terça-feira, 17 de março de 2015

Elis Regina: 70 Anos de Nascimento [1945 - 2015]

A cantora Elis Regina Carvalho Costa nasceu em Porto Alegre, em 17 de março de 1945. Portanto, há 70 anos. Faleceu aos 36 anos de idade, em São Paulo, em 19 de janeiro de 1982. E deixou uma lacuna, que dificilmente, na MPB. Elis Regina reunia características únicas.

Elis Regina: cantora com forte presença de  palco e voz poderosa, com emoção
Elis Regina: cantora com forte presença de
palco e voz poderosa, com emoção.


Início da Carreira e Características
Elis Regina nasceu no Hospital da Beneficência Portuguesa, em Porto Alegre. Filha de Romeu Costa e de Ercy Carvalho, Elis criou-se num apartamento na Vila do IAPI. Iniciou a carreira, na Rádio Farroupilha, aos 11 anos de idade. Em 1961, mudou-se para o Rio de Janeiro e gravou o primeiro disco.

Retornou na sequência para Porto Alegre, ficando na cidade até 1964. E partiu para São Paulo. Lá, começou a apresentar o programa O Fino da Bossa, com Jair Rodrigues. Eles lançaram três discos. “Dois na Bossa” foi o primeiro disco brasileiro a vender mais de um milhão de cópias.


Elis ficou conhecida pela forte presença de palco, pela voz poderosa e carregada de emoção e pela personalidade ácida. Talvez sua característica mais marcante fosse a rápida labilidade emocional. Por vezes, Elis Regina alternava do choro à gargalhada em uma mesma música.


Consagração e Divulgação de Novos Talentos
A consagração veio no Festival da TV Excelsior em 1965. Ali interpretou "Arrastão", de Vinicius de Moraes e Edu Lobo. A interpretação dramatizada, por influência das cantoras do rádio, criou um estilo único nas apresentações ao vivo. Na ocasião, Elis Regina foi a grande revelação.

Em 1966, Elis lançou o primeiro disco independente produzido no Brasil. Em 1967, casou-se com Ronaldo Bôscoli, diretor do Fino da Bossa. Eles tiveram um filho, João Marcelo Bôscoli. E em 1968, Elis excursionou pela Europa, destacando-se em apresentações no Olympia de Paris.

Elis Regina ajudou a divulgar diversos compositores em início de carreira. Este foi o caso de Milton Nascimento, Ivan Lins, Renato Teixeira, Aldir Blanc, João Bosco. Em alguns casos suas gravações são consideradas definitivas: "Madalena", "O Bêbado e a Equilibrista", "Como Nossos Pais".


Parcerias e Shows Marcantes de Elis Regina 
Elis também desenvolveu fortes parcerias com Jair Rodrigues, Tom Jobim, Rita Lee, Adoniran Barbosa, Chico Buarque. Do seu casamento com pianista César Camargo Mariano, vieram Pedro Mariano e Maria Rita. Mariano ainda deu novas roupagens a diversas músicas antigas.

Em 1974, gravou, nos EUA, o disco “Elis & Tom”, com Tom Jobim.

O espetáculo Falso Brilhante, de 1975, obteve enorme sucesso. Em pouco mais de um ano, realizou mais de 300 apresentações. Foi um marco. Em 1978, Transversal do Tempo também alcançou sucesso. Depois vieram Essa Mulher (1979), Saudades do Brasil (1980) e Trem Azul (1981).

Elis Regina criticou o Regime Militar, seja em declarações, seja em canções. E uma delas merece destaque. A canção “O Bêbado e A Equilibrista”, de João Bosco e Aldir Blanc tornou-se o hino da anistia. A cantora morreu, em 1982, em decorrência de uma overdose de cocaína e bebidas alcoólicas.

"Cara feia pra mim é bode... Sou mais ardida que pimenta!"
"Sempre vou viver como camicase. É isso que me faz ficar de pé".

7 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ ARRASTÃO (Edu Lobo e Vinicius de Moraes) +++

"Arrastão" tornou Elis Regina nacionalmente conhecida.
Ela conquistou o primeiro lugar no 1º Festival da TV Excelsior.
A apresentação ocorreu em 6 de abril de 1965.
No Teatro Astoria, no Rio de Janeiro.
Elis conquistou o Brasil ao mover os braços como hélices.
Aprendeu a postura cênica no Beco das Garrafas.
Com o amigo Lennie Dale.
Elis Regina gravou "Arrastão" em um compacto.

Fonte: Jornal Zero Hora
'Conheça oito músicas que estão na cinebiografia "Elis"'

Leonardo Brocker disse...

+++ CINEMA OLYMPIA (Caetano Veloso) +++

Faz parte do disco Ela (1971).
O filme mostra a gravação dessa faixa pulsante.
Ela representa um momento de reciclagem no repertório de Elis.
Com destaque para a guitarra de Toninho Horta.
Elis atendeu à sugestão de Nelson Motta, produtor do álbum.
Como inspiração, ele mostrou uma gravação de Gal Costa.
No caso, a música "Divino maravilhoso" do disco de 1969.
A baiana também já gravara "Cinema Olympia".

Fonte: Jornal Zero Hora
'Conheça oito músicas que estão na cinebiografia "Elis"'

Leonardo Brocker disse...

+++ ATRÁS DA PORTA (Chico Buarque e Francis Hime) +++

A canção de fala de um relacionamento que acaba dolorosamente.
Como o de Elis Regina e Ronaldo Bôscoli.
Eles romperam o casamento naquele ano de 1972.
Quando a cantora gravou a música no disco Elis.
O novo companheiro passava a ser César Camargo Mariano.
No estúdio e na vida.
O pianista foi o responsável pelos arranjos do disco.
E por uma nova guinada na carreira da artista.

Fonte: Jornal Zero Hora
'Conheça oito músicas que estão na cinebiografia "Elis"'

Leonardo Brocker disse...

+++ CABARÉ (João Bosco e Aldir Blanc) +++

Elis gravou a música no disco homônimo de 1973.
No filme, a cantora a interpreta sob vaias no festival Phono 73.
O festival ocorreu em maio daquele ano, em São Paulo.
Com artistas da gravadora Phonogram.
Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso.
Jorge Ben, Raul Seixas e Os Mutantes, entre outros.
Os protestos vieram por parte da plateia.
Afinal, Elis apresentou-se em 1972 nas Olimpíadas do Exército.

Fonte: Jornal Zero Hora
'Conheça oito músicas que estão na cinebiografia "Elis"'

Leonardo Brocker disse...

+++ COMO NOSSO PAIS / VELHA ROUPA COLORIDA / FASCINAÇÃO +++

Três canções do disco Falso brilhante (1976).
Este foi também nome de um antológico espetáculo.
Que Elis apresentou entre 1975 e 1977.

As duas primeiras são de Belchior.
O compositor gravou no clássico LP Alucinação (1976).
"Como nossos pais" abre o filme.
E "Velha roupa colorida" acompanha os créditos finais.

"Fascinação" surge na trama num momento de volta por cima de Elis.
A valsa é uma adaptação de Armando Louzada.
Para uma música italiana do começo do século 20.

Fonte: Jornal Zero Hora
Conheça oito músicas que estão na cinebiografia "Elis"'

Leonardo Brocker disse...

+++ O BÊBADO E A EQUILIBRISTA (João Bosco e Aldir Blanc) +++

Um dos maiores sucessos na voz de Elis.
A faixa de fala de um Brasil:
"Que sonha com a volta/ Do irmão do Henfil/
Com tanta gente que partiu/ Num rabo de foguete".

O sociólogo Betinho, então exilado, é o irmão do Henfil citado.

O longa mostra a gravação da música para o disco "Essa mulher" (1979).
A música marcou a reaproximação de Elis com Henfil.
Henfil criticou a cantora, inclusive com uma charge no Pasquim.
A razão foi a apresentação dela para o Exército em 1972.

Fonte: Jornal Zero Hora
Conheça oito músicas que estão na cinebiografia "Elis"'

Leonardo Brocker disse...

+++ Hospital Beneficência Portuguesa +++

A Sociedade Beneficente da Colônia Portuguesa surgiu em 1845.
E buscava tratar os doentes portugueses de Porto Alegre.
A construção do Hospital Beneficência Portuguesa iniciou em 1867.
Graças às doações da comunidade, as obras seguiram com rapidez.
A inauguração do hospital ocorreu, assim, em 1870.

O engenheiro Frederico Heydtmann projetou o prédio.
E o litógrafo Inácio Weingärtner desenhou a fachada.
De uma construção com características ecléticas.
Influência da arquitetura colonial portuguesa.

Vemos os escudos do Reino de Portugal e do Império do Brasil.
Os relevos marcam o acesso principal, encimados de uma coroa.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design