terça-feira, 15 de novembro de 2016

Oficina de Teatro de Bonecos com a Cia Olmo Teatro, no Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Canela de 2016

Um dos pontos altos do Festival de Bonecos de 2016, em Canela, foi a boa qualidade das oficinas. O grupo peruano Olmo Teatro buscou a cooperação e o improviso. Reuniu a turma em equipes e propôs uma apresentação.

Marco Ledezma - Oficina do Grupo Olmo Teatro
Marco Ledezma
  

Movimentos de Aquecimento
Marco Ledezma, diretor, disse que o grupo Olmo iniciou no teatro de atores. Depois, partiu para o trabalho com os bonecos. Este se baseia em dezessete princípios. Mas a metodologia é similar a do teatro com atores.

Assim, Marco incentivou, de início, a parte lúdica. Usou os ritmos típicos das três regiões do Peru: litoral, selva e serra. Os ritmos não se destinavam a um exercício de dança. Eram para fazer um aquecimento.



As Danças Peruanas
Um aquecimento ao ritmo das danças festivas peruanas. A pandilla é o ritmo da selva. E o carnaval ocorre ali em junho. A dança segue movimentos de batalhões. Diferente do ritmo da serra, característico de Cajamarca.

O terceiro ritmo é o do litoral. A marinera, dança do mar, imita as ondas. A dança é um ritual de sedução. O homem lembra a postura forte do cavalo. E a mulher é mais sensual... O aquecimento, enfim, cansou a turma...

O Apresentador-Narrador da Peça - Oficina do Grupo Olmo Teatro
O Apresentador-Narrador da Peça


Contato com os Colegas
As danças iniciaram solitárias. Todos tímidos. E a todo o momento, Marco orientava o contato com os colegas. Dizia para explorar os três planos. O chão, o céu e a própria altura. Movimentos contínuos. Sem descanso...

Marco também estimulava as danças em dupla e trios. Logo, formaram-se grupos com cinco pessoas. Depois com oito. Enfim, todos dançavam juntos. Mantinham contato. E exploravam os três níveis...



A Minhoca e A Flor
Marco, então, contou uma lenda da serra peruana. Certa vez, uma minhoca encontrou uma flor. E fez amizade com ela. O Senhor do Tempo, porém, não aprovou. Para ele, não se poderia tolerar a amizade...

Providenciou, então, uma série de fenômenos para separá-los. Veio vento, chuva, granizo e neve. O Senhor do Tempo, enfim, separou-os. Mas a flor e a minhoca se fundiram. E formaram a borboleta, símbolo do amor...

O Boneco Hindu - Oficina do Grupo Olmo Teatro
O Boneco Hindu


Os Grupos e As Peças
Marco e o grupo Olmo dividiram a turma em três grupos. Cada um deveria fazer uma peça de teatro de bonecos. Usaria bonecos prontos e recursos próprios. E a Lenda da Borboleta poderia servir de tema...

Isso estimulou o improviso dos grupos. Todos precisaram se organizar. E em torno de bonecos destinados a outro propósito, criar uma história com início, meio e fim. Todos os membros precisavam fazer o seu papel...

O Robô Amigo - Oficina do Grupo Olmo Teatro
O Robô Amigo

2 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ El Duende Papá Ya +++

Cia Olmo Teatro, Peru

Tucu Ti e Tucu Ta viajam por recônditos lugares.
Para chegar aos domínios do mundo do Duende Papá Ya.
Eles estão à procura de aventuras e histórias.
Que só este duende sabe contar...

Duende Papá-Ya: Marco Ledezma;
Tucu-Ta: Greysit Sarango;
Tucu-Ti: Duglas Choton.

Leonardo Brocker disse...

+++ Manos Mágicas +++

Cia Olmo Teatro, Peru

É a história de um grupo de crianças.
Elas brincam com as mãos.
E descobrem as possibilidades que isso oferece.
Transportam-nos para uma verdadeira aventura.
Cheia de brincadeira, criatividade e diversão.

Adelita: Greysit Sarango;
Dudu: Duglas Choton;
Tartaruga: Violeta Garcias.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design