sexta-feira, 27 de novembro de 2015

A Assustadora Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú

A Garganta do Diabo é ponto alto na visita ao Parque Nacional de Iguazú. É uma queda que impressiona pelo volume de água. É assustadora! Forma-se uma nuvem com gotas d’água que faz garoar sobre os mirantes.

Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
Garganta do Diabo: a mais volumosa dentre as
275 quedas que formam as Cataratas do Iguaçu.

Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
A Garganta do Diabo forma uma muralha de
água com mais de 80 metros de altura.


Continuação de...
Circuito Superior do Parque Nacional de Iguazú


Receio com o Mau Tempo...
Tudo seguia como o planejado. Eu imprimia um ritmo forte. Queria fazer o que desse pela manhã. O meu receio era de os meteorologistas errarem. A previsão era de sol. Mas nas três tardes anteriores havia chovido...

Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
O primeiro acesso até a Garganta do Diabo
começou a ser construído em 1934.


Assim, concluí o Circuito Superior e parti em direção à Estação Cataratas. Logo veio o trem até a Garganta do Diabo. Estava lotado. Como eu fiquei no último vagão, fui um dos primeiros a descer e partir para a passarela.

Passarela para a Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
A passarela até a Garganta do Diabo procura
provocar o menor impacto ambiental.

Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
A Garganta do Diabo é formado pelas águas
do Rio Iguaçu, em Puerto Iguazú, Argentina.


Primeira Ida à Garganta do Diabo
Para ter ideia da importância da Garganta do Diabo, há um trem específico para transportar o visitante até esta queda d’água. Da estação, segue-se uma passarela com 1,1 km de extensão que acaba no mirante.

Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
Os desníveis que formam as Cataratas do
Iguaçu ocorreram há 100 milhões de ano.


Estive duas vezes na Garganta do Diabo. Pela manhã, cheguei à estação às 10h. E parti em rápida caminhada pela passarela. O mirante estava cheio. E fiquei muito pouco tempo ali. Às 10h30 já estava na estação novamente.

Passarela para a Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
Da estação de trem até a Garganta do Diabo
são 1.100 metros de caminhada pela passarela.



Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
A Garganta do Diabo forma uma densa névoa
em suspensão, que bloqueia, em parte, a vista.


Retorno à Garganta do Diabo
À tarde, retornei com mais calma, após ter concluído o Sendero Macuco. Estava bem cansado. Cheguei à Estação Garganta del Diablo às 13h. E retornei no trem das 14h. Assim, passei bem mais tempo no mirante.

Mirante da Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
O mirante fica a poucos metros da Garganta
do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú.

Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
A Assustadora Garganta do Diabo.

Pela manhã, o tempo estava nublado. À tarde, o sol havia aparecido. O céu estava azul, com muitas nuvens. Mas estava azul. Assim, pude fotografar a principal queda d’água do parque em duas situações distintas...

Tartaruga, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
Tartaruga, no Parque Nacional de Iguazú,
em Puerto Iguazú, na Argentina.



Garganta do Diabo, no Parque Nacional de Iguazú, em Puerto Iguazú, na província de Missiones, na Argentina.
As Cataratas do Iguaçu foram exploradas como
cenário dos filme "A Missão" e "Indiana Jones
 e O Reino da Caveira de Cristal
".

A Borboleta no Boné
À tarde, na ida para a Garganta do Diabo, fotografei uma borboleta pousada sobre o meu boné. E no retorno, deixei cair a garrafa de água vazia na Estação Garganta del Diablo. Imediatamente, um quati avançou sobre ela...

Borboleta pousada sobre o boné no trem para a Garganta do Diabo.
Borboleta pousada sobre o boné
no trem para a Garganta do Diabo.

Quati na estação de trem para a Garganta do Diabo.
Quati na estação de trem para a Garganta do Diabo.


Ponte Tancredo Neves e Rio Paraná
No retorno para Foz do Iguaçu, parei na Ponte Tancredo Neves para tirar algumas fotos. Fotografei mais o Rio Paraná que a ponte. Para fotografá-la melhor, deve-se descer na sua base ou passar de barco por baixo.

Ponte Tancredo Neves, entre Puerto Iguazú (Argentina) e Foz do Iguaçu (Brasil).
Ponte Tancredo Neves, entre Puerto Iguazú
(Argentina) e Foz do Iguaçu (Brasil).

Rio Paraná, entre Puerto Iguazú (Argentina) e Foz do Iguaçu (Brasil).
Rio Paraná, entre Puerto Iguazú e Foz do Iguaçu.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design