segunda-feira, 30 de junho de 2014

Redenção e Auditório Araújo Vianna

Deixei o Parque dos Açorianos com destino à Redenção. Nela destacam-se o brique, o Monumento aos Expedicionários e o Auditório Araújo Vianna. Já na Rua José Bonifácio, o grande destaque é o Colégio Militar de Porto Alegre.

Monumento ao Expedicionário, na Redenção, em Porto Alegre
Monumento ao Expedicionário, na Redenção

Continuação de...
Ponte de Pedra e Monumento aos Açorianos

Após fotografar o Monumento aos Açorianos, segui ao Parque da Redenção. No caminho, eu passei pela Avenida Independência, onde há três pontos de interesse. Estacionei o carro junto à Santa Casa e segui a pé.


Igreja da Conceição e Beneficência Portuguesa

A primeira atração é a Igreja da Conceição. Construída em 1880, em estilo barroco tardio, a igreja abriga uma imagem de São Francisco. São Francisco foi o primeiro padroeiro da cidade de Porto Alegre.

Gaiteiro de Metal, Brique da Redenção, em Porto Alegre
Gaiteiro de Metal, Brique da Redenção

À direita da Igreja da Conceição, fica o Hospital da Beneficência Portuguesa. Este é o mais antigo hospital da cidade. Junto ao hospital funciona o Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul.


Casa Firmino Torelly e Redenção

Do outro lado da Avenida Independência, fica o Colégio Rosário. Atravesse a avenida e caminhe em direção à Rua Barros Cassal. Poucos metros à frente, fica a Casa Firmino Torelly, em estilo neo-renascentista.

Mercado do Bom Fim, na Redenção, em Porto Alegre
Mercado do Bom Fim, na Redenção

Após a caminhada pela Avenida Independência, segui para a Redenção. Meu carro ficou estacionado, nos fundos do Colégio Militar. Provavelmente por isto, este foi o primeiro local que fotografei na região da Redenção.


Colégio Militar e Brique da Redenção

Apelidado de “Colégio dos Presidentes”, o Colégio Militar de Porto Alegre é uma das escolas militares mais importantes do país. Nele, estudaram os presidentes Costa e Silva, Médici e Geisel. E o poeta gaúcho Mario Quintana.

O Brique da Redenção ocorre aos domingos, em Porto Alegre
O Brique da Redenção ocorre aos domingos

O Colégio Militar fica na Avenida José Bonifácio, onde, todo domingo, ocorre a Feira do Brique da Redenção. A feira reúne artesãos, antiquários e artistas plásticos que expões seus produtos em barracas coloridas.




Monumento ao Expedicionário, Igreja e Mercado

Ao atravessar a avenida e entrar no Parque da Redenção, você verá, à esquerda, o Monumento ao Expedicionário. Em granito, esta homenagem à Força Expedicionária Brasileira fica na altura da Avenida Santana.

Igreja do Santíssimo, na Avenida José Bonifácio, em Porto Alegre
Igreja do Santíssimo, na Avenida
José Bonifácio, em Porto Alegre

Retornando pela Avenida José Bonifácio em direção à Avenida Osvaldo Aranha, há a Igreja do Santíssimo, à sua direita. À Esquerda, na esquina com a Avenida Osvaldo Aranha, o Mercado do Bom Fim.


Auditório Araújo Vianna

Segui pela Avenida Osvaldo Aranha, em direção ao Campus da UFRGS. Mais ou menos no meio do caminho, fica o Auditório Araújo Vianna. O auditório deve seu nome ao pianista e compositor gaúcho José de Araújo Vianna.

Auditório Araújo Vianna, na Redenção, em Porto Alegre
Auditório Araújo Vianna, na Redenção

Os porto-alegrenses têm uma relação afetuosa com o Auditório Araújo Vianna. Ali, assisti a shows de grandes nomes da música. Dentre eles, João Gilberto, João Bosco, Ed Motta, Elba Ramalho, Lobão, Maria Rita, Fito Paez.

O relato segue com...
Campus Central da UFRGS e Instituto de Educação

16 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Brique da Redenção +++

O Parque Farroupilha é uma grande área verde.
Fica próximo ao centro da cidade.
Carinhosamente, é chamado de Redenção.
E reúne inúmeros atrativos:
+ "Parquinho da Redenção" (parque de diversões);
+ Mercado Bom Fim;
+ Quadras esportivas;
+ Minizôo;
+ Café do Lago.

O parque é ponto de encontro tradicional.
Em especial, aos domingos, no dia do Brique.
O brique é uma feira de antiguidades e artesanato.
As pessoas tomam conta da rua e dos gramados do parque.
E ali, conversam e tomam chimarrão.

O parque é um espaço aberto para manifestações culturais.

Imperdível: o Brique e a expressividade cultural do entorno.

Adaptado de Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Leonardo Brocker disse...

+++ Campus da UFRGS +++

Em 1947, a instituição passou a se denominar UFRGS.
A saber: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
E incorporou o importante patrimônio de antigas faculdades:
+ Escolas de Farmácia e Química (1895);
+ Escola de Engenharia (1896);
+ Faculdade de Medicina (1898);
+ Faculdade de Direito (1900).

Igualmente significativo é o conjunto de edificações.
São construções do fim do século XIX e início do sáculo XX.
E representam os estilos eclético e art-nouveau.
Eles compõem o Campus do Centro da UFRGS:
+ Antigo Parobé;
+ Castelinho e Chateau;
+ Faculdade de Direito e Faculdade de Medicina;
+ Instituto Eletrotécnico e Instituto de Química;
+ Museu da UFRGS (antigos curtumes e tanantes);
+ Observatório Astronômico;
+ Rádio da Universidade.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, publicação da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ricos e Pobres no Centro do Século XIX +++

A Rua João Manoel era uma divisora de territórios.
Dali até a Volta do Gasômetro ficava a população mais pobre.
Da Rua João Manoel até a Santa Casa, os mais ricos.

Apolinário Porto Alegre ilustra isso no conto “Mandinga” (1867).
Os bagadus representavam os desvalidos de sorte.
E os tinteiros, as crianças que sabiam ler e escrever.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Becos e Ruas da Antiga Porto Alegre +++

Inicialmente, os becos tinham o nome dos moradores.
De peculiaridades do terreno.
Ou das atividades que ali se realizavam:
+ Beco da Ópera (atual Rua Uruguai);
+ Beco do Barbosa (Rua Barros Cassal);
+ Beco do Oitavo (Rua André da Rocha);
+ Beco do Bota Bica (Rua General Portinho);
+ Beco do Poço (Avenida Borges de Medeiros);
+ Beco dos Guaranis (Rua General Vasco Alves);
+ Caminho da Azenha (Avenida João Pessoa);
+ Caminho Novo (Rua Voluntários da Pátria);
+ Rua Clara (Rua João Manoel);
+ Rua da Figueira (Rua Coronel Genuíno);
+ Rua da Ladeira (Rua General Câmara);
+ Rua da Margem do Riacho (Rua João Alfredo);
+ Rua da Olaria (Rua General Lima e Silva);
+ Rua da Passagem (Rua General Salustiano);
+ Rua da Varzinha (Rua Demétrio Ribeiro);
+ Rua de Bragança (Rua Marechal Floriano);
+ Rua do Arvoredo (Rua Fernando Machado).

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ruas de Porto Alegre com Mais de Um Nome +++

+ 24 de Outubro: Caminho dos Anjos;
+ 24 de Outubro: Estrada da Aldeia;
+ 24 de Outubro: Estrada dos Moinhos de Vento;
+ Andradas: Rua da Graça ou Rua da Praia;
+ Caldas Jr: Beco do Inácio, Beco do Quebra Costas ou Beco do Fanha;
+ Duque de Caxias: Rua Formosa, Rua da Igreja ou Rua do Hospital;
+ General Bento Martins: Beco do Jogo de Bola;
+ General Bento Martins: Beco dos Nabos a Doze;
+ General Bento Martins: Beco dos Pecados Mortais;
+ General Canabarro: Beco do Pedro Mandinga ou Rua Direita;
+ Independência: Caminho dos Anjos;
+ Independência: Estrada da Aldeia;
+ Independência: Estrada dos Moinhos de Vento;
+ Riachuelo: Rua da Ponte ou Rua do Cotovelo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ponte de Pedra +++

Visconde de São Leopoldo construiu a ponte, em 1825.
E contou com o apoio de moradores.
Na época, a ponte era de madeira.
E atravessava o Arroio Dilúvio, na foz, junto ao Guaíba.
A população tratava-a como a ponte do Chico da Azenha.

Em 1846, iniciou a construção da ponte de pedra.
Logo após o término da Revolução Farroupilha.
Na época, retomou-se o desenvolvimento da Rua da Margem.
Que não ultrapassava os limites das fortificações.
Nas imediações do cruzamento da República com João Alfredo.

Em 1848, entregou-se à população a ponte de pedra.
A necessidade veio dos repetidos danos à ponte de madeira.
E às reconstruções que marcaram a curta história da ponte inicial.
A ponte de pedra facilitou a expansão da cidade para a zona sul.

Em 1979, a Prefeitura tombou-a patrimônio de Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Duas Primeiras Linhas de Bonde +++

A Cia Carris de Ferro iniciou as operações em 1874.
Os bondes funcionavam por tração animal.
E as duas linhas tinham como destino o Menino Deus.

Uma delas saía da Praça da Matriz.
E passava pela Várzea, hoje Parque Farroupilha.
Outra linha saía do Mercado Público.
E passava pela Rua da Margem, atual João Alfredo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Hospital Beneficência Portuguesa +++

A Sociedade Beneficente da Colônia Portuguesa surgiu em 1845.
E buscava tratar os doentes portugueses de Porto Alegre.
A construção do Hospital Beneficência Portuguesa iniciou em 1867.
Graças às doações da comunidade, as obras seguiram com rapidez.
A inauguração do hospital ocorreu, assim, em 1870.

O engenheiro Frederico Heydtmann projetou o prédio.
E o litógrafo Inácio Weingärtner desenhou a fachada.
De uma construção com características ecléticas.
Influência da arquitetura colonial portuguesa.

Vemos os escudos do Reino de Portugal e do Império do Brasil.
Os relevos marcam o acesso principal, encimados de uma coroa.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Igreja da Conceição de Porto Alegre +++

Dom João IV era devoto de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.
E em 1646, o rei oficializou a devoção em todo o reino português.
Os primeiros açorianos que aqui chegaram trouxeram essa fé.
E criaram a Irmandade de Nossa Senhora da Conceição, em 1779.
A Igreja Nossa Senhora da Conceição é uma das mais antigas.
A construção do templo iniciou em 1851.
A solene inauguração ocorreu em 1858.
Porém a conclusão da construção só se deu em 1880.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Exterior da Igreja da Conceição +++

Na década de 1960, demoliram a antiga Igreja do Rosário.
Assim, a Igreja da Conceição tornou-se um tempo único.
O único exemplar de Porto Alegre com características barrocas.

A edificação é bastante simples, com superfícies planas.
E a marcação pouco expressiva de pilastras.
Estas não possuem capitéis no trecho mais baixo.

Em 2007, o município tombou o prédio patrimônio histórico e cultural.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Torres da Igreja da Conceição +++

Nas laterais, há duas torres.
Com cobertura em forma de bulbo.
As divisões das torres se coordenam.
Com as duas faixas do corpo central.
E na altura do frontão, as torres têm uma terceira divisão.
Ali, observam-se as aberturas para os sinos.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Interior da Igreja da Conceição +++

A sobriedade revela influências do neoclassicismo.
A planta segue a tradição das igrejas coloniais.
Com salão, capela-mor e altar.
Como sequência decrescente de volumes retangulares.

A decoração interna contrasta com o exterior da igreja.
Pois João do Couto e Silva dotou a nave de abóboda de berço.
Assim como, quatro altares, púlpito, coro e arco cruzeiro.
Todos eles de elaborada talha de madeira.
Sem a unidade, porém, da Igreja das Dores.

A capela-mor destaca-se pelo altar principal.
Ela replica em escala menor o arco cruzeiro.
O primeiro tem colunas coríntias.
O segundo, pilastras compósitas com caneluras no fuste.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Deslocamento das Elites de Porto Alegre +++

No início da década de 1920, as elites deixam o Centro.
As residências deslocam-se gradualmente.
Deixam as áreas mais altas e sãs da Rua Duque de Caxias.
E seguem em direção à Avenida Independência.
E ao futuro bairro Moinhos de Vento.
Ali, surgiam a Hidráulica e a Praça Júlio de Castilhos.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Parque da Redenção +++

É o mais antigo parque de Porto Alegre.
E também um dos maiores do Brasil.

Em 1997, o Município tombou o parque.

A Redenção, hoje, abriga inúmeros monumentos.
Um orquidário e o lago com pedalinhos.
Parque de diversões e quadras esportivas.
E o Auditório Araújo Vianna.

Leonardo Brocker disse...

+++ História do Parque Farroupilha +++

O local servia para guardar o gado que vinha do interior.
E que se venderia, posteriormente, na cidade.

O primeiro ajardinamento da área ocorreu em 1901.
Para a Grande Exposição daquele ano.
Na ocasião, construíram também os locais para touradas.
E para as corridas de cavalos e de bicicletas.

Em 1914, surgiram os novos jardins.
Em 1930, saneou-se a área, antes pantanosa.
Construiu-se, então, o grande lago.

Em 1935, recebeu a Exposição Comemorativa.
Ao Centenário da Revolução Farroupilha.
Na ocasião, recebeu a denominação atual.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Brique da Redenção +++

Em 1982, começou a funcionar o “Brique da Redenção”.
Uma feira que se tornou tradional.
E acontece aos domingos na Avenida José Bonifácio.
Junto ao Parque Farroupilha.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design