sexta-feira, 27 de junho de 2014

Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Mercado Público e Chalé da Praça XV

Aproveitei a manhã do domingo de Páscoa para circular pelo Centro Histórico de Porto Alegre. Iniciei a caminhada pela região da Prefeitura Municipal, onde ficam o Mercado Público e o Chalé da Praça XV.

Prefeitura Municipal de Porto Alegre
Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Para quem procura fotografar os prédios da região central, a escolha do domingo é um tanto óbvia. Neste dias, a circulação, de carros e pessoas, é menor. Com isso, você consegue isolar o prédio desejado ao fotografá-lo.


Palácio do Comércio

Cheguei ao centro por volta das 8h. Deixei o carro próximo à Prefeitura Municipal e iniciei a caminhada. Meu primeiro alvo foi o prédio do Palácio do Comércio. Ele fica ao lado da Estação Mercado do trem.

Palácio do Comércio: ao lado da Estação Mercado do Trensurb, em Porto Alegre.
Palácio do Comércio: ao lado da Estação
Mercado do Trensurb, em Porto Alegre.

Atualmente, o Palácio do Comércio abriga a Federasul. Em janeiro de 2013, fiz dois cursos de mídias sociais em uma de suas salas. Eles contemplavam Facebook, Twitter e YouTube com foco em publicidade.


Chalé da Praça XV

Limitei-me a fotografar a fachada do Palácio do Comércio. Então, cruzei o terminal de ônibus, em direção à Praça XV de Novembro. O principal atrativo do local é um tradicional restaurante: o Chalé da Praça XV.

Chalé da Praça XV, em Porto Alegre: inaugurado no início do século XX.
Chalé da Praça XV: inaugurado no início do século XX.

Construído em estilo romântico normando e traços art-noveau, o Chalé da Praça XV foi fabricado em aço desmontável inglês. Inaugurado no início do século XX, o local era frequentado pela alta sociedade de Porto Alegre.


Mercado Público de Porto Alegre

O Chalé da Praça XV de Novembro fica em frente ao Mercado Público. Este começou a ser construído em 1864, sendo concluído em 1869. Entre 1910 e 1913, o prédio foi reformado e ampliado, ganhando um segundo piso.

Praça XV de Novembro, em Porto Alegre. Com o famoso Chalé, visto ao fundo, à esquerda.
Praça XV de Novembro, com o seu famoso
Chalé, visto ao fundo, à esquerda.

O Mercado Público é ponto mais tradicional de comércio em Porto Alegre. Centenas de pessoas circulam por ele diariamente em busca de alimentos naturais, carnes e produtos de couro. Seus sorvetes também são famosos.

Mercado Público de Porto Alegre: construído entre 1861 e 1864.
Mercado Público de Porto Alegre:
construído entre 1861 e 1864.

Em julho de 2013, o Mercado Público foi tomado por um incêndio. As imagens do Mercado tomado pelo fogo geraram grande comoção popular. O local ficou mais de um mês fechado para restauração.


Prefeitura Municipal e Fonte Tavalera

Ao lado do Mercado Público fica a Prefeitura Municipal de Porto Alegre. O projeto foi feito em 1893, em estilo neoclássico. A construção, iniciada em 1898, foi concluída em 1901, sendo chamada de “Paço dos Açorianos”.

Praça Montevidéu: Fonte Tavalera de La Reina e Prefeitura Municipal de Porto Alegre.
Praça Montevidéu: Fonte Tavalera de La Reina
e Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

A Praça Montevidéu abriga, não só a Prefeitura Municipal, mas também a Fonte Talavera de La Reina. O chafariz, doado em 1935, em comemoração ao centenário da Revolução Farroupilha, é o marco zero da cidade.

Fonte Tavalera de La Reina: marco zero de Porto Alegre
Fonte Tavalera de La Reina:
marco zero de Porto Alegre

Deixei a área da Prefeitura e segui até a Praça da Matriz, local pelo qual passara na véspera. Aproveitei para fotografar novamente o Theatro São Pedro, pois o tempo nublado do dia anterior prejudicara as imagens.

O relato segue com...
Ponte e Monumento aos Açorianos, em Porto Alegre

18 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado Público Central +++

Prédio erguido, em 1869, sobre o primeiro aterro da cidade.
Na segunda década do século XX, recebeu o segundo pavimento.
Hoje, agriga mais de cem loja que oferecem artigos diversos.
Especiarias, hortigranjeiros, carnes, peixes.
E bebidas, como cachaças e vinhos.
É o local para adquirir artigos religiosos e artesanato regional.
E produtos gaúchos típicos, como a erva mate, a cuia e a bomba de chimarrão.
Bons restaurantes, lanchonetes e sorveterias completam a oferta de serviços.

Dica:
Num dia quente, saboreie a salada de frutas com sorvete e nata na Banca 40.
Se a temperatura estiver baixa, esquente-se com o Café do Mercado, moído na hora.

Adaptado do Centro de Informações Turísticas de Porto Alegre.

Leonardo Brocker disse...

+++ Paço Municipal +++

A arquitetura de influência neoclássica e as esculturas na fachada.
Todos os traços do prédio mostram a forte presença do positivismo.
A doutrina filosófica francesa influenciou a sociedade gaúcha.
Ao menos, no período após a Proclamação da República, em 1889.
Foi justo naquela época que Luís Carrara Colfosco elaborou o projeto.
E em 1901, inaugurou-se o prédio que sedia a Prefeitura Municipal.

Em frente, fica a Fonte Tavalera de La Reina.
O chafariz de azulejos espanhóis foi um presente.
A comunidade espanhola de Porto Alegre ofereceu-o em 1935.
Na ocasião, o RS comemorava o centenário da Revolução Farroupilha.

Adaptado do Centro de Informações Turísticas de Porto Alegre.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Bará do Mercado Público de Porto Alegre +++

Conta-se que no cruzamento central do mercado há um Orixá.
Assentado, em forma de pedra, está o Orixá Bará.
A entidade abre os caminhos e guarda as casas e as cidades.
Bará representa o trabalho e a fartura.
A posição central da "Pedra de Bará" facilitaria as visitas.
E o culto, pelas religiões afro-brasileiras.
Os negros que construíram o prédio teriam assentado Bará.
Isso torna o local uma referência à cultura afrodescendente.

Adaptado do Centro de Informações Turísticas de Porto Alegre.

Leonardo Brocker disse...

+++ Arquitetura Chalé da Praça XV +++

A inauguração ocorreu no fim do século XIX.
E em 1911, substituiu-se o chalé original.
O antigo prédio deu lugar a um de estilo eclético.
Com traços da arquitetura pitoresca.
Em telhados recortados com amplos beirais.
E proteção por lambrequins de madeira.

As estruturas inglesas são de ferro fundido.
E os gradis com motivos florais.
Típicos do estilo art-nouveau.
Os vidros vieram da Argentina.

O chalé ainda mantém o uso original.
Em 1998, o patrimônio cultural de Porto Alegre tombou o prédio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Fonte do Chalé da Praça XV +++

Ainda no século XIX, instalou-se uma fonte.
A estrutura em ferro fundido veio da França.
E ficava junto ao Chalé da Praça XV.
Em 1942, deslocou-se a fonte para a Redenção.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Fonte Talavera de la Reina +++

A Fonte Talavera, em cerâmica, fica na Praça Montevidéu.
Em frente ao Paço dos Açorianos.
A colônia espanhola do RS doou a fonte, em 1935.
Na comemoração do centenário da Revolução Farroupilha.
O artista Juan Ruiz de Luna concebeu a fonte.
Na cidade de Tavalera de La Reina, na Espanha.

Curiosidade: a fonte determina o marco zero de Porto Alegre.
Capital de um estado cuja fonte fundadora foi as missões espanholas.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado Público: O Prédio Original +++

O arquiteto Friedrich Heydtmann projetou o prédio.
A inauguração ocorreu em 1869.
Junto às docas das embarcações que abasteciam Porto Alegre.
Na época, era a maior obra arquitetônica da cidade.

Originalmente, ele tinha apenas um pavimento.
Um prédio térreo plano, com planta em forma de quadrado.
Uma torre em cada vértice uma das quatro esquinas.
E um portão de ferro em cada lado.

Possuía 72 bancas internas e 80 externas.
Para o comércio de todo o tipo de gêneros.
Que chegavam à doca ao do Mercado, na atual Praça Parobé.
Ali, atracavam vários tipos de embarcações à vela.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mercado Público: Modificações no Prédio +++

A ampliação do Mercado Público ocorreu em 1912 e 1913.
Com a construção do segundo pavimento.
A ideia era a harmonia com o prédio da Intendência, ao lado.

O prédio sofreu quatro incêndios: 1912, 1973, 1979 e 2013.
E passou por várias intervenções após a construção do segundo piso.
Em 1979, o patrimônio cultural da cidade tombou o prédio.

Em 1997, concluiu-se um amplo processo de recuperação.
Com transformações físicas significativas no prédio.
Isso conferiu a feição atual, com nos espaços de covivência.
Escadas rolantes e cobertura com estrutura metálica e vidros.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Paço dos Açorianos +++

A construção da sede do poder executivo municipal iniciou em 1898.
Sobre a área de aterro da antiga Doca do Carvão.
O arquiteto italiano João Antônio Carrara Colfosco projetou o prédio.
Com características estilo ecléticas e influência positivista.

Foi a primeira edificação positivista de Porto Alegre.
E inaugurou um período de construções monumentais na cidade.
Elas aconteceram nas duas primeiras décadas do século XX.

José Montaury inaugurou a nova Intendência Municipal, em 1901.
No interior, destacam-se os vitrais de Joseph Wollmann.
Eles se encontram nas janelas que abrem para a escadaria principal.
Há ainda as pinturas de Carlos Scliar no Salão Nobre.

Em 1973, o prédio recebeu o nome de Paço dos Açorianos.
Uma homenagem aos imigrantes que fundaram a cidade.
Em 1979, é tombado como patrimônio cultural de Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Esculturas Originais da Prefeitura +++

Destacam-se as alegorias da Justiça e da República.
Estão na parte central da platibanda, em torno da torre.
Nesta, há um relógio central ladeado por dois bustos.
José Bonifácio, à esquerda, e Deodoro da Fonseca, à direita.

A alegoria da República possui um detalhe quase imperceptível.
O vestido dela esconde um misterioso gato.
É uma derivação da alegoria da Liberdade.
Esta aparece acompanhada de um gato.
Um animal doméstico que não suporta viver preso.

Ainda na fachada, há outros grupos de esculturas.
Eles se encontram em cada extremidade da platibanda.
Junto à Rua Uruguai: Agricultura, Comércio e Indústria.
Junto à Avenida Borges de Medeiros: Ciência e História.
Além de Democracia e Liberdade.

Fonte: “Viva o Centro a Pé, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Esculturas Acrescidas à Prefeitura +++

Algumas esculturas são posteriores à inauguração do prédio.
É o caso dos quatro leões que guarnecem as escadarias laterais.
As esculturas, em mármore de Carrara, vieram da Itália.
A instalação dos quatro leões ocorreu em 1911.
São joias da arte industrial dos canteiros de Toscana.

Em 1909, o prefeito José Montaury fez uma encomenda.
As efígies de Júlio de Castilhos e Borges de Medeiros.
A elaboração ficou a cargo do Instituto Técnico-Profissional.
Na Seção de Modelagem.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácio do Comércio +++

A entrada principal, na fachada sul, tem um pórtico.
Colunas de pedra rústica sustentam a marquise.
Esta corre em todo o entorno do edifício.
Em cada face, há uma faixa vertical de janelas.
Assinalam o centro da fachada.
Com decoração diferenciada.
No bloco superior, acima da cornija, um grande caduceu.
Insígnia do deus Mercúrio, protetor do Comércio.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Praça Montevidéu +++

Largo diante do Paço Municipal de Porto Alegre.
A primeira obra que o governo positivista concluiu na capital.
Talvez por isso, tornou-se palco das manifestações públicas.
Ao invés da Praça da Matriz, como se poderia esperar.
Afinal, nesta praça estão as sedes dos poderes estaduais.

A Praça Montevidéu abriga a Fonte Talavera de La Reina.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Praça Marechal Deodoro +++

Centro cívico de Porto Alegre, desde os primórdios.
Inicialmente, a área era conhecida como Praça da Igreja.
Em 1865, tornou-se Praça Dom Pedro II.
E com a Proclamação da República recebeu o nome atual.
Embora, popularmente, siga como Praça da Matriz.

No entorno da praça, encontram-se prédios importantes.
As sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
Os memoriais do Ministério Público e da Assembleia.
O Solar dos Câmara e o Theatro São Pedro.
A Catedral Metropolitana e o Museu Júlio de Castilhos.

O tombamento como patrimônio nacional veio em 2003.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Duas Primeiras Linhas de Bonde +++

A Cia Carris de Ferro iniciou as operações em 1874.
Os bondes funcionavam por tração animal.
E as duas linhas tinham como destino o Menino Deus.

Uma delas saía da Praça da Matriz.
E passava pela Várzea, hoje Parque Farroupilha.
Outra linha saía do Mercado Público.
E passava pela Rua da Margem, atual João Alfredo.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Proclamação da República +++

Com a Proclamação da República ocorreram mudanças.
Nos nomes de avenidas, praças e ruas de Porto Alegre.
Seguem exemplos com o antigo nome e o atual:

+ Praça Conde D’Eu, hoje Praça 15 de Novembro;
+ Praça Dom Pedro II, hoje Praça Marechal Deodoro;
+ Rua do Imperador, hoje Rua da República;
+ Rua Dona Isabel, hoje Rua Demétrio Ribeiro;
+ Rua Imperatriz, hoje Rua Venâncio Aires;
+ Rua Imperial, hoje Rua Benjamin Constant.

Também vieram as homenagens aos positivistas:

+ Avenida Assis Brasil;
+ Avenida Borges de Medeiros;
+ Monumento a Júlio de Castilhos;
+ Praça Júlio de Castilhos;
+ Praça Otávio Rocha;
+ Rua Alberto Bins;
+ Rua Júlio de Castilhos;
+ Viaduto Otávio Rocha.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Theatro São Pedro +++

Doze cidadãos de origem portuguesa formaram uma associação.
E em 1833, tiveram a ideia de erguer um teatro público.
Afinal, as demais casas de espetáculo eram privadas.
Porém, a obra ficou nos alicerces...

Após a Revolução Farroupilha, retomou-se a construção.
Com um projeto do arquiteto alemão Felipe de Normann.
Finalmente, em 1858, entregou-se o teatro à população.
Grandes espetáculos marcaram os primeiros 115 anos.
Mas a deterioração do prédio levou ao fechamento, em 1973.

O arquiteto Carlos Mancuso orientou as obras de restauração.
Em 24 de junho de 1984, o Theatro São Pedro reabiu as portas.
Após tombamento como patrimônio cultural do Estado.
Mantém-se, hoje, como um dos principais teatros do Brasil.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estátuas da Praça da Matriz +++

Em 1910, instalaram-se quatro estátuas na Praça Dom Sebastião.
Eram remanescentes de um conjunto de cinco da Praça da Matriz.
Elas adornavam o Chafariz do Imperador, em mármore de Carrara.
E faziam parte do primeiro monumento ao ar livre do Estado.

Esta magnífica obra ficou na Praça da Matriz de 1866 a 1910.
E personificava os grandes rios da bacia do Lago Guaíba.
A inscrição na base das estátuas registrava:
Cahy, Gravatahy, Jacuhy e Sinos.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design