quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Otávio Francisco Rocha: Prefeito de Porto Alegre

O político gaúcho Otávio Francisco da Rocha nasceu em Pelotas, em 1877. E veio a falecer em Porto Alegre, em 27/02/1928, quando ele era prefeito da cidade. Foi, então, sucedido por Alberto Bins.

O político gaúcho Otávio Francisco Rocha
O político gaúcho Otávio Francisco Rocha


Estudos e Carreira Política

Otávio Rocha iniciou os estudos em Pelotas, concluindo-os em São Leopoldo. Entrou no exército, em 1891, diplomando-se engenheiro militar em 1901. Serviu até 1903 na guarnição de Rio Grande, seguindo, então, para Rio Pardo.

Em 1905, Otávio Rocha, passou à Escola Militar de Porto Alegre. Ali ficou até 1909, ao ser eleito deputado estadual. Enquanto deputado, ele foi redator do jornal A Federação, do Partido Republicano Riograndense.

Sede do Jornal A Federação

Logo após ser eleito deputado federal, mudou-se para o Rio de Janeiro. E retornou ao Rio Grande do Sul, pouco tempo depois. Em 1918, Otávio Rocha foi eleito, outra vez, deputado federal, reelegendo-se em 1921.


Otávio Rocha: Prefeito de Porto Alegre

Foi indicado a prefeito de Porto Alegre. Assumiu a Prefeitura Municipal, em 1924, com o desejo de transformar a cidade numa “nova Paris”. Derrubou cortiços, providenciou água tratada e ampliou a iluminação pública.

As reformas endividaram a cidade, levando à criação de novos impostos, em 1925. Mas trouxeram o progresso. E em 1927, a frota de automóveis de Porto Alegre era superada apenas pela de São Paulo.

Viaduto Otávio Rocha, centro de Porto Alegre
Viaduto Otávio Rocha, centro de Porto Alegre

Uma praça e uma avenida localizadas no centro de Porto Alegre tiveram seu nome mudado para Otávio Rocha, em homenagem ao ex-prefeito. E o Viaduto Otávio Rocha é um marco no desenvolvimento da cidade.

8 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Sede do Jornal “A Federação” +++

Em 1884, o Partido Republicano Riograndense criou seu jornal.
A inauguração da sede própria de “A Federação” ocorreu em 1922.
Nos festejos do centenário da Independência do Brasil.

O engenheiro Teophilo Borges de Barros projetou prédio.
Uma construção em estilo eclético.
No alto do prédio, destaca-se a escultura da imprensa.
A alegoria é uma obra do artista veneziano Luiz Sanguin.

O jornal encerrou as atividades, em 1937, no Estado Novo.
Em 1938, o prédio passou à propriedade do Estado.
E por muitos anos atendeu ao órgão de imprensa oficial.
Em 1982, ocorreu o tombamento como patrimônio do Estado.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Paço dos Açorianos +++

A construção da sede do poder executivo municipal iniciou em 1898.
Sobre a área de aterro da antiga Doca do Carvão.
O arquiteto italiano João Antônio Carrara Colfosco projetou o prédio.
Com características estilo ecléticas e influência positivista.

Foi a primeira edificação positivista de Porto Alegre.
E inaugurou um período de construções monumentais na cidade.
Elas aconteceram nas duas primeiras décadas do século XX.

José Montaury inaugurou a nova Intendência Municipal, em 1901.
No interior, destacam-se os vitrais de Joseph Wollmann.
Eles se encontram nas janelas que abrem para a escadaria principal.
Há ainda as pinturas de Carlos Scliar no Salão Nobre.

Em 1973, o prédio recebeu o nome de Paço dos Açorianos.
Uma homenagem aos imigrantes que fundaram a cidade.
Em 1979, é tombado como patrimônio cultural de Porto Alegre.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Esculturas Originais da Prefeitura +++

Destacam-se as alegorias da Justiça e da República.
Estão na parte central da platibanda, em torno da torre.
Nesta, há um relógio central ladeado por dois bustos.
José Bonifácio, à esquerda, e Deodoro da Fonseca, à direita.

A alegoria da República possui um detalhe quase imperceptível.
O vestido dela esconde um misterioso gato.
É uma derivação da alegoria da Liberdade.
Esta aparece acompanhada de um gato.
Um animal doméstico que não suporta viver preso.

Ainda na fachada, há outros grupos de esculturas.
Eles se encontram em cada extremidade da platibanda.
Junto à Rua Uruguai: Agricultura, Comércio e Indústria.
Junto à Avenida Borges de Medeiros: Ciência e História.
Além de Democracia e Liberdade.

Fonte: “Viva o Centro a Pé, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Esculturas Acrescidas à Prefeitura +++

Algumas esculturas são posteriores à inauguração do prédio.
É o caso dos quatro leões que guarnecem as escadarias laterais.
As esculturas, em mármore de Carrara, vieram da Itália.
A instalação dos quatro leões ocorreu em 1911.
São joias da arte industrial dos canteiros de Toscana.

Em 1909, o prefeito José Montaury fez uma encomenda.
As efígies de Júlio de Castilhos e Borges de Medeiros.
A elaboração ficou a cargo do Instituto Técnico-Profissional.
Na Seção de Modelagem.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Identidade Republicana e Castilhista +++

Com a Proclamação da República, surge o castilhismo.
E os membros do Partido Republicano destacam-se.
Em homenagens como nomes de ruas e prédios públicos.

É o caso de Borges de Medeiros e Júlio de Castilhos.
Alberto Bins, Assis Brasil e Otávio Rocha.

O Monumento a Júlio de Castilhos simboliza este período.
E a nova identidade política vigente no Rio Grande do Sul.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Proclamação da República +++

Com a Proclamação da República ocorreram mudanças.
Nos nomes de avenidas, praças e ruas de Porto Alegre.
Seguem exemplos com o antigo nome e o atual:

+ Praça Conde D’Eu, hoje Praça 15 de Novembro;
+ Praça Dom Pedro II, hoje Praça Marechal Deodoro;
+ Rua do Imperador, hoje Rua da República;
+ Rua Dona Isabel, hoje Rua Demétrio Ribeiro;
+ Rua Imperatriz, hoje Rua Venâncio Aires;
+ Rua Imperial, hoje Rua Benjamin Constant.

Também vieram as homenagens aos positivistas:

+ Avenida Assis Brasil;
+ Avenida Borges de Medeiros;
+ Monumento a Júlio de Castilhos;
+ Praça Júlio de Castilhos;
+ Praça Otávio Rocha;
+ Rua Alberto Bins;
+ Rua Júlio de Castilhos;
+ Viaduto Otávio Rocha.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Viaduto Otávio Rocha +++

Primeiro viaduto de Porto Alegre, em concreto armado.
Restabeleceu a continuidade da Rua Duque de Caxias.
Em passagem de nível sobre a Avenida Borges de Medeiros.

O Viaduto Otávio Rocha é um monumento ao urbanismo.
E integrou processo de modernização da cidade.
Que o intendente Otávio Rocha promoveu na época.

O engenheiro Manuel Barbosa Itaqui elaborou o projeto.
E Alfred Adloff, os elementos ornamentais.
A inauguração ocorreu em 1932.

A Avenida Borges de Medeiros surgiu na mesma época.
Para comunicar a zona sul ao centro da cidade.

Em 1988, o município tombou o viaduto patrimônio cultural.

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Leonardo Brocker disse...

+++ Prefeitos Otávio Rocha e Alberto Bins +++

Duas administrações realizaram inúmeras intervenções urbanas.
De Otávio Rocha (1924-1928) e de Alberto Bins (1928-1937).
Eles comunicaram a Avenida Cristóvão Colombo.
Com a Praça XV de Novembro, no Centro da cidade.
Através da Avenida Alberto Bins (antiga Rua São Rafael).
E a Rua Otávio Rocha (antigo Beco 24 de Maio).

Fonte: “Viva o Centro a Pé”, Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre, 2014.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design