domingo, 5 de junho de 2016

A História de São Leopoldo no Museu Histórico Visconde de São Leopoldo

O Museu Histórico Visconde de São Leopoldo, como o nome sugere, conta a história da cidade. E no saguão, há itens referentes à imigração alemã. O destaque é o Monumento do Imigrante original, em bronze.

Foto do Clube de Tiro Alemão no Museu Histórico de São Leopoldo
Clube de Tiro Alemão

Continuação de...
Visita à Casa do Imigrante

Mas o registro histórico inicia antes de se entrar no museu. À esquerda da entrada, você verá a lápide de Elisabetha Blauth. Filha de imigrantes, ela nasceu em 21 de janeiro de 1841. E faleceu em 08 de dezembro de 1910.

Lápide de Elisabetha Blauth no Museu Histórico de São Leopoldo
Lápide de Elisabetha Blauth

Na entrada, há ainda a imagem de São Leopoldo. A Imperatriz Leopoldina, austríaca, era devota do santo, padroeira da Áustria. O nome da cidade de São Leopoldo é, assim, uma homenagem à Imperatriz.

Estátua Original do Monumento do Centenário no Museu Histórico de São Leopoldo
Estátua Original, em Bronze, do
Monumento do Centenário

Ainda no saguão, há uma liteira ou cadeira de transporte. Dois escravos carregavam as damas nestas cadeiras. A liteira do museu era da esposa de José Feliciano Fernandes Pinheiro, o Visconde de São Leopoldo.

Liteira do Primeiro Império no Museu Histórico de São Leopoldo
Liteira do Primeiro Império


Fotos Históricas e Personalidades
Outro destaque do Museu Histórico é o painel com fotos antigas da cidade. Ali, você verá o prédio original da Casa do Imigrante, com traços açorianos. E a Igreja Matriz com a entrada voltada para o Rio dos Sinos.

Foto da Antiga Casa de Teares, no Museu Histórico de São Leopoldo
Antiga Casa de Teares

Também chama a atenção a porta de uma casa de 1849. Peter Kötz veio para o Brasil em 1847. E instalou-se onde, hoje, fica Igrejinha. Também há tábuas de sociedades de atiradores, típicas entre os alemães.

Porta de Casa de Igrejinha de 1849 no Museu Histórico de São Leopoldo
Porta de Casa de Igrejinha de 1849

O cachimbo prussiano de 1904 chama a atenção em meio às peças do museu. Já a xícara com protetor de bigodes lembrou-me do Museu de Santa Maria! Junto a ela, um prato com a pintura da Casa do Imigrante.

Xícara com Protetor de Bigode no Museu Histórico de São Leopoldo
Xícara com Protetor de Bigode

Dentre as personalidades, destacam-se Lindolfo Collor e Cristiano Fischer. Lindolfo Collor articulou a Revolução de 1930. Hoje, dá nome a um município gaúcho. O Dr. Cristiano Fischer participou do Movimento Mucker.

O relato segue com...
Centro Cristo Rei e Santuário Padre Reus

Foto do Doutor Cristiano Fischer no Museu Histórico de São Leopoldo
Doutor Cristiano Fischer

2 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Porta de 1849 de Casa de Igrejinha +++

O senhor Peter Kötz veio para o Brasil em 1847.
Em 1849, ornamentou sua casa enxaimel com a porta.
Adolf Kötz, o filho mais novo, comprou a casa.
Arthur, o filho mais velho, adquiriu a casa, depois.
Clara Kötz, filha de Arthur, herdou o imóvel.
Ela ofereceu à Prefeitura Municipal.
A ideia era reconstruir a casa na Praça.
O projeto não evoluiu.
E Clara doou a porta ao Museu Visconde de São Leopoldo.
A doação ocorreu em 22 de agosto de 2002.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cristiano Fischer +++

Nasceu em 29 de abril de 1852, na Alemanha.
Faleceu em 05 de janeiro de 1956, em Porto Alegre.

1870 – Participa do movimento pela unificação da Alemanha.
1874 – Chega ao Brasil e instala-se em São Leopoldo.
1875 – Participa, como médico, do Movimento dos Mucker.
1878 – Casa-se com Geraldina Andrade.
1893 – Adere à Revolução Federalista.

Filhos de Cristiano Fischer
+ Henrique Estácio – médico;
+ João – dentista;
+ Sofia – dona de casa;
+ Clarinda – modista;
+ Florinda – dona de casa;
+ Ricardo – professor de francês.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design