sábado, 5 de julho de 2014

Prefeitura Municipal de Porto Alegre

A História
No século XIX, durante o Brasil Imperial, Porto Alegre era governada pela Câmara Municipal. Após a Proclamação da República (1889) foi criado o cargo de intendente. Em 1934, os intendentes passaram a ser chamados prefeitos.

Fonte Tavalera de La Reina, em frente à Prefeitura Municipal de Porto Alegre.
Fonte Tavalera de La Reina, em frente
à Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

O Paço Municipal foi construído para ser a sede da Intendência. A construção iniciou em 1898, projetada por João Carrara Colfosco. Em 1901, o Palácio foi inauguradodurante o governo do Intendente José Montaury. José Montaury foi eleito pelo Partido Republicano de Júlio de Castilhos.

Em 1973, nas comemorações do bicentenário da elevação de Porto Alegre à sede da Capitania de São Pedro do Rio Grande, o Palácio passou a se chamar Paço dos Açorianos. Uma homenagem aos imigrantes que originaram a cidade.

Intendência Municipal - Acervo Fotográfico do Museu de Porto Alegre
Intendência Municipal - Acervo Fotográfico
do Museu de Porto Alegre

Em 1979, o prédio foi tombado como patrimônio cultural do município. E em 2003, foram concluídas as obras de restauração. Estas obras restabeleceram as características do edifício original. Estruturas foram revitalizadas e espaços descobertos, durante esse processo.


O Prédio
O prédio da Intendência Municipal foi projetado pelo arquiteto italiano João Antônio Carrara Colfosco. A edificação foi concebida em estilo eclético, que caracterizou a arquitetura de Porto Alegre no início do século XX.

Doca do Carvão (1890) - Área da Intendência Municipal - Acervo Fotográfico do Museu de Porto Alegre
Doca do Carvão: Área da Intendência Municipal

O prédio da Intendência Municipal ocupou um quarteirão onde antes ficava a Doca do Carvão, que foi aterrada. A edificação possui estrutura simétrica, com elementos de arquitetura clássica em suas quatro fachadas.

A arquitetura é marcada pela presença do positivismo. A doutrina filosófica francesa influenciou a sociedade gaúcha após a Proclamação da República. E propunha os princípios da ciência, do progresso econômico e da ordem social.

A composição da fachada principal caracteriza-se pelos dois volumes laterais e pelo volume central. As escadarias são guarnecidas por leões, em mármore de Carrara. Os leões representam o Poder e a Força.

As esculturas que ornamentam a fachada do prédio representam a Economia, a Política e a Educação. No interior, há figuras artísticas francesas de bronze. As esculturas, quadros e vitrais vieram da França, em 1869.

Em frente à Prefeitura Municipal, encontra-se a Fonte Talavera de La Reina, com azulejos mouriscos, o marco zero da capital gaúcha. A prefeitura e a fonte ficam na Praça Montevidéu, no centro de Porto Alegre.

Dica
Descubra quais estátuas nas torres laterais representam História, Liberdade, Democracia, Ciência, Indústria, Agricultura e Comércio.

12 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Prefeitura Municipal de Porto Alegre +++

Um dos pontos mais importantes e bonitos da cidade.
No interior, há esculturas, quadros e vitrais vindos da França, em 1869.
A arquitetura inspirou-se no positivismo.
Este marcou forte presença na época da construção do prédio.
Na fachada, destacam-se as estátuas da justiça e da liberdade.

À frente, ficam a Fonte Talavera de La Reina e os leões.
Estes representam força e poder no marco zero da capital gaúcha.

Visitas guiadas são oferecidas mediante agendamento.

Imperdível: observar os contrastes e a história viva desta construção.

Adaptado de Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Leonardo Brocker disse...

+++ Paço Municipal +++

A arquitetura de influência neoclássica e as esculturas na fachada.
Todos os traços do prédio mostram a forte presença do positivismo.
A doutrina filosófica francesa influenciou a sociedade gaúcha.
Ao menos, no período após a Proclamação da República, em 1889.
Foi justo naquela época que Luís Carrara Colfosco elaborou o projeto.
E em 1901, inaugurou-se o prédio que sedia a Prefeitura Municipal.

Em frente, fica a Fonte Tavalera de La Reina.
O chafariz de azulejos espanhóis foi um presente.
A comunidade espanhola de Porto Alegre ofereceu-o em 1935.
Na ocasião, o RS comemorava o centenário da Revolução Farroupilha.

Adaptado do Centro de Informações Turísticas de Porto Alegre.

Leonardo Brocker disse...

+++ Fonte Talavera de la Reina +++

A Fonte Talavera, em cerâmica, fica na Praça Montevidéu.
Em frente ao Paço dos Açorianos.
A colônia espanhola do RS doou a fonte, em 1935.
Na comemoração do centenário da Revolução Farroupilha.
O artista Juan Ruiz de Luna concebeu a fonte.
Na cidade de Tavalera de La Reina, na Espanha.

Curiosidade: a fonte determina o marco zero de Porto Alegre.
Capital de um estado cuja fonte fundadora foi as missões espanholas.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Arquitetura Chalé da Praça XV +++

A inauguração ocorreu no fim do século XIX.
E em 1911, substituiu-se o chalé original.
O antigo prédio deu lugar a um de estilo eclético.
Com traços da arquitetura pitoresca.
Em telhados recortados com amplos beirais.
E proteção por lambrequins de madeira.

As estruturas inglesas são de ferro fundido.
E os gradis com motivos florais.
Típicos do estilo art-nouveau.
Os vidros vieram da Argentina.

O chalé ainda mantém o uso original.
Em 1998, o patrimônio cultural de Porto Alegre tombou o prédio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Fonte do Chalé da Praça XV +++

Ainda no século XIX, instalou-se uma fonte.
A estrutura em ferro fundido veio da França.
E ficava junto ao Chalé da Praça XV.
Em 1942, deslocou-se a fonte para a Redenção.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado Público: O Prédio Original +++

O arquiteto Friedrich Heydtmann projetou o prédio.
A inauguração ocorreu em 1869.
Junto às docas das embarcações que abasteciam Porto Alegre.
Na época, era a maior obra arquitetônica da cidade.

Originalmente, ele tinha apenas um pavimento.
Um prédio térreo plano, com planta em forma de quadrado.
Uma torre em cada vértice uma das quatro esquinas.
E um portão de ferro em cada lado.

Possuía 72 bancas internas e 80 externas.
Para o comércio de todo o tipo de gêneros.
Que chegavam à doca ao do Mercado, na atual Praça Parobé.
Ali, atracavam vários tipos de embarcações à vela.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado Público: Modificações no Prédio +++

A ampliação do Mercado Público ocorreu em 1912 e 1913.
Com a construção do segundo pavimento.
A ideia era a harmonia com o prédio da Intendência, ao lado.

O prédio sofreu quatro incêndios: 1912, 1973, 1979 e 2013.
E passou por várias intervenções após a construção do segundo piso.
Em 1979, o patrimônio cultural da cidade tombou o prédio.

Em 1997, concluiu-se um amplo processo de recuperação.
Com transformações físicas significativas no prédio.
Isso conferiu a feição atual, com nos espaços de covivência.
Escadas rolantes e cobertura com estrutura metálica e vidros.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Paço dos Açorianos +++

A construção da sede do poder executivo municipal iniciou em 1898.
Sobre a área de aterro da antiga Doca do Carvão.
O arquiteto italiano João Antônio Carrara Colfosco projetou o prédio.
Com características estilo ecléticas e influência positivista.

Foi a primeira edificação positivista de Porto Alegre.
E inaugurou um período de construções monumentais na cidade.
Elas aconteceram nas duas primeiras décadas do século XX.

José Montaury inaugurou a nova Intendência Municipal, em 1901.
No interior, destacam-se os vitrais de Joseph Wollmann.
Eles se encontram nas janelas que abrem para a escadaria principal.
Há ainda as pinturas de Carlos Scliar no Salão Nobre.

Em 1973, o prédio recebeu o nome de Paço dos Açorianos.
Uma homenagem aos imigrantes que fundaram a cidade.
Em 1979, é tombado como patrimônio cultural de Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Esculturas Originais da Prefeitura +++

Destacam-se as alegorias da Justiça e da República.
Estão na parte central da platibanda, em torno da torre.
Nesta, há um relógio central ladeado por dois bustos.
José Bonifácio, à esquerda, e Deodoro da Fonseca, à direita.

A alegoria da República possui um detalhe quase imperceptível.
O vestido dela esconde um misterioso gato.
É uma derivação da alegoria da Liberdade.
Esta aparece acompanhada de um gato.
Um animal doméstico que não suporta viver preso.

Ainda na fachada, há outros grupos de esculturas.
Eles se encontram em cada extremidade da platibanda.
Junto à Rua Uruguai: Agricultura, Comércio e Indústria.
Junto à Avenida Borges de Medeiros: Ciência e História.
Além de Democracia e Liberdade.

Fonte: “Viva o Centro a Pé, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Esculturas Acrescidas à Prefeitura +++

Algumas esculturas são posteriores à inauguração do prédio.
É o caso dos quatro leões que guarnecem as escadarias laterais.
As esculturas, em mármore de Carrara, vieram da Itália.
A instalação dos quatro leões ocorreu em 1911.
São joias da arte industrial dos canteiros de Toscana.

Em 1909, o prefeito José Montaury fez uma encomenda.
As efígies de Júlio de Castilhos e Borges de Medeiros.
A elaboração ficou a cargo do Instituto Técnico-Profissional.
Na Seção de Modelagem.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Praça Montevidéu +++

Largo diante do Paço Municipal de Porto Alegre.
A primeira obra que o governo positivista concluiu na capital.
Talvez por isso, tornou-se palco das manifestações públicas.
Ao invés da Praça da Matriz, como se poderia esperar.
Afinal, nesta praça estão as sedes dos poderes estaduais.

A Praça Montevidéu abriga a Fonte Talavera de La Reina.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Duas Primeiras Linhas de Bonde +++

A Cia Carris de Ferro iniciou as operações em 1874.
Os bondes funcionavam por tração animal.
E as duas linhas tinham como destino o Menino Deus.

Uma delas saía da Praça da Matriz.
E passava pela Várzea, hoje Parque Farroupilha.
Outra linha saía do Mercado Público.
E passava pela Rua da Margem, atual João Alfredo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design