domingo, 15 de abril de 2012

Buenos Aires, Argentina

Sedutora, arrogante, cruel, volúvel. A Rainha do Prata arrebata corações à primeira vista. E, como em uma letra de tango, os sentimentos que Buenos Aires desperta são caóticos, confusos, contraditórios. 

Palacio Errazuriz, na Recoleta, em Buenos Aires
Palacio Errazuriz, na Recoleta

Ama-se e odeia-se Buenos Aires com a mesma intensidade. Apenas a indiferença em relação à capital da Argentina parece ser impossível. A cidade desperta as mais diversas paixões...

O Curioso Ritual de Troca da Guarda, em Bueno Aires
O Curioso Ritual de Troca da Guarda, em Bueno Aires

Cabildo: Uma das Raras Construções Coloniais de Bueno Aires
Cabildo: Uma das Raras Construções Coloniais 

Buenos Aires é única! E também diferente de todas as outras grandes cidades do continente. Alguns dizem que Buenos Aires tem alma. E que essa alma exala dos tangos de Gardel e Piazzolla.

A Casa Rosada, no Coração de Buenos Aires
A Casa Rosada, no Coração de Buenos Aires

Ou no rock de Charly Garcia e Fito Paez. É a música que surge em ruas de bairros como San Telmo, La Boca, Palermo e Recoleta.

O Interior da Casa Rosada, em Buenos Aires: a Sede do Governo Argentino
O Interior da Casa Rosada: A Sede do Governo

E no centro, os incontáveis cafés. Não apenas os famosos Tortoni e La Biela, mas também os pequenos e anônimos cafés dispersos pelas esquinas de Buenos Aires. 

O Interior do Famoso Gran Café Tortoni, em Buenos Aires
O Interior do Famoso Gran Café Tortoni

Há ainda os grandes clássicos entre o Boca Juniors e o River Plate na Bombonera, as manifestações e os protestos da Plaza de Mayo, os sofisticados restaurantes de Puerto Madero...

Puente de la Mujer, no bairro de Puerto Madero, em Buenos Aires
Puente de la Mujer, no bairro de Puerto Madero

Ama-se e odeia-se Buenos Aires com a mesma intensidade. Apenas a indiferença em relação à capital da Argentina parece ser impossível. A cidade desperta as mais diversas paixões...


Relatos dos Passeios por Buenos Aires

126 comentários:

Leonardo Brocker disse...

+++ "Celui qui Aime a Raison" (2006) +++

Filme francês com locações em:
+ Buenos Aires;
+ Curitiba;
+ Montevidéu;
+ Porto Alegre;
+ São Paulo.

Adaptado de IMDB.

Leonardo Brocker disse...

+++ "Celui qui Aime a Raison" +++

Diretor: Arnold Pasquier
Roteiro: Arnold Pasquier

Elenco:
Marcos Gallon;
Osmar Zampieri;
Walmir Pavam;
Danilo Rabelo;
Diogo Granato;
Fabio Cypriano.

Sinopese:
Marcos e Osmar vivem em São Paulo, Brasil.
Marcos reencontra Walmir.
Eo os três passam a viver juntos.
Um dia Walmir desaparece.
Sua ausência lança dois homens em uma busca sentimental.
Marcos faz experiências para se lembrar de Walmir.
Enquanto que Osmar parte para uma pesquisa.
Ele viaja de São Paulo para o Uruguai e a Argentina.
E finalmente, sua jornada termina na margem de um rio.
E cada um, a seu modo, dá uma resposta para a falta.

Adaptado de Écran Large

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito +++

Juan de Dios Filberto compôs o melancólico tango “Caminito”.
O Caminito era um sinuoso ramal da ferrovia.
O pintor Quinquela Martín transformou em atração turística.
E converteu o antigo matagal em calçadão.
Agora, aos domingos, ônibus despejam visitantes no local.
Estes vêm fotografar os cortiços de metal com cores berrantes.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Calle Caminito +++

Animada travessa do bairro La Boca, em Buenos Aires.
Com exposições de arte, dançarinos de tango e lojinhas.
Além das casas multicoloridas com chapas de zinco e madeira.
Estas construções caracterizam o bairro.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito +++

Del Valle Inelucea y Magallanes
Camine al borde del Riachuello por este colorido paseo.
Refugio de artistas y tangeros.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito +++

Es um colorido y original recorrido de 150 metros.
A pocos metros de Caminito puede visitarse:
+ Museo Histórico Nacional de Cera;
+ Teatro de La Ribera;
+ Fundación Pro y el
+ Museo de Bellas Artes de La Boca Benito Quinquela Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Origem do Caminito +++

“Caminito que entonces estabas bordeado de trébol y juncos en flor”.
Assim diz a letra do tango Caminito, na voz de Calor Gardel.
Em referência ao antigo passeio de 150 metros de extensão.
Hoje, o local é um autêntico museu a céu aberto.
O Caminito destaca o bairro La Boca.
Pois reflete boa parte de sua identidade.
Que a pujança do povo imigrante forjou.
E, do nada, imaginou um novo lugar.
A esperança que se sustenta com chapas, madeiras e pinturas coloridas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito – Cores Vivas +++

No princípio do século XX, um arroio fluía no local.
Hoje, é um dos passeios mais emblemáticos da cidade.
As frentes de chapas pintadas com cores distintas.
Recriam o costume dos primeiros imigrantes.
Eles pintavam as casas com a tinta remanescente dos barcos.
Já o piso era em estilo “Puntin”.
Um diminutivo genovês.
Ele se referia à antiga ponte que cruzava o arroio.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito – Homenagem ao Tango +++

Durante muito tempo, por ali passou a linha férrea.
Quando se extinguiu o ramal, o local virou um beco abandonado.
Em meados do século passado, recuperou-se a passagem.
Ela passou a ser uma espécie de rua-museu.
E em 1959, recebeu o nome do célebre tango.
Juan de Dios Filiberto e Gabino Coria Peñazola compuseram.
Mas foi Carlos Gardel eternizou o tango “Caminito”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Caminito – Lugar de Artistas +++

Curiosamente, não há portas que abrem para o Caminito.
Apenas janelas e sacadas.

Doações de diversos artistas transformaram o local em museu.
O impulso inicial foi de Benito Quinquela Martín.
Célebre pintor e morador boquense apaixonado.

Hoje, artistas plásticos expõem obras no Caminito.
A feira funciona diariamente:
+ no inverno, das 11h às 18h;
+ no verão, das 11h às 20h.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ La Bombonera +++

Em dias de jogo, milhares de torcedores enchem o bairro.
E extravasam a emoção pelo clube.
Ali, surgiu Diego Armando Maradona.
Um dos melhores jogadores da história do futebol.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ La Bombonera +++

Estádio do Boca Juniors, time mais popular do país.
Fica entre as ruas Brandsen e Del Valle Iberlucea.
E tem capacidade para 57 mil torcedores.
A aparência externa, porém, é meio decadente.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estádio do Boca Juniors +++

Inicie o dia com uma visita a La Bombonera.
Um templo da paixão futebolística.
Ele possui um museu interativo.
Que conta a história do time e dos ídolos.
Depois, pode-se tomar o ônibus turístico até Puerto Madero.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ La Bombonera +++

Nome popular do Estádio Alberto J. Armando.
Se estiver em Buenos Aires em dia de jogo, vale assistir.
Para alguns, ali se vive a experiência esportiva mais intensa do mundo...

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ "Gallito Ciego" (2001) +++

Facundo é um rapaz comum e normal.
Que precisa de um emprego para sobreviver.
Acabou de terminar o ensino médio.
E está em uma situação crítica.
Que não lhe permite continuar estudando.
Assim, começa a andar pela cidade por vários dias.
Até que numa manhã através de um anúncio, conhece o Dr Benavidez.
Um homem de aparência respeitável.
Que lhe oferece um emprego em condições dignas.
Mas nem tudo é o que parece.

Adaptado de Filmaffinity España

Leonardo Brocker disse...

+++ "Gallito Ciego" - Sinopse +++

Facundo acaba de terminar la secundaria y está desocupado.
Un día encuentra un trabajo.
Y cree que podrá salir de su angustiante situación.
Pero un cheque se cruza en su camino.
Y lo que parecía algo sencillo se convierte en una pesadilla.
Que lo hace andar como gallito ciego.

Adaptado de Cine.Ar

Leonardo Brocker disse...

+++ "Gallito Ciego" +++

Diretor: Santiago Carlos Oves
Roteiro: Santiago Carlos Oves

Elenco
Rodrigo De la Serna - Facundo
Erica Rivas - Fernanda
Aída Luz - Abuela Facundo
Martín Coria - Portero
Paulo Bispo - Negro
Dario Spindler - Flaquito
Alberto Busaid - Enfermero
Silvia Iglesias - Marisa

Rodrigo De la Serna recebeu o prêmio de Melhor Novo Ator.
Da Associação Argentina de Críticos de Cinema, em 2002.

Adaptado de IMDB

Leonardo Brocker disse...

+++ Opinião dos Diários Ingleses +++

Poucos metros separam o campo das tribunas.
Isso aproxima os espectadores dos jogadores.
E vivem-se as emoções do jogo à flor da pele...

O maior clássico do futebol argentino é “Boca x River”.
O jornal inglês The Observer considerou a partida:
“A experiência desportiva mais intensa do mundo”.
O diário The Sun também foi categórico neste sentido:
“O número um entre os 50 espetáculos desportivos que você deve ver antes de morrer”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Estádio Alberto J. Armando +++

Em 1940, inaugurou-se o estádio.
Com capacidade para quase 49.000 pessoas.
A estrutura é a de uma ferradura.
Com três bandejas sobrepostas.
E um ângulo de inclinação empinado.
O que lembra uma caixa de bombons.
Por isso, se chama o estádio de La Bombonera.
O nome oficial é de um ex-presidente da instituição.
No caso, Alberto J. Armando.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Visita Guiada ao Estádio +++

Na visita, pode-se conhecer o campo, as tribunas e os vestiários.
Uma parada obrigatória é o Museo de La Pasión Boquense.
Ele fica abaixo das tribunas do estádio.
Abriga uma coleção de objetos e uma produção audiovisual interativa.
Eles contam a história do clube.
Uma sessão homenageia as figuras máximas do Boca Juniors.
Como Diego Maradonna, Juan Román Riquelme e Martín Palermo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Centro Cultural Borges +++

Fica dentro das Galerías Pacífico.
Juan Carlos I, rei da Espanha, inaugurou-o em 1995.
O local destina espaços a iniciativas artísticas e intelectuais.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Galerías Pacífico +++

Fica Avenida Córdoba com a Rua Florida.
Na tradicional zona central de Buenos Aires.
O shopping oferece boa parte das marcas mais famosas.
Em um edifício histórico.
Que se distingue pela beleza interior e exterior.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Galerías Pacífico +++

Uma imponente obra arquitetônica.
Com mais de 150 locais de marcas famosas.
A cúpula central tem obras de cinco artistas históricos.
São pinturas de grandes mestres locais do século XX.
Uma das saídas é pela rua comercial Florida.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Galerías Pacífico: Monumento Histórico +++

O prédio é um Monumento Histórico.
Pela arquitetura e pelos impactantes murais, de 1946.
Pinturas de Berni, Castagnino, Colmeiro, Spilimbergo e Urruchúa.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ San Telmo +++

A Segunda Fundação de Buenos Aires ocorreu em 1580.
E a cidade começou a se expandir em terras mais altas.
Em relação às margens do Riachuelo.

O bairro de San Telmo era conhecido como Alto de San Pedro.
O atual nome forjou-se apenas no início do século XIX.
Com o crescente culto a San Pedro González Telmo.
Em 1806, a paróquia local recebeu o nome do santo.

Um mercado ficava no local da atual Plaza Dorrego.
Similar ao que hoje fica na Rua Carlos Calvo.

O bairro cresceu ao receber várias famílias ricas.
Porém, ocorreu uma epidemia de febre amarela, em 1871.
Ela provocou grande mortandade e o êxodo.

Os habitantes de cortiços e alguns artistas retornaram.
E dotaram o bairro de agito e romantismo.
Que sobrevivem e atraem os visitantes.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Um Postal de San Telmo +++

Um postal que resume San Telmo deveria focar nos antiquários.
Nas casas que comercializam objetos e recordações.
E nos artistas que mantêm vivas as tradições e a estética.
Como as que dão a identidade de um bairro que parou no tempo.
Mas que vive em constante movimento...

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Antigos Prédios de San Telmo +++

Juan Carlos Castagnino (1908-1972) viveu no bairro.
Em uma casa do século XVIII, cuja fachada se conserva.

Ainda mais antiga é a vivenda de Esteban de Luca.
A do militar e poeta é Monumento Histórico Nacional.

O mesmo mérito recai sobre o Museo Penitenciario Argentino.
Com a singularidade dos diversos usos que o prédio teve.
Retiro de sacerdotes, hospital e asilo de menores.
Depósito, cárcere de devedores e correção de mulheres.
O prédio ainda conserva o pátio interno.

Outros prédios dignos de atenção em San Telmo:
+ antigo edifício da Fundación San Telmo – Defensa, 1344;
+ interior da Galería Del Viejo Hotel Balcarce – Balcarce, 1053;
+ solar do patriota Domingo French – Defensa, 1056.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Antiquários de San Telmo +++

San Telmo tem um dos maiores mercados de arte da América do Sul.
São dezenas de antiquários, que se multiplicam com a feira de domingo.
Eles oferecem todo tipo de objetos para decoração ou coleção.
Em especial, itens dos séculos XVIII e XIX.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Artistas em San Telmo +++

Muitos artistas contam com um ateliê-museu em San Telmo.
É o caso do mestre ourives Juan Carlos Pallarols.
Ele expõe e vende trabalhos em ouro, prata, bronze e pedras preciosas.
Também se pode visitar o ateliê de Martiniano Arce.
O expoente máximo da pintura decorativa portenha.
Uma arte pictórica popular e bem arraigada à identidade local.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Feria de San Telmo +++

A feira ocorre aos domingos, no bairro de San Telmo.
E é uma das maiores atrações da cidade de Buenos Aires.
Tanto para argentinos quanto para estrangeiros.
É tão popular que a prefeitura fechou oito quadras da Rua Defensa.
E abriu, assim, mais espaço para vendedores.
Bem como para cantores, dançarinos, mímicos e músicos.
E, é claro, para caçadores de bugigangas.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Feira e Casas de Antiguidades +++

Passeio entre peças de arte e objetos variados.
Ao redor da Plaza Dorrego, em San Telmo.
Um local com muitos casarões do século XIX.
Alguns deles transformaram-se em lojas de antiguidades.
E oferecem objetos de diversos tamanhos, origens e valores.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ A Localização da Feira de San Telmo +++

A feira ocorre aos domingos, no bairro de San Telmo.
E estende-se pelas ruas Defensa e Humberto Primo.
E pelas passagens Giuffra e San Lorenzo.
Forma, neste caso, um circuito para se caminhar.

A maioria dos estandes oferece objetos antigos e artesanato.
Há também pontos que vendem todo tipo de produto.
Alguns, de origem irregular.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo de Bellas Artes de La Boca +++

Fica no segundo e terceiro andar de uma escola primária.
Ali, encontram-se oito salas com obras de artistas argentinos.
Com destaque para as esculturas que ficam nos terraços.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo de Bellas Artes Quinquela Martín +++

Conta com a mais ampla coleção de óleos do artista.
Ele retratou como ninguém a vida portuária boquense.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Benito Quinquela Martín +++

Nasceu em 1890 e passou a infância em um orfanato.
Enfim, um casal de imigrantes o adotou.
E Quinquela Martín passou a viver em La Boca.
Trabalhou no cais do porto.
Decidiu dedicar a vida a “sostener” a identidade dessa vida.

O pintor fundou o museu em 1938.
Doou 50 gravuras e 27 óleos.
Cedeu espaço à obra de outros artistas locais.
Bem como a peças de grande originalidade.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ “Crepúsculo” e Benito Mussolini +++

“Crepúsculo” é uma das obras mais famosas de Quinquela Martín.
Contam que Benito Mussolini viu a obra, em Roma, em 1929.
E ofereceu ao pintor um cheque em branco.
O próprio Quinquela Martín colocaria, ali, o preço.
Mas o artista se recusou, por razões patrióticas.
E trouxe a obra de volta para Buenos Aires.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Berni e Sívori: Museo de La Boca +++

No segundo piso do museu, há obras de outros artistas.
São pintores figurativos argentinos dos séculos XIX e XX.
Quinquela buscava criar um amplo panorama.
E colaborar para forjar um sentimento de pertencimento ao país.
A arte para ele era um fator decisivo em tais processos.
Aprecie “La Muerte Del Marino”, de Eduardo Sívori.
E “El Niño y Su Moneda”, de Antonio Berni.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Máscaras de Proa no Museo de La Boca +++

São esculturas de madeira de artesãos anônimos.
As técnicas que usavam eram de transmissão oral.
As máscaras ficavam na parte dianteira dos navios.
No caso, dos que navegavam no Riachuelo.

Quinquela recebeu 32 doações, de 1930 a 1935.
O Museu de Arte Naval dos EUA queria comprar a coleção.
Em 1937, oferece 100 mil pesos argentinos.
Na época, uma fortuna.

Quinquela recusou a tentadora oferta.
As máscaras eram as primeiras mostras de arte do bairro.
Eram esculturas de 1840 em diante.
Destaque para “Angélica Esposa” e “Doña María”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Terraço do Museu de La Boca +++

Ponto mais alto do Museo de Bellas Artes de La Boca.
Reúne 150 esculturas ao ar livre.
Você pode rodea-las em 180 graus.
E assim apreciar o trabalho tridimensional de grandes artistas.
Destaque a Francisco Cafferata, primeiro escultor argentino.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cabildo de Buenos Aires +++

A construção data de 1775.
Ali, ocorriam as reuniões políticas na época colonial.
Em 1933, tornou-se Monumento Histórico Nacional.
E em 1960, surgiu o Museu Nacional Del Cabildo.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cabildo – Bolívar, 65 +++

Ponto chave do processo político argentino.
Hoje, funciona como museu.
Ingresse no antigo calabouço.
E leia a ordem de fuzilamento do vice-rei Liniers.
Ao sair, inicie o passeio pela Avenida de Mayo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cabildo Nacional: A Construção +++

A construção original data de 1608.
Até então, as reuniões ocorriam no forte contíguo.
Em 1751, concluiu-se uma nova obra.
Esta, em mãos de arquitetos jesuítas.
Em 1763, acrescentou-se a torre central.
E instalou-se o primeiro relógio público.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cabildo Nacional: Modificações Estruturais +++

O Cabildo foi local chave no processo republicano.
Até 1821, com a revolução consumada.
Então, caiu em desuso.
E sofreu modificações.
A principal, com a abertura da Avenida de Mayo, em 1889.
Na ocasião, o prédio perdeu três arcos.
Também, reduziu-se a torre.
A restauração ocorreu no Bicentenário da Revolução.
Em 1933, o prédio tornou-se Monumento Nacional.

O museu habilitou uma sala de peças históricas, em 2016.
Dentre elas, a ordem de fuzilamento ao vice-rei Liniers.
E a pequena imprensa que o General Belgrano usava nas expedições.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Café Tortoni +++

Café mais emblemático de Buenos Aires.
Ao qual frequentaram glórias da literatura.
Da pintura, da música e do tango.
Como Gardel, Borges e Cortázar.

Há ainda a atmosfera que rodeia o café histórico.
E o Tortoni tem mais de um século e meio de história.
Ali, o ar portenho evoca o tango, a nostalgia.
E, é claro, o aroma do café.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Celebridades no Café Tortoni +++

Touan, imigrante francês, inaugurou-o, em 1858.
E tomou o nome de um reduto parisiense.
Lá, reuniam-se personagens ilustres e ilustrados.

Logo o Café passou às mãos de Celestino Curutchet.
E o Tortoni passou a exercer o magnetismo do par europeu.
Tornou-se um ambiente artístico e intelectual.
Pintores, escritores e músicos eram assíduos.

Dentre os visitantes famosos, podemos citar:
+ Alfonsina Storni;
+ Jorge Luis Borges;
+ Julio Cortázar;
+ Roberto Arlt.

Carlos Gardel foi um frequentador assíduo do Tortoni.
Sentava-se sempre no mesmo local.
Junto a uma janela, à direita do salão.
Ingressava pela entrada da Rua Rivadavia, hoje fechada.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Gente de Artes y Letras +++

O pintor Benito Quinquela Martin liderava o grupo.
E solicitou, em 1926, a bodega no subsolo do Café Tortoni.
A ideia era realizar as reuniões no local.
A resposta do proprietário foi positiva.
“Os artistas gastam pouco. Mas dão fama ao café”.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Apresentações de Tango no Tortoni +++

Nas paredes, do Café Tortoni podem-se ver quadros.
Dedicados a Juan D’Arienzo, Aníbal Troilo, Edmundo Rivero.
As apresentações ocorriam de segunda a sexta-feira.
Com numerosas opções no final de semana.

Em um salão, havia mesas de bilhar.
O antigo salão hoje se chama “Eladia Bláquez”.
Mas as mesas agora ficam no fundo do corpo principal.
Onde também se pode jogar cartas, dados e dominó

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Sabores Típicos no Café Tortoni +++

No Tortoni, podem-se resgatar sabores típicos de Buenos Aires.
De antigos pratos que ficaram na memória dos portenhos.
Um deles é o chocolate quente com churros.
Também se pode degustar a tradicional merengada.
O sorvete de leite que acompanha os portenhos há mais de século.
Para beber, a cidra, uma bebida de festas de fim de ano.
No Café Tortoni, esta é uma das especialidades da casa.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Casa Rosada – Balcarce, 50 +++

Principal sede de governo custodiada por granadeiros.
O último discurso de Evita Perón no balcão ocorreu em 1952.
À esquerda da Casa Rosada fica o Banco de La Nación.
Repare na imponente fachada do prédio.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Histórico da Área da Casa Rosada +++

Primeiro havia no local uma profunda vala.
Depois, um alto baluarte.
Até, construir-se um amplo forte.
Muito próximo da costa do rio.
Cujas águas adentravam sobre a incipiente cidade.
O forte de alvenaria sobreviveu por 150 anos.
No século XVIII, destruiu-se, enfim, a fortificação.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Histórico da Casa Rosada +++

Durante o século XVIII, construiu-se o novo prédio.
No início, ele serviu de residência a governadores espanhóis.
Mais tarde, às autoridades argentinas.
Bartolomé Mitre foi o primeiro presidente a ocupar o prédio.
Ele instalou-se no local, em 1862.
Domingo Sarmiento, o sucessor, instalou os jardins.
E pintou a fachada que até hoje vemos.
Porém o prédio não era o atual.
A construção da Casa Rosada iniciou em 1873.
E a inauguração ocorreu em 1898.
Ao longo do tempo, houve modificações arquitetônicas.
Como o grande arco de ingresso.
E os pátios cobertos da frente.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Casa Rosada +++

Fica no local onde Juan de Garay inaugurou um forte.
Hoje, ali se encontra a sede do governo argentino.

A imagem de Evita no alto das sacadas tornou-se célebre.
Seja em velhas fotos. Seja no filme de Alan Parker.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Catedral Metropolitana +++

Muita gente passa na frente e não percebe que é uma igreja.
Não há torres, algo pouco comum a um templo católico.
A fachada tem doze colunas, que representam os apóstolos.
E construção ocorreu onde ficava a igreja colonial original.

No interior, veja as pinturas da Via Crucius, nas paredes.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Catedral Metropolitana +++

É o principal templo católico da cidade.
E fica em frente a Plaza de Mayo.
No local, há um museu em honra ao papa Francisco.
Com objetos pessoais e litúrgicos que ele usou.
Durante o longo ministério pastoral.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Museu do Papa Francisco +++

Em 2013, Jorge Mario Bergoglio tornou-se papa.
Desde então, a Catedral Metropolitana funciona como museu.
Por quinze anos, Bergoglio desenvolveu ali o trabalho pastoral.

O museu abriga objetos pessoais e litúrgicos.
Como o anel que o distinguia como cardeal.
Também há uma escultura de Bergoglio em tamanho real.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Arquitetura da Catedral Metropolitana +++

O estilo neoclássico é pouco habitual a uma igreja.
E o prédio atual é, na verdade, a sexta versão do templo.
O projeto iniciou em 1752.
A conclusão ocorreu um século mais tarde.
As doze colunas da fachada simbolizam os apóstolos de Jesus.
No interior, a cúpula alcança 41 metros de altura.
E desde 1880, abriga o mausoléu de José de San Martín.
O General é a máxima figura histórica argentina.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Congreso de la Nación +++

Obra arquitetônica mais imponente da cidade.
Aprecie a riqueza dos detalhes do parlamento.
Com destaque à cúpula verde a 80 metros de altura.
Sobre as escadas, repare nas esculturas de Lola Mora
E na praça em frente, o Pensador, de Auguste Rodin.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Congreso de la Nación +++

Sede onde atuam deputados e senadores.
Impõe-se como um magnífico fundo da Avenida de Mayo.
Com a imponente cúpula a 80 metros de altura.
Um projeto do arquiteto Victor Meano.
Que se inaugurou em 1906.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Del Congreso +++

O paisagista Carlos Thays projetou a praça.
A inauguração ocorreu em 1914.
E completou o cenário colossal da obra do Congresso.
No centro da praça, observa-se um monumento.
Ele representa a República, que conduz um arado.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Livraria El Ateneo Grand Splendid +++

A Ateneo é a segunda mais importante livraria do mundo.
De acordo com eleição do diário britânico The Guardian.
Ela ocupa o prédio do elegante cine-teatro Grand Splendid.
E conserva a cúpula decorada com afrescos.
O antigo palco e o telão.
Além de um estúdio onde Carlos Gardel gravou.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio e Corrientes +++

Buenos Aires encontra em suas ruas ícones históricos.
Isso acaba por dotar de caráter a cidade.
É o caso destas duas tradicionais avenidas.
Uma é motivo de orgulho pela sua amplitude.
A outro ostenta a maior oferta teatral de Buenos Aires.
E no encontro das duas artérias ergue-se o Obelisco.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio +++

As 14 faixas de trânsito feroz separam o Microcentro de San Nícolas.
Atravessar essas 14 faixas não é das tarefas mais simples.
A maioria dos pedestres precisa aguardar duas mudanças de semáforos.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio: História +++

Mítica artéria que corta a cidade de Norte a Sul.
E homenageia a data da declaração da Independência Nacional.
Tem pouco mais de 3 km e sentido duplo de circulação.
E conecta duas importantes cabeceiras ferroviárias: Constitución e Retiro.

Em 1912, a construção recebeu luz verde.
Mas a inauguração ocorreu apenas em 1937.
Com uma extensão bem menor.
Entre as ruas Bartolomé Mitre e Viamonte.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio: Ônibus e Metrô +++


O transporte público permite uma vista distinta da avenida.
A linha C do metrô segue o curso sob a Avenida 9 de Julio.
Enquanto o Metrobus 9 de Julio passa pela superfície da avenida.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Avenida 9 de Julio: Prédios Importantes +++

Ao longo da Avenida 9 de Julio encontra-se o célebre Teatro Colón.
E o Edificio Del Plata, com gigantografias populares na fachada.
O prédio antigo Ministério de Obras Públicas.
Este exibe a imagem de Evita sobre duas de suas fachadas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cruzar a Avenida 9 de Julio +++

Para cruzar a Avenida 9 de Julio, deve-se atravessar 140 metros.
Uma das maneiras de fazer isso é pelas passagens subterrâneas.
Elas conectam Carlos Pelegrini e Cerrito, na altura do Obelisco.
Ali, confluem as linhas dos subterrâneos B, C e D.
Onde ficam numerosos pontos comerciais.

Pela extensão, na avenida já ocorreram atos políticos e artísticos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo de la Casa Rosada +++

Mostra permanente da história constitucional argentina.
Revela as facetas pública e privada dos presidentes.
O museu reúne retratos, pinturas, documentos.
Há também bustos dos presidentes.
E textos explicativos sobre que ocupou o palácio.
De Bernardino Rivadavia (1826-27) a Héctor José Cámpora (1973).

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Casa Rosada +++

Excelente maneira de reconstruir dois séculos de história.
O Museo Casa Rosada abriga rica coleção de objetos.
Muitos de ex-presidentes.
Há, também, a coleção com restos arqueológicos.
Repare no mural “Ejercicio Plástico”.
Do artista mexicano David Alfaro Siqueiros.
Uma obra-prima da arte latino-americana.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo +++

É a praça mais importante de Buenos Aires.
O nome homenageia a revolução de independência argentina.
Ela ocorreu em maio de 1810.

Na verdade, a cidade surgiu em torno da praça.
Inicialmente, ela se chamava Plaza Mayor.

No centro da praça, fica a Pirâmide de Mayo.
Trata-se de um ponto de encontro de manifestações.
Ali, reúnem-se as Madres de La Plaza de Mayo.

Fonte: Guia O Viajante – Argentina, Zizo Asnis, 2009.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo: História +++

Local onde Juan de Garay fundou definitivamente a cidade, em 1580.
Em 1810, o local da atual praça foi o cenário da Revolução de Maio.
Em torno dela, surgiram os prédios mais relevantes da vida cívica local.
Muitos deles, ainda existem.
Em 1890, ocorreu o primeiro ato de um partido político organizado.
La Unión Cívica.
A praça nunca mais deixou de ser epicentro das celebrações.
E também dos dissabores da sociedade portenha.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo: Manifestações +++

É a caixa de ressonância das grandes manifestações populares.
Desde a história e a política.
Até o festejo de Maradona com a Copa do Mundo.
Desde 1977, é o ponto de encontro das Madres de La Plaza de Mayo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pirâmide de Mayo e Prédios Históricos +++

A Pirâmide de Maio data de 1811.
E comemorou o primeiro ano da Revolução de Maio.
Ainda no século XIX, remodelou-se o monumento.

Ao redor da praça, vemos alguns prédios históricos.
Como a Casa Rosada, a Catedral, o Cabildo e a Legislatura.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza de Mayo: General Belgrano +++

Em frente à Casa Rosada, há um monumento equestre.
Ele homenageia o General Manuel Belgrano.
Belgrano nasceu e morreu no bairro.
E é uma das maiores referências da história argentina.
Ele criou a Bandeira Nacional, emblema que ostenta na estátua.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palermo: Origem do Nome +++

Não está clara a origem do nome do bairro.
A inspiração pode ser a figura de Juan Domínguez Palermo.
No princípio do século XVII, ele era o dono das terras locais.
Outra origem pode ser um oratório.
Nele, venerava-se a imagem de San Benito de Palermo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palermo: História do Bairro +++

Juan Manuel de Rosas foi governador da província de Buenos Aires.
E até 1836, adquiriu grandes porções de campos.
Instalou sua residência nas atuais avenidas Del Libertador e Sarmiento.
Ali, vemos, hoje, o Monumento de los Españoles.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palermo: Parques do Bairro +++

Em 1875, Palermo viu surgiu o Parque 3 de Febrero.
E, com o tempo, o Jardín Botánico e o Zoológico.
Assim, o bairro ganhou fama e expandiu-se.
Hoje, o extenso bairro divide-se em zonas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Jardín Botánico Carlos Thays +++

Fica na Avenida Santa Fe, 3951.
É um harmônico mundo verde.
Entre esculturas, fontes e edificações de estilo.
Com um belo jardim de inverno Art Nouveau.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Jardín Botánico Carlos Thays +++

Monumento Histórico Nacional.
Pelo caráter cultural.
E por representar um importante reservatório natural.
De localização plenamente urbana.
O Jardín Botánico reúne diversas espécies vegetais.
Locais e de outras regiões.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Jardín Botánico Carlos Thays +++

O Jardín Botánico Carlos Thays abriu em 07/09/1898.
E possui uma área de cerca de 80 mil m2.
O local não é só uma área de lazer para os moradores.
Mas também uma coleção de plantas vivas.

Conta com um Jardim Romano.
Este revive a ambientação dos parques daquele império.
O Jardim Francês inspira-se nos palácios do século XVIII.
E há uma coleção de espécies de diferentes continentes.
Ao longo de um passeio repleto de esculturas artísticas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Prédios do Jardín Botánico +++

O edifício central, em estilo francês, data de 1881.
E abriga a mais bela estufa – ao todo, são cinco no jardim.
Em estilo art nouveau, ela reúne valiosas coleções de plantas.

A Biblioteca Botánica conta com mil livros.
E dez mil publicações do mundo inteiro.
Livremente disponíveis aos visitantes.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ MALBA +++

Museu moderno e luminoso.
Com obras dos mais importantes artistas latino-americanos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Coleções do MALBA +++

Abriga uma das coleções mais importantes do continente.
Com pinturas, esculturas, desenhos, gravuras, colagens, fotografias.
De artistas da América Latina.
Desde o México e o Caribe até a Argentina.

O patrimônio é parte da Coleção de Arte da Fundação Costantini.
Com cerca de 400 obras.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ MALBA: Modernidade e Vanguarda +++

Os grandes movimentos europeus são uma referência mundial.
No século XIX, os artistas latinoamericanos sintonizaram-se a eles.
Essa inclinação seguiu ao longo do século XX.
Podemos ver tendências expressionistas, cubistas e futuristas em:
+ “La Canción Del Pueblo”, de Emilio Pettoruti;
+ “Neocriollo”, de Xul Solar;
+ “Antropofagia”, de Tarsila do Amaral.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ MALBA: Arte e Política +++

Nos anos 30, firmou-se o exercício arte-política.
Sob os conceitos de “realismo social”, “nativismo”.
E de “novo realismo” e “arte crítica”.
Antonio Berni foi a clara referência deste compromisso.
No MALBA, há a obra “Manifestación”, de Berni.
E trabalhos dos mexicanos Diego Rivera e David Alfaro Siqueiros.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ MALBA: Surrealismo +++

Desde a década de 1920.
Os artistas investigaram o mundo do mágico e do fantástico.
Com técnicas de colagem e de fotomontagem.
Um exemplo é “La Decadencia Del Misticismo”.
Obra de 1942, de Roberto Matta.
Também há trabalhos de Maria Martins e Frida Kahlo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ MALBA: Arte Conceitual e Pop +++

Com o passar do tempo, surgiram novas disciplinas e suportes.
Construções, instalações, objetos e vídeos.
Ambientações, intervenções e performances.
Como na obra “Pruebe de Nuevo” (1963).
De Jorge de La Vega.
Ou nas obras de Fernando Botero e León Ferrari.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

Museo Nacional de Arte Decorativo

Fica no Palacio Errázuriz.
Um imponente exemplo do estilo eclético francês.
Onde se encontram notáveis móveis de época.
Peças orientais, esculturas, tapetes.
E obras de El Greco, Sorolla, Fragonard, Manet.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Rosedal +++

Coleção de rosas no Parque Tres de Febrero.
É o passeio mais romântico de Buenos Aires.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Paseo Del Rosedal +++

Um local especial aos amantes de flores, poesias.
E de paisagens idílicas.
Pode-se passear de barco no lago.
Caminhar sob as pérgolas.
Ou simplesmente sentar e apreciar a vista.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Puerto Madero +++

O mais novo bairro portenho.
Era a porta de ingresso no país.
Uma área de intensa atividade portuária.
Mas esta atividade logo se extinguiu.
E a região passou por um longo período de abandono.

A partir de 1990, reciclou-se boa parte das antigas construções.
E o local converteu-se no ponto mais inovador da cidade.
No que se refere à arquitetura e ao desenho.

Hoje, Puerto Madero é um dos bairros mais exclusivos.
Com luxuosas torres e complexos contíguos.
Amplos parques e uma reserva ecológica.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Diques de Puerto Madero +++

Quatro passagens unem Puerto Madero à cidade.
Elas atravessam os diques:
+ Dique 1 – Rosario Vera Peñazola comunica com San Telmo;
+ Dique 2 – Azucena Villaflor conecta com a área da Plaza de Mayo;
+ Dique 3 – Macacha Güemes dirige-se a City portenha;
+ Dique 4 – Rua Cecilia Grierson leva ao Retiro e às Galerías Pacífico.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cassino de Buenos Aires +++

O único cassino da cidade fica em Puerto Madero.
O Casino Buenos Aires funciona sobre duas embarcações.
Os navios Estrella de La Fortuna e Princess.
Eles ficam na Dársena Sur.
Contam com 130 mesas de jogos.
E sala de pôquer com 13 mesas.
Além de restaurante e confeitaria gourmet.
E um centro de compras.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Puente de la Mujer +++

Obra do arquiteto Santiago Calatrava.
No moderno bairro de Puerto Madero.
Da ponte, capte uma panorâmica do bairro.
Ela fica em frente às antigas docas.
E às modernas e luxuosas edificações.
Um local bacana de curtir ao entardecer.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Puente de la Mujer: Emblema do Bairro +++

Este emblema do bairro fica nos fundos da Casa Rosada.
Um projeto do célebre arquiteto Santiago Calatra.
E é a primeira obra do espanhol na região.

A ponte giratória permite a passagem de embarcações.
Estes navegam pelos diques de Puerto Madero.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Puente de la Mujer: Presente da Espanha +++

A construção da ponte ocorreu na Espanha.
E um particular doou-a à cidade de Buenos Aires.
A inauguração aconteceu em 2001.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Puente de la Mujer: Casal de Tango +++

A inspiração foi um casal dançando tango.
E o desenho da ponte, à distância, lembraria o tal casal.
O mastro representaria o homem.
Através das cordas, ele sustenta a curvatura central da ponte.
Esta simbolizaria a mulher, em um típico passo da dança.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Recoleta e Retiro +++

Comunicam-se pelas avenidas Alvear e Del Libertador.
Os bairros caracterizam-se pelo contexto seleto e refinado.
A opulência de muitas edificações coroa este refinamento.
Vemos isso em igrejas, palácios e torres.
E até em um cemitério – um autêntico museu a céu aberto.

As terras altas despertaram o interesse da alta sociedade portenha.
Durante a epidemia de febre amarela, no século XIX.
O temor da enfermidade levou ao êxodo das famílias mais abastadas.
Estas viviam dispersas de sul a norte, pela metrópole.
Isso explica o perfil da área que compreende, hoje, Recoleta e Retiro.
Que passou a ser conhecida como a pequena Paris.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta +++

A fachada reúne colunas dóricas na entrada da Rua Junín.
Mas são os muros de tijolos vermelhos que cercam o perímetro.
Dentro deles, uma série de imponentes mausoléus.
Em meio a ermas ruas ou a avenidas ladeadas por árvores.

Esta cidade dos mortos tem mais de 46 mil metros quadrados.
E era uma das meninas dos olhos de Tocuato de Alvear.
O leito derradeiro do prefeito modernizador está bem ali.
Próximo ao pórtico de entrada do Cemitério da Recoleta.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Os Ricos e O Cementerio de la Recoleta +++

Quase todos os sepultados eram ricos.
E tão importante quanto à riqueza era o sobrenome.
Entre eles, há presidentes argentinos.
Como Bartolomé Mitre, Domingo F. Sarmiento e Hipólito Yrigoyen.
Militares, como Guilhermo Brown e Julio Argentino Roca.
Além de artistas e figuras literárias:
Adolfo Bioy Casares, Cândido López, José Hernández, Victória Ocampo.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ O Boxeador e O Cementerio de la Recoleta +++

Luis Angel Firpo (1894-1960), boxeador, tinha origem humilde.
Mas tinha o influente oligarca Félix Bunge como padrinho.
O “touro selvagem dos pampas” quase trucidou Jack Dempsey.
A luta ocorreu no Polo Grounds, em Nova York, em 1923.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Cementerio de la Recoleta e Evita Perón +++

Ali, sepultou-se, definitivamente, Evita Perón.
Evita nunca escondeu a hostilidade contra a elite argentina.
E sua simples presença envergonha os oligarcas ali enterrados.

Eva era a filha ilegítima e ressentida do fazendeiro Juan Duarte.
Agora, ela compartilha o jazigo com o pai que a renegou.
Uma simples parca marca o derradeiro local de descanso de Evita.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Histórias do Cementerio de la Recoleta +++

O Cemitério da Recoleta destaca-se pelas esculturas.
E pela qualidade arquitetônica.
Também abriga histórias de amor, paixões e traições.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Celebridades no Cementerio de la Recoleta +++

O local converteu-se em monumento histórico.
Dado o valor artístico e a relevância de suas tumbas.
Trata-se de um verdadeiro museu a céu aberto...

Ex-presidentes, heróis nacionais e celebridades descansam ali.
Com destaque à célebre Eva Perón.
Mas outras tumbas despertam singular magnetismo...

Como a de Liliana Crociati.
Ela faleceu aos 26 anos, durante a lua de mel.
A abóboda neogótica reproduz o dormitório da jovem.
Em frente, há uma escultura dela, em bronze.
Com vestido de noiva e acompanhada do mascote.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ História dos Cemitérios de Buenos Aires +++

Na Buenos Aires antiga, não havia cemitérios.
Sepultavam-se os mortos nas igrejas.
Ou fora da cidade.
Mas o aumento da população exigiu novas medidas.
E em 1822, inaugurou-se o Cementerio Del Norte.
Onde ficava o pomar dos frades recoletos.
O intendente Torcuato de Alvear deu à necrópole atmosfera distinta.
Ao realizar uma série de obras e dotar o local com esculturas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Pórtico do Cementerio de la Recoleta +++

O pórtico serve de acesso principal ao cemitério.
E surgiu quando se ordenou o remodelamento do prédio.
São quatro colunas em estilo grego.
Sobre elas, lê-se “Requiescat in pace” (Descansem em paz).
No lado interno, outra frase.
Esta, atribuída aos mortos:
“Expectamus dominum” (Esperamos o Senhor).

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Inimigos no Cementerio de la Recoleta +++

Domingo F. Sarmiento e Fagundo Quiroga foram grandes rivais.
Hoje, o ex-presidente e o caudilho dividem a mesma morada.
E os túmulos ficam distantes poucos metros um do outro.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Mausoléus do Cementerio de la Recoleta +++

Federico Leloir recebeu o Prêmio Nobel de Química.
Seu mausoléu conta com um coreto.
Que coroa a abóboda e apresenta um Cristo.

Também se destaca o mausoléu de Luís María Campos.
Belas esculturas adornam o sepulcro do tenente coronel.

A mais antiga tumba é também uma das mais singelas.
Ela guarda os restos mortais de Remedios de Escalada.
Esposa do general San Martín.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Faculdade de Direito: Prédio Neoclássico +++

O prédio monumental fica em frente a Plaza Francia.
E começou a ganhar forma em 1946.
Logo chamou a atenção pela fachada neoclássica.
Com catorze imponentes colunas dóricas.
Influência dos templos Greco-romanos.

A decisão estética despertou críticas.
Afinal, o desenho alinhava-se aos regimes totalitários.
Que acabavam de ruir na Europa.

Desde 21/09/1949, o prédio está em funcionamento.
Apesar da conclusão da construção só ocorrer nos ano 1960.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Faculdade de Direito: Esculturas +++

Duas esculturas decoram o imponente hall de ingresso.
Ambas datam de 1953 e representam a Justiça e a Liberdade.
O hall ficou conhecido como Salón de Los Pasos Perdidos.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Floralis Generica: O Espetáculo +++

Uma monumental flor mecânica de 20 metros de altura.
Ao meio-dia, ela aparece em seu apogeu.
E ao entardecer, as cinco pétalas começam a se fechar.
Um belo espetáculo, no amanhecer e no crepúsculo.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Floralis Generica: Informações Técnicas +++

O arquiteto Eduardo Catalano concebeu e doou, em 2002.
A flor de aço inoxidável tem armação de alumínio e concreto.
Pesa 18 toneladas.
Possui 23 metros de altura.
E, aberta, alcança 32 metros de diâmetro.
É a única escultura com movimento na cidade.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Floralis Generica: Funcionamento +++

Imita a abertura e o fechamento de pétalas de uma flor.
Para isso, conta com um sensor.
Este mede a intensidade dos raios do sol.
Ao detectar os primeiros raios, ao amanhecer, as pétalas abrem.
Ao anoitecer, elas se fecham.
A escultura também conta com um sistema para detectar tormentas.
Nesse caso, as pétalas fecham de maneira preventiva.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Nacional de Bellas Artes +++

É o museu de arte mais importante da Argentina.
Com uma coleção de obras que abrange a arte antiga e da Ásia.
Além de arte pré-hispânica e colonial.
Assim como peças do século XII à atualidade.
O museu expõe cerca de mil obras de um acervo de 13 mil.
O mais importante patrimônio artístico público da América Latina.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Museo Nacional de Bellas Artes: História +++

No Natal de 1896, inaugurou-se o museu.
A partir de um decreto presidencial do ano anterior.
O local reúne o maior patrimônio cultural público da Argentina.
Mas as primeiras doações vieram de coleções privadas.
E reunia, a princípio, 163 obras.
A sede ficava onde hoje se encontram as Galerías Pacífico.
Em 1909, mudou-se para um prédio no Retiro.
E passou para o local atual, na Recoleta, em 1933.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Palácios Suntuosos de Recoleta e Retiro +++

Muitas residências do Retiro testemunham a riqueza.
Da Belle Époque do final do século XIX.
O mesmo acontece na Recoleta.
Isso confere a característica de exclusividade destes bairros.
Com elegantes ruas e avenidas que alimentam esse glamour.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

++++ Palácios na Recoleta ++++

O Palacio Ortiz Basualdo, desde 1939, abriga a Embaixada da França.
O notável edifício, originalmente, foi uma mansão aristocrática.
Este “hotel particular” pertenceu à família Ortiz Basualdo.

Com projeto de 1912, a construção prolongou-se até 1918.
Em 1925, serviu de residência oficial a um ilustre visitante.
Eduardo de Windsor, Príncipe de Gales, passou uma temporada ali.

Até a primavera de 2014, foi mais de um ano de restauração.
Para o prédio recuperar todo o explendor de suas fachadas.
A entrada principal, os salões de recepção e o mobiliário.

A antiga residência fica a poucos metros de outros palácios.
Como Álzaga Unzué, Casey, Fernández Anchorena e Pareda.
Todos na zona norte da cidade de Buenos Aires.

Para muitos o Palacio Dahau é o expoente máximo de um período.
A residência é o maior representante da Belle Époque portenha.
Um dos últimos exemplos de prédios posteriores ao neoclassicismo.

O Palacio Dahau insere-se no estilo vitoriano tardio.
Com inspiração no castelo de Marais (Ile-de-France).

Palacio Ortiz Basualdo – Calle Cerrito, 1399.
Palacio Dahau – Avenida Alvear, 1661.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Intendente Alvear +++

Obra do arquiteto paisagista francês Carlos Thais.
Abriga tradicional feira de artesanato nos fins de semana.
Em frente à praça, a sombra de um frondoso gomero.
E La Biela, um dos cafés de grife da cidade.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza Torcuato de Alvear (Plaza Francia) +++

É um bom ponto de partida para um passeio pela Recoleta.
Desfrute de um café em La Biela.
Com vista para a Basílica Nuestra Señora Del Pilar.
Dentro, aprecie as fotos de Adolfo Bioy Casares, escritor.
Para um livro do amigo – e também escritor, Jorge Luis Borges.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

Em torno dela estão algumas das mais extravagantes mansões.
Da época de ouro da Argentina.
De pessoas como o magnata da imprensa José C. Paz.
Ele inspirou-se no Louvre para construir seu palacete.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

Fica em um terreno em declive.
Num dos extremos da praça, fica o monumento a San Martín.
É o primeiro monumento equestre da cidade de Buenos Aires.
Suba as escadarias do parque e aprecie a Torre de Los Ingleses.
Já na Avenida Del Libertador fica o monumento em tributo.
Aos combatentes que morreram na Guerra das Malvinas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín +++

É um das mais belas praças da cidade.
Estende-se sobre um barranco, que já margeou o Rio da Prata.
Hoje, oferece vista a pontos que se sobressaem no horizonte.
São torres, edifícios e palácios.
Além de dois monumentos em homenagem aos Heróis da Pátria.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín: História +++

Este ponto da cidade viveu sucessivas transformações.
Desde que um monge se retirou, ali, para meditar.
E isto originou o nome do bairro portenho do Retiro.

A praça, primeiro, serviu como mercado e alojamento de escravos.
Mais tarde, o local foi uma concorrida praça de touros.
E depois, abrigaria o Regimiento de Granaderos a Caballo.

No fim do século XIX, começou a ganhar a atual fisionomia.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Plaza San Martín: Monumentos +++

O cenotáfio fica na Avenida Del Libertador.
E homenageia os mortos na Guerra das Malvinas, em 1982.
As 25 placas de mármores têm os nomes dos 649 combatentes.
Soldados guarnecem a Chama Eterna.

No outro extremo da praça, fica o monumento a San Martín.
A obra de 1862 é o primeiro monumento equestre da Argentina.
O General San Martín aponta a Cordilheira dos Andes.
E mostra a rota da campanha libertadora argentina.
O monumento fica na Avenida Santa Fé.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre de los Ingleses +++

A torre de relógio fica na antiga Plaza Britania.
E a comunidade inglesa doou-a durante a I Guerra Mundial.
Com a Guerra das Malvinas, em 1982, a praça mudou de nome.
Passou a se chamar Plaza Fuerza Aérea Argentina.
Uma referência à força aérea.
Único braço das forças armadas com desempenho louvável na guerra.

Fonte: Guia de Viagem: Argentina - National Geographic, 2010.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre Monumental: O Presente Britânico +++

O monumento foi um presente dos britânicos residentes no país.
Por ocasião do primeiro centenário da Revolução de Maio de 1810.
Fica na Plaza Fuerza Aérea Argentina.
Era conhecido como Torre de Los Ingleses.
E mudou o nome após a Guerra das Malvinas.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Leonardo Brocker disse...

+++ Torre Monumental: A Construção +++

Com 60 metros de altura, tem estilo renascentista.
E um mirante que permite avistar o bairro e o terminal ferroviário.
No piso acima, instalaram os relógios da torre.
São pequenas réplicas dos que estão no Big Ben, em Londres.
A inauguração ocorreu em 24 de maio de 1916.

Fonte: Buenos Aires a Pie - National Geographic, 2016.

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design