terça-feira, 12 de abril de 2016

Porto Alegre vista do Santuário Mãe Deus

O Santuário de Nossa Senhora Mãe de Deus fica no Morro da Glória. E homenageia a padroeira de Porto Alegre. Além de fieis, o local atrai quem procura por uma vista panorâmica da capital gaúcha.

Gasômetro, Ponte do Guaíba e Estádio Olímpico - Porto Alegre (RS)
Gasômetro, Ponte do Guaíba e Estádio Olímpico



Da Cabanha ao Santuário
Deixamos a Cabanha Costa do Cerro pouco após as 16h. Nosso próximo destino era o Santuário de Nossa Senhora Mãe de Deus. O último ponto contemplado no roteiro turístico Porto Alegre Rural.

Reserva Particular do Patrimônio Natural Barba Negra - Barra do Ribeiro (RS)
Reserva Barba Negra - Barra do Ribeiro

Como a missa terminaria às 17h, tivemos tempo para deslocar com calma. Durante o percurso, o guia Mauri Webber falou sobre outro bairro da Zona Sul da cidade. O bairro Vila Nova foi o tema da vez...

Delta do Jacuí, Eldorado do Sul e Porto Alegre (RS)
Delta do Jacuí: Eldorado do Sul e Porto Alegre

O imigrante Vicente Monteggia ocupou a região. E deu ao local o nome de Vila Nova da Itália. Vi o túmulo dele, dias antes, no Cemitério São Miguel e Almas. Chamou a atenção pelo nome da rua na Zona Sul da cidade.

Ilha Francisco Manoel: ponto de maior profundidade do Lago Guaíba
Ilha Francisco Manoel, em Porto Alegre.
Ponto de maior profundidade do Lago Guaíba.

Quando Vicente Monteggia ocupou a região, José Montaury era Intendente. Homem da confiança de Júlio de Castilhos, ele foi o primeiro prefeito eleito de Porto Alegre. E governou a cidade de 1897 a 1924.

Morro da Polícia ou Morro da Embratel, Porto Alegre (RS)
Morro da Polícia ou Morro da Embratel

No caminho, passamos também pela Villa Bari. Luiz Barichello, ex-diretor do Grupo RBS, é proprietário da vinícola. Os vinhos têm aroma de uvas secas. Barichello tem outras vinícolas na Argentina e na Itália.

Farol de Itapuã - Parque de Itapuã, Viamão (RS)
Farol de Itapuã: Parque de Itapuã, Viamão


Santuário de Nossa Senhora Mãe de Deus
Pouco antes de chegarmos ao Santuário, Mauri passa alguns dados sobre o local. A forma da construção deve-se aos ventos observados no topo do morro. O santuário resiste a uma força combinada de até 200 km/h.

Lago Guaíba, Porto Alegre (RS)
Lago Guaíba, em Porto Alegre

Para construir a estrutura foram usadas 80 toneladas de metal e cinco de vidro. No interior, destacam-se as imagens de Nossa Senhora Mãe de Deus e de São José. A santa fica à direita de quem entra. O santo, à esquerda.

São José, Santuário de Nossa Senhora Mãe de Deus
Escultura de São José

As duas imagens foram esculpidas no Norte da Itália. As esculturas, feitas em tília, medem 1,60 e pesam 80 kg. A Catedral Metropolitana também homenageia Nossa Senhora Mãe de Deus, padroeira de Porto Alegre.

Centro de Porto Alegre, Rio Jacuí, Rio dos Sinos e Ponte do Guaíba
Centro de Porto Alegre, Rio Jacuí,
Rio dos Sinos e Ponte do Guaíba.

Outro destaque no interior do Santuário é a Via-Sacra. Localizada atrás do altar, as pinturas foram feitas usando os dedos. E chamam a atenção pela expressividade. A artista plástica Dilma Lima é a autora da obra.

Jesus Crucificado, Dilma Lima, Santuário de Nossa Senhora Mãe de Deus
Jesus Crucificado, Dilma Lima


Vista Panorâmica de Porto Alegre
Do Santuário Nossa Senhora Mãe de Deus, você tem a vista panorâmica de Porto Alegre. Vários pontos são vistos. Tendo o Santuário como referência, é possível avistar os seguintes:

Ponta Grossa, Porto Alegre (RS)
Ponta Grossa, Porto Alegre

# Leste: Morro Santana e Morro da Polícia (Embratel) (a nordeste);
# Norte: Centro de Porto Alegre, Delta do Jacuí, Rio dos Sinos, Rio Jacuí, Ponte do Guaíba, Usina do Gasômetro, Lago Guaíba, Estádio Olímpico;
# Oeste: Lago Guaíba, Ponta Grossa;
# Sul: Restinga; Lami; Lago Guaíba; Farol de Itapuã (Viamão), Barba Negra (Barra do Ribeiro).

7 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Lago Guaíba +++

Para ele convergem os rios da metade norte do RS.
E através dele, as águas destes rios chegam à Lagoa dos Patos.
Esta, enfim, conduz as águas ao Oceano Atlântico.
O Lago Guaíba teve importância fundamental.
Quando a maior parte do transporte era por rotas fluviais.
Importações e exportações da metade norte passavam por ele.
Em virtude disso, Porto Alegre tornou-se capital da província.
Dali controlava-se o tráfego do interior e da Lagoa dos Patos.
A península também oferecia um porto natural no lado norte.
Este era razoavelmente fundo.
E protegido dos ventos dominantes que vêm do sul.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ponte do Guaíba +++

Em 1941, iniciou o serviço de barcas entre Porto Alegre e Guaíba.
O porto ficava na Ponta do Dionísio, hoje, na Vila Assunção.
Em decorrência dele, formou-se a Vila dos Pescadores.
Também chamada Vila Guaíba, ela ficava à margem do Lago.
As barcas operaram até 1958, quando se inaugurou a ponte.

A Ponte sobre o Lago Guaíba fica no bairro Navegantes.
E dinamizou os contatos rodoviários no Estado.
Da capital com as regiões Sul e Nordeste do RS.
Repercutiu na imprensa como indício de otimismo da sociedade.
E do governo com a modernização e o crescimento da cidade.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Usina do Gasômetro +++

A usina termelétrica ficava na Volta do Gasômetro.
A construção iniciou em 1926 e se prolongou até 1928.
Um prédio com características da arquitetura industrial.
E que teve grande papel no fornecimento de energia elétrica.
Até 1974, quando a usina deixou de operar.

Uma mobilização popular evitou a demolição, em 1987.
Apesar do tombamento como bem cultural, em 1982.
E como patrimônio do Rio Grande do Sul, no ano seguinte.
A Prefeitura Municipal, enfim, revitalizou o prédio.
E este passou a abrigar o Centro Cultural Usina do Gasômetro.

O complexo cultural possui:
+ Salas de exposição: Iberê Camargo, Lunara e dos Arcos;
+ Cinema: Sala P. F. Gastal;
+ Teatro: Sala Elis Regina;
+ Espaço para eventos, oficinas e palestras.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Porto Alegre na Virada do Século XX +++

Um bonde puxado a burro ia do Centro para o Menino Deus.
No caminho, este bonde passava pela Ponta da Cadeia.
No local, hoje fica o Centro Cultural Usina do Gasômetro.
Dali, ele seguia pelo Caminho de Belas (Praia de Belas).
Até o Asilo da Mendicidade, que ainda hoje existe.
Ele fica quase em frente ao Estádio Beira-Rio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Arquitetura da Catedral Metropolitana +++

Em 1915, organizou-se um concurso público.
O vencedor foi o espanhol Jesús María Corona.
Tratava-se de um projeto neogótico de grande porte.
Com arcos ogivais e pináculos.
E uma cúpula de base octogonal apoiada em contrafortes.

Porém, a Cúria, em 1921, optou por outro projeto.
O do arquiteto italiano Giovani Battista Giovenale.
Responsável pela conservação da Basílica de São Pedro, em Roma.
O projeto do italiano tinha uma linguagem neorrenscentista.
Mas a conclusão da construção ocorreu apenas em 1970.

A Academia de Mosaicos do Vaticano ornamentou a fachada.
Mário Arjonas esculpiu as estátuas em granito de apóstolos e santos.
E o italiano Aldo Locatelli pintou o mural no altar principal.

A catedral destaca-se pelo cuidado da articulação clássica.
Visível na fachada principal, na cúpula e na nave.
Nas partes ao redor da cúpula, essa articulação se perde.
E surgem soluções mistas.
A presença de vitrais e mosaicos causa surpresa.
Quando se considera um templo em estilo clássico.

É peculiar a solução que se empregou no exterior da cripta.
Ela funciona como base do templo na declividade do terreno.

A inauguração só ocorreu em 1986.
O que revela as dificuldades na execução da obra.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Inspiração na Basílica de São Pedro +++

A Catedral Metropolitana lembra a Basílica de São Pedro, em Roma.
Em alguns aspectos, como na planta em cruz latina.
E na cúpula assentada sobre um tambor.
Colunas aos pares guarnecem este tambor.
No interior, a cúpula apoia-se em pendentes.
Estes se ligam a quatro pilares chanfrados.

Outra semelhança é a nave com abóboda de berço.
Arcadas subdivididas por pilastras apoiam esta abóboda.
O átrio transversal ao eixo também remete à Basílica de São Pedro.

Em outros aspectos, porém, as semelhanças não se repetem.
É o caso da fachada principal e do esquema decorativo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Fachada da Catedral Metropolitana +++

Há duas torres afastadas do corpo central.
E uma galeria aberta no térreo.
Porém, o monocromatismo do granito dá unidade ao prédio.
O corpo central corresponde à nave principal.
E as ligações com as torres correspondem às naves laterais.

A parte inferior tem cinco subdivisões.
Ela corresponde à primeira ordem de pilastras (coríntia).
Nas extremidades estão as bases compactas das torres.
E no centro há aberturas definidas por um entablamento secundário.
Nele, apoiam-se duas colunas jônicas, menores que as pilastras.

No centro da fachada, a abertura adquire a forma de uma serliana.
Com um arco demarcando o acesso central do templo.
O tema das duas colunas volta a comparecer no topo das torres.
Enquanto a serliana reaparece no trecho intermediário.

A parte central da fachada projeta-se num segundo nível.
Nele, as pilastras são jônicas.
Tal qual no segundo nível das torres.
Mas a parte central avança em relação às outras partes.
Tanto em altura, como em projeção frontal.
Além disso, as pilastras são duplas.
E acentuam o movimento da fachada.

O coroamento possui frontão triangular.
Replicado por frontões curvos no topo das torres.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design