sexta-feira, 12 de julho de 2013

Raul Seixas: "O Dia em que A Terra Parou" (1977)

O Dia em que A Terra Parou”, de 1977, é o sétimo álbum de Raul Seixas. E nele, Raul troca de parceiro. Substitui Paulo Coelho por Cláudio Roberto. Todas as músicas foram parcerias com Cláudio Roberto.

Raul Seixas na capa do disco "O Dia em que A Terra Parou" de 1977
Raul Seixas - O Dia em que A Terra Parou (1977)


O maior sucesso é “Maluco Beleza”. A música tornou-se quase que um hino de Raul Seixas. Outros destaques são as músicas “O Dia em que A Terra Parou”, que dá nome ao álbum, e “Sapato 36”.




Veja também...

9 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Maluco Beleza (Cláudio Roberto, Raul Seixas) +++

Artistas que regravaram "Maluco Beleza":
Bamdamel - "Mãe Preta" (1993);
Camisa de Vênus - "Blackout" (1991);
O Terço - "Tributo a Raul Seixas" (1999).

Leonardo Brocker disse...

+++ No Fundo do Quintal da Escola (Claudio Roberto, Raul Seixas) +++

A música aparece no disco "E-Collection - Barão Vermelho", de 2000.

Leonardo Brocker disse...

+++ "Que Luz é Essa?" (Cláudio Roberto, Raul Seixas) +++

O grupo Lampirônicos regravou a música no disco "Que Luz é Essa?" (2001).

Leonardo Brocker disse...

+++ "Eu Morri Há Dez Anos Atrás" +++
Ricardo Alexandre
Matéria da revista Trip, nº 71, (agosto 1998)

Em 1977, Cláudio Roberto sobrevivia dando aulas de inglês.
E vendendo mocassins nas feiras hippies da cidade.
Então, Raul o convidou para, juntos, comporem o primeiro disco na gravadora WEA.
“Nos discos que lançou pela WEA ele buscou a absolvição pelos erros do passado”.
“O sucesso fez muito mal a ele. Ele bebeu o sucesso todo.
Eu, que o conhecia desde antes da bebida, convivi com uma pessoa cerimoniosa,
que nunca perdia a linha. Virávamos noites compondo em hotéis.
Eu de cueca, detonando, e ele de terno e gravata, absolutamente formal”.

Leonardo Brocker disse...

+++ "Eu Morri Há Dez Anos Atrás" +++
Ricardo Alexandre
Matéria da revista Trip, nº 71, (agosto 1998)

Cláudio e Raul passaram três meses trabalhando no novo repertório.
"O Dia em que a Terra Parou" teve todas as regalias que um artista poderia querer.
Curiosamente, a partir deste disco iniciou a decadência pessoal e artística de Raul.
“Ele descobriu que poderia usufruir de uma maneira ‘light’ de compor.
Mas era preciso fazer uma reavaliação muito grande de valores.
Imagine, uma pessoa tão solapada por tantos vícios.
Não só químicos como mentais e posturas…”

Leonardo Brocker disse...

+++ "Eu Morri Há Dez Anos Atrás" +++
Ricardo Alexandre
Matéria da revista Trip, nº 71, (agosto 1998)

Para Cláudio, o sucesso de “Maluco Beleza” teria muito a ver com esse processo.
“Este foi, provavelmente, o primeiro hit dele que não era um chiste, uma provocação.
Ao contrário, é uma música autêntica, melancólica.
É a história de um cara assumindo que não tem controle sobre sua loucura".
Cláudio Roberto e Raul continuaram compondo até a morte do cantor.
Chegaram a planejar um novo LP em 1978, mas brigaram.
Cláudio o acusou de registrar uma música da dupla em nome de Oscar Rasmussen.
A faixa seria “Por Quem os Sinos Dobram”.

Leonardo Brocker disse...

Caixa ‘70 Raul Seixas’ Mostra Fase Problemática e de Desprestígio do Cantor - Ricardo Schott, O Dia, 04/01/2015

'O Dia Em Que a Terra Parou’ emplacou ‘Maluco Beleza’ e a faixa-título.
Mas as vendagens não foram boas.
Raul compunha com um parceiro novo (Claudio Roberto).
E buscava largar a pecha de ‘guru’ ganha com Paulo Coelho.

Leonardo Brocker disse...

Caixa ‘70 Raul Seixas’ Mostra Fase Problemática e de Desprestígio do Cantor - Ricardo Schott, O Dia, 04/01/2015

O produtor Marco Mazzola comprou um apartamento para Raul Seixas, na época.
“Quando o Raul saiu da Philips, estava mal. O contratei para a Warner e todo mundo foi contra”.
“Vi que não podia fazer mais nada quando o levei para mostrar a casa nova e ele estava mais interessado em fazer carreiras de cocaína".
"O Raul era um cara careta, mas se deixou levar por essa coisa de ver disco voador. Ele confiou demais no Paulo Coelho. Eu falava para ele pôr o pé no chão.”

Mazzola se esmerou no LP.
Convidou o guitarrista americano de jazz Lee Ritenour para solar em ‘Maluco Beleza’.
E Gilberto Gil para arranjar ‘Que Luz É Essa?’.
“O Raul achava que Caetano Veloso e Gilberto Gil não gostavam dele. E hoje a gente vê Caetano falando bem dele, mas na época não era assim!”, lembra o produtor.

Leonardo Brocker disse...

Caixa ‘70 Raul Seixas’ Mostra Fase Problemática e de Desprestígio do Cantor - Ricardo Schott, O Dia, 04/01/2015

Kika Seixas, que viria a ser mulher de Raul, trabalhava no departamento de imprensa da Warner.
“O Elvis Presley andava com a ‘máfia de Memphis’, uma rapaziada estranha. E Raul cismou que era como ele, e fazia o mesmo.
Quem cuidava das contas dele, inclusive Imposto de Renda, era um motorista!”, espanta-se Kika.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design