terça-feira, 1 de maio de 2012

Plazoleta Coronel Manuel de Olazábal, Buenos Aires

Fica em meio à movimentada Avenida Paseo Colón. Esta pequena praça oval, hoje conhecida como Plazoleta Eva Perón, abriga uma sólida obra de bronze, o Canto al Trabajo, do escultor Rogelio Yrurtia.

Plazoleta Coronel Manuel de Olazábal, Buenos Aires
Plazoleta Coronel Manuel de Olazábal, Buenos Aires

O monumento é um antídoto para as inúmeras estátuas equestres de Buenos Aires. Canto al Trabajo homenageia o trabalho dos pioneiros dos pampas. Os colonizadores da Argentina.

Monumento Canto Al Trabajo, de Rogelio Yrurtia
Monumento Canto Al Trabajo, de Rogelio Yrurtia


Veja também...
City Tour em Buenos Aires: Avenida 9 de Julio e Obelisco, San Telmo, La Boca e Reserva Ecológica
Feira de Antiguidades, Casa Mínima e Monumento Canto Al Trabajo, em San Telmo, Buenos Aires

21 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ San Telmo +++

A Segunda Fundação de Buenos Aires ocorreu em 1580.
E a cidade começou a se expandir em terras mais altas.
Em relação às margens do Riachuelo.

O bairro de San Telmo era conhecido como Alto de San Pedro.
O atual nome forjou-se apenas no início do século XIX.
Com o crescente culto a San Pedro González Telmo.
Em 1806, a paróquia local recebeu o nome do santo.

Um mercado ficava no local da atual Plaza Dorrego.
Similar ao que hoje fica na Rua Carlos Calvo.

O bairro cresceu ao receber várias famílias ricas.
Porém, ocorreu uma epidemia de febre amarela, em 1871.
Ela provocou grande mortandade e o êxodo.

Os habitantes de cortiços e alguns artistas retornaram.
E dotaram o bairro de agito e romantismo.
Que sobrevivem e atraem os visitantes.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Um Postal de San Telmo +++

Um postal que resume San Telmo deveria focar nos antiquários.
Nas casas que comercializam objetos e recordações.
E nos artistas que mantêm vivas as tradições e a estética.
Como as que dão a identidade de um bairro que parou no tempo.
Mas que vive em constante movimento...

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Antigos Prédios de San Telmo +++

Juan Carlos Castagnino (1908-1972) viveu no bairro.
Em uma casa do século XVIII, cuja fachada se conserva.

Ainda mais antiga é a vivenda de Esteban de Luca.
A do militar e poeta é Monumento Histórico Nacional.

O mesmo mérito recai sobre o Museo Penitenciario Argentino.
Com a singularidade dos diversos usos que o prédio teve.
Retiro de sacerdotes, hospital e asilo de menores.
Depósito, cárcere de devedores e correção de mulheres.
O prédio ainda conserva o pátio interno.

Outros prédios dignos de atenção em San Telmo:
+ antigo edifício da Fundación San Telmo – Defensa, 1344;
+ interior da Galería Del Viejo Hotel Balcarce – Balcarce, 1053;
+ solar do patriota Domingo French – Defensa, 1056.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Antiquários de San Telmo +++

San Telmo tem um dos maiores mercados de arte da América do Sul.
São dezenas de antiquários, que se multiplicam com a feira de domingo.
Eles oferecem todo tipo de objetos para decoração ou coleção.
Em especial, itens dos séculos XVIII e XIX.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Artistas em San Telmo +++

Muitos artistas contam com um ateliê-museu em San Telmo.
É o caso do mestre ourives Juan Carlos Pallarols.
Ele expõe e vende trabalhos em ouro, prata, bronze e pedras preciosas.
Também se pode visitar o ateliê de Martiniano Arce.
O expoente máximo da pintura decorativa portenha.
Uma arte pictórica popular e bem arraigada à identidade local.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Casa Mínima +++

Na Pasaje San Lorenzo 380, fica a famosa Casa Mínima.
Curiosa construção com 2,50 metros de frente e 13 de fundos.
A construção do século XIX tem origem incerta.
Uma teoria diz que pertenceu a um escravo liberto.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Feria de San Telmo +++

A feira ocorre aos domingos, no bairro de San Telmo.
E é uma das maiores atrações da cidade de Buenos Aires.
Tanto para argentinos quanto para estrangeiros.
É tão popular que a prefeitura fechou oito quadras da Rua Defensa.
E abriu, assim, mais espaço para vendedores.
Bem como para cantores, dançarinos, mímicos e músicos.
E, é claro, para caçadores de bugigangas.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Feira e Casas de Antiguidades +++

Passeio entre peças de arte e objetos variados.
Ao redor da Plaza Dorrego, em San Telmo.
Um local com muitos casarões do século XIX.
Alguns deles transformaram-se em lojas de antiguidades.
E oferecem objetos de diversos tamanhos, origens e valores.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Localização da Feira de San Telmo +++

A feira ocorre aos domingos, no bairro de San Telmo.
E estende-se pelas ruas Defensa e Humberto Primo.
E pelas passagens Giuffra e San Lorenzo.
Forma, neste caso, um circuito para se caminhar.

A maioria dos estandes oferece objetos antigos e artesanato.
Há também pontos que vendem todo tipo de produto.
Alguns, de origem irregular.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Obelisco de Buenos Aires +++

Fica no cruzamento das avenidas 9 de Julio e Corrientes.
Destaca-se como o grande ícone da cidade.
E o epicentro de festejos e manifestações populares.
A princípio, porém, os portenhos rechaçaram-no.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Polêmico Obelisco +++

O monumento tem 67,5 metros de altura.
E dizia-se que representava o amor próprio dos portenhos.
O certo é que recebeu duras críticas dos moradores.
E até se ordenou a sua demolição.
Mas logo se voltou atrás na decisão.
Com o passar dos anos, seu magnetismo ganhou terreno.
E o obelisco converteu-se em um símbolo da cidade.
Além de um grande atrativo turístico.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Obelisco: A Inspiração +++

A do Obelisco inauguração ocorreu em 23 de maio de 1936.
Ele fica no cruzamento das avenidas Corrientes e 9 de Julio.
Onde se içou, pela primeira vez, a Bandeira Nacional, em 1812.
Época em que ali ficava a igreja San Nicolás de Bari.
A circunstância era significativa em favor da independência.
E recorda-se isso no pé da face norte do Obelisco.
O monumento marca o 400º centenário.
Do primeiro assentamento espanhol no Rio da Prata.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Obelisco: A Construção +++

O arquiteto Alberto Prebish foi um precursor do modernismo local.
Projetou o Obelisco e concluiu a construção em apenas um mês.
Muito rápido, considerando-se os 67,5 metros do monumento.
Ao todo, 150 trabalhadores participaram da obra.

A estrutura é oca e conta com apenas uma porta de entrada.
No início, era completamente coberta por rocha calcária.
Mais tarde, as autoridades pintaram-na com 620 litros de látex.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Obelisco: Proibição do Ingresso +++

No topo do Obelisco, há quatro pequenas janelas.
Uma escada marinheira de 206 degraus leva até lá.
Na subida, há sete espaços para descanso.
Do alto, registram-se fotos da cidade de um ponto único.

No entanto, o acesso público encontra-se proibido.
No 75º aniversário, em 2011, organizou-se uma visita guiada.
Com 75 moradores da cidade.
O mesmo ocorreu, em 2016, com 80 morados.
Na comemoração dos 80 anos da construção.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Obelisco: Ódio e Amor +++

A antipatia dos portenhos pelo monumento foi notória.
Poucos viam algo representativo na forma geométrica racionalista.
E em 1939, o Conselho Deliberante sancionou a demolição.
Mas as mais altas esferas políticas vetaram a iniciativa.
O reconhecimento veio com o tempo.
Hoje, o Obelisco é um ponto de encontro.
De diferentes expressões sociais e campanhas de massa.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio e Corrientes +++

Buenos Aires encontra em suas ruas ícones históricos.
Isso acaba por dotar de caráter a cidade.
É o caso destas duas tradicionais avenidas.
Uma é motivo de orgulho pela sua amplitude.
A outro ostenta a maior oferta teatral de Buenos Aires.
E no encontro das duas artérias ergue-se o Obelisco.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio +++

As 14 faixas de trânsito feroz separam o Microcentro de San Nícolas.
Atravessar essas 14 faixas não é das tarefas mais simples.
A maioria dos pedestres precisa aguardar duas mudanças de semáforos.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio: História +++

Mítica artéria que corta a cidade de Norte a Sul.
E homenageia a data da declaração da Independência Nacional.
Tem pouco mais de 3 km e sentido duplo de circulação.
E conecta duas importantes cabeceiras ferroviárias: Constitución e Retiro.

Em 1912, a construção recebeu luz verde.
Mas a inauguração ocorreu apenas em 1937.
Com uma extensão bem menor.
Entre as ruas Bartolomé Mitre e Viamonte.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio: Ônibus e Metrô +++


O transporte público permite uma vista distinta da avenida.
A linha C do metrô segue o curso sob a Avenida 9 de Julio.
Enquanto o Metrobus 9 de Julio passa pela superfície da avenida.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio: Prédios Importantes +++

Ao longo da Avenida 9 de Julio encontra-se o célebre Teatro Colón.
E o Edificio Del Plata, com gigantografias populares na fachada.
O prédio antigo Ministério de Obras Públicas.
Este exibe a imagem de Evita sobre duas de suas fachadas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cruzar a Avenida 9 de Julio +++

Para cruzar a Avenida 9 de Julio, deve-se atravessar 140 metros.
Uma das maneiras de fazer isso é pelas passagens subterrâneas.
Elas conectam Carlos Pelegrini e Cerrito, na altura do Obelisco.
Ali, confluem as linhas dos subterrâneos B, C e D.
Onde ficam numerosos pontos comerciais.

Pela extensão, na avenida já ocorreram atos políticos e artísticos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design