quarta-feira, 17 de abril de 2013

Léo Jaime e Ney Matogrosso Cantam Cazuza

Capa do disco "Olhos de Farol", lançado em 1998 pelo cantor Ney Matogrosso
Ney Matogrosso 1998 - Olhos de Farol

Continuação de...
Cazuza - O Poeta na Boca do Povo: Zizi Possi e Hanoi Hanoi

Fafá de Belém – “Vingança Boba” (Cazuza, Sérgio Serra)
A música foi gravada originalmente por Lúcia Dumont, em 1991. Fafá de Belém, em 1993, regravou a música no álbum “Do Fundo do Meu Coração”. Fafá de Belém faz uma citação de “Faz Parte do Meu Show” (Cazuza, Renato Ladeira).



George, Leo e Fred Israel, Roberto e Rafael Frejat – Blues do Ano 2000 (Nilo Romero, George Israel, Cazuza)
Paulinho Moska gravou, originalmente, essa música, em 1998, no disco “Através do Espelho”. E, no ano seguinte, ele regravou “Blues do Ano 2000”, no disco “Tributo a Cazuza”, de 1999.



Léo Jaime – “Preciso Dizer Que Te Amo” (Cazuza, Dé, Bebel Gilberto)
“A música foi feita na Fazenda Inglesa, em Petrópolis. E ‘Preciso Dizer Que Te Amo’ foi a última música feita para o disco que gravei em 1986. O processo de criação foi espontâneo. Essa música foi muito especial! Era como se Cazuza estivesse sentado aqui e, por acaso, o violão estivesse ali. A gente começou a cantar e o canto virou uma música. Não foi aquela coisa de sentar e fazer a música. E esse é o barato de ‘Preciso Dizer Que Te Amo’. A gente estava em frente à lareira e essa música saiu como um filho. Não foi como as outras. Saiu em 40 minutos”. (Bebel Gilberto)



“Empolgado com a melodia que saiu espontaneamente, o Cazuza subiu para o seu apartamento, para finalizar a letra. A primeira versão já estava com o Dé há algum tempo. E foi criada com referências bíblicas. Cazuza lia muito a bíblia e havia ficado impressionado com uma frase: ‘Eu preciso dizer que te amo. Desentalar esse osso da minha garganta’. Queria usar isso. Eu disse que ‘desentalar esse osso da minha garganta’ era muito forte. Não sei como, conversando, a gente chegou à conclusão: ‘Preciso dizer que te amo / Te ganhar ou perder sem engano’”. (Bebel Gilberto)

“Em cinco minutos, Cazuza desceu do quarto com a nova letra batida à máquina, já com o novo refrão. Ele foi ferino. Certo e exato nessa frase. Essa música é o nosso standard. Ela é linda! Eu acho que tinha algum deus ajudando a gente ali, naquele ambiente, naquela casa... Foi tudo certo”. (Dé)


Ney Matogrosso – “Poema” (Cazuza, Frejat)
“Poema” foi composto por Cazuza para a sua avó paterna, Maria, em 1975, quando ele tinha 17 anos. A letra foi musicada por Frejat, em 1998. A gravação original de Ney Matogrosso foi feita em 1998, no álbum “Olhos de Farol”.

Veja a versão ao vivo de "Poema"



“Essa música é talvez uma das experiências mais loucas pelas quais passei. Fiquei com a letra por uns seis meses. Ela me foi enviada por Lucinha Araújo, logo após o falecimento de Maria José. Minha incumbência era fazer a música para Ney gravar. Ele já havia recebido a canção mesmo sem ela estar pronta. Um dia, me toquei que o disco do Ney já devia estar saindo. Aí, fiquei preocupadíssimo. Falei com ele e ele disse que ainda estava aguardando a música. Com a graça de Deus, acordei um dia com insônia, às seis da manhã, e a música saiu fluida, rápida. E adorei o resultado. Apesar de, até agora, não ter entendido bem como ele aconteceu...”. (Frejat)

Segue com...
Cazuza - O Poeta na Boca do Povo: Ângela RôRô e George Israel


Comentários retirados do livro “Preciso Dizer que Te Amo – Todas as Letras do Poeta”

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design