quarta-feira, 6 de junho de 2012

Templo Coração Eucarístico de Jesus e Colégio Champagnat, na Recoleta. E Livraria El Ateneo.

Como não pudemos entrar nas embaixadas da França e do Brasil, seguimos a nossa caminhada em direção a Hotel Rochester Concept. No caminho, passamos por outras praças, por um igreja e um colégio. Até chegarmos à Livraria El Ateneo, considerada a mais importante da América Latina.

Interior da Livraria El Ateneo, em Buenos Aires
Interior da Livraria El Ateneo, em Buenos Aires

Continuação de...
Embaixadas da França e do Brasil, na Recoleta


Praças, Templo e Colégio

Primeiro, passamos pela Plazoleta Pedro Miguel! O curioso desta pequena praça é a sua escultura. Ela parece estar tocando um instrumento de cordas invisível. A grande questão é que não consigo imaginar qual seria esse instrumento. Afinal, os braços estão muito distantes do corpo. E isso acaba descartando todos os instrumentos mais comuns, como viola, violino, violoncelo e contrabaixo...

Plazoleta Pedro Miguel, na Recoleta, em Buenos Aires
Plazoleta Pedro Miguel, na Recoleta

Mais à frente, na Plaza Vicente Lopez y Planes você verá uma escultura de Blas Parera, o autor da música do Hino da Argentina. Na sequência, um belo templo. Na fachada, você lerá “Eucharistico Cordi Jesu Dicatum”. 

Detalhe da Entrada do Templo, em Buenos Aires:  "Eucharistico Cordi Jesu Dicatum
Detalhe da Entrada:
"Eucharistico Cordi Jesu Dicatum"

A Bela Fachada do Templo, em Buenos Aires
A Bela Fachada do Templo

E pouco depois, a Plazoleta Enrique Udaondo. Ali você verá a escultura em bronze de um homem, apoiando uma cabeça disforme sobre a mão esquerda. Outra construção interessante é o Colegio Champagnat. Ali você verá, na fachada, a frase “Sinite parvalus venire ad me”.

Fachada do Colegio Champagnat, na Recoleta, em Buenos Aires
Fachada do Colegio Champagnat, na Recoleta

Detalhe da Fachada do Colegio Champagnat, na Recoleta, em Buenos Aires
Detalhe da Fachada:
"Sinite Parvalus Venire ad Me"


A Livraria El Ateneo

E então, a Livraria El Ateneo, considerada a mais importante da América Latina! A livraria ocupa o local onde funcionava um antigo teatro. Atualmente, só uma construção restaurada, em Buenos Aires, se equipara à Livraria El Ateneo. Esta é a Galerias Pacífico...

A grande dúvida ao entrar na livraria é para onde olhar! Para os livros ou para a decoração. Na verdade, é uma bela competição. E quem sai ganhando é o usuário...

Livraria El Ateneo, em Buenos Aires: Galerias e Palco do Antigo Teatro
Galerias e Palco do Antigo Teatro

Acredito que quem nunca tenha entrado na Livraria El Ateneo acabe reparando mais na decoração. Trata-se de algo totalmente original! Os livros estão dispostos em estantes localizadas onde outrora ficavam a plateia baixa e as galerias do teatro. O palco, a cortina e a moldura que os envolve foram restaurados. 

O mesmo ocorreu com as colunas, os detalhes em gesso e as pinturas. E é claro, o belo teto em formato de cúpula. Foram acrescentadas luminárias que embelezam ainda mais o ambiente.

Pinturas no Teto da Livraria El Ateneo, em Buenos Aires
Pinturas no Teto da Livraria El Ateneo

Quem já conhece a livraria, possivelmente detenha-se apenas ao seu acervo. Isso quando já não entra ali sabendo exatamente o que deseja. E quando pensamos estritamente no acervo, a Livraria El Ateneo pode ser comparada à Livraria Cultura, presente em algumas capitais brasileiras. 

Assim como a Cultura, a El Ateneo possui um acervo respeitável. Alguns poderiam até dizer invejável. E seus livros, agrupados por assunto, estão à disposição do leitor, que pode degustá-los em cadeiras postas em frente às estantes.

Estantes da Livraria El Ateneo, em Buenos Aires
Estantes da Livraria El Ateneo

O relato segue com...
Show de Tango no Café Tortoni, em Buenos Aires

12 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Galerías Pacífico +++

Fica Avenida Córdoba com a Rua Florida.
Na tradicional zona central de Buenos Aires.
O shopping oferece boa parte das marcas mais famosas.
Em um edifício histórico.
Que se distingue pela beleza interior e exterior.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Galerías Pacífico +++

Uma imponente obra arquitetônica.
Com mais de 150 locais de marcas famosas.
A cúpula central tem obras de cinco artistas históricos.
São pinturas de grandes mestres locais do século XX.
Uma das saídas é pela rua comercial Florida.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Galerías Pacífico: Monumento Histórico +++

O prédio é um Monumento Histórico.
Pela arquitetura e pelos impactantes murais, de 1946.
Pinturas de Berni, Castagnino, Colmeiro, Spilimbergo e Urruchúa.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Café Tortoni +++

Café mais emblemático de Buenos Aires.
Ao qual frequentaram glórias da literatura.
Da pintura, da música e do tango.
Como Gardel, Borges e Cortázar.

Há ainda a atmosfera que rodeia o café histórico.
E o Tortoni tem mais de um século e meio de história.
Ali, o ar portenho evoca o tango, a nostalgia.
E, é claro, o aroma do café.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Celebridades no Café Tortoni +++

Touan, imigrante francês, inaugurou-o, em 1858.
E tomou o nome de um reduto parisiense.
Lá, reuniam-se personagens ilustres e ilustrados.

Logo o Café passou às mãos de Celestino Curutchet.
E o Tortoni passou a exercer o magnetismo do par europeu.
Tornou-se um ambiente artístico e intelectual.
Pintores, escritores e músicos eram assíduos.

Dentre os visitantes famosos, podemos citar:
+ Alfonsina Storni;
+ Jorge Luis Borges;
+ Julio Cortázar;
+ Roberto Arlt.

Carlos Gardel foi um frequentador assíduo do Tortoni.
Sentava-se sempre no mesmo local.
Junto a uma janela, à direita do salão.
Ingressava pela entrada da Rua Rivadavia, hoje fechada.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Gente de Artes y Letras +++

O pintor Benito Quinquela Martin liderava o grupo.
E solicitou, em 1926, a bodega no subsolo do Café Tortoni.
A ideia era realizar as reuniões no local.
A resposta do proprietário foi positiva.
“Os artistas gastam pouco. Mas dão fama ao café”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Apresentações de Tango no Tortoni +++

Nas paredes, do Café Tortoni podem-se ver quadros.
Dedicados a Juan D’Arienzo, Aníbal Troilo, Edmundo Rivero.
As apresentações ocorriam de segunda a sexta-feira.
Com numerosas opções no final de semana.

Em um salão, havia mesas de bilhar.
O antigo salão hoje se chama “Eladia Bláquez”.
Mas as mesas agora ficam no fundo do corpo principal.
Onde também se pode jogar cartas, dados e dominó

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Sabores Típicos no Café Tortoni +++

No Tortoni, podem-se resgatar sabores típicos de Buenos Aires.
De antigos pratos que ficaram na memória dos portenhos.
Um deles é o chocolate quente com churros.
Também se pode degustar a tradicional merengada.
O sorvete de leite que acompanha os portenhos há mais de século.
Para beber, a cidra, uma bebida de festas de fim de ano.
No Café Tortoni, esta é uma das especialidades da casa.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Livraria El Ateneo Grand Splendid +++

A Ateneo é a segunda mais importante livraria do mundo.
De acordo com eleição do diário britânico The Guardian.
Ela ocupa o prédio do elegante cine-teatro Grand Splendid.
E conserva a cúpula decorada com afrescos.
O antigo palco e o telão.
Além de um estúdio onde Carlos Gardel gravou.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácios Suntuosos de Recoleta e Retiro +++

Muitas residências do Retiro testemunham a riqueza.
Da Belle Époque do final do século XIX.
O mesmo acontece na Recoleta.
Isso confere a característica de exclusividade destes bairros.
Com elegantes ruas e avenidas que alimentam esse glamour.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

++++ Palácios na Recoleta ++++

O Palacio Ortiz Basualdo, desde 1939, abriga a Embaixada da França.
O notável edifício, originalmente, foi uma mansão aristocrática.
Este “hotel particular” pertenceu à família Ortiz Basualdo.

Com projeto de 1912, a construção prolongou-se até 1918.
Em 1925, serviu de residência oficial a um ilustre visitante.
Eduardo de Windsor, Príncipe de Gales, passou uma temporada ali.

Até a primavera de 2014, foi mais de um ano de restauração.
Para o prédio recuperar todo o explendor de suas fachadas.
A entrada principal, os salões de recepção e o mobiliário.

A antiga residência fica a poucos metros de outros palácios.
Como Álzaga Unzué, Casey, Fernández Anchorena e Pareda.
Todos na zona norte da cidade de Buenos Aires.

Para muitos o Palacio Dahau é o expoente máximo de um período.
A residência é o maior representante da Belle Époque portenha.
Um dos últimos exemplos de prédios posteriores ao neoclassicismo.

O Palacio Dahau insere-se no estilo vitoriano tardio.
Com inspiração no castelo de Marais (Ile-de-France).

Palacio Ortiz Basualdo – Calle Cerrito, 1399.
Palacio Dahau – Avenida Alvear, 1661.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design