sexta-feira, 1 de junho de 2012

Palácio San Martín: Antigo Palácio Anchorena, Buenos Aires

Localizado a noroeste da Plaza San Martín, o palácio é um exemplo da ostentação de riqueza do início do século XX, em Buenos Aires. Foi construído em 1905, pela família Anchorena, uma das famílias de proprietários rurais mais ricas e influentes da Argentina

Escadaria no Interior do Palácio Anchorena


O Estilo da Construção do Palácio Anchorena, atual Palácio San Martín

A construção baseia-se na mansão de um banqueiro parisiense do século XIX, com suas mansardas, arcadas e áticos. Já o interior neobarroco foi inspirado no Hôtel de Condé, um hotel parisiense do século XVII. Se o Palácio Paz é a maior mansão do Retiro, o Palácio San Martín é o mais elegante. 

Pátio no Interior do Palácio Anchorena



O Arquiteto que Desenhou o Palácio Anchorena

Alejandro Christophersen (1866-1946) desenhou o Palácio Anchorena. Formou-se na Academia de Bellas Artes de Paris. A inspiração maior foi o projeto "Hotel à Paris pour un Riche Banquier". Os depósitos e instalações ficam na planta baixa. Os salões de recepção e o gran hall, no primeiro piso. As habitações privadas, no segundo. E as dependências de serviço, no último andar. 

Escadaria para Pátio do Palácio


Mercedes de Anchorena

Edifício em estilo classicismo "belle époque", construído entre 1905 e 1909. Foi encomendado por Mercedes Castejjanos de Anchorena. Dona de uma das maiores fortunas da Argentina, foi uma incansável promotora de obras religiosas e de caridade. Construiu o seminário Villa Devoto e a Basílica do Santíssimo Sacramento. 

Mercedes teve 11 filhos, dos quais 5 sobreviveram e 3 moraram com ela do Palácio Anchorena: Aáron, Enrique e Emílio. 

Corredor do Palácio Anchorena



Os Filhos de Mercedes de Anchorena

Aáron habitava a ala esquerda do palácio, junto com sua mãe. Continuou vivendo ali após a morte desta e durante o casamento com Zelmira Paz, celebrado em 1923. Aficionado pela vida de salão em Buenos Aires e na Europa, Aáron era também um amante dos esportes. 

Realizou uma expedição à Patagônia na juventude. E comprou a ilha Victória, no Lago Nahuel Huapi. Amante de aviação, fundou o Aeroclube da Argentina. Construiu também um campo de golfe e interessava por iatismo.

Claraboia no Palácio


Enrique casou com Hercília Cabral Hunter e ocupou a parte central do Palácio Anchorena. Destacou-se pelo interesse por arboricultura. Emílio casou com Leonor Uribiru e ocupou a ala direita do edifício. Este setor também foi residência de sua filha, Leonor Anchorena de Luro.

Pátio no Interior do Palácio San Martín



As filhas de Mercedes também habitaram grandes residências em Buenos Aires. Matilde, casada com Carlos Ortiz Basualdo, depois com Pedro Vertraeten, morou no Palácio Ortiz Basualdo. Josefina, casada com o escritou Enrique Rodriguez Carreta, morou em Belgrano, em uma residência onde fica hoje o Museo Carreta. 

Sede do Ministério das Relações Exteriores

Na década de 1930, o palácio foi vendido para o Ministério do Exterior. Hoje o local é usado apenas para alguns eventos protocolares e visitas guiadas. 

Localização: Arenales, 761.  

Veja também...
Palácios, Plaza San Martín e Torre Inglesa, Buenos Aires

15 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácios Suntuosos de Recoleta e Retiro +++

Muitas residências do Retiro testemunham a riqueza.
Da Belle Époque do final do século XIX.
O mesmo acontece na Recoleta.
Isso confere a característica de exclusividade destes bairros.
Com elegantes ruas e avenidas que alimentam esse glamour.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Mansões do Retiro +++

O Palacio San Martín encabeça as majestosas residências.
Que se localizam em frente a Plaza San Martín.

O destaque é o Palácio Paz, na Avenida Santa Fé, 750.
Desde 1938, o prédio abriga o Círculo Militar.
Ali, também funciona o Museo de Armas de La Nación.

A inspiração da fachada externa foi o Palácio de Chantilly.
E em uma das frentes do Palácio do Louvre.

Outro edifício icônico é o Palacio Haedo, na Santa Fé, 690.
Desde 1935, sedia a Adminstração de Parques Nacionais.
Hoje, o edifício é um Monumento Histórico Nacional.

O Plaza Hotel Buenos Aires fica na Calle Florida, 1005.
O edifício de 1909 é uma joia arquitetônica em aço.
Cuja decoração já se comparou aos salões de Versalles.

Por fim, a Mansão Bencich.
Em estilo eclético e inspiração francesa.
Fica na Calle Maipú, 972, a meia quadra da praça.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palacio San Martín +++

A influente família Anchorena construiu o palácio.
Um complexo de três casas em estilo beaux arts.

Em 1930, os herdeiros venderam-no ao Ministério do Exterior.
Hoje, destina-se a eventos protocolares e visitas monitoradas.

Destaque às peças pré-colombianas e aos artistas de vanguarda:
Berni, argentino; Pedro Figari, uruguaio e Roberto Matta, chileno.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ceremonial de La Cancilleria +++

O suntuoso Palacio San Martín conjuga estilos.
E sedia o Ceremonial de La Cancilleria.
É possível realizar visitas guiadas.
Uma oportunidade de conhecer a rica arquitetura.
A decoração e as peças artísticas que ostenta.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palacio Anchorena +++

O arquiteto Alejandro Christophersen projetou o prédio.
E a construção estendeu-se de 1905 a 1909.
O edifício é um expoente do classicismo francês.
Externamente, destacam-se as imponentes fachadas.
Com janelas curvadas, cúpulas e lareiras.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palacio Anchorena: Novas Funções +++

Em 1936, o Estado Nacional adquiriu o Palacio Anchorena.
E instalou, no local, o Ministerio de Las Relaciones Exteriores.

Hoje, o palácio sedia o Ceremonial de La Cancilleria.
E é Monumento Histórico Nacional.

O palácio abriga obras de artistas do século XX.
Como Berni, Matta e Spilimbergo.

Alguns espaços internos são muito vistosos.
Como o Hall de entrada e o Jardim de Inverno.
E o Pátio de Honra, sustentado por colunas dóricas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

Em torno dela estão algumas das mais extravagantes mansões.
Da época de ouro da Argentina.
De pessoas como o magnata da imprensa José C. Paz.
Ele inspirou-se no Louvre para construir seu palacete.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

Fica em um terreno em declive.
Num dos extremos da praça, fica o monumento a San Martín.
É o primeiro monumento equestre da cidade de Buenos Aires.
Suba as escadarias do parque e aprecie a Torre de Los Ingleses.
Já na Avenida Del Libertador fica o monumento em tributo.
Aos combatentes que morreram na Guerra das Malvinas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

É um das mais belas praças da cidade.
Estende-se sobre um barranco, que já margeou o Rio da Prata.
Hoje, oferece vista a pontos que se sobressaem no horizonte.
São torres, edifícios e palácios.
Além de dois monumentos em homenagem aos Heróis da Pátria.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín: História +++

Este ponto da cidade viveu sucessivas transformações.
Desde que um monge se retirou, ali, para meditar.
E isto originou o nome do bairro portenho do Retiro.

A praça, primeiro, serviu como mercado e alojamento de escravos.
Mais tarde, o local foi uma concorrida praça de touros.
E depois, abrigaria o Regimiento de Granaderos a Caballo.

No fim do século XIX, começou a ganhar a atual fisionomia.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín: Monumentos +++

O cenotáfio fica na Avenida Del Libertador.
E homenageia os mortos na Guerra das Malvinas, em 1982.
As 25 placas de mármores têm os nomes dos 649 combatentes.
Soldados guarnecem a Chama Eterna.

No outro extremo da praça, fica o monumento a San Martín.
A obra de 1862 é o primeiro monumento equestre da Argentina.
O General San Martín aponta a Cordilheira dos Andes.
E mostra a rota da campanha libertadora argentina.
O monumento fica na Avenida Santa Fé.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre de los Ingleses +++

A torre de relógio fica na antiga Plaza Britania.
E a comunidade inglesa doou-a durante a I Guerra Mundial.
Com a Guerra das Malvinas, em 1982, a praça mudou de nome.
Passou a se chamar Plaza Fuerza Aérea Argentina.
Uma referência à força aérea.
Único braço das forças armadas com desempenho louvável na guerra.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre Monumental: O Presente Britânico +++

O monumento foi um presente dos britânicos residentes no país.
Por ocasião do primeiro centenário da Revolução de Maio de 1810.
Fica na Plaza Fuerza Aérea Argentina.
Era conhecido como Torre de Los Ingleses.
E mudou o nome após a Guerra das Malvinas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre Monumental: A Construção +++

Com 60 metros de altura, tem estilo renascentista.
E um mirante que permite avistar o bairro e o terminal ferroviário.
No piso acima, instalaram os relógios da torre.
São pequenas réplicas dos que estão no Big Ben, em Londres.
A inauguração ocorreu em 24 de maio de 1916.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design