatro anos de idade. Fundou o Correio do Povo, mais antigo jornal em circulação no RS. A residência do jornalista hoje abriga o Museu Antropológico.

Colher de Pau, Fogareiro e Panela de Barro, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Colher de Pau, Fogareiro e Panela de Barro

Continuação de...
Penitência no Caminho Gaúcho de Santiago


A Antessala do Museu
Francisco Antônio Vieira Caldas recebeu designação de juiz de Santo Antônio da Patrulha. Deixou o Sergipe, em 1873. E estabeleceu-se com a família em um prédio de 1820. Parte desta história está na antessala do museu...

Juiz Francisco Antônio Vieira Caldas, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Juiz Francisco Antônio Vieira Caldas

Nela, vemos o busto de Caldas Júnior. Fotos do pai e da mãe do jornalista. E curiosidades sobre Caldas Júnior. Por exemplo: ele era maçom e escrevia poesias. Há ainda a primeira edição do jornal Correio do Povo.

Busto de Francisco Antônio Vieira Caldas Júnior
Francisco Antônio Vieira Caldas Júnior

A antessala do museu possui um corte na parede. Ele revela detalhes da construção original. A parte externa do prédio era de pedra grés. Isso dava solidez ao prédio. A parte interna era de madeira trançada, barro e cal.

Antiga Edição do Jornal Correio do Povo, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Antiga Edição do Jornal Correio do Povo


As Peças da Antiga Residência
Ao lado da peça de entrada, fica o Quarto da Donzela. Os pais escolhiam o marido da filha. E não podiam correr o risco de a menina por outro homem. Assim, a peça não possuía janelas para a rua.

Quarto da Donzela, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Quarto da Donzela

A seguir, ficava a sala de refeições com armários de vidro, louça de porcelana e um relógio de parede. O destaque da peça, porém, é o grande espelho, em oposição à janela voltada para o interior da residência.

Sala de Refeições, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Sala de Refeições

Em frente à sala de refeições ficava a cozinha. Ali, vê-se o fogão à lenha de pedra. Sobre ele, bule, chaleira e ferro de passar. E na parede, a toalha bordada. No lado oposto, a colher de pau, o fogareiro e a panela de barro.

Fogão à Lenha de Pedra, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Fogão à Lenha de Pedra


Outras Áreas da Antiga Residência
Quando visitei o museu, uma escola estava ali. Alunos de segunda e terceira série. Assim aguardava as crianças passarem para conhecer as peças. Com isso, perdi algumas informações, em meio ao tumulto e ao barulho.

Espelho da Sala de Refeições, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Espelho da Sala de Refeições

Ainda no interior da residência, há uma sala com quadros de construções de Santo Antônio da Patrulha. São ilustrações de prédios históricos. Como a Igreja Matriz, a Fonte Imperial e o Casario da Borges de Medeiros.

Toalha Bordada na Cozinha, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Toalha Bordada na Cozinha

Na área externa, há dois destaques. O maior é a palmeira imperial que Dom Pedro I plantou em 1826. Também chama a atenção uma lápide de 1850. Duas crianças a encontraram, inteira, em 1991.

Palmeira Imperial, Museu Antropológico Caldas Júnior, Santo Antônio da Patrulha
Palmeira Imperial

2 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Caldas Júnior – Filiação e Educação +++

Francisco Antônio Vieira Caldas Júnior nasceu em 13/22/1869.
Na localidade de Porteiras, em Vila Nova, no Sergipe.
Era filho de Francisco Antônio Vieira Caldas.
E de Maria Emília Wanderley Caldas.

O pai era bacharel em Direito.
E em 1872, ele foi nomeado Juiz Municipal e Órfãos.
Da Comarca de Santo Antônio da Patrulha.
Até 1880, ele residiu com a família, na cidade.
Na casa onde hoje fica o Museu Antropológico Caldas Júnior.

Em Santo Antônio, Caldas Júnior aprendeu as primeiras letras.
O professor foi Joaquim Pereira do Lago.
Depois, frequentou a escola de Guilhermina Bernardina de Lima.
Então, Caldas Júnior transferiu-se para Porto Alegre.
E estudou no Colégio São Pedro e no Instituto Brasileiro de Ensino.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caldas Júnior – Jornalista e Poeta +++

De 1885 a 1888, foi revisor e noticiarista do jornal “A Reforma”.
E diretor deste jornal até 1891, quando ele deixou de circular.
Também foi funcionário da Assembleia Provincial até 1889.

De 1891 a 1895, Caldas Júnior trabalhou no Jornal do Comércio.

Em 1895, fundou um dos maiores órgãos da imprensa do Brasil.
A primeira edição do Correio do Povo circulou em 01/10/1895.

Além de jornalista, Caldas Júnior foi poeta.
“Versos Escolhidos” é uma publicação póstuma de 1913.
O escritor faleceu em 09/04/1913, em Porto Alegre.

Caldas Júnior também foi um membro ativo do Clube Gaúcho.
Foi um dos primeiros cultivadores das tradições gaúchas.
Apesar de não ser gaúcho de nascimento.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design