segunda-feira, 5 de maio de 2014

Mário Quintana, Poeta Gaúcho

Mário Quintana nasceu em Alegrete, em 30 de julho de 1906. E morreu há 20 anos, no dia 05 de maio de 1994, aos 87 anos. Foi imortalizado pela Casa de Cultura que leva o seu nome. E, principalmente, pelo Quarto do Poeta.

Mario Quintana foi imortalizado pela Casa de Cultura Mario Quintana.
Mario Quintana foi imortalizado pela
Casa de Cultura Mario Quintana.

Em 1919, Mario Quintana mudou-se para Porto Alegre. Veio para estudar no Colégio Militar, onde publicou as suas primeiras produções literárias. Morou a maior parte da vida em hotéis e nunca se casou.

Mario Quintana morou a maior parte da vida em hotéis e nunca se casou.
Mario Quintana morou a maior parte da
vida em hotéis e nunca se casou.



Produção Literária de Mário Quintana

Quintana publicou mais de vinte livros, sem contar as antologias. O primeiro, “A Rua dos Cataventos”, foi publicado aos 34 anos de idade. O último foi publicado aos 84 anos, em 1990. Seu nome: “Velório sem Defunto”.

Esculturas de Carlos Drummond de Andrade e Mario Quintana, na Praça da Alfândega, em Porto Alegre
Drummond e Quintana, na Praça
da Alfândega, em Porto Alegre

Consagrou-se como o poeta que transformou o cotidiano em lirismo. Tornou-se um ícone da literatura brasileira com obras como “Sapato Florido”, “Pé de Pilão”, “Caderno H”, “Esconderijos do Tempo”, “Lili Inventa o Mundo”.

O poeta Mario Quintana transformou o  cotidiano em lirismo em mais de 20 livros.
O poeta Mario Quintana transformou o
cotidiano em lirismo em mais de 20 livros.

Poeta, jornalista e tradutor, Mário Quintana trabalhou nos jornais O Estado do Rio Grande do Sul e Correio do Povo, em Porto Alegre. No último, assinou a Coluna H. Traduziu Proust, Giovani Papini, Virginia Woolf, Voltaire.

3 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Casa de Cultura Mario Quintana +++

Em 1982, o Estado tombou o prédio patrimônio cultural.
E decidiu transformá-lo em um espaço cultural.
Dedicado ao cinema, ao teatro e à dança.
Às artes visuais, à literatura e à música.
O complexo cultural conta com salas de cinema, teatro.
Salas de exposições, discoteca, bibliotecas, restaurante.

O espaço recebeu o nome de Casa de Cultura Mario Quintana.
Uma homenagem ao poeta e ilustre hóspede do Majestic.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, publicação da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Praça da Alfândega +++

Surgiu com o núcleo inicial da cidade.
Ficava junto ao Lago Guaíba.
Até que se construiu um cais de pedra com ancoradouro.
Isso facilitou o trânsito de pessoas e de mercadorias.
Era o núcleo da parte nobre do velho Centro.
Em torno dela, observava-se a vida social da cidade.
E ali, surgiram imponentes prédios no início do século XX.
Como os Correios e Telégrafos e a Delegacia Fiscal.
E a partir 1954, ali se instalou a Feira do Livro.

Em 2003, foi tombada como patrimônio nacional.
E passou por recente restauração.
Parte do Programa Monumento.
Hoje, PAC das Cidades Históricas.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Monumentos da Praça da Alfândega +++

+ Monumento do Barão do Rio Branco (A. Adloff, 1916);
+ Monumento ao Marechal Osório (Leão Velloso, 1933);
+ Estátua-chafariz da Samaritana (A. Adloff, 1925-36).

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design