quarta-feira, 9 de maio de 2012

Os Jazigos de Evita Perón e Rufina Cambaceres, no Cemitério da Recoleta

Após circularmos rapidamente pela área em frente ao Cemitério da Recoleta, entramos no cemitério e seguimos até o jazigo da família Duarte. Ali descansa Evita Perón, a ex-primeira dama da Argentina. Apesar de este ser o mais famoso, o de Rufina Cambaceres é o mais curioso. Afinal, esta jovem foi sepultada viva...

O Belo Jazigo da Família José C. Paz, no Cemitério da Recoleta
O Belo Jazigo da Família José C. Paz


Continuação de...
Ida ao Cemitério da Recoleta, em Buenos Aires


O Túmulo de Evita Perón

Enfim, o túmulo de Evita Perón! E em um cemitério repleto de obras de arte, o jazigo da família Duarte chama a atenção por sua simplicidade. Neste sentido, ele reflete o comportamento de Evita, que apesar de sua enorme vaidade, repudiava a ostentação.


Como disse na postagem anterior, o sepultamento de Evita no Cemitério da Recoleta não deixa de ser uma ironia. Além de não pertencer a uma família com um “nome forte”, Evita hostilizava a elite argentina.

Evita Perón: no Jazigo da Família Duarte , no Cemitério da Recoleta
Evita Perón: Jazigo da Família Duarte 

De qualquer forma, Evita Perón era e continua sendo um mito. E um dos nomes mais fortes ligado ao populismo, que teve em seu esposo, Juan Domingo Perón, um de seus maiores expoentes. Por tudo isto, o túmulo tornou-se um ponto turístico de Buenos Aires. Apesar de visualmente não despertar maior curiosidade...

Justa Lima Homenageia Seu Marido, no Cemitério da Recoleta
Justa Lima Homenageia Seu Marido


Jazigos de Bernardo Iturraspe e Marco Avellaneda


Próximo ao jazigo da família Duarte fica o da família de Bernado Iturraspe. Construído em forma de uma pequena capela, exibe colunas clássicas, aos lados da porta de entrada. Sobre o jazigo, nas laterais, duas imagens rezando e acima, a Virgem ao lado da cruz.

Jazigo de Marco de Avellaneda, no Cemitério da Recoleta
Jazigo de Marco de Avellaneda

Ali perto, fica o túmulo de Marco de Avellaneda. O Sr. Avellaneda é retrato como se estivesse conversando. Já jazigo da família Mitre é guarnecido por três esculturas clássicas. 


Rufina Cambaceres: A Jovem Sepultada Que Foi Sepultada Viva

No mausoléu de Rufina Cambaceres, você verá a escultura de uma jovem – na verdade, um anjo – abrindo uma porta. É uma das mais belas obras do Cemitério da Recoleta. E para quem sabe um pouco sobre a história de Rufina, verá que a escultura é reveladora...

Mausoléu de Rufina Cambaceres, no Cemitério da Recoleta
Mausoléu de Rufina Cambaceres


Rufina Cambaceres era filha do escritor argentino Eugenio Cambaceres e da bailarina italiana Luisa Bacichi. Consta que quando ia completar 19 anos, Luisa organizou uma festa para a filha no Teatro Colón. Quando se dirigia ao teatro, uma amiga de Rufina confidenciou a ela que Luisa era amante de seu noivo. E Rufina Cambaceres teve um ataque cardíaco...

A morte foi confirmada por três médicos e Rufina foi sepultada. Dias depois, verificou-se que a tampa de seu caixão estava quebrada. Ao removê-la, percebeu-se que Rufina estava com as mãos e a face arranhadas. Ela havia sofrido um ataque de catalepsia, sendo sepultada viva. Acabou morrendo por asfixia. O anjo abrindo a porta representa Rufina abrindo a tampa do caixão.

Jazigo da Família Paz, no Cemitério da Recoleta
Jazigo da Família Paz


Jazigo da Família José C. Paz

A mais bela obra do Cemitério da Recoleta talvez seja o jazigo da família José Paz. Nele, anjos observam, do chão, a cena que se desenrola na parte superior do jazigo. É impressionante a ideia de movimento que estas esculturas passam... José Clemente Paz foi um diplomata e jornalista argentino. José C. Paz ergueu o Palácio Paz, ainda hoje, a maior residência particular da Argentina

Detalhe do Jazigo da Família Paz, no Cemitério da Recoleta
Detalhe do Jazigo da Família Paz

O relato segue com...

22 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón +++

Sala de ópera de prestígio internacional.
Um dos cinco melhores teatros operísticos do mundo.
Desde 1908, abriga espetáculos de ópera, balé e música erudita.
Durante a visita guiada, você pode conhecer os atributos técnicos.
Assim como o valor do edifício e a rica história do Teatro Colón.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: História +++

No projeto, trabalharam três arquitetos, de maneira sucessiva.
Francisco Tamburini, Victor Meano e Jules Dormal.
A inauguração 25 de maio de 1908.
Em comemoração à Revolução de Maio de 1810.
Na ocasião, apresentou-se a ópera Aída, de Giuseppe Verdi.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Monumento Histórico +++

O Teatro Colón é Monumento Histórico Nacional da Argentina.
Trata-se de um dos teatros líricos mais importantes do mundo.
Isto se deve à excelente acústica da casa.
Além do evidente conceito artístico da construção.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ As Celebridades no Teatro Colón +++

Pelo palco Colón já passaram algumas celebridades:
+ Arturo Toscanini (maestro italiano);
+ Enrico Caruso (tenor italiano);
+ Herbert Von Karajan (maestro austríaco);
+ Igor Stravinsky (compositor e pianista russo);
+ Maia Plissetskaia (bailarina russa);
+ María Callas (soprano grego);
+ Mstislav Rostropovich (maestro russo);
+ Richard Strauss (maestro alemão).

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Sala Principal +++

A Sala Principal do Teatro Colón possui forma de ferradura.
E segue ao pé da letra o desenho de teatros clássicos.
Em especial, os italianos e os franceses.
A plateia possui 29,25 metros no menor diâmetro.
E 32,65 metros no maior.
Além de 28 metros de altura.
A planta conta com palcos laterais até o terceiro piso.
E capacidade para 2.478 espectadores.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Cúpula +++

Sobre a Sala Principal fica a cúpula de 318 m2.
A princípio, decorada com pinturas de Marcel Jambon.
O artista já pintara obras similares em famosos teatros franceses.
As pinturas de Jambon, porém, deterioraram-se.

Em 1966, inauguraram-se as pinturas de Raúl Soldi.
As 16 telas do argentino aderem-se à cúpula.
E contam com 51 figuras, como músicos e instrumentos.
Além de atores de comédia e drama.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Palco +++

O palco do Teatro Colón tem 35,25 metros de largura.
E 34,50 metros de profundidade.
Além de três centímetros de inclinação a cada metro.
A área do palco possui 48 metros de altura.

O local também conta com um disco giratório elétrico.
Este tem 20,30 metros de diâmetro.
E gira em ambos os sentidos.
Isto permite uma rápida troca de cenários.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Teatro Colón: Fosso da Orquestra +++

Compota 120 músicos.
E constitui-se de uma câmara de ressonância.
E curvas especiais para gerar a correta reflexão do som.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Biblioteca Nacional +++

O arquiteto Clorindo Testa projetou o prédio em estilo brutalista.
Ele substituiria o palácio presidencial.
Quando o golpe militar destituiu Perón, em 1955.

Em 2002, ocorreu a exposição de 50 anos da morte de Evita.
E de acordo com a lenda, o espírito dela vaga pela Biblioteca.
Alguns funcionários até alegam que sentiram o perfume de Evita.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta +++

A fachada reúne colunas dóricas na entrada da Rua Junín.
Mas são os muros de tijolos vermelhos que cercam o perímetro.
Dentro deles, uma série de imponentes mausoléus.
Em meio a ermas ruas ou a avenidas ladeadas por árvores.

Esta cidade dos mortos tem mais de 46 mil metros quadrados.
E era uma das meninas dos olhos de Tocuato de Alvear.
O leito derradeiro do prefeito modernizador está bem ali.
Próximo ao pórtico de entrada do Cemitério da Recoleta.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Ricos e O Cementerio de la Recoleta +++

Quase todos os sepultados eram ricos.
E tão importante quanto à riqueza era o sobrenome.
Entre eles, há presidentes argentinos.
Como Bartolomé Mitre, Domingo F. Sarmiento e Hipólito Yrigoyen.
Militares, como Guilhermo Brown e Julio Argentino Roca.
Além de artistas e figuras literárias:
Adolfo Bioy Casares, Cândido López, José Hernández, Victória Ocampo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Boxeador e O Cementerio de la Recoleta +++

Luis Angel Firpo (1894-1960), boxeador, tinha origem humilde.
Mas tinha o influente oligarca Félix Bunge como padrinho.
O “touro selvagem dos pampas” quase trucidou Jack Dempsey.
A luta ocorreu no Polo Grounds, em Nova York, em 1923.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta e Evita Perón +++

Ali, sepultou-se, definitivamente, Evita Perón.
Evita nunca escondeu a hostilidade contra a elite argentina.
E sua simples presença envergonha os oligarcas ali enterrados.

Eva era a filha ilegítima e ressentida do fazendeiro Juan Duarte.
Agora, ela compartilha o jazigo com o pai que a renegou.
Uma simples parca marca o derradeiro local de descanso de Evita.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Histórias do Cementerio de la Recoleta +++

O Cemitério da Recoleta destaca-se pelas esculturas.
E pela qualidade arquitetônica.
Também abriga histórias de amor, paixões e traições.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Celebridades no Cementerio de la Recoleta +++

O local converteu-se em monumento histórico.
Dado o valor artístico e a relevância de suas tumbas.
Trata-se de um verdadeiro museu a céu aberto...

Ex-presidentes, heróis nacionais e celebridades descansam ali.
Com destaque à célebre Eva Perón.
Mas outras tumbas despertam singular magnetismo...

Como a de Liliana Crociati.
Ela faleceu aos 26 anos, durante a lua de mel.
A abóboda neogótica reproduz o dormitório da jovem.
Em frente, há uma escultura dela, em bronze.
Com vestido de noiva e acompanhada do mascote.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ História dos Cemitérios de Buenos Aires +++

Na Buenos Aires antiga, não havia cemitérios.
Sepultavam-se os mortos nas igrejas.
Ou fora da cidade.
Mas o aumento da população exigiu novas medidas.
E em 1822, inaugurou-se o Cementerio Del Norte.
Onde ficava o pomar dos frades recoletos.
O intendente Torcuato de Alvear deu à necrópole atmosfera distinta.
Ao realizar uma série de obras e dotar o local com esculturas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pórtico do Cementerio de la Recoleta +++

O pórtico serve de acesso principal ao cemitério.
E surgiu quando se ordenou o remodelamento do prédio.
São quatro colunas em estilo grego.
Sobre elas, lê-se “Requiescat in pace” (Descansem em paz).
No lado interno, outra frase.
Esta, atribuída aos mortos:
“Expectamus dominum” (Esperamos o Senhor).

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Inimigos no Cementerio de la Recoleta +++

Domingo F. Sarmiento e Fagundo Quiroga foram grandes rivais.
Hoje, o ex-presidente e o caudilho dividem a mesma morada.
E os túmulos ficam distantes poucos metros um do outro.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mausoléus do Cementerio de la Recoleta +++

Federico Leloir recebeu o Prêmio Nobel de Química.
Seu mausoléu conta com um coreto.
Que coroa a abóboda e apresenta um Cristo.

Também se destaca o mausoléu de Luís María Campos.
Belas esculturas adornam o sepulcro do tenente coronel.

A mais antiga tumba é também uma das mais singelas.
Ela guarda os restos mortais de Remedios de Escalada.
Esposa do general San Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácios Suntuosos de Recoleta e Retiro +++

Muitas residências do Retiro testemunham a riqueza.
Da Belle Époque do final do século XIX.
O mesmo acontece na Recoleta.
Isso confere a característica de exclusividade destes bairros.
Com elegantes ruas e avenidas que alimentam esse glamour.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

++++ Palácios na Recoleta ++++

O Palacio Ortiz Basualdo, desde 1939, abriga a Embaixada da França.
O notável edifício, originalmente, foi uma mansão aristocrática.
Este “hotel particular” pertenceu à família Ortiz Basualdo.

Com projeto de 1912, a construção prolongou-se até 1918.
Em 1925, serviu de residência oficial a um ilustre visitante.
Eduardo de Windsor, Príncipe de Gales, passou uma temporada ali.

Até a primavera de 2014, foi mais de um ano de restauração.
Para o prédio recuperar todo o explendor de suas fachadas.
A entrada principal, os salões de recepção e o mobiliário.

A antiga residência fica a poucos metros de outros palácios.
Como Álzaga Unzué, Casey, Fernández Anchorena e Pareda.
Todos na zona norte da cidade de Buenos Aires.

Para muitos o Palacio Dahau é o expoente máximo de um período.
A residência é o maior representante da Belle Époque portenha.
Um dos últimos exemplos de prédios posteriores ao neoclassicismo.

O Palacio Dahau insere-se no estilo vitoriano tardio.
Com inspiração no castelo de Marais (Ile-de-France).

Palacio Ortiz Basualdo – Calle Cerrito, 1399.
Palacio Dahau – Avenida Alvear, 1661.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design