terça-feira, 4 de agosto de 2015

Cruz Jacobina, Sapiranga

No local, Jacobina e os Mucker se abrigaram para fugir do confronto com o Exército Brasileiro. Acredita-se que havia 17 pessoas refugiadas em cabanas de couro em meio à mata. Contudo, os Mucker foram descobertos.

Cruz Jacobina, Sapiranga
Cruz Jacobina, Sapiranga

Ali, ocorreu o derradeiro conflito entre os Mucker e as forças imperiais, no dia 02/08/1874. Jacobina foi morta e enterrada numa vala comum com os outros mortos. Os corpos foram cobertos por cal virgem.

A Cruz Jacobina foi ali colocada, no início do século XX, depois da visita de um dos remanescentes do confronto. E ela ajuda a marcar o Episódio dos Mucker. Um fato histórico que se mantém vivo na memória coletiva.

Veja também...
Caminhos de Jacobina em Sapiranga

1 comentários:

Leonardo Brocker disse...

Os Mortos no Massacre Final

O confronto durou dez minutos.
Apenas um soldo foi morto pelos disparos dos Mucker.
Dois oficiais, doze soldados e três colonos ficaram feridos.
Todos os dezessete membros da seita de Jacobina morreram.

Às 9h da manhã de 02/08/1874, foi feito o exame de corpo de delito.
André Ries serviu como escrivão.
O Major João Schmitt e o Capitão Lúcio Schreiner foram os peritos.
João Schmitt era presidente da Câmara Municipal de São Leopoldo.
Lúcio Schreiner era primo de Jacobina Mentz Maurer.

Relação dos Muckers mortos:
# Ana Maria Hofstätter - baleada no peito;
# Carlos Maurer - degolado;
# Carlos Sehn - tiro e ferimentos de arma branca no abdômen;
# Catarina Arend - baleada no epigastro;
# Conrado Nöe - baleado no peito;
# Cristiano Karst - tiro e ferimento de arma branca no abdômen;
# Henrique Nöe - degolado e baleado no peito;
# Jacobina Mentz Maurer - tiro na fronte e facada na face;
# Jacó Maurer - ferimento de arma branca no peito;
# Jacó Sehn - baleado no peito;
# João Nöe - baleado no peito;
# João Sehn - baleado no peito;
# Martinho Sehn - baleado na cabeça;
# Nicolau Barth - ferimentos de arma branca na cabeça;
# Nicolau Schnell - baleado no abdômen e no esterno;
# Rodolfo Sehn - 2 tiros no abdômen e 2 tiros no tórax;
# Valentin Vasun - 2 tiros e ferimentos de arma branca na cabeça.

Duas mulheres sobreviveram ao ataque.
Porém, preferiram morrer à entregar-se vivas para os captores.
Foram Ana Maria Hofstätter e Catarina Arend.
Ana Maria era empregada de Jacobina Mentz Maurer.


Fonte: "Jacobina Maurer", Elma Sant'Ana.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design