segunda-feira, 4 de abril de 2016

Museu de Ciências Naturais e Serpentário do Jardim Botânico de Porto Alegre

O Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica reúne exemplares da flora e da fauna gaúcha. No local, fica o Serpentário do Jardim Botânico de Porto Alegre. Ele expõe as principais cobras peçonhentas do RS.

Conchas de Caracol - Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica, Jardim Botânico de Porto Alegre
Conchas de Caracol


Continuação de...
Cemitérios Monumentais de Porto Alegre


Doenças Parasitárias
Na entrada do museu, você verá a reconstituição de um réptil do Triássico. Pouco à frente, um painel sobre o “bicho de pé”. E a pulga causadora desta parasitose aparece em frente ao material explicativo.

Na verdade, apenas a fêmea parasita os hospedeiros. O macho suga sangue do hospedeiro, sem infectá-lo. Apesar do nome, a pulga pode se instalar em várias partes do corpo, como ouvido e cabeça.

Bicho de Pé - Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica, Jardim Botânico de Porto Alegre
Bicho-de-pé: representação da pulga

Uma colmeia de vespas chama a atenção, suspensa, no corredor seguinte. Ela tem 2m X 1,50m x 0,84m. E foi encontrada numa casa abandonada, em frente ao Moinho Cavichion, em Linha Bonita, Gramado.

Adiante, há um infográfico com o ciclo da Doença de Chagas. Há focos na região sul de Porto Alegre, nos bairros Lami e Belém Novo. Em Viamão, no bairro Itapuã. Com os desmatamentos, reduziu a quantidade do barbeiro.

Colmeia de Vespas - Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica, Jardim Botânico de Porto Alegre
Colmeia de Vespas, Linha Bonita, Gramado

O inseto hospeda o Trypanosoma cruzi, protozoário causador da Doença de Chagas. Para transmiti-la, além de picar, o inseto precisa defecar próximo à picada. Afinal, o protozoário habita o aparelho digestivo do inseto.


Cobras Peçonhentas e Lagartos
O museu descreve as principais víboras do RS. A coral verdadeira intercala anéis pretos com anéis creme e vermelho. Ela é frequente no campo e na margem de matas. E ergue a cauda, em S, quando ameaçada.

A cruzeira ou urutu é a espécie mais comum na região Sul do Brasil. É marrom e os desenhos lembram uma ferradura ou gancho de telefone. Também vive em campos e margem de matas. E pode chegar a 2m.

Escorpião - Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica, Jardim Botânico de Porto Alegre
Coleção Didática: Escorpião

Com cerca de 80 cm, a jararaca tem cor marrom-escura. Possui manchas trapezoidais. São comuns em capões e locais pedregosos. Mas em campos buscam abrigo no interior de residências.

Ao lado do painel dedicado às cobras, há outro dedicado aos lagartos mais comuns no RS. Uma curiosidade: a cobra-cega é, na verdade, um lagarto sem patas. E tem hábitos subterrâneos, podendo habitar formigueiros.

Aranha - Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica, Jardim Botânico de Porto Alegre
Coleção Didática: Aranha


Sala Histórica do Museu do Jardim Botânico
Uma sala registra a história do Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica. Painéis contam-na em textos e imagens. Há uma fotografia com a equipe do museu, em 1980, na ocasião do jubileu de prata.

Na mesma sala, há também uma exposição fotográfica. A “Coleção Didática” faz o registro artístico de animais observados no estado. Há insetos, como o escorpião e a aranha. E imagens curiosas de conchas.

Equipe do Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica no Jubileu de Prata (1955-1980), Jardim Botânico de Porto AlegreMuseu Jardim Botânico
Equipe do Museu, em 1980.

Por fim, há a sala com poesias e músicas homenageando a flora e a fauna do RS. O curioso é um painel com os ecossistemas gaúchos. Fotos registram belas paisagens do estado. E ilustram os ecossistemas:

# Área de Influência Lacunar e Fluvial – Ilha Grande;
# Área de Influência Lacunar e Fluvial – Pontal do Anastácio;
# Campo – Santana do Livramento;
# Costeiro – Lagoa do Peixe;
# Floresta Atlântica – Maquiné;
# Floresta com Araucária – Itaimbezinho;
# Floresta Estacional – Vale do Rio Caí;
# Marinho – Ilha dos Lobos;
# Mosaico Campo-Floresta – Guaritas;
# Savana – Parque Estadual do Espinilho.

Ecossistemas RS - Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica, Jardim Botânico de Porto Alegre
Ecossistemas do Rio Grande do Sul


Serpentário
No prédio do museu, fica o Serpentário do Jardim Botânico. E ao lado da escada de acesso, há o esqueleto duma girafa. Paquito nasceu, em 1983, no Zoológico de Sapucaia. Morreu no mesmo local, em 1996.

O serpentário abriga espécies de cobras peçonhentas comuns no RS. Destacam-se a cascavel e a jararacuçu. Consegui filmar uma cascavel em alerta, balançando o chocalho. Ainda não havia visto isso ao vivo...

O relato segue com...
Turismo Fotográfico no Jardim Botânico


3 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Jardim Botânico de Porto Alegre +++

Um dos mais completos Jardins Botânicos localiza-se em Porto Alegre.
O acervo natural reúne mais de 100 espécies.
Junto ao Jardim Botânico funciona o Museu de Ciências Naturais.
Os dois formam uma área de preservação, pesquisa, educação, lazer e recreação.
As atividades de educação ambiental informam sobre fauna e flora.
O intuito éconscientizar a população sobre a conservação da biodiversidade.
Há ainda exposições permanentes, de curta duração e itinerantes.
As visitas guiadas ocorrem mediante agendamento.

Imperdível: o acervo de animais e plantas.
Algumas coleções são as mais expressivas do Brasil.

Adaptado de Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Leonardo Brocker disse...

### Bicho do Pé ###
+ vive em solos secos, arenosos e argilosos;
+ a fêmea deposita os ovos no solo;
+ em 18 a 26 dias, a pulga torna-se adulta;
+ a fêmea fecundada penetra a pele do hospedeiro;
+ com a bolsa de ovos, ela tem o tamanho de uma ervilha;
+ a pulga provoca coceira, inchaço e vermelhidão;
+ pode evoluir para tétano, gangrena e amputação;
+ há casos em que a infecção leva à morte do hospedeiro.

Prevenção
+ usar calçado onde circulam animais domésticos;
+ higiene da moradia e dos espaços externos;
+ levar animais, periodicamente, ao veterinário.

Leonardo Brocker disse...

### Doença de Chagas ###

+ Há diversas espécies do inseto “barbeiro”;
+ A maioria vive em ambientes silvestres;
+ Poucas espécies vivem em ambientes domésticos;
+ Estas se alimentam de sangue humano e animal;
+ A luz é o grande atrativo destes insetos;
+ O risco depende do número de insetos na casa.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design