quinta-feira, 31 de março de 2016

Cemitérios Monumentais de Porto Alegre

Os principais cemitérios da capital gaúcha ficam no bairro Azenha. E neles, estão os corpos de personalidades artísticas e políticas do RS. No mesmo bairro fica o antigo estádio de futebol do Grêmio.

Quadras 2 e 3 do Cemitério da Santa Casa
Quadras 2 e 3 do Cemitério da Santa Casa


Arte Cemiterial
Cemitérios, de maneira geral, não fazem parte de roteiros turísticos mais convencionais. É compreensível: não parece razoável estacionar um ônibus e descerem 40 pessoas para explorar jazigos e catacumbas.

Jazigo-Monumento da Família Chaves Barcellos - Cemitério Santa Casa
Jazigo-Monumento da Família Chaves Barcellos

Isso pode ser interessante, porém, quando se viaja sozinho ou em pequenos grupos. O interesse reside na enorme variedade de esculturas presentes nos cemitérios. Sem falar na oportunidade de relembrar celebridades.

Creio que a primeira visita com este propósito tenha sido no Cemitério da Recoleta, em Buenos Aires. Destaco, também, o Cemitério da Consolação, em São Paulo. E o Cemitério dos Imigrantes, em Joinville.

Jazigo-Monumento do Senador Pinheiro Machado - Cemitério da Santa Casa
Jazigo-Monumento do Senador Pinheiro
Machado - Cemitério da Santa Casa

E se você continua achando a ideia estanha, não se esqueça de um fato. Dois dos maiores pontos turísticos do mundo são monumentos tumulares. Refiro-me ao Taj Mahal, na Índia, e às pirâmides do Egito.


São Miguel e Almas
O cemitério é um verdadeiro labirinto. E, desconhecendo o fato, foi nele que iniciei a odisseia. Ou melhor: tentei. Após encontrar a lápide de Aldo Locatelli, deixei o local. Esperava por melhor sorte nos outros cemitérios.

Aldo Locatelli - Cemitério São Miguel e Almas
Aldo Locatelli (* 18/08/1915 + 03/03/1962)
  
Retornei mais tarde. E, com a ajuda de um dos vigias, encontrei as lápides de Érico Veríssimo, Lupicínio Rodrigues e Mário Quintana. Todas estão nas galerias. E a numeração nem sempre parece seguir uma ordem lógica.

Érico Lopes Veríssimo - Cemitério São Miguel e Almas
Érico Veríssimo (* 17/12/1905 + 28/11/1975)

Nesta caminhada, passamos por jazigos não relacionados em minha lista. Destaca-se o do capitão João José Pereira Parobé. E o do tropeiro Saturnino Mathias Velho. Ele dá nome ao maior bairro da cidade de Canoas.

Mário Quintana - Cemitério São Miguel e Almas
Mário Quintana (* 30/07/1906 + 05/05/1994)

Comentei sobre a dificuldade de encontrar as sepulturas. Ele disse que, conhecendo o local, atrapalha-se para visitar a mãe. E quem não conhece se perde. Por isso, o São Miguel é conhecido como “Condomínio de Almas”.


Santa Casa
Após certa frustração no São Miguel e Almas, tentei a sorte no Cemitério da Santa Casa. Para isto, bastou atravessar a rua. As entradas dos cemitérios ficam na mesma altura da Avenida Oscar Pereira.

Iberê Camargo - Cemitério da Santa Casa
Jazigo de Iberê Camargo (em primeiro plano)
  
No Cemitério da Santa Casa, as buscas foram mais fáceis. Apesar de certa confusão da informante, encontrei a maior parte dos jazigos com alguma facilidade. O primeiro, do Dr. Otávio Rocha, foi o mais demorado.

Sepultura de Otávio Rocha - Cemitério Santa Casa
Sepultura do Doutor Otávio Rocha

A sepultura de Otávio Rocha fica à esquerda, logo após o pórtico entrada. Porém a recepcionista escreveu que seria à direita. Percebi que os números pares ficavam à direita e os ímpares, à esquerda.

Jazigo-Monumento de Júlio Prates de Castilhos - Cemitério Santa Casa
Júlio de Castilhos: "Os vivos são sempre e
cada vez mais governados pelos mortos
"

Os jazigos de Júlio de Castilhos e da Família Chaves Barcellos são vizinhos. E ficam no início da quadra 2, à esquerda. Pouco à frente, fica o jazigo do senador Pinheiro Machado. Todos são jazigo-monumentos.

Estátua de Teixeirinha - Cemitério da Santa Casa
Estátua de Teixeirinha

No Cemitério da Santa Casa ficam, ainda, os túmulos de dois artistas. Uma estátua identifica o do cantor Teixeirinha. O túmulo de Iberê Camargo fica poucos metros afastados do corredor principal do cemitério.


São José
O Cemitério São José abriga também o Crematório Metropolitano. E ali, aconteceu uma situação surreal. Com a construção de um estacionamento, muitos dos jazigos mais antigos foram destruídos. Inacreditável!

Alberto Bins - Cemitério São José
Alberto Bins - Cemitério São José

Ali, procurava o jazigo de Alberto Bins. Casualmente, um dos destruídos na reforma. Todos foram muito gentis. E fizeram o possível para me ajudar na tarefa. Mas o funcionário que me auxiliou era muito atrapalhado.

Encontrei o local ao acaso. Vi a placa “Jardim in Memoriam”. Ela lembrava e expressão “Memorial do Jardim”, escrita pela moça da administração. Só não sei se os restos mortais de Alberto Bins estão mesmo ali.

Ao falar com a moça, minutos antes, perguntei sobre o estádio do Grêmio. Ela disse ser possível vê-lo da cafeteria, no terceiro andar. Consegue-se ver o estádio. Mas um poste de luz estraga as fotografias.


João XXIII
Procurava um bom ângulo para fotografar o Estádio Olímpico Monumental. Segui para o Cemitério Ecumênico João XXIII. No caminho, passei pelo Cemitério Evangélico, interditado após a tempestade da semana anterior.

Caio Fernando Abreu - Cemitério Eumênico João XXIII
Caio Fernando Abreu - Cemitério João XXIII

Na verdade, eu tinha outro motivo para visitar o Cemitério João XXIII. No local, fica o túmulo do escritor Caio Fernando Abreu. Inicialmente sepultado no São Miguel, o corpo foi transferido depois para o jazigo da família.

O Cemitério Ecumênico João XXIII é composto de galerias. E as pessoas são sepultadas nas “paredes”. Isso é comum há décadas, é bem verdade... Mas sempre me causa certo mal-estar...

Possivelmente, seja romantismo pela visão clássica de cemitérios. Neles, os corpos eram realmente enterrados. E a família tinha liberdade quanto ao jazigo. Nos cemitérios verticais, tudo parece frio e uniforme.


Estádio Olímpico Monumental
Em 2013, o Grêmio passou a jogar na Arena. O Olímpico será destruído. Sou colorado. E imagino a dor dos gremistas. Afinal, quase todos os grandes títulos do Grêmio foram conquistados no Estádio Olímpico Monumental.

Estádio Olímpico Monumental - Visto do Cemitério João XXIII
Estádio Olímpico Monumental

Notícias recentes entristecem ainda mais os gaúchos. Abandonado, o estádio foi ocupado por drogados. Não poderia haver fim mais melancólico. É claro: isso não mancha a história do Grêmio. Mas o torcedor sente...

Este é um dos motivos do título do artigo. O Estádio Olímpico Monumental é hoje um Cemitério Monumental. Ao contrário dos cemitérios propriamente ditos, porém, é um monumento desprovido de beleza...

O relato segue com...
Museu e Serpentário do Jardim Botânico

13 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Roteiros de Arte Cemiterial +++

Relacionam a produção artística com as crenças sociais e religiosas da época.
Os cemitérios de Porto Alegre possuem monumentos de grande relevância artística.
E abrigam os túmulos de pessoas famosas.
São artistas e políticos importantes para o estado e para o país.
Os antigos cemitérios da capital são verdadeiros museus ao ar livre.
Artistas europeus e locais criaram as estátuas e os ornamentos fúnebres.
São mais de 300 obras de arte produzidas, especialmente entre 1820 e 1940.
As obras estão em túmulos de personagens notáveis da cidade e de anônimos.

Adaptado de Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Leonardo Brocker disse...

+++ A Proclamação da República +++

Com a Proclamação da República ocorreram mudanças.
Nos nomes de avenidas, praças e ruas de Porto Alegre.
Seguem exemplos com o antigo nome e o atual:

+ Praça Conde D’Eu, hoje Praça 15 de Novembro;
+ Praça Dom Pedro II, hoje Praça Marechal Deodoro;
+ Rua do Imperador, hoje Rua da República;
+ Rua Dona Isabel, hoje Rua Demétrio Ribeiro;
+ Rua Imperatriz, hoje Rua Venâncio Aires;
+ Rua Imperial, hoje Rua Benjamin Constant.

Também vieram as homenagens aos positivistas:

+ Avenida Assis Brasil;
+ Avenida Borges de Medeiros;
+ Monumento a Júlio de Castilhos;
+ Praça Júlio de Castilhos;
+ Praça Otávio Rocha;
+ Rua Alberto Bins;
+ Rua Júlio de Castilhos;
+ Viaduto Otávio Rocha.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta +++

A fachada reúne colunas dóricas na entrada da Rua Junín.
Mas são os muros de tijolos vermelhos que cercam o perímetro.
Dentro deles, uma série de imponentes mausoléus.
Em meio a ermas ruas ou a avenidas ladeadas por árvores.

Esta cidade dos mortos tem mais de 46 mil metros quadrados.
E era uma das meninas dos olhos de Tocuato de Alvear.
O leito derradeiro do prefeito modernizador está bem ali.
Próximo ao pórtico de entrada do Cemitério da Recoleta.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Ricos e O Cementerio de la Recoleta +++

Quase todos os sepultados eram ricos.
E tão importante quanto à riqueza era o sobrenome.
Entre eles, há presidentes argentinos.
Como Bartolomé Mitre, Domingo F. Sarmiento e Hipólito Yrigoyen.
Militares, como Guilhermo Brown e Julio Argentino Roca.
Além de artistas e figuras literárias:
Adolfo Bioy Casares, Cândido López, José Hernández, Victória Ocampo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Boxeador e O Cementerio de la Recoleta +++

Luis Angel Firpo (1894-1960), boxeador, tinha origem humilde.
Mas tinha o influente oligarca Félix Bunge como padrinho.
O “touro selvagem dos pampas” quase trucidou Jack Dempsey.
A luta ocorreu no Polo Grounds, em Nova York, em 1923.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta e Evita Perón +++

Ali, sepultou-se, definitivamente, Evita Perón.
Evita nunca escondeu a hostilidade contra a elite argentina.
E sua simples presença envergonha os oligarcas ali enterrados.

Eva era a filha ilegítima e ressentida do fazendeiro Juan Duarte.
Agora, ela compartilha o jazigo com o pai que a renegou.
Uma simples parca marca o derradeiro local de descanso de Evita.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Histórias do Cementerio de la Recoleta +++

O Cemitério da Recoleta destaca-se pelas esculturas.
E pela qualidade arquitetônica.
Também abriga histórias de amor, paixões e traições.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Celebridades no Cementerio de la Recoleta +++

O local converteu-se em monumento histórico.
Dado o valor artístico e a relevância de suas tumbas.
Trata-se de um verdadeiro museu a céu aberto...

Ex-presidentes, heróis nacionais e celebridades descansam ali.
Com destaque à célebre Eva Perón.
Mas outras tumbas despertam singular magnetismo...

Como a de Liliana Crociati.
Ela faleceu aos 26 anos, durante a lua de mel.
A abóboda neogótica reproduz o dormitório da jovem.
Em frente, há uma escultura dela, em bronze.
Com vestido de noiva e acompanhada do mascote.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ História dos Cemitérios de Buenos Aires +++

Na Buenos Aires antiga, não havia cemitérios.
Sepultavam-se os mortos nas igrejas.
Ou fora da cidade.
Mas o aumento da população exigiu novas medidas.
E em 1822, inaugurou-se o Cementerio Del Norte.
Onde ficava o pomar dos frades recoletos.
O intendente Torcuato de Alvear deu à necrópole atmosfera distinta.
Ao realizar uma série de obras e dotar o local com esculturas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pórtico do Cementerio de la Recoleta +++

O pórtico serve de acesso principal ao cemitério.
E surgiu quando se ordenou o remodelamento do prédio.
São quatro colunas em estilo grego.
Sobre elas, lê-se “Requiescat in pace” (Descansem em paz).
No lado interno, outra frase.
Esta, atribuída aos mortos:
“Expectamus dominum” (Esperamos o Senhor).

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Inimigos no Cementerio de la Recoleta +++

Domingo F. Sarmiento e Fagundo Quiroga foram grandes rivais.
Hoje, o ex-presidente e o caudilho dividem a mesma morada.
E os túmulos ficam distantes poucos metros um do outro.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mausoléus do Cementerio de la Recoleta +++

Federico Leloir recebeu o Prêmio Nobel de Química.
Seu mausoléu conta com um coreto.
Que coroa a abóboda e apresenta um Cristo.

Também se destaca o mausoléu de Luís María Campos.
Belas esculturas adornam o sepulcro do tenente coronel.

A mais antiga tumba é também uma das mais singelas.
Ela guarda os restos mortais de Remedios de Escalada.
Esposa do general San Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design