segunda-feira, 26 de março de 2012

Ludwig van Beethoven: Biografia

Ludwig van Beethoven foi um dos maiores músicos de todos os tempos. Pode-se dizer que Beethoven é, ao lado de Michelangelo, a personalidade mais poderosa da história das artes. Beethoven está para a música assim como Shakespeare está para a literatura; Michelangelo, para as artes e Newton, para a ciência.

Beethoven nasceu dia 16 de dezembro de 1770, em Bonn, na Alemanha. Faleceu, há exatos 185 anos, dia 26 de março de 1827, em Viena, na Áustria. Na ocasião, Ludwig van Beethoven estava com 56 anos de idade.

Ludwig van Beethoven, em 1801
Ludwig van Beethoven, em 1801
 

A Personalidade de Beethoven

Alguns traços na sua personalidade ficaram famosos. Dentre eles, a vaidade e a agressividade. Certa vez, escreveu: "Atingi tal grau de perfeição que me encontro acima de qualquer crítica".

Em 1806, Beethoven estava hospedado no castelo do príncipe Lichnowsky,  antigo protetor a quem dedicara a Sinfonia nº 2. Solicitaram que ele tocasse para alguns oficiais de Napoleão. Recusou-se! Então, o príncipe, brincando, ameaçou prendê-lo. Beethoven retornou imediatamente à Viena e destruiu um busto de Lichnowsky.


Talvez essa personalidade seja um reflexo de sua difícil infância. Filho de um pai alcoólatra, Beethoven apanhava e era obrigado a estudar piano horas a fio. Seu pai queria que ele se tornasse um novo Mozart... Mas, aos 13 anos, Beethoven precisou largar a escola para trabalhar e auxiliar a família. 


Formação e Estilo Musical

O conde Ferdinand Ernst von Waldstein percebeu seu talento musical, mandando-o para Viena. Lá, ele foi aluno de Mozart e Haydn. E Haydn acabou influenciando bastante o estilo de Beethoven.

Beethoven manteve as formas de Haydn, apenas alargando-as. Isto não diminui, porém, a sua originalidade. Ele ampliou imensamente o campo das experiências modulatórias e das expressões emocionais.

Ludwig van Beethoven, em 1819
Ludwig van Beethoven, em 1819


Comparação com Outros Compositores

Beethoven não foi um homem de inspiração instantânea. Raramente, aproveitou uma ideia assim como lhe ocorrera. Sua própria evolução foi das mais vagarosas. 

Se tivesse morrido como Schubert, aos 31 anos, seu nome não seria lembrado por ninguém. Com 35 anos, idade em que Mozart encerrou a sua abundante produção, Beethoven não havia criado a maior parte de suas obras-primas.

A sua produção foi bem menos abundante que a de Bach, Handel, Haydn, Mozart, Schubert. Porém, nenhum compositor ofereceu tantas obras, sem que o ouvinte sentisse monotonia. Cada obra sua é um "indivíduo" diferente, inconfundível.

Beethoven foi também o primeiro músico que não compôs por encomenda. Só por inspiração e soberana vontade próprias. As obras encomendadas resultaram em fracassos. Apesar de o oratório "Christus am Oelberg" (1802), encomendado pelo príncipe Esterházy, na época, ter feito grande sucesso.

2 comentários:

Carlão disse...

Parabéns pela homenagem, pensei q ninguém mais fosse lembrar desse dia, fiquei triste quando percebi qo]ue o google não fez sua homenagem. Eu mesmo fiz minha homenagem no you tube. Despois quem quiser conferir.
http://www.youtube.com/watch?v=vhuyPE3sNAY&feature=g-upl&context=G28888adAUAAAAAAABAA
http://www.youtube.com/watch?v=iR_T5gXrybI&feature=g-upl&context=G2e4c7eeAUAAAAAAAAAA

Leonardo Brocker disse...

Carlos,
Antes de mais nada, gostaria de parabenizá-lo pelos vídeos postados no YouTube.
Realmente, é difícil imaginar o que seria da música ocidental sem alguns gigantes, como Bach, Mozart e Beethoven.
Por isto, resolvi prestar aqui uma homenagem a eles. Apesar de o blog ter sido concebido mais para relatos de viagem...
Estranho mesmo o esquecimento por parte do Google. Se fosse com o Wagner, seria até compreensível...

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design