sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Sete Povos das Missões: História

Os Sete Povos das Missões localizam-se na região noroeste do RS. Neles ficavam as reduções jesuítas, na época, em território espanhol. Os povoados tinham a função de catequizar os índios e guardar o território.

Mapa com os Sete Povos das Missões, no Rio Grande do Sul.
Os Sete Povos das Missões 


Localização das Missões
A partir de 1609, as trinta reduções foram implantadas. Na época, todas ficavam em território paraguaio. Com o posterior rearranjo de fronteiras, hoje, oito ficam no Paraguai, quinze, na Argentina e sete, no Brasil.

O Tratado de Madrid (1750) foi o responsável pelo rearranjo dos territórios. Ele estabeleceu que Portugal cederia a Colônia de Sacramento à Espanha. E a Espanha entregaria os Sete Povos das Missões a Portugal.

Em resposta, ocorre a Guerra Guaranítica, na qual os índios são derrotados. No ano de 1768, as Missões foram definitivamente desocupadas. Esse é o contexto narrado na apresentação de Som e Luz, em São Miguel.

Veja também...
Sete Povos das Missões: Reduções

Ruínas da Igreja de São Miguel Arcanjo, em São Miguel das Missões.
Ruínas de São Miguel Arcanjo.


Estrutura e Funcionamento
As reduções tinham uma estrutura padrão, que girava em torno da igreja. Junto a ela, ficavam a casa dos padres e o colégio. Em frente, a praça. E ao redor desta as casas dos caciques. As construções principais eram de pedra.

Os jesuítas fizeram uso da arte como apoio à catequese. Algumas reduções desenvolveram a música, o canto, o dança e o teatro. Mas o que restou, em meio às ruínas, foram os desenhos, as pinturas e as esculturas.

Em algumas reduções, os jesuítas desenvolveram ciências exatas como astronomia e matemática. Uma chegou a ter um observatório astronômico. Outra abrigou a primeira imprensa da América do Sul.

Mapa adaptado do site Rota Missões.

Imagem de São Francisco de Borja na Igreja Matriz de São Borja
Imagem de São Francisco de Borja,
 na Igreja Matriz de São Borja.

2 comentários:

Leonardo Brocker disse...

Em 1607, criou-se a Província Jesuítica do Paraguai.
Foi a maior ação de catequização de indígenas americanos.
Seguindo o Rio Paraná, fundaram-se Guaíra e Itatim.
Hoje, essas reduções ficariam no Paraná e Mato Grosso.
Devido aos ataques bandeirantes, elas foram abandonadas.

Os jesuítas Seguiram para o sul, em direção ao Tape (RS).
Em 1626, o Padre Roque Gonzales fundou São Nicolau.
Nos 10 anos seguintes, foram fundadas outras 18 reduções.
Esta foi a primeira fase das reduções jesuítas.

Os ataques bandeirantes, no entanto, seguiram.
E os índios obtiveram os direito de usar arma de fogo.
Na Batalha de Mbororé (1641), os índios portaram armas.
E cerca de 2.000 bandeirantes foram derrotados.
As reduções jesuítas, contudo, foram destruídas.

Fez-se necessário, assim, cruzar o Rio Uruguai.
E foram fundadas, então, as reduções argentinas.
Somente 40 anos depois, os jesuítas retornaram ao Brasil.
E fundaram os Sete Povos das Missões.

(Adaptado de Texto do Museu Gama d'Eça - Santa Maria)

Leonardo Brocker disse...

+++ A Origem do Rio Grande do Sul +++

O Memorial do Rio Grande do Sul fala sobre a origem do RS.
Ou seja: as Missões Jesuíticas.
Historiadores comentam sobre a Guerra Guaranítica.
E o massacre dos índios.
Um dado reafirma este episódio como marco fundador.
Porto Alegre surge da espera dos açorianos pelo fim da guerra.
Afinal, os imigrantes povoariam a região missioneira.
Após a expulsão dos índios.
Enfim: a Guerra Guaranítica gerou Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design