quinta-feira, 28 de abril de 2016

Parque Marinha e Fundação Iberê Camargo

O Parque Marinha do Brasil é uma área de lazer, destinada à prática esportiva. E a Fundação Iberê Camargo é uma instituição cultural, voltada às artes plásticas. Em comum? Ambos ficam à beira do Lago Guaíba...

Iberê Camargo - Signo Branco (1976) - óleo sobre tela
Signo Branco (1976) - óleo sobre tela

Continuação de...
Gigantinho e Museu do Inter


Relação com o Parque Marinha
Procuro ler um pouco sobre os lugares que visito. E quando li sobre este parque, tive uma grata surpresa. Ele foi inaugurado em 09/12/1978. Um dia após eu nascer. Ou seja, somos contemporâneos...

Rampa de Skate em Forma de Poço - Parque Marinha do Brasil
Rampa de skate em forma de poço

E nossa relação iniciou há três décadas. Lembro quando ainda era criança. Andava de skate. E vez ou outra estive no parque em busca das rampas de skate. Devia ter uns oito ou nove anos, na época. E fui lá com meu pai.

Túnel Verde - Parque Marinha do Brasil
Túnel Verde - Parque Marinha do Brasil

Engraçado como essas coisas marcam a gente... Essa era a minha maior lembrança do Parque Marinha do Brasil... E foi a primeira coisa pela qual procurei assim que coloquei novamente os pés no saudoso parque...

Quase trinta anos se passaram. E eu não fazia mais ideia de onde ficavam as tais rampas de skate. A recém, eu havia deixado o Estádio Beira-Rio. Assim, pedi a uns funcionários da Prefeitura as coordenadas.

Rampa de Skate e Lago Guaíba - Parque Marinha do Brasil
Rampa de Skate e Lago Guaíba


As Rampas de Skate
As rampas de skate ficavam exatamente no lado oposto do parque. Agradeci pela informação e iniciei a caminhada. Logo ouço a buzina do caminhão. O motorista iria para aqueles lados e ofereceu uma carona...

Era meio-dia e faziam 40 graus... A corona foi providencial. O motorista comentou que estava recolhendo os galhos e as árvores derrubados pela tempestade. Já fazia quase um mês. E cidade ainda guardava cicatrizes...

Rampa de Skate, Parque Marinha do Brasil
Rampa de Skate, Parque Marinha do Brasil

Fiquei próximo às rampas de skate. Acelerei o passo. E logo cheguei ao local. É tão estranho como as coisas parecem maiores quando somos criança. Não foi bem uma decepção. Talvez uma quebra de magia...

Fim do Túnel de Skate - Parque Marinha do Brasil
Fim do Túnel de Skate do Marinha

O certo é que as rampas não pareceram o colosso de outrora. E quando fotografava das rampas em direção ao Guaíba, um cara cruzou em minha direção. Pensei logo em assalto. Na verdade, foi apenas um susto...

Rampas de Skate - Túnel e Poço, Parque Marinha do Brasil
Rampas de skate do Marinha: túnel e poço


Esculturas no Parque Marinha
Se me resguardei na carona da ida, padeci sob o sol inclemente na volta. Procurava pelas esculturas vistas na internet. Perguntei aos responsáveis pelos banheiros. Eles nunca ouviram falar das tais esculturas.

Escultura Cono Sur, de Ted Carrasco - Parque Marinha do Brasil
Escultura Cono Sur, de Ted Carrasco

Caminhei uns cinquenta metros e dei de cara com as próprias. Impossível que eles não as conhecessem. Com certeza, não usei o termo que eles conhecem. Mas não vejo termo mais apropriado que a palavra “escultura”.

Escultura Flor, de Francisco Stockinger - Parque Marinha do Brasil
Escultura Flor, de Francisco Stockinger

Quer dizer... No caso das obras vistas no Parque Marinha do Brasil, talvez haja sim um termo mais específico. Dado o estado de conservação, não seria inapropriado usar a expressão “ex-cultura” para defini-las.

Escultura Mangrullos, de Julio Pérez Sanz - Parque Marinha do Brasil
Escultura Mangrullos, de Julio Pérez Sanz

Incrível como prédios históricos, monumentos e obras de arte desfrutam da mesma triste sina no país. História, Cultura e Arte recebem todo o desprezo. Relegados e deteriorados, parecem invisíveis para a massa.

Escultura Rayo, de Hernán Dompé - Parque Marinha do Brasil
Escultura Rayo, de Hernán Dompé


Homenagem a Heróis Nacionais
A área central do Parque Marinha do Brasil reúne símbolos alusivos a este ramo das Forças Armadas. Ali, há um pequeno lago com peixes, um canhão, um poste para bandeiras em forma de mastro e um busto de bronze.

Peixes em Lago do Parque Marinha do Brasil
Peixes em Lago do Parque Marinha do Brasil

A placa descritiva deste busto foi arrancada. E não encontrei em sites o nome do militar homenageado. Creio que seja o Marquês de Tamandaré, o patrono da Marinha. Ao menos, esta seria a homenagem mais provável.

Mastro de Navio - Parque Marinha do Brasil
Mastro de Navio

Joaquim Marques Lisboa nasceu em 13/12/1807, em Rio Grande. E faleceu em 20/03/1897, no Rio de Janeiro. Na data de nascimento do Marquês de Tamandaré celebra-se o Dia do Marinheiro.

Busto em Bronze do Marquês de Tamandaré (Close) - Parque Marinha do Brasil
Marquês de Tamandaré, Patrono da Marinha

Pouco à frente do busto do marquês, fica um monumento em homenagem a José Plácido de Castro. Líder da Revolução Acriana, o militar nasceu em São Gabriel, em 09/09/1873. Foi morto no Acre, em 11/08/1908.

Monumento a José Plácido de Castro, Libertador do Acre - Parque Marinha do Brasil
Monumento a Plácido de Castro, Libertador do Acre


Fundação Iberê Camargo
Fugindo do calor e procurando pela cultura sonegada no parque, segui à Fundação Iberê Camargo. Conheci-a pouco tempo após a inauguração. Na época, a arquitetura chamou mais a atenção que o acervo.

Iberê Camargo - A Rendeira (1949) - cópia de Johannes Vermeer - carvão sobre papel
A Rendeira (1949) - cópia da pintura
de Johannes Vermeer (1669-1670).

Sei: foi uma injustiça... Em parte, fruto da minha ignorância sobre a técnica usada pelo artista. Aprendi um pouco sobre ela – pasmem – no Museu de Passo Fundo. Só então, passei a ver as obras com outros olhos...

Iberê Camargo - Ascensão I (1973) - óleo sobre tela
Ascensão I (1973) - óleo sobre tela

Isso não significa que devamos ignorar a curiosa arquitetura do prédio. Tanto que a Fundação Iberê Camargo, quando divulgada, apresenta uma foto da construção. E não de alguma das inúmeras obras do artista.

Iberê Camargo - Crepúsculo da Boca do Monte (1991) - óleo sobre tela
Crepúsculo da Boca do Monte (1991)

Seja como for, quando revisitei o local, apenas o segundo andar estava aberto. Ele abriga parte do acervo permanente. E – volta e meia – tem suas obras trocadas. Os outros andares recebem exposições temporárias.

Iberê Camargo - Paisagem (1941) - óleo sobre madeira
Iberê Camargo: Paisagem (1941)

A maior parte da exposição de Iberê Camargo era de pinturas a óleo. Havia alguns desenhos e trabalhos com carvão. Chamou minha atenção a série de autorretratos, além da série com pinturas de ciclistas.

Iberê Camargo - Retrato (Jane e Mariza) (1987) - óleo sobre tela
Retrato de Jane e Mariza (1987)

3 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Plácido de Castro – Herói do Acre +++

Com armas e sangue, conquistou o Acre para o Brasil.
Terra que os brasileiros desbravaram com sofrido trabalho.
Plácido de Castro participou dos seguintes combates:
+ Volta da Empresa;
+ Telheiro;
+ Bom Destino;
+ Volta da Empresa;
+ Santa Rosa;
+ Costa Rica;
+ Porto Acre.

Em 09 de agosto de 1908, foi vítima de uma emboscada.
O ataque ocorreu em meio à densa mata acreana.
Plácido de Castro faleceu aos 35 anos de idade.
O crime permaneceu impune.
Não houve sequer inquérito.

“Tanta ocasião gloriosa para morrer.
E esses cavaleiros me matam pelas costas”.

Placa no Parque Marinha do Brasil, Porto Alegre.

Leonardo Brocker disse...

+++ Lago Guaíba +++

Para ele convergem os rios da metade norte do RS.
E através dele, as águas destes rios chegam à Lagoa dos Patos.
Esta, enfim, conduz as águas ao Oceano Atlântico.
O Lago Guaíba teve importância fundamental.
Quando a maior parte do transporte era por rotas fluviais.
Importações e exportações da metade norte passavam por ele.
Em virtude disso, Porto Alegre tornou-se capital da província.
Dali controlava-se o tráfego do interior e da Lagoa dos Patos.
A península também oferecia um porto natural no lado norte.
Este era razoavelmente fundo.
E protegido dos ventos dominantes que vêm do sul.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Porto Alegre na Virada do Século XX +++

Um bonde puxado a burro ia do Centro para o Menino Deus.
No caminho, este bonde passava pela Ponta da Cadeia.
No local, hoje fica o Centro Cultural Usina do Gasômetro.
Dali, ele seguia pelo Caminho de Belas (Praia de Belas).
Até o Asilo da Mendicidade, que ainda hoje existe.
Ele fica quase em frente ao Estádio Beira-Rio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design