sexta-feira, 11 de maio de 2012

Recoleta: Faculdade de Direito, Floralis Genérica e Monumento a Artigas

A Recoleta é o bairro mais elitizado de Buenos Aires. Neste bairro, fica a maioria dos antigos palácios, construídos nos fins do século XIX e início do século XX, no período da belle époque argentina. Na Recoleta também fica o cemitério da elite portenha. Além da segunda igreja mais antiga da cidade...

Monumento na Faculdade de Direito, na Recoleta
Monumento na Faculdade de Direito

Após visitarmos o túmulo de Evita Perón, no Cemitério da Recoleta, e de conhecermos a Basílica Nuestra Señora de Pliar, seguimos para a Faculdade de Direito. Este belo prédio em estilo neoclássico está localizado na principal avenida do bairro, a Figueroa Alcorta. Ao seu lado, a bela Floralis Genérica.

Praça em Frente à Avenida Figueroa Alcorta e à Faculdade de Direito, na Recoleta
Praça em Frente à Figueroa Alcorta e à Faculdade

Continuação de...


As Praças da Recoleta e O Monumento ao General Artigas

No caminho da basílica para a Faculdade de Direito, passamos pelo Centro Cultural Recoleta e pela Plaza Mitre. Ao lado desta, fica o prédio da Biblioteca Nacional e a Plaza Evita, com um monumento em homenagem à Eva Perón. Essa é uma região da Recoleta repleta de pequenas praças e monumentos. É claro: algumas praças, como a Mitre, são um pouco maiores e contam com uma área verde. O mesmo vale para os monumentos. E um dos maiores é o que homenageia o general Artigas...

Monumento ao General José de Artigas, na Recoleta
Monumento ao General José de Artigas, Recoleta

Nenhum monumento, no entanto, será grande o suficiente para representar a importância de Artigas para a América do Sul. Este militar uruguaio esteve diretamente envolvido no processo de independência de diversos países, como o Uruguai, o Peru e o Chile. No centro de Montevidéu, por exemplo, há uma praça. Nela você verá uma enorme estátua equestre em sua homenagem. Abaixo deste monumento, fica o mausoléu do general José de Artigas.

Close do Monumento ao General José de Artigas, na Recoleta
Close do Monumento a Artigas


Homenagem de Vilaró à Cidade de Buenos Aires

Dois prédios na região chamam a atenção. Imediatamente atrás do monumento ao General Artigas fica o prédio da TV Pública. Na diagonal esquerda, você verá uma pintura de Carlos Gardel na parede lateral de um prédio. 

Prédio com Pintura de Carlos Gardel, na Recoleta
Prédio com Pintura de Carlos Gardel

Trata-se de uma homenagem do pintor uruguaio Carlos Paez Vilaró à cidade de Buenos Aires. Na mesma obra, há um casal dançando tango, um jogador de futebol e uma corrida de cavalos. Os dois prédios ficam na Avenida Figueroa Alcorta, a via de maior fluxo da Recoleta.

Homenagem de Vilaró à Cidade de Buenos Aires, na Recoleta
Homenagem de Vilaró à Cidade de Buenos Aires

Cruzamos a avenida e seguimos à direita, em direção ao prédio da Faculdade de Direito. Ao lado dele, um dos monumentos mais recentes e originais de Buenos Aires: a Floralis Genérica. Esta flor metálica gigante contrasta fortemente com o prédio neoclássico ao seu lado. 

Floralis Genérica, a Flor Metálica Gigante da Recoleta
Floralis Genérica, a Flor Metálica Gigante da Recoleta

Não só pelo seu material, mais também pelo seu mecanismo hidráulico. Esse mecanismo permite que a flor se abra e feche, conforme a luz solar. É claro: a Floralis Genérica tornou-se rapidamente um dos cartões postais de Buenos Aires...

Floralis Generica, ao Lado da Faculdade de Direito, na Recoleta
Floralis Generica, ao Lado da Faculdade de Direito


O Belo Prédio Neoclássico da Faculdade de Direito

Ao lado da Floralis Genérica, o belo prédio da Facultad de Derecho y Ciencias Sociales. Externamente, o prédio deve chamar a sua atenção por três motivos. Em primeiro lugar, pelo seu tamanho. Não há como passar por ali sem o perceber... Em segundo lugar, há as diversas colunas neoclássicas que compõem a parte anterior do prédio. Por fim, há a enorme escadaria que conduz até a entrada principal da Faculdade de Direito.

O Prédio Neoclássico da Faculdade de Direito, na Recoleta
O Prédio Neoclássico da Faculdade de Direito


O Interior da Faculdade de Direito: Uma Certa Decepção...

Se externamente o prédio chama muito a atenção, o mesmo não pode ser dito de sua parte interna. Por estarmos na Recoleta, o bairro mais glamoroso de Buenos Aires, acabamos esperando uma construção com rica decoração interior. E, ao menos neste sentido, o interior da Faculdade de Direito acaba decepcionado. Então, cai a ficha! Trata-se de uma faculdade pública. E há algum tempo a Argentina não é mais uma Europa dentro da América Latina...

Escultura no Hall de Entrada da Faculdade de Direito, na Recoleta
Escultura no Hall de Entrada da Faculdade


A Enorme Sala de Estar na Faculdade de Direito de Buenos Aires

É claro: apesar do estado de conservação deixar a desejar, uma visita a Facultad de Derecho y Ciencias Sociales é válida! Ao menos dois ambientes merecem destaque. O primeiro é uma enorme sala de estar, com moveis antigos. Apesar de as poltronas e os sofás serem bem simples, os quadros – representando personalidades de destaque da faculdade, acabam dando um ar solene ao local.

A Enorme Sala de Estar da Faculdade de Direito, na Recoleta
A Enorme Sala de Estar da Faculdade de Direito


A Bela Escultura na Hall de Entrada da Faculdade

Outro ambiente legal é o hall de entrada do prédio. A área deste salão é enorme. A sensação de entrar ali pela primeira vez é muito forte. Você subirá as escadarias, passará por entre as colunas e adentrará no enorme salão. 

Escultura que me Lembrou Michelangelo na Faculdade de Direito, na Recoleta
Escultura que me Lembrou Michelangelo

Olhando à esquerda, você verá uma grande escultura, em estilo clássico. Essa escultura fez com que me viesse à mente o Davi, de Michelangelo. Talvez por isso eu tenha tirado tantas fotos ali...

Visão Noturna da Escultura da Faculdade de Direito, na Recoleta
Visão Noturna da Escultura

Por fim, há neste salão algumas pinturas de Benito Quinquela Martín, o pintor mais célebre do bairro La Boca e idealizador do Caminito.

Pintura de Quinquela Martín, na Faculdade de Direito, na Recoleta
Pintura de Quinquela Martín, na Faculdade de Direito

O relato segue com...
Museu Nacional de Belas Artes e Plaza Francia 

39 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito +++

Juan de Dios Filberto compôs o melancólico tango “Caminito”.
O Caminito era um sinuoso ramal da ferrovia.
O pintor Quinquela Martín transformou em atração turística.
E converteu o antigo matagal em calçadão.
Agora, aos domingos, ônibus despejam visitantes no local.
Estes vêm fotografar os cortiços de metal com cores berrantes.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Calle Caminito +++

Animada travessa do bairro La Boca, em Buenos Aires.
Com exposições de arte, dançarinos de tango e lojinhas.
Além das casas multicoloridas com chapas de zinco e madeira.
Estas construções caracterizam o bairro.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito +++

Del Valle Inelucea y Magallanes
Camine al borde del Riachuello por este colorido paseo.
Refugio de artistas y tangeros.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito +++

Es um colorido y original recorrido de 150 metros.
A pocos metros de Caminito puede visitarse:
+ Museo Histórico Nacional de Cera;
+ Teatro de La Ribera;
+ Fundación Pro y el
+ Museo de Bellas Artes de La Boca Benito Quinquela Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Origem do Caminito +++

“Caminito que entonces estabas bordeado de trébol y juncos en flor”.
Assim diz a letra do tango Caminito, na voz de Calor Gardel.
Em referência ao antigo passeio de 150 metros de extensão.
Hoje, o local é um autêntico museu a céu aberto.
O Caminito destaca o bairro La Boca.
Pois reflete boa parte de sua identidade.
Que a pujança do povo imigrante forjou.
E, do nada, imaginou um novo lugar.
A esperança que se sustenta com chapas, madeiras e pinturas coloridas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito – Cores Vivas +++

No princípio do século XX, um arroio fluía no local.
Hoje, é um dos passeios mais emblemáticos da cidade.
As frentes de chapas pintadas com cores distintas.
Recriam o costume dos primeiros imigrantes.
Eles pintavam as casas com a tinta remanescente dos barcos.
Já o piso era em estilo “Puntin”.
Um diminutivo genovês.
Ele se referia à antiga ponte que cruzava o arroio.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito – Homenagem ao Tango +++

Durante muito tempo, por ali passou a linha férrea.
Quando se extinguiu o ramal, o local virou um beco abandonado.
Em meados do século passado, recuperou-se a passagem.
Ela passou a ser uma espécie de rua-museu.
E em 1959, recebeu o nome do célebre tango.
Juan de Dios Filiberto e Gabino Coria Peñazola compuseram.
Mas foi Carlos Gardel eternizou o tango “Caminito”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito – Lugar de Artistas +++

Curiosamente, não há portas que abrem para o Caminito.
Apenas janelas e sacadas.

Doações de diversos artistas transformaram o local em museu.
O impulso inicial foi de Benito Quinquela Martín.
Célebre pintor e morador boquense apaixonado.

Hoje, artistas plásticos expõem obras no Caminito.
A feira funciona diariamente:
+ no inverno, das 11h às 18h;
+ no verão, das 11h às 20h.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo de Bellas Artes de La Boca +++

Fica no segundo e terceiro andar de uma escola primária.
Ali, encontram-se oito salas com obras de artistas argentinos.
Com destaque para as esculturas que ficam nos terraços.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo de Bellas Artes Quinquela Martín +++

Conta com a mais ampla coleção de óleos do artista.
Ele retratou como ninguém a vida portuária boquense.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Benito Quinquela Martín +++

Nasceu em 1890 e passou a infância em um orfanato.
Enfim, um casal de imigrantes o adotou.
E Quinquela Martín passou a viver em La Boca.
Trabalhou no cais do porto.
Decidiu dedicar a vida a “sostener” a identidade dessa vida.

O pintor fundou o museu em 1938.
Doou 50 gravuras e 27 óleos.
Cedeu espaço à obra de outros artistas locais.
Bem como a peças de grande originalidade.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ “Crepúsculo” e Benito Mussolini +++

“Crepúsculo” é uma das obras mais famosas de Quinquela Martín.
Contam que Benito Mussolini viu a obra, em Roma, em 1929.
E ofereceu ao pintor um cheque em branco.
O próprio Quinquela Martín colocaria, ali, o preço.
Mas o artista se recusou, por razões patrióticas.
E trouxe a obra de volta para Buenos Aires.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Berni e Sívori: Museo de La Boca +++

No segundo piso do museu, há obras de outros artistas.
São pintores figurativos argentinos dos séculos XIX e XX.
Quinquela buscava criar um amplo panorama.
E colaborar para forjar um sentimento de pertencimento ao país.
A arte para ele era um fator decisivo em tais processos.
Aprecie “La Muerte Del Marino”, de Eduardo Sívori.
E “El Niño y Su Moneda”, de Antonio Berni.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Máscaras de Proa no Museo de La Boca +++

São esculturas de madeira de artesãos anônimos.
As técnicas que usavam eram de transmissão oral.
As máscaras ficavam na parte dianteira dos navios.
No caso, dos que navegavam no Riachuelo.

Quinquela recebeu 32 doações, de 1930 a 1935.
O Museu de Arte Naval dos EUA queria comprar a coleção.
Em 1937, oferece 100 mil pesos argentinos.
Na época, uma fortuna.

Quinquela recusou a tentadora oferta.
As máscaras eram as primeiras mostras de arte do bairro.
Eram esculturas de 1840 em diante.
Destaque para “Angélica Esposa” e “Doña María”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Terraço do Museu de La Boca +++

Ponto mais alto do Museo de Bellas Artes de La Boca.
Reúne 150 esculturas ao ar livre.
Você pode rodea-las em 180 graus.
E assim apreciar o trabalho tridimensional de grandes artistas.
Destaque a Francisco Cafferata, primeiro escultor argentino.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Biblioteca Nacional +++

O arquiteto Clorindo Testa projetou o prédio em estilo brutalista.
Ele substituiria o palácio presidencial.
Quando o golpe militar destituiu Perón, em 1955.

Em 2002, ocorreu a exposição de 50 anos da morte de Evita.
E de acordo com a lenda, o espírito dela vaga pela Biblioteca.
Alguns funcionários até alegam que sentiram o perfume de Evita.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta +++

A fachada reúne colunas dóricas na entrada da Rua Junín.
Mas são os muros de tijolos vermelhos que cercam o perímetro.
Dentro deles, uma série de imponentes mausoléus.
Em meio a ermas ruas ou a avenidas ladeadas por árvores.

Esta cidade dos mortos tem mais de 46 mil metros quadrados.
E era uma das meninas dos olhos de Tocuato de Alvear.
O leito derradeiro do prefeito modernizador está bem ali.
Próximo ao pórtico de entrada do Cemitério da Recoleta.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Ricos e O Cementerio de la Recoleta +++

Quase todos os sepultados eram ricos.
E tão importante quanto à riqueza era o sobrenome.
Entre eles, há presidentes argentinos.
Como Bartolomé Mitre, Domingo F. Sarmiento e Hipólito Yrigoyen.
Militares, como Guilhermo Brown e Julio Argentino Roca.
Além de artistas e figuras literárias:
Adolfo Bioy Casares, Cândido López, José Hernández, Victória Ocampo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Boxeador e O Cementerio de la Recoleta +++

Luis Angel Firpo (1894-1960), boxeador, tinha origem humilde.
Mas tinha o influente oligarca Félix Bunge como padrinho.
O “touro selvagem dos pampas” quase trucidou Jack Dempsey.
A luta ocorreu no Polo Grounds, em Nova York, em 1923.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta e Evita Perón +++

Ali, sepultou-se, definitivamente, Evita Perón.
Evita nunca escondeu a hostilidade contra a elite argentina.
E sua simples presença envergonha os oligarcas ali enterrados.

Eva era a filha ilegítima e ressentida do fazendeiro Juan Duarte.
Agora, ela compartilha o jazigo com o pai que a renegou.
Uma simples parca marca o derradeiro local de descanso de Evita.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Histórias do Cementerio de la Recoleta +++

O Cemitério da Recoleta destaca-se pelas esculturas.
E pela qualidade arquitetônica.
Também abriga histórias de amor, paixões e traições.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Celebridades no Cementerio de la Recoleta +++

O local converteu-se em monumento histórico.
Dado o valor artístico e a relevância de suas tumbas.
Trata-se de um verdadeiro museu a céu aberto...

Ex-presidentes, heróis nacionais e celebridades descansam ali.
Com destaque à célebre Eva Perón.
Mas outras tumbas despertam singular magnetismo...

Como a de Liliana Crociati.
Ela faleceu aos 26 anos, durante a lua de mel.
A abóboda neogótica reproduz o dormitório da jovem.
Em frente, há uma escultura dela, em bronze.
Com vestido de noiva e acompanhada do mascote.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ História dos Cemitérios de Buenos Aires +++

Na Buenos Aires antiga, não havia cemitérios.
Sepultavam-se os mortos nas igrejas.
Ou fora da cidade.
Mas o aumento da população exigiu novas medidas.
E em 1822, inaugurou-se o Cementerio Del Norte.
Onde ficava o pomar dos frades recoletos.
O intendente Torcuato de Alvear deu à necrópole atmosfera distinta.
Ao realizar uma série de obras e dotar o local com esculturas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pórtico do Cementerio de la Recoleta +++

O pórtico serve de acesso principal ao cemitério.
E surgiu quando se ordenou o remodelamento do prédio.
São quatro colunas em estilo grego.
Sobre elas, lê-se “Requiescat in pace” (Descansem em paz).
No lado interno, outra frase.
Esta, atribuída aos mortos:
“Expectamus dominum” (Esperamos o Senhor).

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Inimigos no Cementerio de la Recoleta +++

Domingo F. Sarmiento e Fagundo Quiroga foram grandes rivais.
Hoje, o ex-presidente e o caudilho dividem a mesma morada.
E os túmulos ficam distantes poucos metros um do outro.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mausoléus do Cementerio de la Recoleta +++

Federico Leloir recebeu o Prêmio Nobel de Química.
Seu mausoléu conta com um coreto.
Que coroa a abóboda e apresenta um Cristo.

Também se destaca o mausoléu de Luís María Campos.
Belas esculturas adornam o sepulcro do tenente coronel.

A mais antiga tumba é também uma das mais singelas.
Ela guarda os restos mortais de Remedios de Escalada.
Esposa do general San Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Centro Cultural Recoleta +++

Dinâmica instituição com múltiplos espaços.
Desenvolve atividades dedicas à arte moderna e experimental.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Faculdade de Direito: Prédio Neoclássico +++

O prédio monumental fica em frente a Plaza Francia.
E começou a ganhar forma em 1946.
Logo chamou a atenção pela fachada neoclássica.
Com catorze imponentes colunas dóricas.
Influência dos templos Greco-romanos.

A decisão estética despertou críticas.
Afinal, o desenho alinhava-se aos regimes totalitários.
Que acabavam de ruir na Europa.

Desde 21/09/1949, o prédio está em funcionamento.
Apesar da conclusão da construção só ocorrer nos ano 1960.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Faculdade de Direito: Esculturas +++

Duas esculturas decoram o imponente hall de ingresso.
Ambas datam de 1953 e representam a Justiça e a Liberdade.
O hall ficou conhecido como Salón de Los Pasos Perdidos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Floralis Generica: O Espetáculo +++

Uma monumental flor mecânica de 20 metros de altura.
Ao meio-dia, ela aparece em seu apogeu.
E ao entardecer, as cinco pétalas começam a se fechar.
Um belo espetáculo, no amanhecer e no crepúsculo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Floralis Generica: Informações Técnicas +++

O arquiteto Eduardo Catalano concebeu e doou, em 2002.
A flor de aço inoxidável tem armação de alumínio e concreto.
Pesa 18 toneladas.
Possui 23 metros de altura.
E, aberta, alcança 32 metros de diâmetro.
É a única escultura com movimento na cidade.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Floralis Generica: Funcionamento +++

Imita a abertura e o fechamento de pétalas de uma flor.
Para isso, conta com um sensor.
Este mede a intensidade dos raios do sol.
Ao detectar os primeiros raios, ao amanhecer, as pétalas abrem.
Ao anoitecer, elas se fecham.
A escultura também conta com um sistema para detectar tormentas.
Nesse caso, as pétalas fecham de maneira preventiva.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Nacional de Bellas Artes +++

É o museu de arte mais importante da Argentina.
Com uma coleção de obras que abrange a arte antiga e da Ásia.
Além de arte pré-hispânica e colonial.
Assim como peças do século XII à atualidade.
O museu expõe cerca de mil obras de um acervo de 13 mil.
O mais importante patrimônio artístico público da América Latina.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Nacional de Bellas Artes: História +++

No Natal de 1896, inaugurou-se o museu.
A partir de um decreto presidencial do ano anterior.
O local reúne o maior patrimônio cultural público da Argentina.
Mas as primeiras doações vieram de coleções privadas.
E reunia, a princípio, 163 obras.
A sede ficava onde hoje se encontram as Galerías Pacífico.
Em 1909, mudou-se para um prédio no Retiro.
E passou para o local atual, na Recoleta, em 1933.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácios Suntuosos de Recoleta e Retiro +++

Muitas residências do Retiro testemunham a riqueza.
Da Belle Époque do final do século XIX.
O mesmo acontece na Recoleta.
Isso confere a característica de exclusividade destes bairros.
Com elegantes ruas e avenidas que alimentam esse glamour.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

++++ Palácios na Recoleta ++++

O Palacio Ortiz Basualdo, desde 1939, abriga a Embaixada da França.
O notável edifício, originalmente, foi uma mansão aristocrática.
Este “hotel particular” pertenceu à família Ortiz Basualdo.

Com projeto de 1912, a construção prolongou-se até 1918.
Em 1925, serviu de residência oficial a um ilustre visitante.
Eduardo de Windsor, Príncipe de Gales, passou uma temporada ali.

Até a primavera de 2014, foi mais de um ano de restauração.
Para o prédio recuperar todo o explendor de suas fachadas.
A entrada principal, os salões de recepção e o mobiliário.

A antiga residência fica a poucos metros de outros palácios.
Como Álzaga Unzué, Casey, Fernández Anchorena e Pareda.
Todos na zona norte da cidade de Buenos Aires.

Para muitos o Palacio Dahau é o expoente máximo de um período.
A residência é o maior representante da Belle Époque portenha.
Um dos últimos exemplos de prédios posteriores ao neoclassicismo.

O Palacio Dahau insere-se no estilo vitoriano tardio.
Com inspiração no castelo de Marais (Ile-de-France).

Palacio Ortiz Basualdo – Calle Cerrito, 1399.
Palacio Dahau – Avenida Alvear, 1661.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Intendente Alvear +++

Obra do arquiteto paisagista francês Carlos Thais.
Abriga tradicional feira de artesanato nos fins de semana.
Em frente à praça, a sombra de um frondoso gomero.
E La Biela, um dos cafés de grife da cidade.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Torcuato de Alvear (Plaza Francia) +++

É um bom ponto de partida para um passeio pela Recoleta.
Desfrute de um café em La Biela.
Com vista para a Basílica Nuestra Señora Del Pilar.
Dentro, aprecie as fotos de Adolfo Bioy Casares, escritor.
Para um livro do amigo – e também escritor, Jorge Luis Borges.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design