quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Memorial da Resistência e Estação Pinacoteca - São Paulo

Após passarmos pelo Parque da Luz e pela Estação Júlio Prestes, seguimos para a Estação Pinacoteca. E seu acervo é bem menor que o da Pinacoteca do Estado de São Paulo, localizada em frente à Estação da Luz.

O maior destaque deste prédio é o Memorial da Resistência, que fica no térreo. O acervo de quadros e esculturas fica no segundo piso. Um dos setores é dedicado às artes sacras.

Continuação de...


Memorial da Resistência

O grande atrativo da Estação Pinacoteca é o Memorial da Resistência!

Este prédio foi projetado pelo escritório de Ramos de Azevedo, sendo inaugurado em 1914. No local funcionava a administração e o depósito da Estrada de Ferro Sorocabana.

Em 1939, passou por reformas para abrigar o Deops de São Paulo. E de 1940 até 1983, o órgão ocupou totalmente o prédio. Ali, ficavam os criminosos políticos. Basicamente, militantes e guerrilheiros que se posicionavam contra o governo.

Corpo de Antônio Conselheiro, Canudos
Corpo de Antônio Conselheiro, Canudos


Antônio Conselheiro e Carlos Marighella

Antes de entrar nas celas do antigo Deops, você verá uma exposição de fotos. Ali há uma foto do corpo de Antônio Conselheiro, morto em Canudos. Esta foto é de 06/10/1897 e pertence ao acervo do Museu da República, no Rio de Janeiro.

Você poderá ver também a reprodução da foto do corpo de Carlos Marighella. O material pertence ao Instituto de Polícia Técnica de São Paulo.

Corpo de Carlos Marighella, Museu da Resistência
Corpo de Carlos Marighella, Museu da Resistência


As Celas do Antigo Deops de São Paulo

Acompanhei boa parte da visita guiada, no Museu da Resistência, com alunos de colégio. A visita, seja guiada ou não, percorre as salas onde ficavam as celas do antigo Deops de São Paulo.

Evidente: este ambiente foi todo recriado, com base no depoimento de antigos prisioneiros. Do antigo local, só restam as portas de madeira e as grades. Mesmo as paredes foram todas pintadas, buscando resgatar o padrão original.

Celas do Antigo Deops de São Paulo
Celas do Antigo Deops de São Paulo


Monteiro Lobato e Dilma Rousseff

Numa das celas, ficou o escritor Monteiro Lobato, durante o governo Vargas. Apesar de racista e anti-comunista, Lobato manifestou-se contra a campanha "O Petróleo é Nosso". Sua prisão provocou grande mobilização social e o escritor foi logo libertado.

No DEOPS de São Paulo também ficou presa a atual presidente do Brasil, Dilma Rousseff. Outros prisioneiros políticos famosos foram Carlos Marighella, Carlos Lamarca, Jorge Amado, Graciliano Ramos... Mas estes não ficaram detidos na unidade de São Paulo.


Nomes nas Paredes e Depoimentos na Última Cela

Nas paredes das celas, você verá o nome de antigos prisioneiros do Deops São Paulo. Foram escritos com canivete. Originalmente, eram escritos com haste de óculos, botões de calça...

Na última cela, há um arquivo de áudio com depoimentos de ex-detentos. Falam da união e solidariedade de presos, da comida que era ruim e os banhos, raros. O sol era mais raro ainda. Relatam também a tortura vivenciada pelos presos.

As Paredes do Antigo Deops de São Paulo
As Paredes do Antigo Deops de São Paulo


Apenas Um Lado da História

O que chama a atenção é o fato de ser contado apenas um lado da história. Com exceção do escritor Monteiro Lobato, não é comentado o motivo das detenções. Não que isto justifique a tortura, por exemplo...

Só devemos lembrar que na Alemanha foram mortos 5 milhões de pessoas. Na antiga União Soviética, 20 milhões. O número de mortos e desaparecidos, em 20 anos de regime militar no Brasil, é inferior ao que morre no trânsito em um mês.

Pode-se argumentar que os acidentes de trânsito não são intensionais. E que no Brasil não há pena de morte prevista na lei. Além disso, a tortura não é vista com bons olhos. Em compensação, o trânsito e o tráfico não poupam crianças...

Relatos na Última Cela - Museu da Resistência
Relatos na Última Cela - Museu da Resistência

Além disso, quantos Josés Dirceus não foram mortos naquele período? Afinal, muitos daqueles antigos guerrilheiros estão entre os maiores corruptos da atualidade. Corruptos que se destacam mesmo em se tratando de Brasil...

Por fim, inúmeras pessoas protestaram, na época, sem usar armas ou cair na criminalidade. E muitas delas deixaram o país, o que, mesmo hoje, não é permitido em Cuba, por exemplo.


Picasso e Tarsila do Amaral na Estação Pinacoteca

Pois bem, tendo ficado a maior parte do tempo no Museu da Resistência, passei rapidamente pelo segundo andar. À esquerda, você verá uma sala destinada às artes sacras. Ali há tanto quadros como imagens de santos.

Aconselho passar por ali antes de visitar o Museu de Artes Sacras. Se você visitar primeiro o Museu de Artes Sacras, como eu fiz, a Estação Pinacoteca tem pouco ou quase nada a acrescentar...

Porta de Cela do Deops - São Paulo
Porta de Cela do Deops

À direita, você verá quadros, esculturas, abajures. A pequena sala reúne grandes nomes da pintura. E é um complemento importante à Pinacoteca do Estado. Há dois desenhos de Picasso e obras de Tarsila do Amaral, Lazar Segall, Anita Malfati.

Deixei a sala e também a Estação Pinacoteca. Juntei-me à minha família e seguimos para a Estação da Luz. Lá, pegamos a Linha Amarela até a Estação Paulista. Ali, fizemos a conexão com a Linha Verde, seguindo até a Estação Clínica. De lá, continuamos a pé até a pousada, no Jardim Paulista.


Contabilidade do Dia
Metrô Estação da Luz - Estação Clínicas = R$ 2,90
Pousada e Hostel São Paulo = R$ 50,00
Gasto Diário = R$ 52,90

0 comentários:

Postar um comentário

 
Free Host | new york lasik surgery | cpa website design