domingo, 1 de julho de 2012

Trilhas e Macacos no Parque da Ferradura, em Canela

Após tomar os Gatorade, deixei a bike acorrentada a um pilar junto à churrasqueira e iniciei as pequenas trilhas do parque. Por estar só e ter que voltar pedalando, achei prudente não encarar as trilhas maiores. Além disso, não estava com roupa para enfrentar trilhas mais longas...


Macaco, no Parque da Ferradura, em Canela



A Ferradura e A Cascata do Arroio Caçador

A primeira coisa que se procura ver ao chegar ao Parque da Ferradura é a Ferradura em si. E os mirantes oferecem uma vista um pouco diferente, conforme o ângulo. O que apresenta a visão mais limpa e completa é o posicionado um pouco mais à esquerda da Ferradura. Este foi o primeiro que visitei.


Cascata do Arroio Caçador, Parque da Ferradura

Olhando-se desse ângulo, em frente, você verá o morro em torno do qual o rio Caí faz um curva. Essa curva, em formato similar ao de uma ferradura, é a que dá nome ao parque. Ao fundo, à esquerda desse morro, você verá o cânion. E à direita, do outro lado do rio, você verá a Cascata do Arroio Caçador. Também chama a atenção o paredão de rochas basálticas.

Macaco no Telhado da Lanchonete
As Árvores e A Trilha da Cutia

Não deixe de reparar também nas árvores. E há inúmeras por ali! Sejam as araucárias, no topo do morro, sejam os diversos outros de árvores com os quais você irá se deparar, mesmo nas pequenas trilhas que você fizer. Uma delas leva ao Mirante da Cascata do Arroio Caçador. Este mirante proporciona uma visão mais próxima da cascata vista no primeiro mirante.


Árvores na Trilha da Cutia, Parque da Ferradura

Após conferir os mirantes fiz a Trilha da Cutia, de 10 minutos. Identifiquei diversos tipos de árvores. Algumas delas cruzam por sobre a trilha. Talvez o melhor a dizer seja que a trilha passasse por sob as árvores... Mas não observei nenhum animal por ali... Os animais eu iria ver próximos ao bar. Ali encontrei uma turma de macacos!


Macaco Comendo no Parque da Ferradura

Macacos na Lanchonete do Parque da Ferradura

Ao acabar a Trilha da Cutia, retornei à churrasqueira onde havia deixado a bicicleta. O atendente do bar comentou que havia um monte de macacos nas árvores atrás do bar. É claro: fui dar uma conferida! Afinal de contas, é sempre um aprendizado observar o comportamento dos animais. Ainda mais dos macacos, nossos “parentes” mais próximos...




A primeira coisa que o cara do bar chamou a atenção era sobre o comportamento dos macacos mais novos. Como eles ainda tem medo do contato com os humanos, não se aproximam muito. Assim, os mais velhos chegam mais perto e pegam toda a comida. Mas mesmo os mais experientes pegam a comida da sua mão e voltam rápido para as árvores, onde irão comer em segurança.




O mais curioso foi observar uma macaca, com um filhote preso nas costas. Fiquei observando este animal por mais de 10 minutos! E a cautela dela era enorme. Afinal, se por um lado precisava se alimentar, por outro precisa proteger a sua cria. E o macaquinho também sabia que com ela estaria seguro. A mãe pulava de uma árvore para a outra e ele não desgrudava de suas costas...







Retomando a Pedalada...

Após observar atentamente o comportamento dos macacos, arrumei minha mochila, coloquei as luvas e o capacete e retomei a pedalada. Iniciei, assim, o retorno até a casa de meus pais, em Canela

Nos pouco menos de 15 km da volta até o centro da cidade, eu acabaria parando em três lugares. Primeiro, no Parque do Teleférico. Depois, no Castelinho Caracol e, por fim, no Pinheiro Grosso...

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design