sexta-feira, 19 de abril de 2013

Adriana Calcanhotto e Barão Vermelho Cantam Cazuza

Capa do disco "Rock' n Geral" que o grupo Barão Vermelho lançou 1987
Barão Vermelho 1987 - Rock' n Geral


Continuação de...
Cazuza: O Poeta na Boca do Povo - Ney Matogrosso e Hanoi Hanoi


Bebel Gilberto – “Preciso Dizer Que Te Amo” (Cazuza, Dé, Bebel Gilberto)
“A música foi feita na Fazenda Inglesa, em Petrópolis. E ‘Preciso Dizer Que Te Amo’ foi a última música feita para o disco que gravei em 1986. O processo de criação foi espontâneo. Essa música foi muito especial! Era como se Cazuza estivesse sentado aqui e, por acaso, o violão estivesse ali. A gente começou a cantar e o canto virou uma música. Não foi aquela coisa de sentar e fazer a música. E esse é o barato de ‘Preciso Dizer Que Te Amo’. A gente estava em frente à lareira e essa música saiu como um filho. Não foi como as outras. Saiu em 40 minutos”. (Bebel Gilberto)


“Empolgado com a melodia que saiu espontaneamente, o Cazuza subiu para o seu apartamento, para finalizar a letra. A primeira versão já estava com o Dé há algum tempo. E foi criada com referências bíblicas. Cazuza lia muito a bíblia e havia ficado impressionado com uma frase: ‘Eu preciso dizer que te amo. Desentalar esse osso da minha garganta’. Queria usar isso. Eu disse que ‘desentalar esse osso da minha garganta’ era muito forte. Não sei como, conversando, a gente chegou à conclusão: ‘Preciso dizer que te amo / Te ganhar ou perder sem engano’”. (Bebel Gilberto)

“Em cinco minutos, Cazuza desceu do quarto com a nova letra batida à máquina, já com o novo refrão. Ele foi ferino. Certo e exato nessa frase. Essa música é o nosso standard. Ela é linda! Eu acho que tinha algum deus ajudando a gente ali, naquele ambiente, naquela casa... Foi tudo certo”. (Dé)


Barão Vermelho – “Um Dia na Vida” (Maurício Barros, Cazuza)
“Em 1982, quando nós nos conhecemos, eu e Cazuza íamos à praia e depois para a casa dele. E Cazuza me mostrava seus escritos. Certo dia, eu vi uma frase dele na escrivaninha: ‘Todo dia, eu pego o medo: meço, mato e guardo’. Disse que a frase era maravilhosa e ele tinha que continuar aquela letra. Três anos depois, em 1985, quando fazia uma nova parceria com Cazuza, ele usou aquela frase de que tanto eu havia gostado na música. Achei sensível da parte dele. Pois supunha que o episódio de 1982 tivesse passado despercebido para ele. Mas não. Na partilha de repertório entre o primeiro disco solo de Cazuza e o quarto do Barão, ‘Um Dia na Vida’ acabou ficando conosco”. (Maurício Barros)
  


Léo Jaime – “Mina” (Nilo Romero, George Israel, Cazuza)
Léo Jaime gravou, originalmente, essa música, em 1990. Cazuza chegou a gravá-la, em 1986, para o álbum “Só Se For a Dois”. Mas “Mina” foi excluída da seleção final do repertório.



Adriana Calcanhotto – “Mais Feliz” (Dé, Bebel Gilberto, Cazuza)
“Foi a nossa primeira parceria. Dei a melodia para o Cazuza, invertendo o processo de criação. Em geral, era o Cazuza que entregava a letra pronta para o parceiro. Eu estava preocupado. Queria que a pessoa que pusesse a letra respeitasse a melodia. Estava com medo de alguém desvirtuá-la. E disse isso ao Cazuza, que foi craque. E nesta música, em especial, Cazuza mostrou que era um puta letrista. Que estava à altura de Chico Buarque, Aldir Blanc. Dos mestres brasileiros. Fiquei impressionado: Cazuza não mudou uma vírgula”. (Dé)

“Bebel tem um ouvido absurdo e lapidava as melodias que eu fazia. Foram poucas as minhas parcerias com Bebel e Cazuza. Porém, todas elas foram boas. A Bebel é uma grande melodista. E Cazuza era o melhor letrista da geração dele”. (Dé)

“O Cazuza criou a letra de ‘Mais Feliz’ inspirado num pacto que fez com uma pessoa que namorava na época. Os dois combinaram de furar o dedo. E até assinaram um papel. Daí os últimos versos da música”. (Bebel Gilberto)


“Cazuza viva um lindo caso de amor. E eu também tinha um namorado, o Paulinho, meu primeiro namorado. A gente ia sempre para a Fazenda Inglesa, em Petrópolis. Um dia, Cazuza acordou a gente com um papel. Disse que era um documento. Um pacto de sangue que ele havia feito com a pessoa que amava na época. Um pacto de amor que os dois assinaram. Eu fiquei impressionadíssima com essa história. Eu me lembro até hoje dela”. (Bebel Gilberto)

“A gente atravessava o rio da Fazenda Inglesa. Fazia a travessia. E a letra descreve tudo isso. Todo aquele amor... A pedra que divide o rio. As coisas bonitas... Cazuza encarava a Fazenda Inglesa como um local de trabalho. O Cazuza era supersituado. Acordava, caía na piscina, bebia um pouquinho, almoçava bem e depois se recolhia para trabalhar”. (Bebel Gilberto)

Bebel Gilberto gravou, originalmente, a música “Mais Feliz”, em 1986. E regravou-a em 2000, no álbum “Tanto Tempo”. Leila Pinheiro gravou sua versão no disco “Viva Cazuza”, em 1992. E Adriana Calcanhotto registrou a canção no álbum “Marítimo”, lançado em 1998.


Barão Vermelho – “Amor de Irmão” (Frejat, Dé, Cazuza)
“Amor de Irmão” faz parte do álbum “Rock’ n’ Geral”, lançado pelo Barão Vermelho, em 1987.


Segue com...
Cazuza: O Poeta na Boca do Povo - Cássia Eller e Ney Matogrosso


Comentários retirados do livro “Preciso Dizer que Te Amo – Todas as Letras do Poeta”

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design