quarta-feira, 11 de julho de 2012

5 Dicas do Guasca para as Trilhas do Parque das 8 Cachoeiras: Ambiente e Roupas Adequadas

Se você quer conhecer o maior número de cachoeiras, no Parque das 8 Cachoeiras, em São Francisco de Paula, deixo aqui algumas dicas. É claro: as constatações são baseadas na minha experiência. Lamentavelmente, não fiz uso completo de todas, passando alguns perrengues...

1 – Pesquise sobre o Local: se você tiver ideia sobre o terreno, o clima e a duração média das trilhas que irá enfrentar, poderá se programar com maior precisão no que diz respeito a roupas e alimentos...

Cachoeira Gêmeas Gigantes no Parque das 8 Cachoeiras, em São Francisco de Paula
Cachoeira Gêmeas Gigantes
 
2 – Começar de Manhã Cedo: isto é óbvio, mas não pode deixar de ser dito! O Parque das 8 Cachoeiras abre as 8h30. Cheguei lá por volta das 9h15. Comecei a fazer as trilhas às 9h30 e concluí às 17h25. Exatamente, 5 minutos antes de o parque fechar.

3 – Vá durante o Verão: há duas razões para isto! A primeira é que o parque fecha às 18h, no verão. A segunda é que, talvez, você consiga suportar a temperatura da água e tomar banho em alguma das cachoeiras.

Fui no sábado de páscoa, dia 07/04/12. E logo estranhei que o parque fecharia às 17h30. Está certo: abril não é verão! Mas ainda está bem longe do inverno... Fazendo as trilhas, percebi que às 17h já estava escuro na mata. Também não suportei a temperatura da água! Certamente estava menos de 10 graus. Em menos de 2 segundos, os seus pés estarão doendo.

Mesmo assim, mergulhei, nadei por uns 15 segundos até umas pedras embaixo da queda. Fiquei uns 2 ou 3 minutos e saí da água. Só duas cachoeiras são indicadas para banho. E nelas quase não bate sol. A água é fria e fica difícil controlar os tremores no corpo ao sair delas... Ah, as outras cachoeiras são cheias de pedras o que tornaria o banho uma aventura de alto risco...

Cachoeira Remanso, no Parque das 8 Cachoeiras, em São Francisco de Paula
Cachoeira Remanso, Parque das 8 Cachoeiras

4 – Vá de Bota para Trekking: eis a escolha difícil: resistência x conforto! A trilha até a Cachoeira Gêmeas Gigantes, a mais distante da sede (recepção) do parque, é bem acidentada. E o risco de entorses de tornozelo no percurso é considerável. O risco de quedas também deve ser considerado.

Ou seja, uma bota confortável e de solado antiderrapante é de grande ajuda. Se for impermeável, melhor ainda. É claro, a maioria das pessoas faz as trilhas usando tênis de caminhada. Vi até pessoas fazendo a trilha das Gêmeas Gigantes de chinelos. Mas o seu rendimento será muito mais baixo! E, com sorte, você concluirá quatro das oito cachoeiras...

Fui com uma bota velha, com a sola lisa. Torci os pés algumas vezes e sofri uma queda. Mais ou menos no meio da trilha para as Gêmeas Gigantes. Falarei mais sobre isto no relato dessa trilha. Só para resumir: caí sentado sobre as pedras, durante uma das 22 vezes que se cruza o rio. A dor foi intensa. Cheguei a tontear. Isto prejudicou o meu rendimento nesta e nas outras sete trilhas...


Trilha da Cachoeira Gêmeas Gigantes no Parque das 8 Cachoeiras, em São Francisco de Paula
Trilha da Cachoeira Gêmeas Gigantes

5 – Usar Roupas Compridas: há calças, camisas de manga longa e casacos bem leves! É claro, usando manga longa, você suará um pouco mais. Em compensação, poupará em protetor solar e repelente contra insetos.

Talvez 90 a 95% das trilhas sejam dentro da mata. Assim, a exposição direta ao sol é pequena. Porém, perdi a conta de quantas teias de aranha cruzei ao longo da caminha...

A menor incidência de luz torna a maioria das teias invisíveis. Boa parte delas você só perceberá por grudarem nas roupas ou no boné. Há também os galhos e espinhos que – cedo ou tarde – irão roçar suas roupas ou sua pele...

Segue com...

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design