segunda-feira, 14 de abril de 2014

Neve nas Serras Gaúcha e Catarinense

Um pouco mais de um mês após eu circular pelos Campos de Cima da Serra, nevou na região. Historicamente, a neve cai mais no mês de julho, ocasião em que estive por lá. Em 2013, contudo, nevou no fim de agosto. E esta foi a maior precipitação de neve das últimas duas décadas no Rio Grande do Sul.

Cambará do Sul, nos Campos de Cima da Serra
Cambará do Sul, nos Campos de Cima da Serra

Durante o período em que passei pelos Campos de Cima da Serra, peguei mais frio. Mas para nevar não é necessário só frio. São necessárias outras condições que não se fizeram presentes em julho. Dentre elas, umidade do ar e ventos favoráveis. Estas condições aliaram-se ao frio em agosto...

Bom Jesus, nos Campos de Cima da Serra
Bom Jesus, nos Campos de Cima da Serra

Minha viagem incluiu os Campos de Cima da Serra, a Serra Catarinense e região sul de Santa Catarina e o Litoral Gaúcho. Foram 16 dias, durante os quais, eu percorri cerca de 2.700 km. Nesse período, choveu apenas um dia. Na verdade, uma noite. A chuva caiu em Araranguá, no litoral sul de SC.

Bom Jardim da Serra, na Serra Catarinense
Bom Jardim da Serra, na Serra Catarinense


Condições Propícias para a Neve

Nos cinco dias que antecederam a neve, em agosto, choveu forte. Noite e dia. O dia inteiro. Tanto no RS como em SC. Com a diminuição da chuva, veio a neve. Durante dois dias. Poucos sortudos devem ter visto a neve sem amargar cinco dias de chuva intensa. Afinal, nevou durante a semana...

Rua de Canela, na Região das Hortênsias
Rua de Canela, na Região das Hortênsias

E nos dois dias em que nevou, 26 e 27 de agosto de 2013, registrou-se neve em 35 municípios gaúchos. A maioria, na serra gaúcha. Seja na Região das Hortênsias, na Região da Uva e do Vinho ou nos Campos de Cima da Serra. Porém a neve foi vista mais pelos próprios moradores da região.

São José dos Ausentes, Campos de Cima da Serra
São José dos Ausentes, Campos de Cima da Serra


Não Pude Ver a Neve!

Lamento não ter podido ver a neve. Sei que isso é questão de sorte. Afinal, são raras as vezes que neva no Brasil como nevou em agosto. Viajei numa época em que costuma nevar com mais frequência. A previsão era de neve para o período. E apesar do frio intenso, nevou pouco e de madrugada.

Caxias do Sul, na Região da Uva e do Vinho
Caxias do Sul, na Região da Uva e do Vinho

Infelizmente, não se consegue fazer tudo de uma vez só. Quando visitei a região, o frio era intenso, mas havia sol e não chovia há dias. Assim, pude visitar os parques. A visibilidade era boa e as trilhas podiam ser percorridas com facilidade. Só não consegui tomar banho de cachoeira devido ao frio.

Rua de Gramado, na Região das Hortênsias
Rua de Gramado, na Região das Hortênsias

Durante os dias de neve, a visibilidade era bem ruim e o acesso aos parques inviável. Não o acesso pelas estradas de terra. Afinal, com um veículo 4x4 até daria para encarar. O problema maior seriam as trilhas, encharcadas pelos cinco dias de chuva, sem trégua, que precederam a neve.

Vacaria, nos Campos de Cima da Serra
Vacaria, nos Campos de Cima da Serra


Veja também...
Neve no Rio Grande do Sul em 2013
Neve em Santa Catarina em 2013

1 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ A Origem do Rio Grande do Sul +++

O Memorial do Rio Grande do Sul fala sobre a origem do RS.
Ou seja: as Missões Jesuíticas.
Historiadores comentam sobre a Guerra Guaranítica.
E o massacre dos índios.
Um dado reafirma este episódio como marco fundador.
Porto Alegre surge da espera dos açorianos pelo fim da guerra.
Afinal, os imigrantes povoariam a região missioneira.
Após a expulsão dos índios.
Enfim: a Guerra Guaranítica gerou Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design