domingo, 1 de maio de 2016

Parque Marinha do Brasil, Porto Alegre

Com 70,70 hectares, é um dos maiores parques urbanos de Porto Alegre. Comunica o centro da cidade à Zona Sul. A inaguração do parque ocorreu em 09/12/1978. E o nome é uma homenagem à Marinha do Brasil.

Marquês de Tamandaré, Canhão e Espelho d'água - Parque Marinha do Brasil
Marquês de Tamandaré, Canhão e Espelho d'água
 

Aterro do Lago Guaíba
Os arquitetos Ivan Mizoguchi e Rogério Malinsky elaboraram o projeto. E o Marinha, assim como o vizinho Estádio Beira-Rio, ocupa o aterro do Lago Guaíba. Este aterro foi concluído na década de 1960.

Escultura El Canto de las Flores, de Francine Secretan - Parque Marinha do Brasil
Escultura El Canto de las Flores,
da boliviana Francine Secretan.

A Avenida Edvaldo Pereira Paiva, conhecida como Beira-Rio, corta o parque. Uma das laterais é delimitada pela Avenida Borges de Medeiros. E a outra, pela orla do Guaíba. Ao norte, fica a Avenida Ipiranga.

Lago do Parque Marinha do Brasil
Lago do Parque Marinha do Brasil


Atividade Física no Marinha
O Marinha abriga quadras de tênis e campo de futebol. Também, possui pistas de patinação e de skate. Perfazendo o perímetro do parque, há uma pista de terra, usada para caminhadas, corridas e pedaladas.

Escultura Planos em um Plano, do argentino Enio Iommi - Parque Marinha do Brasil
Escultura Planos em um Plano, de Enio Iommi

Um bom exercício é vir a pé, da Usina do Gasômetro ao Parque Marinha do Brasil. A caminhada segue a orla do Lago Guaíba. A caminhada no sentido inverso, ao fim da tarde, contemplando o por do sol, é ainda mais bela.


Jardim de Esculturas
Dez esculturas compõe o Jardim de Esculturas. A área do Parque Marinha do Brasil foi inaugurada em 12/10/1997, durante a 1ª Bienal do Mercosul. Os trabalhos são em pedra, aço, concreto, tijolos.

Escultura Sem Título, de Amílcar de Castro - Parque Marinha do Brasil
Escultura Sem Título, de Amílcar de Castro

No local, há trabalhos de Amilcar de Castro e Francisco Stockinger, do Brasil; Julio Pérez Sanz e Hernan Dompé, da Argentina; e Francine Secretan e Ted Carrasco, da Bolívia. Os artistas doaram as obras após a Bienal.

Veja também...
Parque Marinha e Fundação Iberê Camargo

7 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque Marinha do Brasil +++

Fica no Bairro Praia de Belas.
As avenidas Borges de Medeiros e Ipiranga o contornam.
E a Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio) o corta.

O parque ocupa uma área de 715 mil m2.
E dele é possível admirar as águas do Lago Guaíba.

Os esportistas aproveitam muito o parque. Ele conta com:
+ 4 quadras de tênis;
+ 5 quadras polivalentes;
+ 1 campo de futebol;
+ 6 campos de salão;
+ 1 pista de atletismo;
+ 1 pista de patinação;
+ 1 pista de skate;
+ 9 canchas de futebol de areia;
+ velódromo;
+ aparelhos de ginástica.

Há, também, aluguel de bicicletas e quadriciclos.
Além de playground e um mini-parque de diversões.

Da área total, 11 hectares são bosques e gramados.
Ali, há árvores nativas e espécies exóticas.

Adaptado de Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Leonardo Brocker disse...

+++ O Por do Sol de Porto Alegre +++

É um dos principais cartões postais de Porto Alegre.
E pode ser admirado no parque Marinha do Brasil.
O parque abriga espaços de esportes radicais.
E a maior pista de skate do Brasil.
Também possui também um anfiteatro na orla do Guaíba.
E um disputado local para caminhadas e uma ciclovia.

Pode-se também admirar o por do sol no Morro do Osso,
E no calçadão de Ipanema, na Zona Sul da cidade.
O calçadão oferece uma vista privilegiada.
E um espaço para a prática de esportes náuticos.
Além de ser uma opção noturna de diversão com inúmeros bares.

Adaptado de Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Leonardo Brocker disse...

+++ Lago Guaíba +++

Para ele convergem os rios da metade norte do RS.
E através dele, as águas destes rios chegam à Lagoa dos Patos.
Esta, enfim, conduz as águas ao Oceano Atlântico.
O Lago Guaíba teve importância fundamental.
Quando a maior parte do transporte era por rotas fluviais.
Importações e exportações da metade norte passavam por ele.
Em virtude disso, Porto Alegre tornou-se capital da província.
Dali controlava-se o tráfego do interior e da Lagoa dos Patos.
A península também oferecia um porto natural no lado norte.
Este era razoavelmente fundo.
E protegido dos ventos dominantes que vêm do sul.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Usina do Gasômetro +++

A usina termelétrica ficava na Volta do Gasômetro.
A construção iniciou em 1926 e se prolongou até 1928.
Um prédio com características da arquitetura industrial.
E que teve grande papel no fornecimento de energia elétrica.
Até 1974, quando a usina deixou de operar.

Uma mobilização popular evitou a demolição, em 1987.
Apesar do tombamento como bem cultural, em 1982.
E como patrimônio do Rio Grande do Sul, no ano seguinte.
A Prefeitura Municipal, enfim, revitalizou o prédio.
E este passou a abrigar o Centro Cultural Usina do Gasômetro.

O complexo cultural possui:
+ Salas de exposição: Iberê Camargo, Lunara e dos Arcos;
+ Cinema: Sala P. F. Gastal;
+ Teatro: Sala Elis Regina;
+ Espaço para eventos, oficinas e palestras.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Porto Alegre na Virada do Século XX +++

Um bonde puxado a burro ia do Centro para o Menino Deus.
No caminho, este bonde passava pela Ponta da Cadeia.
No local, hoje fica o Centro Cultural Usina do Gasômetro.
Dali, ele seguia pelo Caminho de Belas (Praia de Belas).
Até o Asilo da Mendicidade, que ainda hoje existe.
Ele fica quase em frente ao Estádio Beira-Rio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Becos e Ruas da Antiga Porto Alegre +++

Inicialmente, os becos tinham o nome dos moradores.
De peculiaridades do terreno.
Ou das atividades que ali se realizavam:
+ Beco da Ópera (atual Rua Uruguai);
+ Beco do Barbosa (Rua Barros Cassal);
+ Beco do Oitavo (Rua André da Rocha);
+ Beco do Bota Bica (Rua General Portinho);
+ Beco do Poço (Avenida Borges de Medeiros);
+ Beco dos Guaranis (Rua General Vasco Alves);
+ Caminho da Azenha (Avenida João Pessoa);
+ Caminho Novo (Rua Voluntários da Pátria);
+ Rua Clara (Rua João Manoel);
+ Rua da Figueira (Rua Coronel Genuíno);
+ Rua da Ladeira (Rua General Câmara);
+ Rua da Margem do Riacho (Rua João Alfredo);
+ Rua da Olaria (Rua General Lima e Silva);
+ Rua da Passagem (Rua General Salustiano);
+ Rua da Varzinha (Rua Demétrio Ribeiro);
+ Rua de Bragança (Rua Marechal Floriano);
+ Rua do Arvoredo (Rua Fernando Machado).

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Proclamação da República +++

Com a Proclamação da República ocorreram mudanças.
Nos nomes de avenidas, praças e ruas de Porto Alegre.
Seguem exemplos com o antigo nome e o atual:

+ Praça Conde D’Eu, hoje Praça 15 de Novembro;
+ Praça Dom Pedro II, hoje Praça Marechal Deodoro;
+ Rua do Imperador, hoje Rua da República;
+ Rua Dona Isabel, hoje Rua Demétrio Ribeiro;
+ Rua Imperatriz, hoje Rua Venâncio Aires;
+ Rua Imperial, hoje Rua Benjamin Constant.

Também vieram as homenagens aos positivistas:

+ Avenida Assis Brasil;
+ Avenida Borges de Medeiros;
+ Monumento a Júlio de Castilhos;
+ Praça Júlio de Castilhos;
+ Praça Otávio Rocha;
+ Rua Alberto Bins;
+ Rua Júlio de Castilhos;
+ Viaduto Otávio Rocha.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design