quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Kleiton Ramil - 61 Anos de Idade

Kleiton Alves Ramil nasceu no dia 23 de agosto de 1951, em Pelotas, RS. Kleiton se formou em engenharia eletrônica, fez pós-graduação na França e mestrado, na UFRJ, em eletroacústica.

Caricatura do cantor e compositor Kleiton Alves Ramil
Kleiton Alves Ramil

Kleiton Alves Ramil é irmão dos cantores e compositores Kledir Alves Ramil e Vítor Ramil. Kleiton e Kledir começaram a estudar música ainda crianças. Mais tarde, Kleiton fez curso de composição e regência.

No início dos anos 70, Kleiton e Kledir formaram o grupo Almôndegas, com outros três amigos. Este grupo lançou quatro discos, entre 1975 a 1979. Quando o grupo acabou, os irmãos formaram uma dupla.


Discografia do Grupo "Almôndegas"

Almôndegas (1975)
# Vento Negro (José Fogaça)



Aqui (1975)
# Canção da Meia-Noite (Zé Flávio)

Alhos e Bugalhos (1977)

Céu de Marionetes (1979)




Discografia da Dupla "Kleiton & Kledir"


Kleiton & Kledir (1980)
# Fonte da Saudade (Kledir Ramil)
# Maria Fumaça (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Roda da Fortuna (Kledir Ramil)
# Vira Virou (Kleiton Ramil)



Kleiton & Kledir (1981)
# Deu pra Ti (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Estrela, Estrela (Vítor Ramil)
# Lagoa dos Patos (Kledir Ramil / José Fogaça)
# Navega Coração (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Paixão (Kledir Ramil)
# Trova (Kledir Ramil)



Kleiton & Kledir (1983)
# Corpo e Alma (Paul Simon – Versão: Kledir Ramil)
# Nem Pensar (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# O Analista de Bagé (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Saiçu (Segredo do Meu Coração) (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Tô que Tô (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Viva (Kledir Ramil)

Kleiton & Kledir (1984)
# Bailão (Vitor Martins / Kledir Ramil)
# Roda de Chimarrão (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Kleiton y Kledir en Español (1984)
Coletânea em espanhol

Kleiton & Kledir (1986)
# Pára Pedro (José Mendes / José Portella Delavy)
# Tô a Fim de Ficar Contigo (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Kleiton & Kledir (1997)
# Guri de Salvador (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Mamma Mia (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Clássicos do Sul (1999)

Ao Vivo (2005)

Autorretrato (2009)
# Autorretrato (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
# Estrela Cadente (Kleiton Ramil / Kledir Ramil)


Discografia Solo "Kleiton Ramil"

Sim (1990)

28 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Almôndegas +++

A banda Almôndegas surgiu em 1972, em Pelotas.
A partir da amizade dos irmãos Kleiton e Kledir Ramil.
Juntaram-se Pery Souza, Quico Castro Alves e Gilnei da Silva.
Eles criaram uma linguagem particular para a música pop gaúcha.
Em 1975, a banda gravou o primeiro LP, “Almôndegas”.
No mesmo ano, lançou “Aqui.”
Em agosto de 1977, chegou o LP “Alhos com Bugalhos”.
E, em 1979, pela gravadora Music Master, “Almôndegas”.

Leonardo Brocker disse...

+++ Por que Paralelo 30? +++

Porque esta é a latitude da cidade.
O paralelo 30o S do plano equatorial terrestre passa por Porto Alegre.
E isso gerou uma forma carinhosa de fazer referência à capital gaúcha.
Há vários exemplos disso...

Paralelo 30 é o nome de um LP de 1978.
Ele registrava a efervescência da música urbana gaúcha da época.
E reunia alguns músicos de Porto Alegre.
Como Bebeto Alves, Carlinhos Hartlieb e Nelson Coelho de Castro.

Há também versões de que Paralelo 30 seria um grau místico.
Nesse contexto, inserem-se os versos de "Deu pra Ti".
A canção da dupla Kleiton e Kledir diz:

"Quando eu ando assim meio down
Vou pra Porto e bah! Tri legal
Coisas de magia, sei lá
Paralelo 30"

Adaptado do Centro de Informações Turísticas de Porto Alegre.

Leonardo Brocker disse...

"Vento Negro"
Compositor: José Fogaça

Onde a terra começar
Vento Negro gente eu sou
Onde a terra terminar
Vento negro eu sou

Quem me ouve vai contar
Quero luta, guerra não
Erguer bandeira sem matar
Vento Negro é furacão

Na vida o tempo
A trilha o sol
Um vento forte se erguerá
Arrastando o que houver no chão

Vento negro, campo afora
Vai correr
Quem vai embora tem que saber
É viração

Dos montes, vales que venci
Do coração da mata virgem
Meu canto, eu sei, há de se ouvir
Em todo o meu país

Não creio em paz sem divisão
De tanto amor que eu espalhei
Em cada céu em cada chão
Minha alma lá deixei

Leonardo Brocker disse...

Canção da Meia-noite
Compositor: Zé Flávio

Quando a Meia-Noite me encontrar, junto a você;
Algo diferente vou sentir, vou precisar me esconder;
Na sombra da lua cheia, neste medo de ser;

Um vampiro, um lobisomen, um saci-pererê
Um vampiro, um lobisomen, um saci-pererê

Quando a Meia-Noite me encontrar, junto a você;
Algo diferente vou sentir, vou precisar me esconder;
Na sombra da lua cheia, neste medo de ser;

Um vampiro, um lobisomen, um saci-pererê
Um vampiro, um lobisomen, um saci-pererê

Dona senhora meia-noite eu canto esta canção anormal;
Dona senhora nesta lua cheia meu corpo treme o que será de mim;
Que faço forças pra resistir a toda esta tentação;
Das sombras da lua cheia, deste medo de ser;

Um vampiro, um lobisomen, um saci-pererê
Um vampiro, um lobisomen, um saci-pererê

Leonardo Brocker disse...

"Fonte da Saudade"
Compositor: Kledir Ramil

Esse quarto é bem pequeno
Prá te suportar
Muito amor, muito veneno
Prá pouco lugar
O teu corpo é uma serpente
A me provocar
E o teu beijo a aguardente
A me embriagar
Essa boca muito louca
Pode me matar
Se isso é coisa do demônio
Eu quero pecar
Fecha a luz, apaga a porta
Vem me carinhar
Diz aí prá minha tia
Que eu fui viajar
Diz que eu fui prá Nova Iorque
Ou prá Bagdá
E que isso não é hora de telefonar
Eu já sei que qualquer dia
Tudo vai dançar
Mas a fonte da saudade
Nem o tempo vai secar

Leonardo Brocker disse...

"Maria Fumaça"
Compositor: Kleiton E Kledir

Essa Maria Fumaça
É devagar quase parada
Oh seu foguista
Bota fogo na fogueira
Que essa chaleira
Tem que tá até sexta-feira
Na estação de Pedro Osório
Sim senhor!...

Se esse trem não chega a tempo
Vou perder meu casamento
Atraca, atraca
Ligadão nessa lareira
Esse fogão é que
Acelera essa banheira
O padre é louco
E bota outro em meu lugar...

Se chego tarde não vou casar
Eu perco a noiva e o jantar
A moça não é nenhuma miss
Mas é prendada e me faz feliz
Seu pai é um próspero fazendeiro
Não é que eu seja interesseiro
Mas sempre é bom e aconselhável
Unir o útil ao agradável...

Esse trem não sai do chão
(Capaz!)
Urinaram no carvão
(Mas que barbaridade!)
Entupiram a lotação
(Mééééé!)
E eu nem sou desse vagão
(Mas que tá fazendo aqui?)
Mas que baita confusão
(Opa! Opa!)
Tem crioulo e alemão
(Empregado com patrão)
Ôpa! Me passaram a mão
Ora vá lamber sabão...

Tagará, tagará, tagará
Tagará, tagará
Togoro, togoro
Togoro, togoro
Tagará, tagará, tagará
Tagará, tagará, tagará
Togoro, togoro, togoro
Se por acaso eu não casar
Alguém vai ter
Que indenizar...

Esse expresso vai a trote
Mais parece um pangaré
Essa carroça
Jaboti com chaminé
Eu tenho pena
De quem segue prá Bagé
Seu cobrador cadê meu troco?
Por favor!...

E dá-lhe apito e manivela
Passa sebo nas canelas
Seu maquinista
Eu vou tirar meu pai da forca
Por que não joga esse museu
No ferro velho
E compra logo
Um trem moderno japonês...

No dia alegre do meu noivado
Pedi a mão todo emocionado
A mãe da moça me garantiu:
"É virgem, só que morou no Rio
O pai falou:
"É carne de primeira
Mas se abre a boca
Só sai besteira"
Eu disse:
"Fico com essa guria
Só quero mesmo
É prá tirar cria"...

Esse trem não era o teu
O meu esvaziaram o pneu
Mas cadê esse guri?
Tá na fila do xixi
Tem chiclete com tatu
(Que nojo!)
E foi alguém de Canguçu
Me roubaram meu chapéu
(Alapucha!)
Chama o homem do quartel
E deu enjôo na mulher
Fez "porquinho" no meu pé...

Tagará, tagará, tagará
Tagará, tagará
Togoro, togoro
Togoro, togoro
Tagará, tagará
Togoro, togoro
Togoro, togoro
Se por acaso eu não casar
Alguém vai ter
Que indenizar
E é o presidente dessa tal
R.F.F.S.A...R.F.F.S.A.
R.F.F.S.A...R.F.F.S.A.
R.F.F.S.A...R.F.F.S.A.

Leonardo Brocker disse...

"Roda da Fortuna"
Compositor: Kledir Ramil

Em pleno século XX
Eu quero mais é viver
Compro a felicidade
E o resto, pago pra ver

Meu coração tem segredos
É um cofre sem soluções
E sei cobrar cada beijo
Com juros e correção

Já bebi o fogo
No gargalo do pavor
Em solução ácida
Sou o diabo a todo vapor

Mas um carinho bem no alvo
Me destrói
Em meio alcalino
Sou um menino em paz

No meio dessa cidade
Nada mais tem valor
E essas paixões descartáveis
A gente chama de amor

Enquanto engorda a poupança
Destila meu coração
Sei que no fundo a fortuna
É a roda da ilusão.

Leonardo Brocker disse...

"Vira Virou"
Compositor: Kleiton e Kledir

Vou voltar na primavera
Era tudo o que eu queria
Levo terra nova daqui

Quero ver o passaredo
Pelos portos de Lisboa
Voa, voa, que eu chego já

Mas se alguém segura o leme
Dessa nave incandescente
Que incendeia a minha vida
Que era viajante lenta
Tão faminta da alegria
Hoje é porto de partida

Ah vira, virou
Meu coração navegador!
Ah gira, girou
Essa galera...

Leonardo Brocker disse...

"Deu Pra Ti"
Compositor: Kleiton e Kledir

Deu pra ti
Baixo astral
Vou pra Porto Alegre
Tchau

Deu pra ti
Baixo astral
Vou pra Porto Alegre
Tchau

Quando eu ando assim meio down
Vou pra Porto e... bah!, tri legal
Coisas de magia, sei lá
Paralelo 30

Alô tchurma do Bonfim
As guria tão tri afim
Garopaba ou Bar João
Beladona e chimarrão

Que saudade da Redenção
Do Fogaça e do Falcão
Cobertor de orelha pro frio
E a galera no Beira Rio.

Leonardo Brocker disse...

"Estrela, Estrela"
Compositor: Vítor Ramil

Estrela, estrela
Como ser assim
Tão só, tão só
E nunca sofrer
Brilhar, brilhar
Quase sem querer
Deixar, deixar
Ser o que se é
No corpo nu
Da constelação
Estás, estás
Sobre uma das mãos
E vais e vens
Como um lampião
Ao vento frio
De um lugar qualquer
É bom saber
Que és parte de mim
Assim com és
Parte das manhãs
Melhor, melhor
É poder gozar
Da paz, da paz
Que trazes aqui
Eu canto, eu canto
Por poder te ver
No céu, no céu
Como um balão
Eu canto e sei
Que também me vês
Aqui, Aqui Com essa canção

Leonardo Brocker disse...

"Lagoa dos Patos"
(Kledir Ramil / José Fogaça)

Lá no fundo da lagoa
Dorme uma saudade boa
Longe desse céu sereno
O coração pequeno
E vazio ficou
Sei que a vida içou as velas
Mas em noites belas
Sou navegador
Lá no fundo da lembrança
Dorme um resto de esperança
De voltar à vida a toa
À beira da lagoa
Só molhando o pé
Seja em Tapes, São Lourenço
Barra do Ribeiro ou Arambaré

Lagoa dos Patos
Dos sonhos, dos barcos
Mar de água doce e paixão

Ah! Essa canção singela
Eu fiz só pra ela
Não me leve a mal
Ela que é filha da lua
Que ilumina as ruas
Lá do Laranjal.

Leonardo Brocker disse...

"Navega Coração"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Nos naufrágios que o destino
Vem tentando me pregar
Vou nadando meus caminhos devagar
Desde os tempos de menino

Aprendi a navegar
Com as bússolas que eu mesmo inventar
Hoje eu sei as armadilhas
E os segredos desse mar

Que viver não é preciso nem será
Tenho os olhos no cruzeiro
As sereias como guia
E Netuno me protege noite e dia
E nem piratas, nem borrascas nem dragões
Vão me impedir de ser feliz

De levantar a minha âncora e partir
Navega coração
As águas desse mar
Voa coração
Prá lá do arco-íris

Leonardo Brocker disse...

"Paixão"
(Kledir Ramil)

Amo tua voz e tua cor
E teu jeito de fazer amor
Revirando os olhos e o tapete
Suspirando em falsete
Coisas que eu nem sei contar
Ser feliz é tudo que se quer
Ah! Esse maldito fecho ecler
De repente a gente rasga a roupa
E uma febre muito louca
Faz o corpo arrepiar
Depois do terceiro ou quarto copo
Tudo que vier eu topo
Tudo que vier, vem bem
Quando bebo perco o juízo
Não me responsabilizo
Nem por mim, nem por ninguém

Não quero ficar na tua vida
Como uma paixão mal resolvida
Dessas que a gente tem ciúme
E se encharca de perfume
Faz que tenta se matar
Vou ficar até o fim do dia
Decorando tua geografia
E essa aventura em carne e osso
Deixa marcas no pescoço
Faz a gente levitar
Tens um não sei que de paraíso
E o corpo mais preciso
Que o mais lindo dos mortais
Tens uma beleza infinita
E a boca mais bonita
Que a minha já tocou

Leonardo Brocker disse...

"Trova"
(Kledir Ramil)

Ô tchê este desafio me deixa muito orgulhoso
Tu tem fama de valente de taura e de gostoso
Mas eu acabo contigo ou não me chamo João Cardoso

Teu nome é João Cardoso mas te chamam de Odete
De dia tu é muito macho de noite vira vedete
E o que corta pros dois lados na minha terra é gilete

Na tua terra é gilete pois vem que eu te passo a faca
Vai cuidar da tua mulher sirigaita esta polaca
Namora com meio mundo e te botou chapéu-de-vaca

Me botou chapéu-de-vaca que falta de educação
Tu é muito ignorante precisa de uma lição
Se eu tenho cara de vaca vem cá terneiro-mamão

Vem cá terneiro-mamão, dobra essa língua ou engole
Depois desse desaforo não há mais quem me controle
Eu não sou de perder trova pra gaúcho bunda mole

Me chamou de bunda mole pois vem que eu te passo o relho
Tu além de colorado tu também é muito feito
Quê que tu pensa comigo alemão do cú vermelho

E me chamou de cú vermelho, cú vermelho é rapadura
É melhor ir terminando q a coisa jah tah escura
Fica o dito por não dito e joga água na fervura

Tá combinado cumpadre, subiu a temperatura
As moças já estão rosadas, também com tanta grossura
Agora tá tudo em paz vamos parar de brigar
A dupla kleiton e kledir nunca mais vai se acabar

Leonardo Brocker disse...

"Corpo e Alma"
(Paul Simon – Versão: Kledir Ramil)

Quando eu era assim
Bem menor
Não tive a fim, sei lá
De pensar em nós
Agora eu sei e entendo melhor
Vidente eu li no céu
Vai por mim, somos corpo e alma
Meu irmão, meu par
Quando a solidão
Se enredar em ti
E o coração dançar
Conta comigo
Eu quero estar, viu
A teu lado
E haja o que houver
Junto a ti, feito corpo e alma
Meu irmão, meu par

Sei que a vida vai aprontar
E o que vier, azar
A dois é fácil segurar
Se Deus deixar, viu
Meu amigo
Vou sempre estar aqui
Junto a ti, feito corpo e alma
Meu irmão, meu par

Leonardo Brocker disse...

"Nem Pensar"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Eu hein ?
Nem pensar
Outra vez, nem pensar
Embolou, foi demais
Pega leve, baby

Eu hein ?
Nem pensar
Outra vez, nem pensar
Já sartei, foi demais
Dá um tempo pra mim

Deixa assim
Mal ou bem, bem ou mal
Conjunção som e sol é fogo
Baby

E aí, se rolar
É sinal que valeu
Que o destino escreveu a vida
Baby

Eu hein ?
Nem pensar
Outra vez, nem pensar

Baby
Se rolar
Já pensou
Nem pensar

Leonardo Brocker disse...

"O Analista de Bagé"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)
Baseado na Obra de Luis Fernando Veríssimo

Digo buenas e me espalho
E já vou puxando a faca
Nem toda mulher é vaca
Mas toda vaca é mulher
Sempre fui solito aos pé
Dispenso acompanhamento
Eu mesmo me apresento:
Analista de Bagé

Sou natural da fronteira
Batizado num regato
Guri criado no mato
Campeão de guerra de bosta
De truco e nado de costa
Já barranqueei muita égua
Mas hoje em dia dei trégua
Isso é coisa prá quem gosta

Freudiano barbaridade
Sou doutor em joelhaço
Louco se cura é no laço
Encho de tapa o bagual
Ou mateando, coisa e tal
Pos chimarrão ilumina
A idéia e as urina
E desembucha o animal

Lindaura, a recepcionista
É trigo e se não me engano
Só dá uma vez por ano
Mas quando vem fico louco
A nega véia é um sufoco
Além do mais é de graça
Aquela china buenaça
Não é de se dar pros porco

Dos causo que me aparece
Os Édipo são os mais chatos
Grudam que nem carrapato
Nas comadre, assim no más
Não te fresqueia, rapaz!
Tua mãe já tá na lona
Vai lá te meter na zona
E deixa essa velha em paz

Uma chinoca gasguita
Mas especial de primeira
Me veio flor de faceira
Tinha furor uterino
Mas tche, que baita pepino!
Joguei ela nos pelego
E acalmei o borrego
Como manda o figurino

Não hai veado gaúcho
Nem nunca houve na história
São correntes migratórias
Que se vieram que nem churrio
Ou, bueno, alguém permitiu
Enquanto Deus cochilava
Ou então é porque já tava
Preenchida a cota do Rio

E já me voy despacito
Ganhando o lado das casa
Quando eu falo, viro brasa
Sou um índio meio grosso
Salta a veia do pescoço
E seja o que Deus quiser
Tô a gosto, vou de a pé
Tranquilo feito água em poço

Leonardo Brocker disse...

"Saiçu (Segredo do Meu Coração)"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

É bem cedinho, é tão bonito
Como eu te amo, feito um menino
Brinco na areia
Brilho no olho
Sinto o teu cheiro
de coisa boa

Sou muito lua
Sou muito nua
Vivo sonhando
Mas tenho medo
Nessa guria tem bruxaria
Perco a cabeça
Tenho vontade de gritar

Guaraná, euforia
Gererê, folia
Minha mãe dizia
É segredo do seu coração
Anhangá se ria
Dessa valentia
Saiçú, magia
É segredo do meu coração (meu coração)
Segredo do meu coração (meu coração)
Segredo do meu coração

É tão bonito
Essa alegria
Que eu queria te dar um beijo
Nessa cabeça tem safadeza
Perco a vergonha
Tenho vontade de te amar

Guaraná, euforia
Gererê, folia
Minha mãe dizia
É segredo do seu coração
Anhangá se ria
Dessa valentia
Saiçú, magia
É segredo do meu coração


Guaraná
Gererê
Minha mãe
Segredo do seu coração
Anhangá se ria
Dessa valentia
Saiçú, magia
É segredo do meu coração (meu coração)
Segredo do meu coração (meu coração)
Segredo do meu coração

Leonardo Brocker disse...

"Tô que Tô"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Vem cá de qualquer maneira
Balança minha roseira
Me bate de brincadeira
Me chama de traiçoeira

Me tranca na geladeira
Apaga a minha fogueira
Promete qualquer besteira
Que eu fico toda faceira

Tortura essa brasileira
Me arranha com a pulseira
Me enforca na trepadeira
Pendura minha chuteira

Menino,mas que zoeira
Cadê meu advogado?

Eu tô que tô

La luz a la media boca
Besame mucho loca
Não,isso não
Me dá coceira

Vem cá minha compoteira
Balança essa pasmaceira
Me bate com a cabideira
Me chama de lavadeira

Não grita,não dá bandeira
Periga marcar bobeira
Quebrei o pá da cadeira
Cuidado com a cristaleira

Segura,me deu gagueira
Eu juro que é verdadeira
Desfarça e chama a enfermeira
Tá dando uma tremedeira

Mamãe,viva o zé pereira
Cadê meu advogado?

Eu tô que tô

Leonardo Brocker disse...

"Viva"
(Kledir Ramil)

Viva a alegria
E viva o prazer
De estar gostando de viver
Viva o oxigênio
Que invade o nariz
E faz a gente ser feliz

Viva a natureza
Deusa da beleza
Mãe das coisas que são boas
Viva a harmonia
O beijo na boca
E quem sabe fazer amor

Viva a alegria
E viva o prazer
De estar gostando de viver
Viva a maravilha
Que somos eu e tu
E viva o rabo do tatu

Leonardo Brocker disse...

"Bailão"
(Vitor Martins / Kledir Ramil)

Dá-le xote e vanerão
Tchê que festa, que bailão
Abre a gaita, seu Adão
Limpa os banco do salão

Mal tocou a primeira
Tava a tropa inteira
Arrastando as bota no chão

E até uma freira
No seu chá de pera
Batucava a mesa com a mão

Dei de mão na China
Flor de coisa fina
E me fui rodar no salão

Num bugio largado
E eu mais enredado
Do que cusco em procissão

Dá-le xote...

E lá pelas tantas
Eu a meia guampa
Esbarrei no tal Alemão

Cheio de fricotes
E de não me toques
Me tirou satisfação

Me olhou de cima
E eu não sou vitrina
Dei-lhe um tapa e o taura tremeu

E falei pra China
Vê se eu tô na esquina
Que o negócio agora fedeu

Dá-le xote...

E o bagual de troco
Saiu feito louco
Dando tiro sem direção

A turma do atiço
E a do deixa disso
Se atracaram a ferro e facão

E no burburinho
Saí de fininho
Pelo que sobrou do portão

Agarrei a China
Que tava na esquina
Me mandei pra outro bailão.

Leonardo Brocker disse...

"Roda de Chimarrão"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Esquentei a água no fogareiro do Mboitatá
Tô cevando um mate com erva boa da barbaquá
E vamo charlando e contando causos que "já lá vão"
É o sabor do pampa, de boca em boca, de mão em mão

Acendi uma vela, que é pro Neguinho nos ajudar
A encontrar as estórias, porque a memória pode falhar
E sabedoria é fechar o amargo e viver em paz
Mate e cara alegre, porque o resto a gente faz

Puxa um banco e senta
Que tá na hora do chimarrão
É o sabor do pampa
De boca em boca, de mão em mão
Puxa um banco e senta
Vem cá pra Roda de Chimarrão
Vem aquece a goela
E de inhapa a alma e o coração (x2)

Dizem que não presta mijar cruzado pois dá azar
Se grudou os cachorros só água fria pra separar
Diz que palma benta, pra trovoada, é o melhor que há
E se assobiar o Minuano, é certo que vai clarear

Minha vó me disse que andar descalço dá mijacão
Cavalo enfrenado na lua nova fica babão
Com passarinheiro e mulher sardenta é bom se cuidar
E quem vai depressa demais, a alma fica prá trás

Puxa um banco e senta
Que tá na hora do chimarrão
É o sabor do pampa
De boca em boca, de mão em mão
Puxa um banco e senta
Vem cá pra Roda de Chimarrão
Vem aquece a goela
E de inhapa a alma e o coração (x2)

O melhor pra tosse é cataplasma e chá de saião
Pra acabar com a gripe só sabugueiro ou então limão
Pra curar berruga é benzer pra estrela e invocar Jesus
Contra mau olhado, um galho de arruda e o sinal da cruz

Chá de quebra pedra, ipê, arnica e canela em pó
Hortelã, marmelo, marcela, boldo e capim cidró
Tudo tem remédio: churriu, cobreiro e má digestão
Só pra dor de amor é que não tem jeito nem solução

Puxa um banco e senta
Que tá na hora do chimarrão
É o sabor do pampa
De boca em boca, de mão em mão
Puxa um banco e senta
Vem cá pra Roda de Chimarrão
Vem aquece a goela
E de inhapa a alma e o coração (x2)

Leonardo Brocker disse...

"Pára Pedro"
(José Mendes / José Portella Delavy)

Era um baile lá na serra na fazenda da Ramada
Foi por lá que um tal de Pedro se chegou de madrugada
Só escutei um zum-zum, mas não sabia de nada
Só ouvia mulher gritando esse Pedro é uma parada

Pára Pedro, Pedro pára
Pedro pára, pára Pedro, esse Pedro é uma parada
Era o Pedro lá num canto beliscando as namorada

Quando foi lá pelas tantas que a farra tava animada
Apagaram o lampião e a bagunça foi formada
As veia se revoltaram “Pedroca não é de nada”
E o Pedro brigou com as veia e foi uma peleia danada

Pára Pedro, Pedro pára
Pedro pára, pára Pedro, esse Pedro é uma parada
Fazia “cosca” nas véia e as véia davam risada

Pedro foi dançar um xote com uma véia apaixonada
Surgiu o véio da véia e a coisa foi complicada
Pedro correu pelos fundos entrou numa porta errada
As moças levaram um susto e gritaram desesperadas

Pára Pedro, Pedro pára
Pedro pára, pára Pedro, esse Pedro é uma parada.

Leonardo Brocker disse...

"Tô a Fim de Ficar Contigo"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Tô quase sem voz de tanto falar
Tô a fim de ficar contigo
E, cá entre nós, ficar pra valer
Do contrário, não faz sentido

Tentei desbundar, andei por aí
Mas, não tem nada a ver comigo
Às vezes, sei lá, me enrolo demais
Sutilezas do meu estilo

Olha pra mim, desfaz essa cara
Não dá mais pra ficar com clima
Se a gente arrasou do jeito que era
Imagina uma oitava acima

Voltei pra ficar, ficar pra valer, vamos lá!
E quando se vai além do prazer é demais
Valeu!

Tô quase sem voz de tanto falar
Tô a fim de ficar contigo
Eu gosto é de nós, da nossa cadência
Vamos lá, outra vez "da capo"

Leonardo Brocker disse...

"Guri de Salvador"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Um guri de salvador me pediu um regaee
E aquilo me lembrou lá de porto alegre
São meninos no bueiros
Ninjas de outra escola
A ilusão de ser feliz num cheirinho de cola

Ah! eu não sei rezar, mas peço pro senhor
Ah! abençoa o guri de salvador

São milhares de guris soltos pela rua
E o mundo segue igual, cada um na sua
Com o céu de cobertor e um par de sandálias
Vão driblando o azar pela candelária

Ah! eu não sei rezar, mas peço pro senhor
Ah! abençoa o guri de salvador

Meu guri de salvador, cara de moleque
Muita sorte e muito amor pois você merece
Sei que a vida vai te dar muito mais
Que um regaee
Um abraço do cantor lá de porto alegre

Ah! eu não sei rezar, mas peço pro senhor
Ah! abençoa o guri de salvador

Ah! eu não sei rezar, mas peço pro senhor
Ah! abençoa o guri de salvador

Ah! eu não sei rezar, mas peço pro senhor
Ah! abençoa o guri de salvador

Leonardo Brocker disse...

"Mamma Mia"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Quando escuto uma conga latina
Dá uma taquicardia
Me desaparafusa as idéia
Beira a esquizofrenia

E não falo mais coisa com coisa
Meu olhar rodopia
Escancaro na coreografia
Ai ai ai mamma mia

Y bailo contigo
Ai ai ai mamma mia

Quem você levaria
Pra uma ilha deserta?
No mar do Caribe
Só nós os dois e a orquestra
Tocando maracas
Num apocalipso
Passar dos limites
E perder o juízo

Quando abraço teu corpo moreno
Minha alma arrepia
Me desperta uma coisa esquisita
Uma pirogenia

Dá um calor na região do umbigo
Cuando bailo contigo
Chama 193, o bombeiro
Pra jogar água fria

Y bailo contigo
Ai ai ai mamma mia

Quem você levaria
Pra uma ilha deserta?
Uma afrodisia
No meio da floresta
Brincar de ver corrida
De submarino
Perder a cabeça
E sair dos trilhos

Sempre sonho dentro do pijama
Com uma ilha deserta
E acordo em Copacabana
Com você puxando a coberta

Qualquer dia eu atinjo o Nirvana
Com essa terapia
Aula prática de anatomia
Ai ai ai mamma mia

Y bailo contigo
Ai ai ai mamma mia.

Leonardo Brocker disse...

"Autorretrato"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

- Já nasci estressado
Com 2 kgs e 100
- E eu, careca e pelado
Meio magro também
- Não peguei catapora
- Não fui me batizar
- Vixe Nossa Senhora
- Salve Oxalá!
- Fui criado na rua
Tenho meus pés no chão
- Sou do mundo da lua
Troco os pés pelas mãos
- Tenho medo do escuro
- E eu de andar de avião
- Sou de Porto Seguro
- E eu de Jaguarão
Coisa boa é um amigo
Pra poder se encontrar
E jogar conversa fora
Tu me ensina a viver
Que eu te ensino a sonhar
E por aí vamos embora
- Sou do balacobaco
- Eu não tô nem aí
- Jogador de buraco
- Coleção de gibi
- Futebol de areia
- Futebol de botão
- Caminhada na esteira
- Televisão
- Tô relendo Bandeira
- E eu, Machado de Assis
- Sou Flamengo e Mangueira
- Vasco e Imperatriz
- Sinto frio nos joelhos
- Eu, na ponta dos pés
- Sou alérgico a pêlo
- Tenho chulé
Coisa boa é um amigo
Pra poder conversar
E trocar figurinhas
Tu me ensina a viver
Que eu te ensino a sonhar
Cada sonho que eu tinha
- Eu só como o miolo
- Eu, casquinha do pão
- Spaghetti com molho
- Bife, arroz e feijão
- Sou viciado em chiclete
- Picolé de limão
- Bomba e crepe Suzette
- Goiabada cascão
- Sou Aquário com Touro
- Ascendente Leão
- Eu já fui escoteiro
- Escapei de raspão
- Sou cantor de chuveiro
- Eu adoro dançar
- Vou casar em janeiro
Em B.H.
Coisa boa é um amigo
Pra poder revirar
O que ficou na lembrança
Tu me ensina a viver
Que eu te ensino a sonhar
Cheios de esperança
- Eu odeio gravata
- Gente com celular
- Cervejinha de lata
- Coca Cola sem gás
- Ando sempre atrasado
- Eu só pego metrô
- Corro atrás de uns trocados
Sou professor
- Não relaxo o pescoço
- Eu, só no Maracanã
- Eu só durmo de bruços
- Eu, com Lexotan
- Uso toca de banho
- Cueca samba canção
- Eu não ronco
- Estranho, eu também não!
Coisa boa é um amigo
Pra poder confessar
Cada velha mania
Tu me ensina a viver
Que eu te ensino a sonhar
Cada sonho que havia
- Ando meio caído
- Pra lá de Bagdá
- Uma certa barriga
- É, já deu pra notar
- Vou fazer um check up
- Já parei de fumar
- Antes que dê um ataque
Vou pra um spa
- Sou do tempo do êpa
- Andei de DKW
- Volta ao mundo, Lambretta
- Brinquei de bambolê
- Hoje eu olho na volta
- Olho e sei que valeu
- Vou levando a vida
Graças a Deus
Coisa boa é um amigo
Pra poder relembrar
Pois são tantas histórias
Tu me ensina a viver
Que eu te ensino a sonhar
Pela vida afora
Coisa boa é um amigo
Pra poder relaxar
E jogar conversa fora
Tu me ensina a viver
Que eu te ensino a sonhar
E vamos tocando a bola

Leonardo Brocker disse...

"Estrela Cadente"
(Kleiton Ramil / Kledir Ramil)

Estrela cadente
Na escuridão
Acende a fogueira do meu coração
Estrela cadente
Acende um clarão
Segredos do meu coração

Fiz um pedido pra estrela
Não sei se ela entendeu
No meio do meu desejo
Ela desapareceu

Estrela cadente
Na escuridão
Acende a fogueira do meu coração
Estrela cadente
Acende um clarão
Segredos do meu coração

Vivo na noite do tempo
Atrás do que se perdeu
Vai ver, a estrela sabia
Por isso não respondeu

Estrela cadente
Na escuridão
Acende a fogueira do meu coração
Estrela cadente
Acende um clarão
Escuta os segredos do meu coração
(Segredos do meu coração).

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design