terça-feira, 29 de maio de 2012

Retiro: Cenotafio a los Caidos em Malvinas e Museo de Arte Histoamericano

Após passarmos pelos Palácios Paz e Anchorena, cruzamos a Plaza San Martín, rumo à Torre Inglesa. No caminho, tiramos algumas fotos do Monumento al General San Martin y A Los Ejercitos de Los Andes. Na própria praça fica um memorial em referência aos mortos na Guerra das Malvinas. Dali seguimos para o Museo de Arte Histoamericano Isaac Fernandez Blanco. 



Museo de Arte Histoamericano Isaac F Blanco, Buenos Aires
Museo de Arte Histoamericano Isaac F Blanco



Cenotafio a los Caidos en Malvinas

Concluí a postagem anterior falando sobre a Torre Inglesa. Mas não falei sobre uma grande polêmica em torno do monumento. A questão é que durante a Guerra das Malvinas, entre Argentina e Inglaterra, cogitou-se derrubá-lo... 

Cenotafio a los Caidos en Malvinas, Buenos Aires
Cenotafio a los Caidos en Malvinas

É claro, isso não aconteceu. Em compensação foi criado um memorial em homenagem aos soldados argentinos mortos nesta guerra. E o memorial fica bem em frente à Torre Inglesa...

Soldados Guarnecem o Cenotafio, Buenos Aires
Soldados Guarnecem o Cenotafio

O Cenotafio a Los Caidos en Malvinas fica na Plaza San Martín. Quer dizer, a conotação política do memorial não poderia ser mais evidente! 

Bandeira da Argentina Erguida no Cenotafio, Buenos Aires
Bandeira da Argentina Erguida no Cenotafio

Em primeiro lugar, por ficar em uma praça que homenageia San Martín, o libertador da Argentina. Um herói nacional. O herói da Independência. 

Um Memorial à Guerra das Malvinas, Buenos Aires
Um Memorial à Guerra das Malvinas

Em segundo lugar, por este monumento em homenagem à guerra contra a Inglaterra ficar exatamente em frente à Torre Inglesa. Fotografamos o Cenotáfio, com os soldados em guarda à frente.


Prédios ao Redor da Plaza San Martín

As principais praças de Buenos Aires são cercadas por construções importantes. Este é o caso da Plaza de Mayo e da Plaza del Congreso. Com a Plaza San Martín não poderia ser diferente...

O Monumento Alem, Buenos Aires
O Monumento Alem

Ao seu redor estão o Palácio Paz e o Palácio Anchorena. Além da Torre Inglesa e do Edifício Kavanagh, o primeiro arranha-céu de Buenos Aires. Por fim, dentro da praça, há a homenagem ao general San Martín e aos soldados mortos na Guerra das Malvinas.

Edifício Kavanagh, Buenos Aires
Edifício Kavanagh, Buenos Aires


Museo de Arte Histoamericano Isaac Fernandez Blanco

Após o almoço, seguimos para o Museo de Arte Histoamericano Isaac Fernandez Blanco. O museu funciona no Palácio Noel, um casarão em estilo colonial, construído em 1922, pelo arquiteto Martín Noel. 

Palácio Noel, em Buenos Aires - Hoje, Museu de Arte Histoamericano
Palácio Noel: Museu de Arte Histoamericano

Seu nome é uma homenagem a Isaac Fernandez Blanco, que criou o museu a partir de sua coleção particular. Esta conta, principalmente, obras do período colonial. Os maiores destaques são a coleção de prataria (séc. XVII a XIX) e a de imagens religiosas em madeira.

Palácio Noel, em Buenos Aires - O Pátio Localizado entre Os Dois Casarões
O Pátio Localizado entre Os Dois Casarões

Além do grande acervo do museu, principalmente vinculado à arte religiosa, vale à pena circular pelo antigo palácio. Na verdade, são dois prédios. No primeiro, funciona o museu. O segundo estava fechado. 

Palácio Noel, Buenos Aires: Construído em 1922, por Martín Noel
Palácio Noel: Construído em 1922, por Martín Noel

Entre os dois casarões, um pequeno pátio. Ao lado, um gramado e algumas árvores. Faça valer o seu ingresso – que no caso é bem barato – e circule pelo local. Os casarões, ao menos externamente, foram restaurados. É um ótimo local para tirar fotos, já que dentro do museu não é permitido...

Pátio no Fundos do Museu de Arte Histoamericano, Buenos Aires
Pátio no Fundos do Museu de Arte Histoamericano

Visitar os antigos palácios e casarões da belle époque argentina é uma das atividades mais prazerosas que você poderá fazer em Buenos Aires. A maioria deles foi convertida em embaixada ou em museu. É claro que nas embaixadas não se tem trânsito livre. Já nos museus sim. 

Escadaria nos Fundos do Museu de Arte Histoamericano, Buenos Aires
Escadaria nos Fundos do Museu de Arte

Este é o caso do Museo de Arte Histoamericano Isaac Fernandez Blanco e, principalmente, do MNAD. Assim, sempre que você tiver a oportunidade de conhecer algum, aproveite.


Iglesia Madre Admirable e Basilica de Nuestra Señora del Socorro

Após visitar o museu, retornamos para o Hotel Rochester Concept. No caminho passamos pelo Colegio e Iglesia Madre Admirable e pela Basilica de Nuestra Señora del Socorro. Ambos estavam fechados. 

Colégio Madre Admirable, Retiro, Buenos Aires
Colégio Madre Admirable, Retiro, Buenos Aires


Piaf, Um Belo Musical

À noite, fomos à peça musical Piaf, no Teatro Liceo. A obra de Pam Gems foi sucesso em Londres, tendo à frente Elena Roger, vencedora do Prêmio Lawrence Oliver de melhor atriz.

Iglesia Madre Admirable, Buenos Aires
Iglesia Madre Admirable

Como ficamos sabendo da peça em cima da hora, acabamos pegando lugar somente nas galerias do último andar. Não chegou a comprometer a compreensão, afinal, tratava-se de um musical. Mas é bem alto, o que prejudica a visão do palco e chega até a dar um certo medo. 

Basílica de Nuestra Señora del Socorro, Buenos Aires
Basílica de Nuestra Señora del Socorro

De qualquer forma, quem puder vale à pena conferir alguma peça ou espetáculo em algum dos teatros de Buenos Aires. Se possível, vá ao Colón, que infelizmente estava em reforma quando estivemos na cidade.

Escultura de Nuestra Señora del Socorro, Buenos Aires
Escultura de Nuestra Señora del Socorro

30 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón +++

Sala de ópera de prestígio internacional.
Um dos cinco melhores teatros operísticos do mundo.
Desde 1908, abriga espetáculos de ópera, balé e música erudita.
Durante a visita guiada, você pode conhecer os atributos técnicos.
Assim como o valor do edifício e a rica história do Teatro Colón.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: História +++

No projeto, trabalharam três arquitetos, de maneira sucessiva.
Francisco Tamburini, Victor Meano e Jules Dormal.
A inauguração 25 de maio de 1908.
Em comemoração à Revolução de Maio de 1810.
Na ocasião, apresentou-se a ópera Aída, de Giuseppe Verdi.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Monumento Histórico +++

O Teatro Colón é Monumento Histórico Nacional da Argentina.
Trata-se de um dos teatros líricos mais importantes do mundo.
Isto se deve à excelente acústica da casa.
Além do evidente conceito artístico da construção.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Celebridades no Teatro Colón +++

Pelo palco Colón já passaram algumas celebridades:
+ Arturo Toscanini (maestro italiano);
+ Enrico Caruso (tenor italiano);
+ Herbert Von Karajan (maestro austríaco);
+ Igor Stravinsky (compositor e pianista russo);
+ Maia Plissetskaia (bailarina russa);
+ María Callas (soprano grego);
+ Mstislav Rostropovich (maestro russo);
+ Richard Strauss (maestro alemão).

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Sala Principal +++

A Sala Principal do Teatro Colón possui forma de ferradura.
E segue ao pé da letra o desenho de teatros clássicos.
Em especial, os italianos e os franceses.
A plateia possui 29,25 metros no menor diâmetro.
E 32,65 metros no maior.
Além de 28 metros de altura.
A planta conta com palcos laterais até o terceiro piso.
E capacidade para 2.478 espectadores.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Cúpula +++

Sobre a Sala Principal fica a cúpula de 318 m2.
A princípio, decorada com pinturas de Marcel Jambon.
O artista já pintara obras similares em famosos teatros franceses.
As pinturas de Jambon, porém, deterioraram-se.

Em 1966, inauguraram-se as pinturas de Raúl Soldi.
As 16 telas do argentino aderem-se à cúpula.
E contam com 51 figuras, como músicos e instrumentos.
Além de atores de comédia e drama.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Palco +++

O palco do Teatro Colón tem 35,25 metros de largura.
E 34,50 metros de profundidade.
Além de três centímetros de inclinação a cada metro.
A área do palco possui 48 metros de altura.

O local também conta com um disco giratório elétrico.
Este tem 20,30 metros de diâmetro.
E gira em ambos os sentidos.
Isto permite uma rápida troca de cenários.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Fosso da Orquestra +++

Compota 120 músicos.
E constitui-se de uma câmara de ressonância.
E curvas especiais para gerar a correta reflexão do som.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo +++

É a praça mais importante de Buenos Aires.
O nome homenageia a revolução de independência argentina.
Ela ocorreu em maio de 1810.

Na verdade, a cidade surgiu em torno da praça.
Inicialmente, ela se chamava Plaza Mayor.

No centro da praça, fica a Pirâmide de Mayo.
Trata-se de um ponto de encontro de manifestações.
Ali, reúnem-se as Madres de La Plaza de Mayo.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo: História +++

Local onde Juan de Garay fundou definitivamente a cidade, em 1580.
Em 1810, o local da atual praça foi o cenário da Revolução de Maio.
Em torno dela, surgiram os prédios mais relevantes da vida cívica local.
Muitos deles, ainda existem.
Em 1890, ocorreu o primeiro ato de um partido político organizado.
La Unión Cívica.
A praça nunca mais deixou de ser epicentro das celebrações.
E também dos dissabores da sociedade portenha.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo: Manifestações +++

É a caixa de ressonância das grandes manifestações populares.
Desde a história e a política.
Até o festejo de Maradona com a Copa do Mundo.
Desde 1977, é o ponto de encontro das Madres de La Plaza de Mayo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pirâmide de Mayo e Prédios Históricos +++

A Pirâmide de Maio data de 1811.
E comemorou o primeiro ano da Revolução de Maio.
Ainda no século XIX, remodelou-se o monumento.

Ao redor da praça, vemos alguns prédios históricos.
Como a Casa Rosada, a Catedral, o Cabildo e a Legislatura.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo: General Belgrano +++

Em frente à Casa Rosada, há um monumento equestre.
Ele homenageia o General Manuel Belgrano.
Belgrano nasceu e morreu no bairro.
E é uma das maiores referências da história argentina.
Ele criou a Bandeira Nacional, emblema que ostenta na estátua.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

Museo Nacional de Arte Decorativo

Fica no Palacio Errázuriz.
Um imponente exemplo do estilo eclético francês.
Onde se encontram notáveis móveis de época.
Peças orientais, esculturas, tapetes.
E obras de El Greco, Sorolla, Fragonard, Manet.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácios Suntuosos de Recoleta e Retiro +++

Muitas residências do Retiro testemunham a riqueza.
Da Belle Époque do final do século XIX.
O mesmo acontece na Recoleta.
Isso confere a característica de exclusividade destes bairros.
Com elegantes ruas e avenidas que alimentam esse glamour.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Mansões do Retiro +++

O Palacio San Martín encabeça as majestosas residências.
Que se localizam em frente a Plaza San Martín.

O destaque é o Palácio Paz, na Avenida Santa Fé, 750.
Desde 1938, o prédio abriga o Círculo Militar.
Ali, também funciona o Museo de Armas de La Nación.

A inspiração da fachada externa foi o Palácio de Chantilly.
E em uma das frentes do Palácio do Louvre.

Outro edifício icônico é o Palacio Haedo, na Santa Fé, 690.
Desde 1935, sedia a Adminstração de Parques Nacionais.
Hoje, o edifício é um Monumento Histórico Nacional.

O Plaza Hotel Buenos Aires fica na Calle Florida, 1005.
O edifício de 1909 é uma joia arquitetônica em aço.
Cuja decoração já se comparou aos salões de Versalles.

Por fim, a Mansão Bencich.
Em estilo eclético e inspiração francesa.
Fica na Calle Maipú, 972, a meia quadra da praça.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

Museo de Arte Hispanoamericano Isaac Fernández Blanco

Exibe coleções de arte americana dos séculos XVI e XVIII.
Em um emblemático prédio neocolonial hispanoamericano.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palacio San Martín +++

A influente família Anchorena construiu o palácio.
Um complexo de três casas em estilo beaux arts.

Em 1930, os herdeiros venderam-no ao Ministério do Exterior.
Hoje, destina-se a eventos protocolares e visitas monitoradas.

Destaque às peças pré-colombianas e aos artistas de vanguarda:
Berni, argentino; Pedro Figari, uruguaio e Roberto Matta, chileno.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Ceremonial de La Cancilleria +++

O suntuoso Palacio San Martín conjuga estilos.
E sedia o Ceremonial de La Cancilleria.
É possível realizar visitas guiadas.
Uma oportunidade de conhecer a rica arquitetura.
A decoração e as peças artísticas que ostenta.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palacio Anchorena +++

O arquiteto Alejandro Christophersen projetou o prédio.
E a construção estendeu-se de 1905 a 1909.
O edifício é um expoente do classicismo francês.
Externamente, destacam-se as imponentes fachadas.
Com janelas curvadas, cúpulas e lareiras.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palacio Anchorena: Novas Funções +++

Em 1936, o Estado Nacional adquiriu o Palacio Anchorena.
E instalou, no local, o Ministerio de Las Relaciones Exteriores.

Hoje, o palácio sedia o Ceremonial de La Cancilleria.
E é Monumento Histórico Nacional.

O palácio abriga obras de artistas do século XX.
Como Berni, Matta e Spilimbergo.

Alguns espaços internos são muito vistosos.
Como o Hall de entrada e o Jardim de Inverno.
E o Pátio de Honra, sustentado por colunas dóricas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

Em torno dela estão algumas das mais extravagantes mansões.
Da época de ouro da Argentina.
De pessoas como o magnata da imprensa José C. Paz.
Ele inspirou-se no Louvre para construir seu palacete.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

Fica em um terreno em declive.
Num dos extremos da praça, fica o monumento a San Martín.
É o primeiro monumento equestre da cidade de Buenos Aires.
Suba as escadarias do parque e aprecie a Torre de Los Ingleses.
Já na Avenida Del Libertador fica o monumento em tributo.
Aos combatentes que morreram na Guerra das Malvinas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

É um das mais belas praças da cidade.
Estende-se sobre um barranco, que já margeou o Rio da Prata.
Hoje, oferece vista a pontos que se sobressaem no horizonte.
São torres, edifícios e palácios.
Além de dois monumentos em homenagem aos Heróis da Pátria.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín: História +++

Este ponto da cidade viveu sucessivas transformações.
Desde que um monge se retirou, ali, para meditar.
E isto originou o nome do bairro portenho do Retiro.

A praça, primeiro, serviu como mercado e alojamento de escravos.
Mais tarde, o local foi uma concorrida praça de touros.
E depois, abrigaria o Regimiento de Granaderos a Caballo.

No fim do século XIX, começou a ganhar a atual fisionomia.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín: Monumentos +++

O cenotáfio fica na Avenida Del Libertador.
E homenageia os mortos na Guerra das Malvinas, em 1982.
As 25 placas de mármores têm os nomes dos 649 combatentes.
Soldados guarnecem a Chama Eterna.

No outro extremo da praça, fica o monumento a San Martín.
A obra de 1862 é o primeiro monumento equestre da Argentina.
O General San Martín aponta a Cordilheira dos Andes.
E mostra a rota da campanha libertadora argentina.
O monumento fica na Avenida Santa Fé.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre de los Ingleses +++

A torre de relógio fica na antiga Plaza Britania.
E a comunidade inglesa doou-a durante a I Guerra Mundial.
Com a Guerra das Malvinas, em 1982, a praça mudou de nome.
Passou a se chamar Plaza Fuerza Aérea Argentina.
Uma referência à força aérea.
Único braço das forças armadas com desempenho louvável na guerra.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre Monumental: O Presente Britânico +++

O monumento foi um presente dos britânicos residentes no país.
Por ocasião do primeiro centenário da Revolução de Maio de 1810.
Fica na Plaza Fuerza Aérea Argentina.
Era conhecido como Torre de Los Ingleses.
E mudou o nome após a Guerra das Malvinas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre Monumental: A Construção +++

Com 60 metros de altura, tem estilo renascentista.
E um mirante que permite avistar o bairro e o terminal ferroviário.
No piso acima, instalaram os relógios da torre.
São pequenas réplicas dos que estão no Big Ben, em Londres.
A inauguração ocorreu em 24 de maio de 1916.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design