sexta-feira, 19 de abril de 2013

Cássia Eller e Ney Matogrosso Cantam Cazuza

Disco "Ao Vivo", que a cantora Cássia Eller lançou em 1996
Cássia Eller 1996 - Ao Vivo

Continuação de...
Cazuza: O Poeta na Boca do Povo - Adriana Calcanhotto e Barão Vermelho


Paulinho Moska – “Blues do Ano 2000” (Cazuza, George Israel, Nilo Romero)
Paulinho Moska gravou, originalmente, essa música, em 1998, no disco “Através do Espelho”. E, no ano seguinte, ele regravou “Blues do Ano 2000”, no disco “Tributo a Cazuza”, de 1999.



Joanna e Emílio Santiago – “Nunca Sofri por Amor” (Joanna, Cazuza)
“Cazuza foi um amigo. Eu o conheci através de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza. Ele tinha um temperamento deliciosamente inesperado. Nunca me esquecerei daquele sorriso franco. De sua beleza apolínea. Era um poeta... Estivemos juntos em festas. E, sobretudo, nos bares do Baixo Leblon”. (Joanna)

“Quando Cazuza adoeceu, eu o via em sua casa, no Leblon. E sentia que ele estava com uma sede enorme de compor. E ele começou a distribuir as letras. A de ‘Nunca Sofri por Amor’ me foi dada por ele já no hospital. Ele pediu à Lucinha um papel. E ficou debruçado na cama sobre esse papel. O poema nasceu instantaneamente. Ele ficou, depois, trabalhado na letra durante cerca de uma hora. Entregou-me e disse: ‘Arrasa, mulher’. Fui para casa e peguei um violão. E as notas foram saindo quase intuitivamente. Saiu um blues. E, em menos de meia hora, a música estava pronta. Minha parceria com Cazuza surgiu de nossa amizade”. (Joanna)



Cássia Eller 1996 – “Malandragem” (Cazuza, Frejat)
“’Malandragem’ foi feita para Ângela RoRô, em 1988, quando ela estava gravando o disco ‘Prova de Fogo’. Quando a gente entregou a música, ela disse que o disco já estava pronto. A música acabou ficando a Ângela por anos. Em 1994, eu achei que a música tinha também a cara de Cássia Eller. Embora a letra tivesse se inspirado no jeito expansivo de RoRô. Para não ferir a ética, liguei para RoRô. E para a minha surpresa, ouvi o seguinte: ‘Cazuza não te disse? Não gostei da música, não. Achei uma merda! Não vou gravar nunca!’, disparou RoRô, com sua habitual sinceridade. Aliviado, entreguei ‘Malandragem’ à Cássia. Foi a música que impulsionou a carreira dela”. (Roberto Frejat)

Cássia Eller gravou, originalmente, “Malandragem”, em 1994. E regravou a música, em 1996, no álbum “Cássia Eller ao Vivo”.


Ney Matogrosso – “Poema” (Cazuza, Frejat)
“Poema” foi composto por Cazuza para a sua avó paterna, Maria, em 1975, quando ele tinha 17 anos. A letra foi musicada por Frejat, em 1998. A gravação original de Ney Matogrosso foi feita em 1998, no álbum “Olhos de Farol”.


“Essa música é talvez uma das experiências mais loucas pelas quais passei. Fiquei com a letra por uns seis meses. Ela me foi enviada por Lucinha Araújo, logo após o falecimento de Maria José. Minha incumbência era fazer a música para Ney gravar. Ele já havia recebido a canção mesmo sem ela estar pronta. Um dia, me toquei que o disco do Ney já devia estar saindo. Aí, fiquei preocupadíssimo. Falei com ele e ele disse que ainda estava aguardando a música. Com a graça de Deus, acordei um dia com insônia, às seis da manhã, e a música saiu fluida, rápida. E adorei o resultado. Apesar de, até agora, não ter entendido bem como ele aconteceu...”. (Frejat)

Segue com...
Cazuza: O Poeta na Boca do Povo - Hanoi Hanoi e Kid Abelha


Comentários retirados do livro “Preciso Dizer que Te Amo – Todas as Letras do Poeta”

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design